Destaques

  • Não sou tímido, mas não consigo me socializar com as pessoas, nem mesmo com quem conheço, o pior de tudo é que nem com minha família consigo me interagir, sempre me sinto por fora de tudo, de todos, não me sinto parte de um grupo (Familiar ou amizade), sempre que consigo criar um laço com alguém, as vezes até sem perceber faço algo pra afastar essa pessoa, não sei o que há, isso dificulto até meus relacionamentos com mulheres, não os mantenho por muito tempo. consigo conversar com as pessoas, mas apenas o necessário, e quando falo demais eu gaguejo me sinto forçado, odeio falar, não gosto que encostem em mim, não confio nas pessoas e todo assunto é chato pra mim, pois não tem algo que me agrade no mundo ou chame minha atenção. Obs. outro assunto não relacionado ao primeiro: Também Sou viciado em vestidos e saias, gosto muito é fora do comum pra mim, mas apenas essas duas peças de roupa feminina, tem um nome pra isso? Tinha esquecido dessa outra pergunta. Sempre aconteceu deu mudar de humor repentinamente, no entanto isso vem piorando no meu ponto de vista, por causa de alguns problemas, tem 11 meses e duas semanas que isso mudou, meus sentimentos mudam descontroladamente do nada, as vezes perco a noção do que falo ou faço, apenas sei depois que fiz, falo o que penso sem controle, e eu sempre fui de pensar antes de falar, se me irrito chego ao ponto de agredir alguém que estar por perto, seja ela ou não o motivo da ira, qualquer palavra dita á mim me deixa muito triste e me leva a chorar sem controle, me machuca demais, me deixando bem mais triste ou nervoso, não consigo mais diferenciar certas palavras ou piadas que escuto. Sempre me achei inferior á todos, ao mesmo tempo nunca me deixei afetar por sentimentos de piedade ou coisas do tipo, não me afetava com o que falavam ou pensavam sobre mim, mas isso mudou, a todo momento vejo pessoas falarem de mim, me olharem com o olhar de rejeição, de medo, preconceito isso me irrita. Me isolar mais por um tempo é o resultado que tenho em mente. Tem uma definição pra isso? só quero saber se tem. desde já agradeço! Kesshyo

    Kesshyo silva, 29 Anos - Ver Resposta

    Oi Kesshyo.
    Baseado nos relatos das duas questões, imagino que você está sofrendo muito mesmo. E parabéns por estar procurando ajuda.
    Pelo que você fala, está difícil o convívio social e até mesmo sozinho. Muitos dos sintomas que escutamos no consultório, estão relacionados a questões mal resolvidas na nossa vida. Quando você fala da mudança de humor repentinamente, que não gosta de ser tocado, que não gosta de falar de você, de não se sentir pertencendo a algum grupo, ou mesmo o seu gosto fora do comum por vestidos e saias, tudo isso, me dá margens para pensar que fazem parte de um conjunto de sintomas que estão mostrando que algumas coisas na sua vida estão fora do lugar e precisando de ajuda, de atenção profissional.
    Sei que é muito difícil para você conversar, mas veja, que você só está piorando. Valeria muito que você procurasse um psicólogo para te ajudar. Num processo terapêutico, todas essas questões serão trabalhadas e você como é possível viver de forma mais leve e saudável.  

  • Parabéns pelo ótimo trabalho! Queria que fosse fácil encontrar profissionais como você no mercado. Desconfio ter sido vítima de um psicólogo mal intencionado. Tenho 24 anos e ainda não consegui iniciar minha vida sexual. Como esta situação me incomoda, decidi dar um fim nesta situação e procurei um psicólogo para me ajudar a superar minhas inibições. Este homem é budista e contei todos os meus sentimentos e fantasias sexuais a ele. Ele condenou muitas destas fantasias, mesmo sabendo que não preciso delas para ter excitação sexual. Quando falei que precisava encontrar uma parceira sexual, ele disse que era apenas meu desejo de momento e que tudo é passageiro. Ele trabalha em uma sala pequena e escura e coloca uma música própria para reduzir a frequência das ondas cerebrais. Além disso a sala é odorizada e eu me sento em uma poltrona bem confortável. Então, com tudo isto, o paciente fica vulnerável a qualquer sugestão que ele queira enfiar em seu inconsciente. Quando eu percebi, fui para sua sessão preparado. Prestei atenção em seus movimentos, e vi que quando eu falava algo de que ele não gostava, ele fazia caretas bem feias, de modo a fazer eu me sentir culpado. Quando eu conto sobre uma obrigação que tenho para cumprir ele me pedia para trazer para ele uma prova de que eu fiz, não deste modo explicito, é lógico. Eu tinha muitos sonhos eróticos, depois de algumas sessões, a sexualidade começou a desaparecer dos meus sonhos. Não só minha libido diminuiu, como diminuiu meu apetite para comida, comecei a ter pertubações no sono, e até o prazer que eu tinha com algumas atividades referentes a minha vida profissional enfraqueceu. A sorte é que eu interrompi a terapia antes deste homem sugar todo o meu prazer. A última coisa que ele me disse, quando percebeu minha rebeldia, foi que querendo ou não querendo as coisas são passageiras. Percebi que para ele defender as suas crenças é o mais importante. Agora, toda vez que faço planos para meu futuro sexual, me vem as lembranças desta sala de lavagem cerebral e me sinto culpado. Preciso saber de um profissional: o procedimento que este homem adotou é correto? O que devo fazer agora?

    Alexandre, 24 Anos - Ver Resposta

    Olá Alexandre.
    Obrigado pelos elogios e parabéns por você não ter desistido de resolver seu problema.
    Se você se sentiu mal ou prejudicado com o atendimento que recebeu, você tem o direito de entrar em contato com o Conselho Regional de Psicologia e manifestar seu descontentamento. Assim serão tomadas as devidas providências legais.
    O leigo muitas vezes acredita que o profissional está agindo com base numa fundamentação teórica científica bem como com princípios éticos, mas pode ser que isso não ocorra. Nesses casos, os Conselhos Regionais precisam saber para poder investigar.
    Quanto ao seu caso, todas essas questões e dificuldades que você apresenta, precisam ser investigadas por um psofissional de modo a compreender o que causou e o que mantém essas questões. Assim será possível ajudá-lo a resolver o que está atrapalhando seu desenvolvimento.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy. sou casada a 12 anos, namorei dois anos. Me casei virgem. Tenho dois filhos um 10 anos e um de 8 anos. Meu marido me ama, e faz questão de demonstrar. Mas estou ficando louca. Estou apaixonada por um homem q vi uma unica vez, não transamos. Mas nos falamos todos os dias pelo msn e pelo tel. Me pego querendo abandonar tudo pra vive um grande amor com esse homem. Gostaria de poder mudar o q tenho sentido mas não consigo. O q faço pra voltar a viver minha vida traquilamente?

    Nina, 32 Anos - Ver Resposta

    Olá Nina. Sei que você deve estar muito confusa.
    Mas perceba que você coloca no seu e-mail que seu marido a ama e faz questão de demonstrar, porém você não falou do que sente por ele.
    Talvez aqui caiba uma reflexão: há quanto tempo você já não está tão presente nessa relação? Ou quem sabe, há quanto tempo você está "olhando" para outros homens na tentativa de sentir o que talvez a muito tempo não sente na relação ou quem sabe vivenciar pela primeira vez, de uma forma mais madura, experiente, aventuras que nunca viveu?
    É muito comum eu ouvir relatos de mulheres que casaram cedo e só tiveram sexo com um homem, descreverem que a relação não está satisfatória e que sentem a necessidade de se sentirem "vivas", vivendo fortes emoções, se sentindo envolvidas pela relação.
    Cada caso é um caso e necessariamente precisa ser analisado separadamente.
    É muito provável que você esteja sentindo falta dessas "aventuras e paixões", sentindo falta de algo na relação com seu marido, que por mais que ele demonstre que a ama, não é bem desse modo ou isso que você quer ou precisa.
    Acredito que há tempos você deve sentir certo vazio no seu casamento, porém não conseguia nomear, saber exatamente o que é. Mas perceba como você está muito aberta, susceptível, "desejando" algo novo, pois bastou ver esse homem uma única vez que você se apaixonou.
    Imagino o turbilhão de coisas que estão passando na sua cabaça. Mas faz parte da vida. A questão agora e saber o que fazer. Pois bem Nina, não será tão simples assim. Digamos que nesse aspecto emocional você precisará amadurecer mais. É como se ao longo desses anos, nesse aspecto, você se atrofiou, ao invés de crescer, de amadurecer mais emocionalmente. E agora você está frágil.
    Fazer uma reflexão sobre sua vida até aqui, rever seu casamento, valores e sentimentos pelo seu marido, podem começar a ajudá-la a enxergar muitas coisas. Ter um amante nessas condições, confusa como você está, penso que não a ajudará, pois o papel do amante será como o de uma muleta. E do modo como você está carente não é bom. Primeiro precisará resolver muitas coisas internas.
    Pela complexidade dessa situação, penso que você se beneficiará muito se fizer terapia, pois lá estará um profissional que estudou para isso e verá coisas que você não conseguirá ver sozinha.
    Desejo que você consiga resolver essas questões e seja muito feliz.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Sou casada há 10 anos, tenho uma filha de 4 anos, durante este período eu nunca tive um apetite sexual, um orgasmo verdadeiro, uma sensação de prazer total, mas durante a gestação eu tive, que foi mavarilhoso, mas após o nascimento tudo voltou ao normal. Devido a valta de sexo,´houve a separação, foi quando conheci um pessoa que fez eu sentir prazer, e orgasmos de varias formas e por várias vezes numa uma relação, coisa que nunca tinha conhecido, mas como ele não era meu amor verdadeiro, o romance acabou, e voltei com meu marido, que continua na mesma coisa, uma relação a cada 40 até 50 dias, sem prazer ás vezes. O que devo fazer para que ele aprenda a fazer igual ao outro rapaz, e claro, sem comparar e claro, e sim para que ele possa me fazer feliz, ter prazer.

    Andrea, 32 Anos - Ver Resposta

    Andrea, brigado por visitar meu site.
    O prazer sexual, o orgasmo bem como aprender como fazer tudo isso em si e no outro, nem sempre é uma coisa simples a para algumas pessoas.
    Parece que seu esposo tem dificuldades em fazer coisas para ajudá-la a se excitar, do mesmo modo como você tem dificuldade de mostrar (falar) para ele o modo como você gosta ou prefere.
    Andrea, a outra pessoa nem sempre é capaz de saber do que gostamos, por isso há a necessidade de dizermos, de mostrarmos como é bom para nós.
    Essa á a melhor maneira para ele compreender.
    Tenho a impressão que existe uma considerada deficiência na comunicação de vocês. A saúde e qualidade dessa relação melhorará a medida que a comunicação também for evoluindo.
    Nem sempre algumas pessoas, parece ser o caso do seu marido, compreendem a necessidade de mudanças comportamentais para o crescimento pessoal e da relação. Nesses casos, o que percebemos é que quando elas têm a ajuda de um profissional, psicólogo, fica mais fácil para elas conseguirem sucesso nesse processo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou um jovem de 19 anos, pratico esportes e faço musculação. tenho um ótimo condionamento fisico e tenho resitencia. Entretanto, sou uma pessoa extremamente tímida, nao gosto de me relacionar com as pessoas, de fazer novas amizades, tenho vergonha ao conversar com garotas, nao tenho paciência para nada, sou estressado,nao sou uma pessoa motivada, brigo com todos, sou uma pessoa grossa e estúpida, quero tudo do meu jeito, critico todas as coisas erradas, acho que sou o unico que estou certo, tenho complexo de inferioridade, enfim sou uma pessoa estremamente diferente da normalidade. Ja tive problemas de perda de ereção na hora h, talvez por nervosismo e ansiedade, isso me tornou uma pessoa ainda pior, sismo com tudo hoje, me sinto um verdadeiro lixo. me acho anormal, isso me prejudica nos estudos e no trabalho. o que devo fazer doutor? conto a resposta de sua parte, desde ja agradeço.

    Gregorio, 19 Anos - Ver Resposta

    Olá Gregório.
    Imagino que dever ser muito difícil viver dessa maneira. Afinal, parecer que a suas relações sociais devem também ser muito precárias.
    A sua queixa na área sexual, muito provavelmente tenha ligação com essa maneira de se relacionar com as pessoas. Quando você fala de comportamentos como o senso crítico muito elevado, estupidez, estresse, mostram que o modo como você encara o mundo, parece ser um campo de guerra, onde você precisa o tempo todo se defender (é que você faz com esses comportamentos citados por você), e se você continuar agindo assim, seus relacionamentos se tornarão mais difíceis, e você, como conseqüência vai se isolando cada vez mais.
    Parabéns por perceber que não é saudável continuar vivendo assim, pois você está tendo muitas perdas e se prejudicado.
    Será necessário você buscar ajuda de um psicólogo, não espere muito para começar a se tratar, pois, caso contrário, esses sintomas só tenderão a piorar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr.sou casada faz 8 anos,meu marido é sempre muito ausente dentro de casa ,e fazemos sexo uma vez a cda 15 dias ou as vezes por mes,o que eu acho estranho que ele ñ gosta de fazer sexo oral em mim,e qdo faz é rapido e depois do sexo ele escova os dentes e gospe ,ele tem nojo é o que tudo leva a crer,ñ gosta de falar na hora do sexo e eu adoro,ele na maioria das vezes é mudo,sempre no escuro,e ainda tem ajaculação precoce,e ñ gosta q eu uso camisola vermelha.Dr.estou querendo me separar dele pq ele ñ me satisfaz e estou achando q ele tem algum problema.Será que ele ñ gosta de mulher? È GAY? OBRIGADA!!

    Fabiana, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Fabiana.
    Tenho a impressão que vocês dois não estão na mesma sintonia. Muitas coisas que você apontou dentro da questão sexual, são bastantes divergentes. Ela não gosta de fazer coisas que você gosta e acha muito importante na relação, como o sexo oral, falar, expressar a emoção, roupas. Essas situações além de desagradá-la, também impede de você vivenciar a sua sexualidade de modo mais amplo, satisfatória e saudável. Nessas condições, de fato, parece não há clima para uma boa vida conjugal.
    Mas o que fazer então? Se você observar, verá que a comunicação entre vocês está muito precária, e isso arruína qualquer relação.
    Que tal começarem arrumando essa comunicação. Assim você permitirá que ele fale de suas dificuldades o que o incomoda e você poderá fazer o mesmo também. Em muitos casos que chegam ao meu consultório, percebo que determinadas queixas são frutos de uma comunicação ruim, da falta de respeito pelo outro, e isso, sem dúvida fará o casal sofrer, desenvolvendo assim, um clima impróprio para o crescimento saudável do casal. Mas lembre-se: brigas nesses momento de diálogos, em nada ajudará.
    Caso vocês não consigam dar conta de resolver tudo isso, sugiro que procurem um psicólogo para ajudá-los a ver o que existem outros caminhos que vocês não estão conseguindo enxergar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde Dr. Claudecy! Sou uma mulher de 24 anos e meu marido tem 23 anos somos casados há 10 meses, mas já estou com um problema no meu casamento no inicío não liguei achei que seria passageiro, mas se tornou persistente. Dr. Claudecy, o meu marido não tem vontade de ter relações sexuais, só fazemos amor 1 vez por semana, isso quando fazemos, nesses últimos dias passamos 13 dias sem fazer nada, ele nem chegava perto de mim, mal me dava um selinho para ir trabalhar. Tentei conversar sobre o assunto e ele me disse que era coisa da minha cabeça e também porque eu estava menstruada, mas eu não sei se é verdade, pois minhas regras acabaram e ele continuou frio sem nenhuma atitude. Dr. Claudecy já cheguei a pensar em muitas hipóteses inclusive traição, estou muito nervosa e não sei mais o que faço pois a medida que os dias vão passando a situação vai se tornando pior. POR FAVOR DR. CLAUDECY ME AJUDE, ME DE UM CONSELHO, ME DIGA SE É HORA DE PROCURAR TRATAMENTO MÉDICO, POIS NÃO AGUENTO MAIS ESSA SITUAÇÃO.

    Janaina, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Janaina, que situação desagradável, não é?
    Mas parece que essa relação está com sérios problemas na comunicação, e não é de agora.
    A relação sexual é parte importante da vida do casal. Apesar de não existir nenhuma regra dizendo quantas vezes é o ideal ter relações sexual por semana, por exemplo, é saudável pensar que, se a freqüência não está agradando a algum dos dois, será necessário conversar e ver o que está acontecendo.
    Vários fatores nesse contexto que você coloca para mim, podem estar influenciando para seu parceiro se comportar assim. Pode ser que ele ache que a maneira como está, esteja bom para ele. Pode ser que ele não tenha tanto interesse por sexo quanto você. Pode ser que as hipóteses que você levantou, como a traição, tenha fundamento. Mas também pode ser que tenham algumas coisas em você que não o agrade, por isso o desinteresse.
    Se você percebeu, as possibilidades são muitas. Mas parece que não é só a questão sexual que está disfuncionalão, haja vista, que nem carinho está acontecendo entre vocês. Dessa maneira, você acha que essa relação vai longe?
    Será necessário uma mudança de postura de vocês dois. O diálogo aberto e franco, respeitando os limites do outro, precisará fazer parte da vida do casal.
    Janaina, sei que essa tarefa não será fácil, principalmente porque seu parceiro parece não querer dialogar. Mas enquanto vocês não conversarem, mostrando com muita sinceridade, o que os incomoda e pensarem juntos em possíveis estratégias para mudarem o atual quadro, essa relação continuará de mal a pior.
    Se sozinhos vocês não conseguirem resolver esses inconvenientes, que tal pedir ajuda a um psicólogo?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Minha vida profissional anda bem, mas em compensação a emocional não segue o mesmo esquema. Nunca fui de me envolver muito, ou pelo menos era a impressão que passava, mas agora, de uns tempos para cá estou me sentindo mais carente, dependente, o que nunca fui. Estou, toricamente com uma pessoa. Na verdade tenho sempre esta mania de avaliar muito, acho que até demais as coisas, e não acreditar muito no que está na minha frente. Bom, ele é irmão de 2 ex namorados meus. Começamos a ficar desde o final do ano passado. algumas semanas atras ele disse que estava pensando em casar. Eu levei na brincadeira. Semana passada estivemos juntos, ele confirmou o que disse, mas não de forma direta: Quer casar comigo? Mas de forma que dê bem a entender, como já fiquei bastante tempo solteiro, acho que agora é hora de ver como é o outro lado. O engraçado é que não consigo acreditar muito. Não temos um bom diálogo, não sei por1que. Na verdade não sou de falar muito,e gosto de ouvir. E vejo que ele fica esperando um ato meu. Acho que pelo fato das minhas relações anteriores com os seus irmãos tinhamos um dialogo maior. Liguei este final de semana paar ele e ele tinha saido. E desde então não tiro da cabeça e so sei chorar. Nunca estive apaixonada, mas será que ele é o que eu esperava. Estou com medo, pois acho que sim, mas não sei como agir

    Anonimo, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá, como vai?
    Assim como aprendemos a ler, dirigir, a sermos bons profissionais, a ter uma boa satisfação sexual, também aprendemos a nos relacionar, aprendemos a nos envolvermos, a nos entregar numa relação.
    Pelo seu e-mail, você deixa bem claro o quanto foi desenvolvido outros aspectos da sua vida, como o profissional por exemplo. No entanto, parece que no aspecto emocional você encontra algumas dificuldade, inclusive no repertório de namorados, os três são irmãos.
    Outra coisa muito importante que você aponta, é a dificuldade de comunicação, de falar o que sente, de se abrir. Já imaginou como seria um casamento onde os dois não falam o que sentem, o que pensam?
    Seria muito importe você procurar um psicólogo para entender melhor essas questões e assim poder ajudá-la. Dessa maneira você estará investindo no seu crescimento, se desenvolvendo cada vez mais.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Na infancia:fui molestada por um longo periodo,devido a alterações no meu comportamento sem saber o que se passava minha mãe me levou a fazer tratamento psiquiatrico,o médico me tocava todas as vezes que me examinava.Hoje sou casada,tenho 39 anos,4 filhos. Mas para atrapalhar meu marido todas as vezes qaue temos relação me toca ou tenta a relação anal,e isso tem diminuido meu interesse sexual, e em 90% de nossas relações só consigo chegar ao orgasmo se me imagino tendo relação com outra pessoa,muitas vezes mulheres e eu nunca tive nenhum relacionamento ou interesse por mulheres, e quando me imagino com outro homem este sempre está abusando sexualmente de mim,em seguida me bate uma angustia e uma sensação de vergonha e medo. Help o que fazer para ser uma pessoa normal

    Simone, 39 Anos - Ver Resposta

    Olá Simone.
    Que bom que você está procurando ajuda. Não dá para viver assim e você tem direito de ser uma pessoa que vivencie a sexualidade de modo saudável.
    Pelo seu relato, esses abusos que você sofreu ao longo da sua vida deixaram marcas.
    Quando você fala que nunca desejou mulher, mas que ao fantasiar com mulheres sente prazer, isso não necessariamente significa que você seja homossexual ou bissexual. Muito provavelmente o seu desejo por mulheres nessas situações, está mais relacionada ao que uma relação sexual com uma mulher pode proporcionar, como muito carinho, beijos, toques...
    Além disso, não podemos esquecer que quem sempre abusou de você foram homens, é normal então tão que você tenha uma relação com homens de modo bem diferente daquilo que de fato você quer.
    Por outro lado, quando você fantasia com homens, só consegue obter prazer se esses tiverem abusando de você. Isso foi o que ficou bem marcado de suas relações com homens: que eles sempre vão abusar de você.
    Para algumas mulheres que vivenciaram algo parecido, é muito comum a presença da culpa. Afinal, “como posso sentir prazer numa situação dessa?”
    O que importa agora, é que você está procurando ajuda para mudar tudo isso. Será muito importante que você procurem um psicólogo para trabalharem essas questões que tanto estão te incomodando, e assim você poder viver sua sexualidade de modo saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde Dr. Claudecy! Meu nome é João Pedro e estou com um problema. Recentemente descobri que uma pessoa muito proxima a mim sofreu violencia sexual la pelos seus 11 anos de idade. Hoje ela já esta com seus 20 anos e por mais que ela negue que tenha qualquer sequela, eu ja identifiquei 3 problemas: 1º Ideia fixa que ela não quer viver mais do que 40 anos. 2º Anorgasmia 3º Baixa alto estima Por mais que eu tente, não estou conseguindo fazer que ela procure um especialista no assunto e estou sem saber o que fazer. Não posso forçar ela ir (por causa do genio forte dela) e tenho medo de ficar tocando no assunto toda hora e piorar o quadro. Gostaria que o senhor pudesse de dar alguma ajuda. Grato pela atenção.

    Joao, 30 Anos - Ver Resposta

     

    AddThis Social Bookmark Button
    Boa tarde Dr. Claudecy!
    Meu nome é João Pedro e estou com um problema. Recentemente descobri que uma pessoa muito proxima a mim sofreu violencia sexual la pelos seus 11 anos de idade. Hoje ela já esta com seus 20 anos e por mais que ela negue que tenha qualquer sequela, eu ja identifiquei 3 problemas: 1º Ideia fixa que ela não quer viver mais do que 40 anos. 2º Anorgasmia 3º Baixa alto estima Por mais que eu tente, não estou conseguindo fazer que ela procure um especialista no assunto e estou sem saber o que fazer. Não posso forçar ela ir (por causa do genio forte dela) e tenho medo de ficar tocando no assunto toda hora e piorar o quadro. Gostaria que o senhor pudesse de dar alguma ajuda. Grato pela atenção.

    João, 30 anos |

    Olá, como vai?
    Essa é uma situação um tanto delicada para mexer. No entanto, algumas questões pessoais, por mais que pareça inadequado aos olhos dos outros, não se pode forçar a pessoa procurar ajuda.
    Enquanto ela não perceber que tais questões estão atrapalhando a vida dela, causando danos nas suas relações, ela não procurará ajuda.
    Entendo que deve ser angustiante para você que está perto, perceber e não poder fazer muito coisa.
    Seria muito importante, ao poucos, ela começar a perceber que pode ter uma qualidade de vida sexual melhor, se resolver essa questão da anorgasmia a qual você se refere, bem como, se a questão da violência sofrida estiver a atrapalhando, ela poderá também usufruir de melhor qualidade nas suas relações se essa questão for trabalhada com um profissional.
    Por isso, sugiro que pouco a pouco, você aborde a importância dela procurar a ajuda de um psicólogo, de preferência um psicoterapeuta sexual para ajudá-la não só na questão do possível trauma que ela carrega, bem como na questão sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

Contato

  • (11) 5092-3898
  • contato@claudecy.com.br
  • Av. Bem-te-vi, 333 - Conj. 61 - Moema - SP

Mídias Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades em seu e-mail