Destaques

  • Ola doutor! Estou lhe enviando este e-mail para q o senhor me ajude. Tenho um namorado a 11 meses ele tem 36 anos e eu 26, ele nunca ejacula e as vezes perde a ereção no ato sexual. A minha frustração é muito grande, mas quando pergunto ele me responde q sempre foi assim. Peguei ele varias vezes vendo pornografias e ele se masturba e ejacula bem rapido. Nao sei o q faço, mas parece q ele nao esta nem ai para este problema q parece nao afetar a ele. Ja conversei incansavelmente com ele sobre esse assunto, mas se ele nao muda de conversa fala q estou precionando. Me sinto feia do lado dele, a falta de interesse dele faz minha auto estima cair muito. Gostaria de saber se isso tem tratamento, pois ele disse a mim q sempre foi assim e q em toda a vida dele so ejaculou tres vezes em uma relação. Agradeço desde ja !

    Tatiane, 26 Anos - Ver Resposta

    Tatiana, o que você pode fazer é o que já está fazendo: procurando ajuda especializada.
    É muito comum essas pessoas que apresentam essa dificuldade conseguirem ejacular quando se masturbam, mas na relação com a outra pessoa não.
    Sim, para essa dificuldade tem tratamento. É preciso que ele procure um terapeuta sexual para ajudá-lo a resolver essa questão. Com base apenas no que você descreveu aqui, tudo indica que seja um caso de anejaculação. Mas é preciso que ele conversar comum profissional para um diagnóstico e tratamento adequado.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tenho dificuldade para chegar ao orgasmo já procurei um ginecologista que me passou um medicamento com formula de testosterona, esta ajudando bastante, sinto um tesão maior mais ainda nao consegui gozar será que é psicológico?

    Bianca, 32 Anos - Ver Resposta

    Olá Bianca.
    O orgasmo é aprendido, nós não nascemos sabendo a senti-lo. Assim como aprendemos a andar, cantar, dirigir, também aprendemos a alcançar o orgasmo.
    Para algumas pessoas isso pode ser mais fácil, para outras mais difícil. É importante levar em consideração os aspectos culturais, a forma como a família lida com a questão da sexualidade.
    O treino é a melhor maneira de desenvolvimento. Se sozinha estiver muito difícil para esse aprendizado, é bom buscar ajuda de um terapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, Dr! Tenho 15 anos de casado, duas filhas e sempre me dei muito bem, sexualmente falando, com a minha esposa, que tem 41 anos. Há mais ou menos 1 mês comecei a fazer uso de medicamentos para emagrecer. Medicamentos estes indicados por um médico e manipulados. Comecei a não conseguir mais ejacular nas relações sexuais. Nem me masturbando! Há duas semanas parei de fazer uso do inibidor e fiquei somente com as cápsulas que só contém ervas, segundo o médico. Sei que tenho de passar este problema para ele, pois foi muita coincidência começar o tratamento e aparecer esta disfunção. Porém gostaria de saber do Dr. se isto pode realmente acontecer em função de tais medicamentos. Desde já, muito obigado pela ajuda. Atenciosamente,

    Luis, 46 Anos - Ver Resposta

    Olá Luís Carlos.
    Sim, de fato alguns desses medicamentos podem causar, como efeito colateral, esse tipo de problema.
    Mas está tudo muito vago, é preciso saber quais medicamentos são esses e se há na pesquisas de base (feita pelo laboratório do medicamento) sobre dados sobre esses efeitos colaterais. O médico precisa saber desses dados.
    Por isso, o primeiro passo é conversar com ele para constatar ou descartar a possibilidade desse sintoma ser causado por esses medicamentos.
    Caso não seja, então seria bom procurar um terapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Estou um pouco confusa em relação ao meu casamento. Sou casada a 10 meses, meu marido tem 20 anos, namoramos por 5 anos e o sexo era otimo Agora ele não me procura mais, não estou mudada não meu corpo continua o mesmo, não engordei nem nada, tento fazer coisas diferentes, leio livros sobre coisas e posiçoes diferentes para fazer, frequento sex shop, faço cursos nos sex shop a respeito, mais ele não quer nem saber eu o procuro e na maioria das vezes ele rejeita, estou muito triste, ele diz que tudo esta normal mais não está. Ele diz que o sexo é bom mais parece que esta so cumprindo uma obrigação, goza e pronto, me pega parecendo que esta fazendo com uma boneca, tampa minha boca e me segura não me deixa nem me mexer, acaba se levanta e vai ver tv. Ele foi o unico homem que tive, sinto um tesão enorme por ele. Desde ja agradeço.

    Luana, 31 Anos - Ver Resposta

    Oi Luana. Sim, é delicada essa situação.
    Porém é preciso entender o que não está bem para ele. Normalmente, nesses casos, as mulheres se preocupam muito com a aparência, pois acham que isso é o suficiente ou a única coisa que atrai o homem. Sim, isso é importante, mas não é a única coisa. A prova é o que está acontecendo com você, que apesar de estar com um corpo legal, frequentar sexshop e fazer os cursos, o desejo dele por você não está do modo satisfatório para você.
    É preciso entender o que está acontecendo com ele e com a relação. Vocês são muito jovens e já estão casados, mas parece que algo não está bem para ele. Provavelmente você tenham vontade de experienciar outras situações que contribuiriam par ao amadurecimento de vocês.
    Agora, a relação de vocês precisa de uma revisão, o que não é fácil, mas precisará ser feita.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr, meu casamento está acabando. Estou casado a seis anos com minha mulher e tenho dois filhos, um de 2 e um de 5. Tenho problemas sérios de compatibilidade com meus sogros, por questões de serem pessoas que não me respeitam como eu sou, e isso acaba gerando uma guerra entre eu e minha mulher. Eu e minha mulher somos pessoas muito diferentes e eu sinto que não só acabou o respeito entre nós como o meu encanto, e, acredito que o único motivo que me faz permanecer casado com ela, são meus filhos. Quando me casei com minha esposa era um homem extremamente fiel, contudo, não tenho mais essa mesma garantia de continuar sendo, casado com uma pessoa que a cada dia que passa odeio mais e me dá mais motivos para conflitos. Não sei mais o que eu faço e receio que em breve, se as coisas continuarem acontecendo desse jeito, nem meus filhos segurarão o meu casamento. Já conversamos muitas vezes em muitos diálogos e tentamos nos interar mais para resolver isso, só que ela é uma pessoa que como a mãe, não admite seus erros e não sabe o que é pedir desculpas, logo não me ajuda muito, e até confronto físico já tivemos. Não sei mais se amo ou se convivo com minha mulher, e não sei o que fazer, pois não consigo nessa situação demonstrar mais nada por ela. Hoje disse a ela que o que sentia por ela a anos atrás acabou e que só tenho como motivo de manter o relacionamento os meus filhos. Por favor, me ajude.

    Anonimo, 33 Anos - Ver Resposta

    Olá. Viver numa relação assim não é nada saudável para ninguém da família.
    Quando a situação chega a esse ponto, é muito difícil ser arrumada se a ajuda de um profissional que estudou para isso e tem uma visão de fora. Quem está dentro tem muita dificuldade enxergar a situação como de fato é, não conseguindo ver, inclusive onde cada um tem participação e no que.
    Os filhos não deveriam servir para segurar o casamento, pois quando chega a esse ponto, há tempos a relação já não estava boa, e mais, os filhos acabam vivenciando um tipo de relacionamento dos pais que sem dúvida não é um modelo a seguir. Se eles são seus maiores bens, pensem no que vocês estão com a educação deles.
    Sugiro que vocês conversem sobre a possibilidade de irem a um psicólogo para ouvir os dois e compreender a dinâmica dessa relação (que tanto precisa de ajuda) e então ter mais dados para propiciar condições de você a sair dessa situação sem mais estragos a vocês e aos filhos.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy, Venho há vários anos tentando entender o que realmente acontece comigo e minha esposa. Abrimos o nosso relacionamento para mulheres há uns 10 anos atrás, o que foi realmente uma maravilha, saímos com algumas amigas de minha esposa e com outras que conhecemos, sempre com muita segurança. Acontece que um dia falei com minha esposa sobre a possibilidade dela transar com ouro homem em minha frente, ou melhor, termos um relacionamento a três, sendo que desta vez seria com homem, ela achou um absurdo e acabamos encerrando o assunto. Só que aquele desejo começou a tomar conta de mim, e quando eu e ela estávamos transando eu comecei a falar de outros homens e sentir a reação de minha esposa na ora, ela gozou como nunca falando um monte de loucuras. Resolvemos de comum acordo contratar um rapaz de programa, o que aconteceu e foi à primeira vez dela com outro homem, foi uma loucura ela me mordeu todo e realmente aquilo nos fez ficar bem mais próximos. Saímos com mais outro garoto de programa e tudo bem. Acontece que achei de pedir a ela para sairmos com um dos meus melhores amigos. Aconteceram uma duas três vezes. No ato tudo ficava bem, mas depois batia uma depressão em mim que seria ultima vez, mas que iríamos continuar saindo com garotas. A recaída veio de novo e tornamos sair com nosso amigo por mais umas duas vezes, e aconteceu à mesma coisa, no outro dia ficamos para baixo e desistimos de tudo novamente. Agora ela não, mas quer saber de sair com outro homem. Ai eu lhe pergunto! Já que tudo era uma grande maravilha porque não repetir mais o ato, ela fala que sempre que está acontecendo no outro dia ficamos para baixo. O que devemos fazer??? Já que adoro ver minha esposa gozando com outro homem??? Atenciosamente, Paulo.

    Paulo, 42 Anos - Ver Resposta

    Olá Paulo.
    Será preciso entender com mais profundidade o que causa esse sentimento de "ficar para baixo". O que é para ser uma diversão prazerosa, está causando um mal estar.
    Parece que o fato de ser com um amigo, isso o deixa mais vulnerável. É como se alguém próximo soubesse de um segredo que socialmente não é bem visto por muitas pessoas. Perceba que o mesmo não acontecia com as mulheres e nem com os garotos de programa.
    Há outro aspecto a ser considerado: as mulheres e os garotos de programa não representam necessariamente um "ameaça" para a relação, já que são mulheres ou são contratados e pagos, mas já o amigo... parece ter outra conotação.
    É compreensivo o quanto essa maneira de vivenciar o sexo é prazerosa para você, porém, perceba que essa está sendo a principal ou uma das principais vias para se obter o prazer sexual, seja pela própria prática ou por lembrar ou de situações que viveram com outra pessoa ou mesmo fantasiando. Tudo isso pode sintomático, ou seja, é possível que atrás desse desejo exista questões pendentes na sua vida que precisam de atenção. Repare que apesar da angústia que você sente, mesmo assim você quer novamente, dando a impressão de que isso é necessário para o seu prazer sexual.
    Penso que seria muito interessante você procurar um psicólogo para ajudá-lo a entender o que está causando isso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde Dr. Claudecy! Meu nome é João Pedro e estou com um problema. Recentemente descobri que uma pessoa muito proxima a mim sofreu violencia sexual la pelos seus 11 anos de idade. Hoje ela já esta com seus 20 anos e por mais que ela negue que tenha qualquer sequela, eu ja identifiquei 3 problemas: 1º Ideia fixa que ela não quer viver mais do que 40 anos. 2º Anorgasmia 3º Baixa alto estima Por mais que eu tente, não estou conseguindo fazer que ela procure um especialista no assunto e estou sem saber o que fazer. Não posso forçar ela ir (por causa do genio forte dela) e tenho medo de ficar tocando no assunto toda hora e piorar o quadro. Gostaria que o senhor pudesse de dar alguma ajuda. Grato pela atenção.

    Joao, 30 Anos - Ver Resposta

     

    AddThis Social Bookmark Button
    Boa tarde Dr. Claudecy!
    Meu nome é João Pedro e estou com um problema. Recentemente descobri que uma pessoa muito proxima a mim sofreu violencia sexual la pelos seus 11 anos de idade. Hoje ela já esta com seus 20 anos e por mais que ela negue que tenha qualquer sequela, eu ja identifiquei 3 problemas: 1º Ideia fixa que ela não quer viver mais do que 40 anos. 2º Anorgasmia 3º Baixa alto estima Por mais que eu tente, não estou conseguindo fazer que ela procure um especialista no assunto e estou sem saber o que fazer. Não posso forçar ela ir (por causa do genio forte dela) e tenho medo de ficar tocando no assunto toda hora e piorar o quadro. Gostaria que o senhor pudesse de dar alguma ajuda. Grato pela atenção.

    João, 30 anos |

    Olá, como vai?
    Essa é uma situação um tanto delicada para mexer. No entanto, algumas questões pessoais, por mais que pareça inadequado aos olhos dos outros, não se pode forçar a pessoa procurar ajuda.
    Enquanto ela não perceber que tais questões estão atrapalhando a vida dela, causando danos nas suas relações, ela não procurará ajuda.
    Entendo que deve ser angustiante para você que está perto, perceber e não poder fazer muito coisa.
    Seria muito importante, ao poucos, ela começar a perceber que pode ter uma qualidade de vida sexual melhor, se resolver essa questão da anorgasmia a qual você se refere, bem como, se a questão da violência sofrida estiver a atrapalhando, ela poderá também usufruir de melhor qualidade nas suas relações se essa questão for trabalhada com um profissional.
    Por isso, sugiro que pouco a pouco, você aborde a importância dela procurar a ajuda de um psicólogo, de preferência um psicoterapeuta sexual para ajudá-la não só na questão do possível trauma que ela carrega, bem como na questão sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, faço xixi qdo sou muito estimulada, isso é normal, as vezes faço muito durante os orgasmos, mas contudo meu marido parece gostar da situação, pois qdo não acontece ele acha q não foi satisfatorio. Mas isso é normal? E tbm é normal uma mulher de 38 anos querer sexo todos os dias? Obrigada doutor.

    Lavinia, 38 Anos - Ver Resposta

    Oi Lavinia.
    O xixi na hora da transa e orgasmo, está muito ligada a um condicionamente de estímulos. É como se você tivesse desenvolvido essa resposta quanddo recebe esse estímulo.
    Com algumas técnidas específicas, o psicólogo especializado em sexualidade pode ajudar a mudar essa questão.
    Quanto a querer sexo diariamente, não necessariamente significa um problema. Porém, é muito importante investigar o motivo que leva você a desejar o sexo diariamente. Muitas vezes encontramos atrás desse comportamento uma maneira para amenizar a ansiedade. Assim como algumas pessoas usam a comida, drogas, álcool... para essa finalidade, muitos usam o sexo. Seria importante fazer essa investigação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor! Eu estou passando por um problema comigo mesma! eu acredito que realmente tenho TOC desde os 10 anos, depois que assistir seu video agora tenho mais certeza que tenho! Bom recentimente tive dengue onde senti muitas reações ruins que nunca tive antes, como tonteiras, visão tumutuada e cabeça pesada! Só que nesse período uma conhecida minha morreu de cancêr na cabeça, só que começei a pensar que também tinha o problema! Fiquei muito tempo com dores de cabeça pensando que também tinha omesmo problema... agora estou um pouco melhor! Só que ainda penso muitas vezes nisso! Só que agora penso que existe um cancêr flutuando no ar, onde não posso controlar! imagino que esse cancêr entra na cabeça das pessoas, na minha familía também imagino! tenho medo de machuca-las ou atrair isso para elas! agora pergunto Doutor...isso tem cura?! séra que posso controlar esses pensamentos obesessivos?! tenho conciência que isso não é normal...Deus sabe o quanto luto para isso não acontecer! Estou muito triste Doutor, o senhor não sabe o quanto isso está acabando comigo! por favor responda-me! ficarei muito grata! dependendo da sua avaliação vou me tratar o mais rápido possível! obrigada!

    Fernanda, 19 Anos - Ver Resposta

    Oi Fernanda.
    Pela sua descrição, sei o quanto você está sofrendo. Esses pensamentos de fato atrapalham a realização das tarefas diárias.
    Fmuito obrigado por ter assistido meu vídeo na internet.
    Apesar dos sintomas que você descreve dar margens para pensarmos em TOC, é preciso cautela, pois pode ser também que você seja muito vulnerável a autossugestão.
    Você já deu o primeiro passo, que é buscar ajuda especializada. Mas não pode parar aqui. É muito importante que você procura um psicólogo para ajudá-la a resolver essa questão que tanta a perturba.
    Apesar que não adiantar você saber disso, mas o câncer não está no ar, não entra na nossa cabeça como você sente. Mas tem como sim, você resolver esse problema.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Ola Doutor.venho por este meio pedir um esclarecimento ao S.Dr. sobre a doença do meu namorado. ele e obsessivo compulsivo(TOC) e tem 20 anos(idade que pelo que investiguei e propicia ao aparecimento destas doenças). por exemplo ele para passar do carro para a moto tem que ir tomar banho, lava muitas vezes as maos, tem pensamentos com todas as mulheres que encontra... quando essas mulheres sao minhas amigas entao o caso ainda é mais complicado levando assim ao isolamento do nosso relacionamento com o mundo. e muito mas muito possessivo ciumento e controlador. diz que ouve uma voz a falar com ele (penso que sejam os pensamentos) mas são tantos que por vezes esta a falar e pára o raciocínio pois nao consegue. Adoraria ajudar o meu querido pois como sou ainda nova e estou num ano decisivo da minha vida e dos meus estudos a minha mãe não me deixa mais estar com ele. Gostei muito de o ouvir no video do youtube e adorava que me desse uma opiniao. Muito grata

    Ines, 25 Anos - Ver Resposta

    Obrigado pelo elogio.
    Pessoas com TOC sofrem muito e necessariamente precisam de ajuda profissional de um psicólogo e se precisar de medicamento, um psiquiatra também.
    Quem convive com quem tem TOC, também não é nada fácil, e é importante que se informe sobre esse problema para ajudar.
    Penso o que o melhor que você pode fazer é incentivá-lo a procurar ajuda. O TOC não vai embora sozinho, muito pelo contrário, vai se agravando se não for tratado.
    Quanto a você se sentir mal, se sentir aprisionada por conta dessas questões, vale muito a pena você olhar para a relação de modo crítico, independente do TOC e verificar se para você está interessante manter essa relação, se está contribuindo para seu crescimento.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

Contato

  • (11) 5092-3898
  • contato@claudecy.com.br
  • Av. Bem-te-vi, 333 - Conj. 61 - Moema - SP

Mídias Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades em seu e-mail