Destaques

  • Bem, meu nome é Aline e estou casada há 3 anos e 10 meses e sofro de vaginismo. Eu antes não sabia do que se tratava, só tive coragem de procurar um ginecologista com um ano de casada, eu tinha dúvida se eu era virgem ainda. Na minha lua de mel eu não esperava que ia ter este problema , sentir doer, mas não sei se chegou a penetrar totalmente, até porque a inesperiência minha e de meu esposo que também era virgem,nos fez ficar em dúvida, até porque não vi que sangrou. Quando eu a procurei ela não levou muito a sério o que eu estava relatando, ela me examinou e colocou um espectro médio, penetrou mas com muito sacríficio, sentir doer, mas ela disse que se eu fosse virgem o espectro não tinha entrado. Fiquei mais aliviada e esperançosa , ela me passou um gel que amenizava a dor e mandou eu tentar. Não foi tão simples como ela disse e por azar ela não ficou mais atendendo pelo meu plano e tive que procurar outra ginecologista, que quando me examinou disse que eu era virgem ainda e não ia colocar nenhum espectro em mim. Mandou eu procurar um piscológo, neste dia se eu não estivesse com meu esposo eu ia tentar alguma coisa contra a minha própria vida. Uma diz que eu não sou virgem, mas que tenho restos de imem, outra diz que sou completamente virgem. Até exames ginecológicos eu tenho dificuldade de realizar, fiz prevenção ano passado com um espectro de virgem e a doutora muito ignorante por sinal mandou eu procurar um piscológo também. (Têm pessoas que não entedem o que estou passando). Por último procurei pela internet algum terapeuta sexual e só estava localizando em locais longes , como Rio de Janeiro, São Paulo, aqui em Recife é como achar uma agulha num palheiro. Achei uma terapeuta, muito boa, que por sinal foi a única que encontrei, fui apenas há uma consulta, porque é caro e ela me passou um exercício com um pênis de silicone, mas a cada exercício que tento fazer eu começo a chorar, me sinto insignificante e impossibilitada de conseguir a penetração. Só consigo colocar uns 3 a 4 cm. A vontade de ser mãe têm aumentado a cada dia, me acho a mulher mais estranha da face da terra, até porque eu vejo casos de meninas com 14 anos que são até mães! E eu não consigo nem ao menos ter um ato de penetração! Meu problema é a penetração do pênis e a exames ginecológicos, que não consigo fazer. Eu estou lhe escrevendo porque gostei muito do que li em seu site e é bom escultar opiniões de outros profissionais da área. Gostaria de saber se o meu caso têm solução e se existem pessoas com o mesmo tempo de casada que esta passando pela mesma situação. Espero que eu possa ter o prazer de receber o seu email com alguma resposta ou explicação sobre o assunto. Gostaria que o meu nome ficasse em sigilo, tenho muita vergonha desse problema que estou passando.

    Aline, 27 Anos - Ver Resposta

    Olá Aline.
    Eu entendo seu sofrimento, sei como você deve se sentir mal não apenas por causa da dor, como também porque está insegura quanto acreditar que seja possível resolver seu problema, já que cada profissional que você consultou deixou você mais confusa.
    Quando você fala que “têm que as pessoas não entendem o que você está passando”, sei quão frustrante é para você. Infelizmente poucos profissionais sabem diagnosticar e tratar adequadamente casos como o seu, com isso, muitas pessoas sofrem.
    A orientação de que você precisa procurar um especialista, ou seja, um terapeuta sexual, está correta. Será necessário cuidar de você de modo que se compreenda quais aspectos psicológicos estão desencadeando essas dificuldade. Pois é certo que a impossibilidade de vivenciar sua sexualidade de modo saudável, mostra que você, como um todo, está precisando rever questões que estão te atrapalhando.
    Quanto ao exercício, de introduzir o pênis de silicone, que está lhe causando muito sofrimento, sugiro que pare, pois antes dessa etapa, existem várias outras atividades que precisam ser trabalhadas antes. Você ainda não está pronta para isso ainda. Tentar fazer isso agora, é o mesmo que passar uma pomada anestésica, como a ginecologista orientou. Além de fazer você sofrer mais, não resolve seu problema.
    Você perguntou se existem pessoas com problemas semelhantes ao seu. Sim, existem e há casos em as pessoas levam muito mais anos para procurar ajuda. No meu site, na sessão de perguntas e respostas, você tem a oportunidade de ler isso.
    É muito importante que você saiba que seu caso tem solução. Pois trato dessas questões e vejo os resultados. Você só precisa encontrar um profissional preparado para cuidar de você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, tenho 17 anos, e descobri muito cedo que sou homossexual. Vivo em grande sofrimento por ser assim diferente dos outros. Observo meus amigo e eles são muito diferente de mim. Venho optando a cada dia para o isolamento e tenho sofrido dia a dia, por ser assim. Frequento uma igreja e vejo um tremendo preconceito em relação a homossexuais e lá diz que é um dos maiores pecados etc. Doutor, sinceramente, não sei mais o que fazer. A minha vida está uma bagunça desde que descobri isso.Muitas veses vem pessamentos de morte, ou seja, penso em suicídio. O que eu devo fazer para acabar com esse sofrimento? Me responda, por favor. Obrigado!

    Bruno, 17 Anos - Ver Resposta

    Olá Bruno, que bom que você está buscando ajuda.
    De fato, vivemos uma sociedade muito preconceituosa.
    Compreendo seu sofrimento. Sei que é muito ruim não ser entendido, sentir o preconceito dos amigos e na igreja. É claro que o seu afastamento nada mais é do que um reflexo do modo como o tratam e lidam como assunto da homossexualidade.
    Infelizmente a igreja que tem um discurso que muitas vezes vai para o lado da hipocrisia, pregando igualdade e que "todos somos filhos de Deus e iguais perante ele", acabam pecando gravemente com esse preconceito.
    Bruno, ser homossexual não é crime, não tem nada de errado com você, mas infelizmente tem de errado na cabeça de muitas pessoas ainda ignorantes com relação a esse assunto.
    Á homossexualidade não é esse pecado terrível que eles pregam. Você não vai deixar que ir para o céu ou ser salvo por Jesus por ser homossexual (se é que essa idéia de ser salvo e ir pra o céu tem fundamento).
    Esses sentimentos que você tem não contribuem para o seu bom desenvolvimento. É importante você compartilhar desses sentimentos com pessoas que o aceite como você é, que compreenda de fato o que é a homossexualidade e que respeito você. Por isso, procure lugares e pessoas para isso. Ficar se isolando não é bom, não ajudará em nada, muito pelo contrário, deixará você triste e deprimido.
    Sugiro também que você pesquise leia muito sobre a homossexualidade, não para discutr com as pessoas, mas sim para ajudá-lo a entender que você não é doente por ser homossexual.
    Se possível, vá a um psicólogo. Esse profissional pode ajudá-lo muito a lidar com esses sentimentos e situações.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada a 16 anos, tenho um filho de 6 anos e meu esposo tem 48 anos, estamos passando com dificuldades financeiras e já faz 2 anos que ele não me procura na cama....tento procura - lo é ele sempre arranja uma justificativa...está com sono...finge que está dormindo. ...a última vez que tivemos relação ele não conseguiu chegar aos finalmente e eu fiquei muito brava. ..confesso que meus comportamentos contribuíram para isso...e ele fala pra mim...se o para vc e mais importante que outra coisa....ele não explica porque não me procura....elenco dei depois da gravidez, dei uma relaxada, mas estou retomando minha auto estima....fã o exercício I IOS e já estou fazendo um tratamento para emagrecer. Ele não fala nada, não pergunta nada, conversa comigo normalmente em casa, me trata como uma amiga, não me acaricia, quando eu dou uma Abraço e Beijo ele corresponde mas sexo nunca mais aconteceu. ...confesso que isso me machuca muito saber que não estou despertando interesse nele. ..Não sei mais o que fazer, ele não me dá oportunidade para falar sobre o assunto fica bravo...o que fazer?

    cica, 36 Anos - Ver Resposta

    Oi Cica.
    Isso é bem desagradável eu entendo.
    Eu penso que deixar esse assunto acomodado, não é uma boa. Essa acomodação, alimentada por você, acaba gerando insatisfação, deixando você triste, afetando sua auto estima e o pior, pode escontar algum problema, seja com ele, com você ou com o casal.
    Seria muito adequado irem a um psicólogo para entenderem o que está por trás dessa dificuldade.

  • Olá Doutor! Sempre quando me masturbo, imagino meu namorado, transando com outra, e eu também participando, quase sempre durante a relação sexual também imagino parece que condicionei para gozar desta forma , eu conto para ele , ele fica bem excitado, mas depois que chego orgasmo me sinto culpada e morrendo de ciúmes do meu namorado, eu cheguei a um dia querer propor isso, mas depois me arrependi amargamente, ele já fez com a ex esposa e disse que hoje não tem mais vontade, ele se excita com a fantasia, que pode até um dia chegar ter vontade mas nunca vai me propor. Eu nunca vou fazer, pois tenho muito ciúmes dele, mas quando estou excitada dá vontade de procurar uma mulher para sair com nós. Proibi todo tipo de fantasia resultado disso foi que ele não tá tendo mais vontade de transar e sou muito fogosa.. Minha dúvida é o que faço para meu namorado voltar a ter mais vontade de transar ? Já falei que poderemos voltar a fantasiar, mas ele esta muito frio e desconfiado. Outra coisa...É normal esta minha fantasia? Sinto-me muito culpada, entretanto morro de ciúmes do meu namorado amo –o demais e jamais vou querer outra mulher entre a gente. Obrigada por me ajudar Doutor!

    Morena, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Morena.
    A fantasia é algo muito importante na nossa vida. A fantasia sexual, em especial é o que dá o colorido ao sexo.
    Algumas fantasias, são bem vindas, outras não prejudiciais. Existem fantasias que só são legais enquanto fantasia, pois na verdade nem queremos que se torne realidade.
    No seu caso, é importante entender o porque dessa vontade tão grande de ver seu parceiro com outra. Parece que vocês dois se condicionaram a se excitar dessa forma. Se for só isso, pode ser fácil mudar. Porém, pode ter outras questões por trás que precisaram ser investigadas. Não tenho como afirmar nada sem conhecer o caso. Seria interessante que você fosse a um psicólogo para ajudar a entender o porque dessa vontade tão grande.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada a 3 anos, tenho 25 anos e meu marido tem 24. Nos damos bem na cama, o problema é que não tenho vontade de sexo, não o procuro, e ele reclama muito disso. Para mim, se não tiver sexo, tudo bem. Eu quero resolver isto, quero ter mais desejo, ter vontades fora de horários 'padrões', quero surpreênde-lo. Preciso de ajuda, já li várias matérias sobre o assunto. Não sei se estou errada, mas acredito que preciso da ajuda de um especialista, senão sinto que meu casamento pode acabar. Gostaria que me indicasse algum especialista que faça parte do CEPCoS.

    Anonimo, 25 Anos - Ver Resposta

    Olá. De fato, esse comportamento mostra que algo não está bem com você. Desse modo, dificilmente sua relação irá adiante. Sugiro que vá em frente com sua idéia de procurar um especialista em sexualidade. Pois há muito que ser investigado para descobrir a causa dessa sua dificuldade.
    Quanto a ser alguém do CEPCoS, nós não temos membros em SC. Por que vc faz questão de seja alguém do CEPCoS?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • ESTOU CASADA HÁ 4 ANOS, TENHO 37 ANOS, SOU ATRAENTE, MAGRA E MALHADA, E ELE TEM 56 ANOS E CORRE DIARIAMENTE. NO PRIMEIRO ANO O SEXO ERA MARAVILHOSO E QUASE DIÁRIO, MAS DEPOIS TUDO MUDOU E. HÁ TRÊS ANOS. NÃO FAZEMOS SEXO. ELE É UM HOMEM MARAVILHOSO, GENTIL, DECENTE, COMPANHEIRO E EU O AMO, MAS ELE DIZ QUE, APESAR DE ME AMAR MUITO, SE DESINTERESSOU COMPLETAMENTE POR SEXO, QUE NÃO SENTE VONTADE NEM COMIGO NEM COM NINGUÉM, E EVITA ATÉ ME ABRAÇAR E BEIJAR PARA NÃO ME EXCITAR. ELE DIZ QUE PERDEU TOTALMENTE A VONTADE, DIZ QUE ESTÁ VELHO, QUE NÃO SENTE FALTA NENHUMA DE SEXO E QUE SE SENTE MUITO BEM ASSIM, MAS QUE SOFRE MUITO POR NÃO PODER CORRESPONDER AO QUE EU PRECISO E PROPÕS ATÉ QUE NOS SEPARÁSSEMOS, POIS NÃO É JUSTO PARA MIM VIVER PRIVADA DE SEXO. CHEGAMOS A NOS SEPARAR POR UM MÊS, NOS FALÁVAMOS TODOS OS DIAS, POR TELEFONE OU PESSOALMENTE, MAS A DOR DA SAUDADE FOI TANTA QUE VOLTAMOS. EU NÃO QUERO ME SEPARAR PORQUE EU O AMO, MAS ELE TEM PAVOR A MÉDICOS, HOSPITAIS, TERAPEUTAS E REMÉDIOS, POIS ELE FOI OPERADO, HÁ 12 ANOS, DE UM ANEURISMA CEREBRAL GRAVE, FICOU UM BOM TEMPO EM COMA E SOBREVIVEU COM A COLOCAÇÃO DE UMA PINÇA METÁLICA PERMANENTE EM SEU CERÉBRO E FICOU SEM SEQUELAS APARENTES. ELE FOGE DE QUALQUER TRATAMENTO PSICOLOGICO OU DE TOMAR ESTIMULANTES, SENDO QUE O CHECK-UP MOSTROU QUE ELE ESTÁ BEM FISICAMENTE, SÓ TEM UMA TIREIODITE E O PSA UM POUCO ELEVADO, MAS O MÉDICO DISSE, APÓS A BIÓPSIA, QUE É UMA PROSTATITE CRÔNICA BENIGNA. ESTOU DESESPERADA PORQUE NÃO QUERO ME SEPARAR DELE. EÇO AJUDA! GRATA.

    Vitoria, 37 Anos - Ver Resposta

    Olá Vitória.
    É comum que muitas mulheres atribuam a diminuição do desejo sexual ao aspecto físico da parceira. Se ela está com um corpo legal, então necessariamente o desejo dele estará em alta. Isso não é verdadeiro para todos os casos. Além disso, essa maneira de pensar torna as mulheres escravas dos padrões de beleza estabelecidos na nossa sociedade: tem que ser malhada, com peitões siliconados, sempre durinha e dedicar horas e horas na academia.
    Pois é, a prova de que isso não funciona para um prazo de validade longa, é provavelmente o que você está vivendo.
    Vitória, sem dúvidas não é por causa da sua aparência que ele teve uma diminuição do desejo sexual. No entanto, sem conhecer o caso, não temos como afirmar o que causou isso.
    Entendo que você está sofrendo, e não tenha dúvidas que ele também. No entanto eu a parabenizo por estar procurando ajuda, pois será assim que você conseguirá resolver essa questão.
    No seu relato você diz que ele se recusa a fazer qualquer tratamento para resolver essa questão. Isso não é bom, pois dessa maneira, parece que ele acaba tendo ganhos com essa situação (sem desejo sexual) e/ou parece não se importar com o que você está sentindo.
    Ele tem o direito de não querer se tratar. A vida é dele. Mas a sua vida é sua e por isso precisa cuidar dela, se valorizar e fazer o que for preciso para se sentir bem e viver de modo feliz e saudável.
    Sei que você deve estar muito confusa, por isso, seria muito importante que você conversasse com um psicólogo que seja terapeuta sexual para entender com mais detalhes o que está acontecendo para assim ter mais dados para ajudar a resolver essa questão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada há 10 anos. Meu marido sempre gostou demais de sexo, eu também, nós transamos todos os dias. mas ele vive reclamando sempre é pouco, nunca está bom. Ele insiste que façamos sexo anal e eu faço (gosto um pouco). Depois começou a querer ir em casas de swing (eu fui). Mesmo assim ele sempre quer mais, diz que não combinados sexualmente falando, não sei o que fazer. Agora os interesses dele são zoofilia, quer que eu urine nele e até defeque. Sou uma pessoa liberal, e não o reprimo, mas acho que ele não tem limites e mesmo com tudo isso ainda se sente insatisfeito. Me ajude! O que devo fazer? Estou errada? Acha que sou moralista? O que sei é que quanto mais eu ceder, mais ele vai querer, é uma coisa que parece não ter fim. Eu penso que um bom relacionamento não precisa desse tipo de coisas. Ele fica o tempo todo na internet em sites pornográficos, falando no msn (só pornografia) e acha que sou chata por não gostar. Quando transamos quer ficar tirando fotos minhas pra colocar na internet, não acho isso legal nem saudável. Me dê uma luz.

    Angela, 26 Anos - Ver Resposta

    Oi Angela. Obrigado por visitar meu site e por procurar ajuda.
    Algumas pessoas utilizam o sexo com outra finalidade que não a sexual. Isso é muito comum entre as pessoas, por exemplo, fazerem sexo quando estão ansiosos, e nesse caso o sexo ou a masturbação tem o intuito (consciente ou não) de alívio, mesmo que temporário, dessa sensação de ansiedade. Usar o sexo com essa finalidade, não necessariamente é um problema, mas, a frequência e intensidade é que vão mostrar se se caracteriza um problema.
    Angela, pelo seu relato parece que seu marido tem usado o sexo e você para outra finalidade, que precisará de um diálogo amplo com um psicólogo para saber qual é a questão que está por trás.
    Perceba que a mudança é constante, tão logo ele atinge a realização da fantasia e a saciação daquele desejo, ele procura outros meios para a "satisfação". Não há nada de errado em querer conhecer novas sensações, porém, com os focos, frequências e os métodos utilizados para essa realização dele, mostra que há algo que não está bem, e o ele busca não será encontrado utilizando essas vias.
    Por outro lado, observe você, perceba que seus comportamentos como, os de compartilhar de tudo isso, de ajudar a realizar tais vontades, contribuem para ele continuar usando você como parceira/facilitadora para a realização desses desejos.
    Sei que essas atividades proporcionam muito prazer a ele, e que algumas dessas atividades também causam prazer a você. Porém, com a sua contribuição e sem ajuda de um profissional, isso se tornará cada vez maior, tomando verdadeiras proporções doentias e comprometendo aspectos importantes da vida dele.
    No seu caso, você já está percebendo que isso está num nível que não está mais interessante para você, não está ficando ruim conviver dessa maneira, e quem sabe até com a sensação de estar sendo usada.
    Você não está errada em querer parar, querer não participar de algo que não está bem para você. Para que exista uma relação saudável é muito importante que haja o respeito ao limite de cada um.
    Continuar assim não é saudável. Ele precisa de ajuda, e provavelmente seria importante você também ser ouvida por um psicólogo.
    Coloco-me à disposição para quaisquer outras questões que vocês tenham ou mesmo para conversamos pessoalmente.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Bom dia DR. Sou caasado a tres anos e estou com um problemão. Desde a minha adolescencia sempre senti atração por homens, porem sempre tive uma vida hetero sexual, sempre convivi com amigos heteros, relacionamentos heteros, enfim sempre fui macho. Porem apos dois anos de casado entrei nesses bate papos homosexuais e conheci um caaraq com quem sai. Depois disso sai com mais alguns e agora estou na duvida de como assumir que sou gay. Socorro minha cabeça esta muito confusa. Me ajude por favor.

    Joca Junior, 32 Anos - Ver Resposta

    Oi Joca.
    Isso confunde mesmo. Agora você está vivendo um turbilhão de sentimentos e questionamentos que, sem dúvidas estão te afetando muito.
    Infelizmente na cultura que vivemos o preconceito é muito alto, já melhorou, mas ainda tem muito para mudar. Isso implica em muitas pessoas terem que reprimir sua condição sexual para evitar ser retalhado. Provavelmente foi o que aconteceu com você.Porém, assim como todo ser vivo precisa de espaço para crescer, para se desenvolver, e o mesmo acontece com nosso lado social e profissional, também precisamos desenvolver nossa sexualidade, seja uma orientação homossexual ou heterossexual.
    Seja lá qual for o motivo, você reprimiu sua condição sexual. Agora está percebendo que o que o satisfaz de verdade é o que você está vivenciando na escondido. Vivenciar sua sexualidade assim, não é saudável, você não poderá ser pleno. Mas também sei que em muitos casos é difícil se se assumir, pois implica em ter que enfrentar situações e obstáculos grandes.
    Cada caso precisa ser analisado e individualmente para sabermos como conduzir. Seria importante que você buscasse a ajuda de um psicólogo para a entender melhor essa sua condição e a saber qual melhor caminho a seguir.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Claudecy. Tenho uma filha saudável, de 12 anos. Fico satisfeita pois ela me conta, demonstrando muita confiança, seus anseios e angústias. Neste momento ela está muito angustiada e assustada pois acha que se sente atraída por suas amigas do mesmo sexo e tem pavor de se tornar lésbica. Em várias ocasiões me contou que estava gostando de um menino da escola, no ano seguinte, demonstrava interesse por outro, mas sempre de forma platônica, a distância. Há um ano, mais ou menos, ela me contou que uma amiguinha convenceu-a a ficarem as duas peladas e fizeram uma investigação de seus corpos. Em outra ocasião, esta mesma amiga, que tem a mesma idade, sugeriu que experimentassem um beijo de língua, ela topou e se sentiu muito arrependida e enojada. Ela me contou também que algumas vezes já se masturbou e, lendo suas respostas no site, acredito que tenha agido corretamente com ela, pois mostrei que a masturbação é algo natural e saudável. Haia uma novela na TV que mostrava um casal de adolescentes lésbicas e a forma como elas eram desprezadas por alguns colegas de escola. Minha filha viu alguns capítulos desta novela e, a partir dai, começou este pavor de vir a ser lésbica. Acredito que o que está acontecendo com ela é natural nesta fase da adolescência, em que há muitas descobertas sendo feitas em um momento em que ainda há a preferência das meninas pelas suas amigas do mesmo sexo do que por meninos e dai a confusão. Minha dúvida é - é isto mesmo que está ocorrendo? Como devemos, eu e meu marido, agir com minha filha de forma a não incentivar estes pensamentos e não confundi-la mais dando, ao mesmo tempo, atenção e apoio na medida certa? Dr, de antemão agradeço sua resposta e parabenizo-o pelo site, tão esclarecedor.

    Vera, 43 Anos - Ver Resposta

    Olá Vera, como vai?
    Posso imaginar o quão confuso está essa situação para vocês.
    Porém, penso que sua filha esteja sofrendo com toda essa turbulência emocional, na qual, de um lado está a moral de uma sociedade na qual julga que sentir atração por outra pessoa não é certo, e do outro lado o sentimento dela.
    Você está agindo de modo correto ao ouvi-la contando suas emoções, falar de
    suas angústias, sem criticá-la, entendendo que isso pode ser um processo de
    transição, de incertezas, muito comum nessa fase.
    Porém, acredito que ela possa se beneficiar de uma ajuda profissional de um
    psicólogo, na qual será possível se aprofundar nessas emoções e a ajudá-la a sofrer menos. Do mesmo modo como também poderá ajudar vocês enquanto pais.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr Claudecy,tenho uma duvida que anda me atormentando muito.Meu marido fica a semana fora,e só vem na sexta e retorna na terça para o trabalho.Ele tem 43 anos e eu 34.Como todo casal claro que ja tivemos nossas crises,mas ele nunca broxou.E isto esta se tornando constante.Da primeira tentativa ele broxa,e depois consegue.Fiquei achando que ele tinha outra,conversamos,tento ajuda-lo sou muito fogosa,então faço todos os tipos de preliminares.A mãe dele faleceu a pouco e depois disso que começou a ocorrer o fato.Mas como fico a semana sozinha,seria normal ele chegar e nao broxar...Ele irá ao medico,está um pouco acima do peso,e claro estressado tb.O que o senhor sugere?que eu continue o ajudando,pq qdo ele consegue,é muito bom.Mas qdo nao eu quem fico frustrada achando que é comigo,e ele diz que não.Nos damos muito bem dentro e fora da cama.Não sei mais que faço!

    Elizangela, 34 Anos - Ver Resposta

    Oi Elizangela, obrigado por visitar meu site e por procurar ajuda.
    Na verdade você já está fazendo duas coisas muito importantes para ele: procurando ajuda e tentando deixá-lo tranqüilo.
    Porém será necessário entender o que está causando isso. Você falou que está acima do peso, estressado e teve o episódio da mãe. Todos esses fatores podem contribuir para essa dificuldade, mas será preciso ele ir a profissionais qualificados para ajudá-lo. Ir a um urologista será bom, pois verá se existe alguma questão orgânica envolvida desse problema. Caso não haja (o que, pelo seu relato, provavelmente não há), sugiro que ele vá a um psicólogo que seja terapeuta sexual. A sua participação no processo com esse segundo profissional será muito importante.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

Contato

  • (11) 5092-3898
  • (11) 93800-4469
  • contato@claudecy.com.br
  • Av. Bem-te-vi, 333 - Conj. 61 - Moema - SP

Mídias Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades em seu e-mail