Destaques

  • Tenho desejo de ver minha esposa envolvida sexualmente com outro(s) homens, gostaria de saber a origem psicológica dese meu desejo, além de entender se posso julgar isso com naturalidade para poder propor a ela ou mesmo me tratar diante de uma possível falha de personalidade.

    Junior, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Junior.
    Eu penso que pode ser muito simplista responder essa questão como é ou não normal. É preciso analisar o contexto para entender o que está por trás dessa vontade.
    Muito homens têm essa vontade. Mas é preciso analisar cada caso. Nem todos são apenas uma brincadeira, uma fantasia e nada mais. Muitos escondem questões que precisam de atenção, mas a pessoa não percebe.
    Vale a pena conversar com um psicólogo para entender com mais profundidade essa questão. 
     

  • Dr. boa noite! Meu nome é Jessica tenho 26 anos, sou divorciada a 2 anos e namoro a 8 meses... Gosto de sexo violento daquele que puxa cabelo, morde, arranhar e ainda que me machuca na penetração. Nos outros relacionamentos eu já tinha interesse por esse atos mais agora vejo que está aumentando as práticas dolorosas mais prazerosas! Isso pode prejudicar futuramente minha saúde? E o que fazer? Desde já muito grata, bjss..

    Jessica, 26 Anos - Ver Resposta

    Oi Jessica.
     
    Eu imagino como essa prática deve te proporcionar muito prazer. E esse é o motivo que faz você se manter e querer cada vez mais.
     
    Sua preocupação se isso pode te prejudicar, sugere uma preocupação com o lado físico. Mas existe o outro lado que também merece atenção, que é o psicológico.
     
    Pensando no físico, você mesma relata preocupação, e não é para menos. Eu não sei exatamente é no seu caso, mas é comum eu ouvir relatos de participantes dessa prática, na qual passaram dos limites e algo mais grave aconteceu. Em função do prazer no momento, perdemos perder a noção dos limites, é aí que consiste o perigo, pois nessas práticas a pessoa quer cada vez mais.
     
    É muito importante analisar cada caso para entender com detalhes o porquê dessa vontade de obtenção do prazer por essa via - o sexo violento. É aqui que entra o lado psicológico. O prazer obtido por essa forma é o resultado, mas é preciso entender o porquê da necessidade de usar essa via para o prazer. Quando é algo restritivo, perigoso, único, é interessante investigar.
     
    Seria muito se você pensasse na possibilidade de permitir que um psicólogo ouvisse você. Assim haveria a possibilidade de uma melhor compreensão e, quem sabe, se necessário ajudá-la. 

  • sou casada a 24 anos ,meu marido e um tanto viciado em sexo mais eu não tenho desejo por ele ,na verdade sempre foi assim no começo quando nos conhecemos os dois ainda não tinham tido experiencias sexual então descobrimos juntos mais ele sempre teve mais desejos do que eu e faz uns 5 anos depois que nosso primeiro filho nasceu ficou pior ,pois ele me deixou totalmente de lado como mulher não pude contar com ele para nada na gravides e ate meu filho fazer uns 3 anos ,comecei a me sentir frustrada em relaçâo a muitas coisas pensei ate em separação mais hoje temos ate relação mais meu apetite e muito pequeno faço mpór obrigação e pra piorar um colega de trabalho começou a me assediar e e bem mais novo que eu tem apenas 24 anos e eu estou tendo desejos sexual por esse rapaz ,por favor me ajude não sei o que fazer cedo as investidas do garoto ou continuo na minha vida de sempre ,pois ainda não trai meu marido em nenhum momento o que eu faço?

    Adriana de souza, 42 Anos - Ver Resposta

    Oi Adriana.
    Essa é uma questão interessante e muito comum. Infelizmente somos condicionados a ficar numa relação mesmo que não estejamos felizes. 

    Veja que aparentemente você não tem problema com seu desejo, pois está sendo estimulada de tal forma que seu desejo está aí, vivo, pulsando. Penso que seria muito importante investigar o que não está bem no seu casamento, o porquê de você não sentir desejo por ele. Sem a devida atenção a essa área, seu marido continuará fazendo o que não é bom para você e você continuará infeliz e se sem desejo. Caso vocês não consigam fazer isso sozinhos, pense na possibilidade de irem a um psicólogo para ajudar vocês.

  • Olá, doutor. Entrei no seu site a procura de respostas sobre o infantilismo. Tenho 19 anos e tenho um namorado, mas o chamo de daddy quando estamos sozinhos, ele é o meu cuidador. Eu sempre tive esse comportamento infantil, mas não gosto de fraldas ou essas coisas, só me sinto as vezes como uma criança de 5 anos ou como uma adolescente de 12. Gosto de chupar bico e de ser tratada pelo meu daddy como se fosse uma criança mesmo. Me sinto bem quando estou dentro desse comportamento infantil, ele se mistura com o meu comportamento adulto, eu sei as horas em que posso ser criança e as quais tenho que ser adulta. Queria saber se esse comportamento pode ser considerado um problema, ou pode ser um trauma, estou começando a pensar que não sou normal, e isso tem me deixado intrigada. Obrigada pela atenção. Edi

    Edi, 19 Anos - Ver Resposta

    Oi Edi.

    Que bom que você está procurando ajuda. Parabéns por isso.
     
    Pelo seu relato, você mesma reconhece de que existe algo diferente nessa forma de se comportar e se relacionar. Penso que é importante investigar o que está por trás desse comportamento que a faz se sentir bem assim. Essa forma de se relacionar vai na contramão do desenvolvimento normal, que é tão importante para o nosso crescimento.
     
    Vale muito à pena você ir a um psicólogo para entender o está acontecendo com você.  


     

  • Dr. Eu tenho uma vida sexual muito ativa, sou casada e transo praticamente todos os dias, tenho orgasmos múltiplos, meu marido e bem dotado mais o problema é que mesmo eu gosando muito nunca é suficiente, me masturbo todos os dias, até 2 3 vezes por dia, se eu ficar sozinha fico louca em busca de sites, imagens, videos...adoro mais não sei, isso é normal?

    jassica, 34 Anos - Ver Resposta

    Olá Jessica.
    Praticar sexo é muito bom e saudável. Porém, é importante observar que o excesso, de qualquer coisa, como comida, compras, atividade física... não é legal e pode sugerir que algo não está bem, e a manifestação pode se dar nesses excessos. Em muitos casos, nós aprendemos a canalizar questões que estão mal resolvidas na nossa vida para essas vias, é aí que acontece o exagero.
    Vale muito a pena investigar com mais atenção esse tema, que pelo que você deu a entender, parece haver uma percepção exagero. Ir a um psicólogo pode ser bastante esclarecedor para você.

  • Moro com meu namorado faz 2 anos e 3 meses, nos conhecemos e em um mês já fomos morar juntos. O primeiro dia que nos beijamos foi uma loucura, só não transamos pq não deu, mas depois de uma semana aconteceu e foi maravilhoso. Nesse tempo que estamos juntos aconteceram muitas coisas mas o grande problema é a falta de sexo, já ficamos 3 meses sem fazer. Sou compreensiva, procuro conversar com carinho, mas hoje estourei!! Faz 15 dias que aconteceu a última vez, aí hoje conversamos e ele disse que não quer pq está se sentindo gordo e não está se sentindo bem com seu corpo (engordou 20 quilos). Eu entendo, mas falei que sinto tesão por ele de qualquer jeito, não adiantou, ele não quis mesmo. Falei e penso que o problema sou eu, me sinto feia pq ele não me deseja, não me dá carinho... Não estou trabalhando, me sinto a empregada doméstica dele... Porém ele sempre teve desculpas pra não fazer sexo, tinha medo de eu engravidar mas eu tomo anticoncepcional direitinho, o dia que esqueci um, ficou sem fazer (sua ex engravidou com 3 meses de namoro), estávamos com problemas financeiros não queria, estava preocupado com problemas no trabalho, também não queria... Pedi para ele resolver os problemas dele, ele está fazendo terapia, mas diz que tem vergonha de falar para a psicóloga coisas referentes ao sexo. Não foi no médico p ver o testosterona... Me sinto cada vez mais frustrada, já pensei e penso em acabar com o relacionamento por isso. Não o procuro mais pq ele diz que sou safada demais, que uma semana sem sexo eu brigo!! Não sei o que fazer, pois eu o amo muito e com ele eu faço amor, não acho certo procurar outro p fazer sexo, apesar de às vezes dar vontade... Tenho 37 anos, todos me dão 27 anos e meu corpo está ótimo, mas minha auto estima caindo cada vez mais por não ser desejada pelo meu amor... Ele tem 26 anos. Me enganei com os homens mais novos, apesar que nunca tive problemas com meus exs, eram mais novos e muito fogosos. Preciso de ajuda, não sei mais o que fazer!!

    Mulher SP, 37 Anos - Ver Resposta

    Oi Mulher SP.

    Imagino que você esteja muito frustrada mesmo. Mas pelo seu breve relato, penso que exista outros fatores que precisam ser levados em consideração. O não querer fazer sexo, é apenas uma forma de mostrar que algo não está bem. A aparência da mulher para o homem, é importante sim, e vejo que você se cuida e é bem conservada, porém, só isso não basta. Alguns valores, comportamentos e conteúdos também contam muito. A fase de início de relacionamento, normalmente é regada com uma grande dose se curiosidade, expectativa e paixão, isso é bom, mas não dura muito, e é importante que seja assim, pois é preciso dar lugar a um sentimento mais sereno e mais profundo. Mas também é nessa virada que enxergamos coisas que pode levar ao desinteresse ou a ter vontade de nos aprofundar mais.
    Outra coisa importante para você ver, é o porquê você tem preferências por homens mais novos. ​
     
    Se precisar de ajuda para sair dessa, pode contar comigo.
     

  • Estamos juntos a alguns anos e sinto muito prezer quando imagino ele com outra, até que um dia revelei esse desejo e pedi para ele realizar... Mas não consigo me entender, ao mesmo tempo que deliro de prazer com isso, sinto uma enorme tristeza quando o "prazer" desaparece de minha mente, fico cheio de neura achando que se ele topou realizar é porque não me ama, mesmo ele garantindo que ama, enfim é como se eu fosse duas. Me ajude a compreender como isso pode ser normal, na cama quero ele com outra e fora da cama sou ciumenta e fico triste de saber que isso ira acontecer, e pior pq eu quiz !??? me ajude!

    Dalia, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Dalia.
    Essa vontade é mais comum do que você imagina. Não sesinta mal por isso. No entanto é importante fazer uma separação entre fantasia e a realização da fantasia. Em muitos casos, a realização é uma delícia e não gera mal estar, mas há outras que são interessantes que fiquem só no âmbito da fantasia. 

    Em alguns casos, Dalia, é bom investigar o porque de algumas fantasias, elas podem ser bem saudáveis, bem como, podem revelar alguma questão conflituosa na pessoa ou na relação do casal.

    Outra coisa que deixa muitas mulheres preocupadas, é a associação dessas fantasias com o amor. São coisas diferentes, principalmente para a maioria dos homens, não há essa associação. Por isso, porde ser mais interessante separar essas duas coisas.

  • Meu marido sempre foi louco por sexo, esse nunca foi nosso problema , mas depois q ganhei minha filha, ela tinha 8 meses e eu i procurava e ele sempre cansado, perdia a ereçao qdo transavamos, eu logo pensei q o problema era cmg, tratei de emagrecer qse 10 kg, a me arrumar mais, mas msm assim nada mudou, até o dia q ele resolveu abrir o jogo e falar q não estava conseguindo manter a ereçao. Foi ao médico e constatou q é de fundo psicológico, ele faz terapia c psicóloga, até estava melhorando as coisas, mas agr ele teve uma recaída brusca, eu não qro q ele tome remédio pq sinto q é uma coisa artificial, mas sempre qdo olho o celular dele está cheio de buscas na NET por vídeos porno, ou seja ele não me procura, ou não funciona cmg, mas se masturbar ele faz. Isso anda mexendo mto c meu psicológico,ando mto nervosa, me sinto inferior, humilhada.. Oq eu faço?

    Jeniffer, 27 Anos - Ver Resposta

    Oi Jeniffer.
    Eu entendo sua tristesa. Acho que vocês começaram bem, conversando e indo a uma profissional. No entanto, com a parada do tratamento, não só não foi resolvido como regrediu.

    Quando o assunto é de ordem psicológica, não adianta o uso do medicamento, é prociso tratar a causa. Nesse caso, é interessante que vocês procurem um um psicólogo especializado em sexualidade. Assim será possível tratar de forma mais profunda e focada essa questão. O fato dele estar interessando em outra fonte de sexo, sugere que desejo ele tem, só é preciso ajudar a cananisar o sexo para a relação. E para isso, é necessário entender o porque isso não está acontecendo.

    Vale a pena comentar um pensamento muito comum na pessoas, principalmente em algumas mulheres, de que, basta estar com um corpo legal, ficar bonita e aparecer par ao homem, que tudo estará resolvido, que isso basta para ser irresistível para o homem. Não é bem assim, talvez isso funcione no começo do relacionamento, mas com o tempo, ambos que mais. O que significa que tem muitas outros comportamentos, no dia a dia que passam a ser relevantes, e claro, isso varia de casal para casal. É legal que o casal tenha sintonia no sexo e fora dele também. Muitas vezes, temos valores, auto regras, ou mesmo, não nos abrimos para nos atualizar, levar novidade para o outro, nos tornar uma pessoa mais interessante. Nesse cenário, fica mais difícil querer que o sexo sejá o salvador para pátria. O sexo legal é aquele que começa muito antes da "cama".  

  • Sou casada a 16 anos, tenho um filho de 6 anos e meu esposo tem 48 anos, estamos passando com dificuldades financeiras e já faz 2 anos que ele não me procura na cama....tento procura - lo é ele sempre arranja uma justificativa...está com sono...finge que está dormindo. ...a última vez que tivemos relação ele não conseguiu chegar aos finalmente e eu fiquei muito brava. ..confesso que meus comportamentos contribuíram para isso...e ele fala pra mim...se o para vc e mais importante que outra coisa....ele não explica porque não me procura....elenco dei depois da gravidez, dei uma relaxada, mas estou retomando minha auto estima....fã o exercício I IOS e já estou fazendo um tratamento para emagrecer. Ele não fala nada, não pergunta nada, conversa comigo normalmente em casa, me trata como uma amiga, não me acaricia, quando eu dou uma Abraço e Beijo ele corresponde mas sexo nunca mais aconteceu. ...confesso que isso me machuca muito saber que não estou despertando interesse nele. ..Não sei mais o que fazer, ele não me dá oportunidade para falar sobre o assunto fica bravo...o que fazer?

    cica, 36 Anos - Ver Resposta

    Oi Cica.
    Isso é bem desagradável eu entendo.
    Eu penso que deixar esse assunto acomodado, não é uma boa. Essa acomodação, alimentada por você, acaba gerando insatisfação, deixando você triste, afetando sua auto estima e o pior, pode escontar algum problema, seja com ele, com você ou com o casal.
    Seria muito adequado irem a um psicólogo para entenderem o que está por trás dessa dificuldade.

  • Ola Doutor, vim aqui hoje pedir ajuda, estou com problemas. tenho infantilismo desde pequeno e quero me curar, pois quando era pequeno pedia fraldas aos amigos que tinha irmãos pequenos e depois dizia que era para o meu irmão que eu não tenho.Depois aos nove roubei uma fralda do filho do vizinho e quando fui pegar outra a empregada me viu, depois me dedurou pra mãe dele. Fiquei muito constrangido no momento, não sabia oque fazer. Contei pra minha mãe mas com muita dificuldade(chorando),depois tive varios pesadelos semelhantes ao ocorrido. Mas hoje é diferente pois detestaria ficar de fralda, tenho me masturbado compulsivamente por mulheres vestindo fraldas e tal. Preciso saber se existe tratamento, me ajude por favor!!!

    ANONIMO, 13 Anos - Ver Resposta

    Olá.
    Imagino que o que era prazeroso passou a ser um problema para você. Na verdade, isso mostra que algo não está bem, e você usa a via fralda/infantilismo como forma vivenciar esse sentimento.
    Eu acho bem interessante que você está pedindo ajuda, mas é preciso ir a um psicólogo especializado em sexualidade para ele entender melhor o caso e ajudá-lo. Eu entendo que é um passo difícil. Mas será muito importante para seu desenvolvimento mais saudável.
     

  • Olá doutor,sou lésbica e tenho uma namorada,porém sinto uma vontade enorme de mamar nos seios de minha namorada mas mamar tipo bebê,ela não tem leite mas mesmo assim sinto vontade,será que isso é loucura? O que devo fazer?

    Letícia , 28 Anos - Ver Resposta

    Olá Letícia.
    Eu precisaria entender mais o seu caso para poder falar com mais propriedade. No entanto, nesseprimeiro momento, dê uma lida no seu site sobre questões como a sua e veja se você tem alguma identidicação:
    http://www.claudecy.com.br/perguntaserespostas.asp?subcategoria=23&subcategoria_sub=26 
     

  • Boa noite. Sou crossdresser há uns 34 anos, dos meus 41. Mas não sabem de mim. Me monto diariamente, mas tenho uma estrutura masculina, apesar de jeito feminino, somente qdo me monto. Tive somente 3 experiências com profissionais do sexo, mas não estou mais suportando e quero me "jogar na pista" e me insinuar, ser paquerada e não estou com coragem. Uma confusão, quero ir a balada vestida, mas n estou me achando. Eu diria que se tivesse uns 20 anos, eu seria um transexual, mas agora não dá mais. Nem virilidade eu tenho mais. Em resumo, minha pergunta é, como quebrar esta parede que não me deixa me soltar a ser a Bruna? Tenho medo de ser ridicularizada. Obrigada.

    Bruna Moretti (CD), 41 Anos - Ver Resposta

    Olá Bruna.
    Eu te entendo e sei como você deve sofrer. As pessoas que me procuram com essa questão, trazem muito sofrimento e insatisfação consigo e com a vida.
    Mas é importante parabenizar você por porcurar ajuda especializada. Assim que você terá como ser entendida, bem como entender o porque você foi por esse caminho.
    A ideia de uma psicoterapia para esse caso de crossdresser, não é para te convensar de nada, mas sim, trabalhar as causas do que estão trasendo os sintomas e claro, o sofrimento também.
    Eu seu que sua vontade de de sumir, de resolver logo tudo isso. Mas calma, dê a oportunidade de um profissional cuidar de você, assim você verá que nesse processo muitas questões serão trabalhadas e você poderá ter uma qualidade de vida saudável.

  • Foram dois anos de muito diálogo franco, aberto e sincero, até que eu e minha esposa tivemos nossa primeira aventura sexual, fazendo troca de casais. Depois, nos 2 anos seguintes, realizamos várias outras aventuras, principalmente sexo a três ( com dotados, que era a fantasia mais desejada dela ). Porém a última de nossas aventuras foi há mais ou menos um ano e meio, por falta de interesse da minha esposa, que por ser muito fechada, apesar da minha iniciativa e disposição ao diálogo, nunca me falou o porque perdeu o interesse nas nossas aventuras. Essa situação (a interrupção de nossas aventuras e a falta de diálogo ) acabou despertando em mim um sentimento de constrangimento quando lembro do quanto expus à minha esposa minhas mais secretas fantasias. Hoje meu desejo ( se eu pudesse voltar no tempo ), era jamais ter revelado minhas fantasias tão abertamente como eu fiz.

    Márcio, 47 Anos - Ver Resposta

    Oi Márcio.
    Eu entendo. O problema nesses casos é que quando estamos envolvidos por sentimentos como esses, ficamos com a visão muito turva, e só queremos realizar aquela vontade. Em boa parte das vezes não pensando no depois.
    Muito casais que trazem esse tema, ao analizarmos, vemos que em boa parte dos casos, a fixação e/ou a realização dessas fantasias, escondem um conflito do casal, que são mascarados com essas aventuras.
    Vejo que você está arrependido, e fiquei com a sensação de que sua esposa não estava segura quanto a essa fatasia. Mas agora eu penso que seria importante trabalhar esses sentimentos que não o deixam viver bem.  

  • Olá Dr, a fantasia do meu marido é fazer um menage masculino, ele até arrumou um amigo que topa e passou meu email, trocamos emails, fiquei super excitada e quando transamos falamos em por em prática e ficamos muito excitados com idéia, tenho vontade, mas não tenho coragem, meu marido foi meu único homem até hj, olho os homens na rua e qdo acho atraente me pergunto se teria coragem e não consigo me imaginar na situação, adoraria realiza-lo, mas tenho medo de travar e não conseguir fazer nada na hora e tbm tenho medo que isso acabe estragando meu casamento, já mostrei pra ele todas as possibilidades que possa dar errado e ele sempre me fala de como seria gostoso, o que eu faço?

    anonima, 32 Anos - Ver Resposta

    Oi Anônima.
    Pelo seu relato, eu percebi que essa ideia até te excita, mas que você não está preparada para essa aventura. Isso precisa ser respeitado.
    EU entendo que seu marido tem uma grande vontade de realizar essa fantasia. Porém, quando envolve outra pessoa, é importante que essa também esteja na mesma sintonia para ser legar para ambos. Quando só um curte, não bom.
    Essa é uma questão muito comum no meu consultório. Eu vejo que quando esse tempo da outra pessoa não é respeitado, o resultado acaba não sento interessante. Também percebo o quanto isso pode abalar a relação. Veja, não estou falando que essa prática deve ser abortada, mas sim, que esse tema seja muito discutido entre o casal e que haja uma real vontade de ambos.
    Num momento oportuno, valeria à pena seu marido investigar o porquê dessa vontade incontrolável. 

  • Doutor, ao contrario das outras pessoas eu nao tenho vaginismo.eu tive vaginismo, durante 6 anos! ao inicio achava que era um problema físico, depois quando soube que nao era fisico cheguei a ficar desiludida porque achava que seria mais facil ser operada para me curar.até que so ha dois anos descobri que nao era a unica pessoa com este problema.e desde aí ainda demorei quase um ano a procurar ajuda.eu percebo muito bem (muito bem mesmo) todas estas pessoas que escrevem para voce e têm medo de procurar um terapeuta sexual...eu cometi esse erro durante muito tempo e arrependi me tanto!porque agora, que estou curada ha 5 meses, sei que nunca teria ultrapassado isto se nao fosse a minha medica! e nao custa nada começar a ir as consultas! Nas sessões de psicologia, só fazemos algo quando estamos preparadas! Queria so deixar a minha força a todas as mulheres que sofrem neste momento com o vaginismo (e dizer a todas elas que existe cura para todas mas temos que procurar ajuda!!) e agradecer a si, doutor, por disponibilizar o seu tempo para ouvir pessoas como eu fui um dia. porque nós nao podemos contar isto à maioria das pessoas que mais amamos, e é preciso desabafar com alguem.em nome de todas nós, obrigada doutor!

    Catarina, 22 Anos - Ver Resposta

    Olá Catarina.
    Muito obrigado duplamente, pelos elogios ao meu trabalho e por você dar esse depoimento que, sem dúvida, ajudará muitas muheres que estão passando por essa dificuldade.
    De fato, essas mulheres sofrem muito, algumas por vários anos, e não é nada fácil conviver com esse problema. Mas é muito importante esse seu depoimento, pois reforça a ideia de que esse problema tem solução.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr., eu li todas a peguntas e respostas do site, tendo em vista a imensa vontade de buscar a cura para a minha esposa. Notei que os casos são muito parecidos com o nosso. Ela sente dificuldade para a penetração, chega a travar.. Isso ocorre desde a época de namoro, mas como ela era virgem, pensamos que tudo era questão de tempo. Estamos juntos há 8 anos, entre namoro e casamento, e nada mudou. Eu sou o primeiro parceiro dela, às vezes cheguei a pensar que o "problema" era meu... Mas agora acredito que a causa seja o vaginismo... Ela diz que sempre teve muita dificuldade para se relacionar "emocionalmente" com alguém. O casamento dos pais não foi bem sucedido, já presenciou cenas de sexo forçado entre eles, e isso provavelmente tenha a impressionado. Na adolescencia não tinha namorados e dizia que jamais se casaria. Qdo me conheceu o cenário se modificou, tivemos um envolvimento mágico, nos amamos muito, e após muito sofrimento decidimos, em conjunto, buscar ajuda. Certa vez uma gineco a orientou sobre o vaginismo e sugeriu uma pomada anestésica. Foi muito difícil abrir o coração para a médica, pois a impressão que tínhamos, era de que o caso era muito raro. Infelizmente o problema não foi resolvido. Temos o sonho de ter filhos. Ela já pensou em fazer inseminação artificial, pois não quer assumir essa dificuldade para a família. Ela está com 29 anos de idade, 4 anos de casada, e as pessoas cobram muito a vinda do bebê. Acho que agora, como está mais madura, sente-se confortável para abrir essa questão com um profissional especializado. Eu jamais a abandonarei por conta dessa problemática. Estamos juntos escrevendo essa msg e juntos continuaremos até a solução do caso. Em sua opinião, qual é o melhor caminho a seguir?

    Wilson, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Wilson e esposa.
    Parabéns pela sua atitude em procurar ajuda especializada e por mostrar interesse em ajudá-la.
    De fato, como você já leu, o vaginismos (se for esse o diagnóstico) é terrível para a mulher e para o casal. A sensação de que nunca vai conseguir é muito sofrida.
    Infelizmente essas tentativas como a que você citou, de passar anestésico, ou as que você leu aqui no meu site, mostram como tais colegas desconhecem esse problema tanto a causa como o tratamento. Pelos relatos das pessoas que me procuram para tratar esse assunto, eu vejo como essas sugestões (as dos colegas) só causam mais sofrimento, pois além de não resolverem o problema, a sensação de que vão conseguir um dia se torna cada vez mais distante.
    Todos esses fatores que você descreveu da vida da sua esposa, de fato podem influenciar no surgimento do vaginismo (desconheço pomada anestésica que resolva esses problemas psicológicos desencadeados pelo meio). Porém, o psicólogo especializado em sexualidade que vocês escolherem para cuidar do caso, precisará analisar tudo isso que você descreveu além de várias outras questões que podem estar relacionadas. Depois de fazer esse mapeamento e a análise, o profissional terá condições de guiá-la por meios que irão resolver essa questão.
    Não parem por aqui. Não desistam do sonho de vocês. Sei que é difícil, mas também sei é possível resolver esse problema, pois vivencio isso na minha experiência clínica frequentemente.
    Se vocês querem ter uma vida sexual saudável e ter filhos, você podem!

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. estou desesperada!!!! tenho um relacionamento a três anos e não consigo ter penetração, já fui em vários ginecologistas e sempre tenho a mesma resposta: vc não tem nada, está tudo normal, vc tem que relaxar.... já tentei de tudo, por favor me ajude ...

    Monica, 21 Anos - Ver Resposta

    Oi Mônica. Imagino seu sofrimento.
    Mas provavelmente você não conseguiu resolver essa questão porque ela não tem origem orgância, por isso os ginecologistas não conseguem resolver essa questão.
    Mas é importante que você saiba que seu problema tem solução. Calma!
    Com frequência mulheres com essa mesma queixa me procuram, por isso sei como é difícil o que você está vivendo e sentindo.
    Procurar um psicólogo especializado em sexualidade vai ajudar a resolver esse problema.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • olá, o q vc me diz a respeito de um relacionamento de 1 ano, q se acabou por conta de um poblema psicológico (vaginismo), eu sabia q teria q fazer o tratamento só q na minha cidade ñ dispõe de profissional especializado no assunto, eu ja tinha conversado com meu namorado a respeito do assunto, e ele ñ aceitava q era um poblema meu ele sempre dizia q era culpa dele,todas as vezes q tentavamos uma penetração ele ficava frustado chegava a chorar, achando q ñ tava me satisfazendo ñ estava me fazendo se sentir mulher, então diante do desespero dele eu propus a usamos um pênis de borracha sabia q poderia ser um paliativo, só q a minha proposta soou p/ ele como se estivesse ferindo os valores dele o consevadorismo, a masculinidade dele, e acabou terminando o namoro por conta disso ele falou q nós temos valores diferentes, o q vc pode me dizer disso tudo? obrigada

    Marcia, 31 Anos - Ver Resposta

    Oi Márcia.
    Infelizmente existem poucos profissional preparados para atender essa questão.
    Tenho a impressão que existe a necessidade de esclarecimentos de algumas questões, que inclusive atrapalhou muito vocês. Mas não dá para fazer isso por um e-mail.
    De fato para tratar essa questão é preciso todo um trabalho psicológico, e não é apenas fazendo exercícios de penetração com um pênis artificial que se resolverá esse problema. Dessa maneira a pessoa só tenta tratar o sintoma e não a causa.
    Com relação ao seu ex-parceiro, parece que ele também precisa rever alguns conceitos. Essa culpa da qual esse se refere, causando por achar que ele é responsável por isso, provavelmente não tem fundamento, mas como não conheço vocês, não posso afirmar.
    Muito provavelmente essa o término da relação não se deu por causa da sua proposta, mas é possível que a sua proposta tenha sido usada por ele como um recurso (argumento) para dizer que para ele essa relação não estava satisfatória.
    Márcia, é importante que você saiba que uma relação não se sustenta de forma saudável com um problema desse - vaginismo -, e é normal que a outra pessoa não queira levar a relação adiante, pois não é bom.
    Encare isso não como um fracasso, mas sim, como um incentivo para buscar ajuda e resolver esse problema, caso contrário, muito provavelmente você continuará arrumando namorados, se envolvendo e depois sofrendo mais uma vez com o término.
    Em que cidade você está? Quem saber eu tenha algum profissional para indicar a você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi Dr.Claudecy, por favor me ajude estou desesperada e muito deprimida. Desde que eu me casei, há 1 ano e 4 meses atrás que estou sofrendo muito por não conseguir concluir o ato sexual(penetração). Pesquisei muito na internet sobre vaginismo e acho que estou sofrendo desse trastorno, embora ainda não procurei um médico por falta de orientação e por não saber onde procurar.Claro que preciso de um diagnóstico certo, para começar a me tratar seja o que for esse mal. Eu sinto muito medo da penetração, e uma ansiedade enorme e o pênis não consegue penetrar é como se não houvesse passagem. Quando conseguimos penetrar um pouco mais que a cabeça do pênis é com muita dor.Preciso de ajuda urgente! Em mais de 1 ano de casada nunca tive uma relação normal com meu marido. Meu marido é maravilhoso,muito compreesivo,mas é tão sem experiêcia no assunto Quanto eu. Por favor me oriente estou morrendo por dentro e tenho medo que meu marido canse disso tudo. Obrigada.

    Maria Eduarda, 22 Anos - Ver Resposta

    Maria Eduarda, sem dúvida sei o quanto você está sofrendo e sei também que é real esse medo de perder o marido.
    Existem alguns passos para ser seguidos: primeiramente vá ao ginecologista para ver se existe alguma questão orgânica envolvida (apesar de que pela sua descrição, parece que a causa do seu problema não é de fundo orgânico). Caso não seu problema não tenha pedências orgânicas, então procure um terapeuta sexual para ajudá-la a resolver essa questão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. fiquei casada durante 7 anos e nunca houve penetração nas nossas relações , sempre sentia-me encomodada .O casamento acabou por essas e outras , mas depois de 3 anos fiquei noiva e também não conseguia a penetração .Fiz alguns exercícios com a minha ginecologista , ela usou um aparelho parecido com aquele que faz ultrasson transvaginal , naquela hora tudo bem , parece até que sou normal , mas estou tentando usar um pênis de silicone para fazer os exercícios lubrifico-o c/ KY gel , mas não tenho obtido um bom resultado .Minha excitação é mais do que normal .O QUE DEVO FAZER ? Obrigada

    Debora, 31 Anos - Ver Resposta

    Oi Débora.
    De fato não vai funcionar utilizando os métodos que você está usando. Pois desse modo você está tratando o sintoma e não a causa. Ou seja, vai continuar.
    É preciso tratar da causa, que pela sua descrição tudo indica que se trate de um problema psicológico. Mas será preciso você passar por uma consulta com um psicólogo que seja terapeuta sexual para uma análise adequada do seu problema e assim ajudá-la.
    Pela minha experiência nesses casos, sei como esse problema causa sofrimento, rompimento de relacionamentos, conflitos internos. Mas você não precisa continuar sofrendo, pois existe tratamento.
    Caso tenha mais alguma dúvida, pode escrever um e-mail ou telefonar para 11 5092-3898.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, boa noite.. lendo e relendo os casos constantes no site.. me vi em situação muito parecida. Minha namorada e eu nao conseguimos manter uma relação sexual, pois não conseguimos a penetração. Tentamos alguns cremes, cremes com anestésicos, mas não resolveu. Preliminares é o que nao falta e não há cobrança ou falta de desejo. Minha pergunta é a seguinte: além de um terapeuta sexual, li que na maior parte das pacientes, foram utilizados objetos para "acostumar" a vagina. O tratamento seria mais psicologico ou mais físico? Há alguma coisa que possamos fazer para contornar isso? desde já, muito obrigado

    Andre, 25 Anos - Ver Resposta

    Oi André.
    Se for constatado o diagnóstico de vaginismo, se trata de uma questão 100% psicológica.
    Algumas pacientes relatam que tentaram esse método que você está sugerindo, a maioria não consegue, e as poucas que conseguem tem seu problema de volta em pouco tempo.
    André, se a causa do problema é psicológico é preciso resolver a questão para solucionar o problema. Métodos alternativos ao que é conhecido dos profissionais da comunidade científica eu desconheço.
    Sei que esse problema é sério e o quanto é importante resolvê-lo. O caminho você ja sabe qual é.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Primeiramente gostaria de agradecer em nome de todas as mulheres q sofre de vaginismo por vc Claudecy nos dar esse espaço,onde podemos compartilhar nossas dor. A minha história é bem interessante, eu fui casada durante 3 anos, e durante esse tempo nunca tive uma penetração, a minha ida ao ginecologista era quase semanalmente pois a médica queria me ajudar de alguma forma mas ñ conseguimos, e na minha cidade ñ tinha sequer um profissional especializado nessa área, durante esse tempo contrair HPV, o meu marido havia me traído ñ aguentava mais conviver com a situação,e tb nunca procurou me ajudar ao contrário dizia q eu era doente e perguntou certa vez a médica se ñ existia uma cirurgia p/ rasgar tudo. Bem, nosso relacionamento acabou depois de 3 anos, depois de 1 ano separada encontrei um namorado numa boate, foi uma encontro casual,passando-se 3 dias q eu o tinha conhecido fomos p/ o motel, durante o trajeto até chegar no motel, estava desesperada ñ sabia se contava ou ñ meu problema, estava muito aflita e sabia q a decepção viria. Quando chegamos no quarto quase q contava, mas ele interrompeu com beijos, foi quando ele tirou minha roupa e fez um sexo oral magnifico,tão maravilhoso q relaxei o corpo todo dai quando ele foi penetrar ajeitou minhas pernas, e com a mão bem devagarinho penetrou o pênis, foi tudo maravilhoso fiquei surpreendida com a penetração quase ñ acreditava no q estava acontecendo. Enfim, passamos 2 anos juntos e o sexo foi maravilhoso, mas o relacionamento acabou. Passou-se 1 ano q terminamos o namoro, estou com um novo namorado, esse ja conhecia há anos porém só agora nos apaixonamos,temos uma intimidade maravilhosa conversamos muito antes de ir p/ cama, falamos sobre nossas fantasias, massagens, um monte de coisas rimos muito juntos, fomos comprar óleo de massagem juntos, roupas íntimas etc....só nunca tinha falado p/ ele o q tinha acontecido com o sexo no meu casamento. Bem, com tudo planejado depois de 1 mês juntos e muitos apaixonados fomos p/ o motel e p/ minha maior surpresa foi um desastre, sentir a maior dor e ñ tinha jeito p/ penetrar,até o sexo oral me incomodava, foi quando no outro dia procurei a ginecologista p/ fazer os exames, deu tudo normal, e ja estamos há 7 meses juntos e nada de penetração,sinto tudo o q sentia na época de casada, estou desesperada pq ñ há profissional especializado na cidade em q moro, meu namorado vive pesquisando sobre o assunto, mas ñ há nada q possa nos ajudar, conversamos bastante, ele é muito compreensivo, ja fomos p/ 8 ginecologistas e nenhum pode nos ajudar,sinto q meu namorado está cada vez mais perto de mim, e muito preocupado com tudo isso, estamos sofrendo muito juntos. Por favor, Claudecy q explicação existe p/ isso?

    Mariana, 26 Anos - Ver Resposta

    Oi Mariana.
    De fato sei que o sofrimento é grande. Também sei que existe uma carência de especialista em muitos lugares.
    A explicação para seu problema é que ele não foi de fato resolvido. Apenas foi mascarado.
    O vaginismo é 100% de fundo psicológico. Infelizmente algumas pessoas, inclusive profissionais sugerem métotos sem o menor respaldo científico como, cirurgias, anestésicos... Sabemos que nada disso resolverá o problema.
    Mariana, sempre estou me atualizando com literaturas científicas e participação em congressos, mas infelizmente não conheço outra maneira de resolver essa questão que não seja por um psicólogo que entenda de fato desse assunto.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy, me identifiquei com muitos casos relatados nessas perguntas sobre vaginismo, sou casada a quase 4 anos e até hj tbm ñ consegui ter uma relação completa com penetração, meu casamento está por 1 fio e eu me sinto a pior mulher do mundo! Tenho feito alguns exercícios com bastões com sucesso + quanto tento introduzir o pênis de silicone eu ñ tenho quase nenhum sucesso e muita dor. O problema é que esse tratamento é muito caro e ñ disponho de recursos p/realizá-lo, porém preciso muito de ajuda. Fico ansiosa na espera de uma resposta e confiante de conseguir alguma ajuda, estou precisando muito, ñ sei + o que fazer!

    Ripilica, 27 Anos - Ver Resposta

    Olá Ripilica.
    Do modo como você está fazendo, de fato não terá sucesso. Muito pelo contrário, só piorará a situação.
    Infelizmente são poucos os profissionais preparados para lidarem com essa questão. Mas não há outra saída, é preciso verificar os aspectos psicológicos envolvidos. Por isso, o seu bastãozinho não a ajudará.
    no tratamento com um expecialista terão alguns exercícios, mas não isoladamente do aspecto psicológico.
    Sugiro que procure por terapeutas sexuais para te ajudar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr.Claudecy de Souza, sou casado a 8 meses, amo minha esposa,mas, até o presente momento não tivemos uma relação sexual com mais intimidade, ela sente desejo por mim, chega ao orgasmo normal. Mas, desde quando casamos ela não se permitiu haver penetração(penis/vagina), estou ficando saturado disso,eu a amo mais sinto que não vou suportar isso por muito tempo, não tem como. Já a convidei para procuramos um psicologo,terapeuta, mas ela se recusa a ir, diz que tem vergonha.O que eu de vo fazer para resolver sse problema?

    Beto, 29 Anos - Ver Resposta

    Olá Beto.
    Penso que essa situação é no mínimo desagradável, não é? Afinal, não poder desfrutar da sexualidade de modo gostoso e saudável, é muito ruim.
    É bom observar que possivelmente outros aspectos na vida dela também estão
    precisando de atenção, de modo que a sexualidade é que está denunciando que ela, como um todo pode estar precisando de ajuda.
    É importante que vocês procurem ajuda, e já é o que está fazendo me enviando essa mensagem. Porém sugiro que vocês procurem um terapeuta sexual, para juntos, resolverem essas questões.
    Viver numa relação como essa fica muito difícil pensar que seja saudável, pois dessa maneira você e ela não se sentem realizados sexualmente e, se assim continuar, provavelmente você não irá suportar, como você mesmo já está sinalizando.
    O seu comportamento de ajudá-la a ter orgasmos bem como sua compreenção, acabam alimentando o comportamento dela de se manter como está, que bem ou mal, está acomodada. Porém não te faz bem.
    Será necessário que você mude seu comportamento, pois o argumento dela de dizer que sente vergonha e por isso não procura um profissional, só alimenta esse sintoma, e isso desencadeia a sua insatisfação.
    Uma ação sua mais enérgica no sentido dela procurar ajuda, pode contribuir muito para o crescimento de cada um e da própria relação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor Claudecy, sou casada há dois anos e 3 meses e até hoje continuo virgem. Já tentei vááárias vezes fazer uma relação completa com meu marido, mas na hora da penetração, não acontece, mas não acontece de jeito nenhum. Trava tudo lá em baixo e ele não consegue realizar a penetração. Sei que tenho vaginismo e de acordo com minha ginecologista não tenho problemas físicos, ela diz que sou apta para a relação. Mas tudo contrai contra minha vontade e dói muito quando meu marido tenta penetrar. Já estou numa situação muito crítica. Meu marido está cansando de tentar e tentar e nada. Ele pensa que é só eu relaxar mas eu tento e não dá. Estou me sentindo uma pessoa péssima. Em outras áreas da minha vida como nos estudos sempre fui muito bem, passei em um concurso público concorridíssimo, sou formada em publicidade, sou uma pessoa ágil, habilidosa em várias coisas. Só não gosto do meu trabalho, vou pra lá obrigada todos os dias. Vou só por causa da necessidade do $$. Gosto de trabalhar com outra coisa, só que não posso porque precisaria investir, montar uma estrutura e não tenho capital. Nunca imaginei que quando chegasse a hora do meu casamento ía acontecer isso... E o pior é que quanto mais a gente tenta, parece que trava mais ainda. Eu sempre falo "agora eu vou conseguir, isso está na minha cabeça", mas não consigo. sinceramente não sei porque tenho isso. Eu amo tanto meu marido e não consigo me entregar completamente para ele. Pesquisando sobre o assunto vi que existem exercícios que são feitos com um tipo de penetração com objetos e tal, mas isso poderá ser feito comigo que ainda sou virgem? Não sei mais o que fazer. Será q se eu for à um sexólogo vou conseguir me liberar disso? Um abraço e conto com sua ajuda.

    Vivyane, 25 Anos - Ver Resposta

    Olá Vivyane.
    Parabéns por estar procurando ajuda.
    A questão do vaginismo é muito mais séria e profunda do que se imagina.
    De nada adiante pensar que tem que relaxar na hora, se você não sabe como fazer isso. Não adianta seu marido te precionar. Não adianta fazer os exercícios que você leu, pois se for resolvido a origem desse problema, nada se resolverá. Os exercícios são necessários, porém, devem ser orientados pelo profissional que vai sugerir no momento certo, pois não existe uma receita igual para todas as pessoas, que apesar do sintoma ser o mesmo, a origem pode ser outra.
    É preciso descobrir a causa de tudo isso. Um sexólo (terapeuta sexual) pode ajudar sim a resolver essa questão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Ola, doutor eu os vários comentários sobre o vaginismo, no entanto, continuo com muitas dúvidas.Primeiro gostaria de saber se o vaginismo é uma impossibilidade fisica de ser penetrada por o pênis ou é algo ligado oa emocional.Pois, eu doutor apesar de ter desejo sexual, ficar lubrificada não consigo ser penetrada e falo isso depois de inumeras tentativas de manter relações sexuais, pois fico apavaorada somente com a ideia de ser penetrada.eu mantive relações sexuias somente uma vez mas foi uma transa imcopleta apesar da paciencia de meu namorado pois como era minha primeira vez sentir um pouco de dor mas depois desse dia nunca mais consegui relaxar e fico apavorada só em pensar em ser penetrada.Por favor me diga é incapacidade fisica ou é um problema ligado ao emocional.Piois,tenho desejo e geralmente esta tudo andando muito bem quando chega a hora da penetração ghego ao absurdo de serra as pernas para que não haja qualquer contato entre o pênis e a vagina.E o pior que geralmente os parceiros que tive pensam qque estou brincando com eles ou mesmo por que ficou fazendo caprichos mas é algo muito triste para quem tem essa dificuldade.Já pensei em procurar um psicologo ou um ginecologista mas tenho muita vergonha. Por favor me ajude. Ogrigada!!!

    Elizabeth, 27 Anos - Ver Resposta

    Oi Elizabeth.
    No vaginismo não existe nada fisicamente. Porém fatores psicológicos (emocionais) exercem um comando no físico de modo que este reage se fechando. Por isso a impossibilidade de penetração.
    É normal que as mulheres com vaginismo tenham desejo, se excitam e fiquem lubrificadas.
    Esse comportamento de "serrar" as pernas é uma reação, uma defesa e dessa maneira não vai conseguir mesmo. Com isso fica difícil levar uma relação adiante.
    É importante que você procure um psicólogo que seja especialista em sexualidade para resolver sua questão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, foi muito bom encontrar o seu site, meu nome é Denise, tenho 23 anos e sou casada a 4 anos e meio, tenho vaginismo e isso está quase me enlouquecendo. Não sinto mais vontade de viver, visto que esse problema fez com que o meu marido me pedisse um tempo para pensar se quer ou não continuar casado com alguém com este prblema. As vezes penso que não há solução e que eu sou uma extraterrestre, me acho uma pessoa diferente de todos isso mexeu até com a minha personalidade, me tornei uma pessoa fechada, timida e quieta, coisa que antes de saber que eu tinha o vaginismo eu não era. Sabe as pessoas não entedem esse problema e acham que eu estou fazendo corpo mole e que não me esforço e até que já me acostumei com a situação, mas isso não é verdade. Fiz algumas sessões com uma psicológa mas ela não era especialista em terapia sexual e não me ajudou muito, por ultimo eu estav fazendo um tratamento com um ginecologista que em cada sessão introduzia um espéculo na minha vagina para ajudar na contração da minha musculatura vaginal, mas o meu esposo queria ver resultados logo, claro que ela não aguentava mais nossa situação, e ele já não era mais virgem quando casamos somente eu, ai eu não aguentei a pressão e parei o tratamento, agora tenho medo de voltar pois o tratamento era muito sofrido e doloroso eu me sintia constrangida e me sentia muito mais diferenre ainda, as vezes acho que só eu tenho esse problema e as vezes acho que não tem solução. Agora esta muito mais dificil para mim, pois o meu marido disse que só vai reatar o nosso casamento quando eu resolver esta situação ou pelo menos buscar uma solução. Será que posso conseguir, será que há grupos de ajuda para mulheres com esse problema, e será que há muitos terapeutas que atendem esse tipo de problema, preciso de um socorro urgente. Obrigada e desculpe o desabafo!

    Denise, 23 Anos - Ver Resposta

    Olá Denise.
    É muito triste ouvir histórias como a sua. Com frequência atendo mulheres com essa dificuldade, e todas descrevem como sofrem por não encontrarem um tratamento adequado para essa questão. E ficam tentando, passando por vários profissionais que dizem saber como tratar o vaginismo. É muito ruim os sofrimentos e os relatos das paciente que descrevem como tais profissionais tentaram tratar essa questão.
    Os estudos mostram, bem como minha experiência clínica, que as tentativas de relaxar a musculatura vaginal utulizando APENAS dilatadores vaginais (por exemplo pênis de silicone, espéculos), sem entender qual a causa que leva a mulher contrair a musculatura vaginal dessa maneira, de nada vai adiantar.
    É preciso entender o que está causando essa dificuldade, para depois passar par a parte física.
    Quanto ao seu marido, eu entendo que é uma situação delicada para vocês dois. E pelo tempo que você procura resolver esse problema, quem sabe, pela espectativa dele, você já deveria estar boa. Mas infelizmente as coisas não funcionam assim. Não pode haver pressão, mas sim colaboração.
    Eu sugiro que você procure um psicólogo que seja especializado em sexualidade para poder ajudá-la de fato.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá doutor, sou casada há 2 anos, tenho dificuldades na hora da relação, pois meu esposo não consegue fazer a penetração. Só depois de muita paciência e com o pênis já dentro da vagina que finalmente consigo. Minha doutora diz que sofro de vaginismo. O quê devo fazer? Há algum tipo de exercício antes de ter relações que eu possa fazer para amenizar este problema?

    Marilia, 22 Anos - Ver Resposta

    Olá Marília.
    Penso que essa situação é no mínimo desagradável, não é? Afinal, não poder desfrutar da sexualidade de modo gostoso e saudável, é muito ruim.
    É bom observar que possivelmente outros aspectos na sua vida também estão
    precisando de atenção, de modo que a sexualidade é que está denunciando que
    você, como um todo pode estar precisando de ajuda.
    É importante que você procure ajuda, e já é o que está fazendo me enviando
    essa mensagem. Porém sugiro que você procure um terapeuta sexual, para juntos, resolverem essas questões.
    É necessário mais detalhes para saber se é ou não vaginismo. Um terapeuta sexual poderá fazer isso.
    Quanto a exercícios que você pede, não adiantará, pois é necessário saber a origem dessa questão para tratar. Os exercícios serão importantes, mas no momento certo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Bem, meu nome é Aline e estou casada há 3 anos e 10 meses e sofro de vaginismo. Eu antes não sabia do que se tratava, só tive coragem de procurar um ginecologista com um ano de casada, eu tinha dúvida se eu era virgem ainda. Na minha lua de mel eu não esperava que ia ter este problema , sentir doer, mas não sei se chegou a penetrar totalmente, até porque a inesperiência minha e de meu esposo que também era virgem,nos fez ficar em dúvida, até porque não vi que sangrou. Quando eu a procurei ela não levou muito a sério o que eu estava relatando, ela me examinou e colocou um espectro médio, penetrou mas com muito sacríficio, sentir doer, mas ela disse que se eu fosse virgem o espectro não tinha entrado. Fiquei mais aliviada e esperançosa , ela me passou um gel que amenizava a dor e mandou eu tentar. Não foi tão simples como ela disse e por azar ela não ficou mais atendendo pelo meu plano e tive que procurar outra ginecologista, que quando me examinou disse que eu era virgem ainda e não ia colocar nenhum espectro em mim. Mandou eu procurar um piscológo, neste dia se eu não estivesse com meu esposo eu ia tentar alguma coisa contra a minha própria vida. Uma diz que eu não sou virgem, mas que tenho restos de imem, outra diz que sou completamente virgem. Até exames ginecológicos eu tenho dificuldade de realizar, fiz prevenção ano passado com um espectro de virgem e a doutora muito ignorante por sinal mandou eu procurar um piscológo também. (Têm pessoas que não entedem o que estou passando). Por último procurei pela internet algum terapeuta sexual e só estava localizando em locais longes , como Rio de Janeiro, São Paulo, aqui em Recife é como achar uma agulha num palheiro. Achei uma terapeuta, muito boa, que por sinal foi a única que encontrei, fui apenas há uma consulta, porque é caro e ela me passou um exercício com um pênis de silicone, mas a cada exercício que tento fazer eu começo a chorar, me sinto insignificante e impossibilitada de conseguir a penetração. Só consigo colocar uns 3 a 4 cm. A vontade de ser mãe têm aumentado a cada dia, me acho a mulher mais estranha da face da terra, até porque eu vejo casos de meninas com 14 anos que são até mães! E eu não consigo nem ao menos ter um ato de penetração! Meu problema é a penetração do pênis e a exames ginecológicos, que não consigo fazer. Eu estou lhe escrevendo porque gostei muito do que li em seu site e é bom escultar opiniões de outros profissionais da área. Gostaria de saber se o meu caso têm solução e se existem pessoas com o mesmo tempo de casada que esta passando pela mesma situação. Espero que eu possa ter o prazer de receber o seu email com alguma resposta ou explicação sobre o assunto. Gostaria que o meu nome ficasse em sigilo, tenho muita vergonha desse problema que estou passando.

    Aline, 27 Anos - Ver Resposta

    Olá Aline.
    Eu entendo seu sofrimento, sei como você deve se sentir mal não apenas por causa da dor, como também porque está insegura quanto acreditar que seja possível resolver seu problema, já que cada profissional que você consultou deixou você mais confusa.
    Quando você fala que “têm que as pessoas não entendem o que você está passando”, sei quão frustrante é para você. Infelizmente poucos profissionais sabem diagnosticar e tratar adequadamente casos como o seu, com isso, muitas pessoas sofrem.
    A orientação de que você precisa procurar um especialista, ou seja, um terapeuta sexual, está correta. Será necessário cuidar de você de modo que se compreenda quais aspectos psicológicos estão desencadeando essas dificuldade. Pois é certo que a impossibilidade de vivenciar sua sexualidade de modo saudável, mostra que você, como um todo, está precisando rever questões que estão te atrapalhando.
    Quanto ao exercício, de introduzir o pênis de silicone, que está lhe causando muito sofrimento, sugiro que pare, pois antes dessa etapa, existem várias outras atividades que precisam ser trabalhadas antes. Você ainda não está pronta para isso ainda. Tentar fazer isso agora, é o mesmo que passar uma pomada anestésica, como a ginecologista orientou. Além de fazer você sofrer mais, não resolve seu problema.
    Você perguntou se existem pessoas com problemas semelhantes ao seu. Sim, existem e há casos em as pessoas levam muito mais anos para procurar ajuda. No meu site, na sessão de perguntas e respostas, você tem a oportunidade de ler isso.
    É muito importante que você saiba que seu caso tem solução. Pois trato dessas questões e vejo os resultados. Você só precisa encontrar um profissional preparado para cuidar de você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi, minha primeira relação sexual foi com 21 anos, senti muita dor, mas foi completa. Cheguei a falar com minha ginecologista que disse para não me preocupar. Na segunda vez, não consegui relaxar e não houve penetração. Fiquei muito mal, e passei muito tempo sem querer sexo. Só tive uma relação completa, sem nenhuma dor, uma única vez, com um cara que mal conhecia. Depois disso tive 1 namorado, mas nunca nem tentei sexo com ele. Mas com meu último namorado, que me dava a maior segurança, deixei meu medo de lado, tentamos muitas vezes, mas não conseguíamos. É lógico, o namoro acabou. Daí fui falar com minha ginecologista, perguntei sobre o vaginismo, ela me disse que bastava usar um anestésico local. Tentei e não consegui. Não tenho nenhuma dificuldade no exame ginecológico. Por favor, me dê uma luz!

    Silvia, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Silvia.
    Eu fico muito decepcionado com tais comentários de alguns profissionais. Isso de passar um anestésico antes da relação, ouço com certa freqüência e fico triste, pois mostra como alguns profissionais não estão preparados para lidar com questões como essas.
    Ao pedir para usar um anestésico, o profissional simplesmente ignora todo histórico de vida da pessoa, bem como sua interação social e familiar, que, é onde encontraremos a resposta e solução para questões como essa.
    Assim é possível dizer que medicamentos, como um anestésico ou qualquer outro, não terão efeito sobre tais aspectos.
    Silvia, será necessário você buscar um terapeuta sexual, que é o especialista em sexualidade, para tratar essa sua queixa. Mas é bom lembrar que esse sintoma que você está apresentando, é uma manifestação que outros aspectos na sua vida estão precisando de atenção, que talvez você não esteja se dando conta disso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr, Meu nome é Renata e gostaria de compartilhar um problema. Eu estava com dificuldades na penetração e procurei uma ginecologista. Durante a consulta ela não conseguiu introduzir o aparelho em minha vagina. Ela simplismente disse que eu tinha o tal do "vaginismo", me prescreveu uma pomada anestésica e se despediu dando dois tapinhas na minhas costas e disse: "é muito simples, vai resolver logo". Não muito contente com a explicação fui pesquisar na internet e vi que é um quadro muito complexo e que preciso de um psicólogo ou terapeuta sexual, mas o meu problema é que moro no interior do Mato Grosso e a cidade que moro não tem nenhum profissional desses, e as distâncias são muito longas pra eu fazer terapia em outra cidade. Queria saber se posso confiar nesta pomada, ou se tenho que realmente fazer terapia. se for a segunda opção, tem algum profissional que possa me orientar por e-mail ou por telefone, poderia pagar por depósito bancário, será qua existe alguem que trabalhe assim? Estou perdida precisando de ajuda pra resolver este problema, e tenho pressa.... Agradeço pelo desabafo e aguardo uma luz!!!! Muito obrigada.

    Renata, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Renata.
    Eu fico muito triste ao saber que alguns “profissionais” agem dessa maneira. Isso mostra desconhecimento e despreparo para atender essa questão.
    Se o diagnóstico de vaginismo estiver certo, usar essa pomada anestésica não resolverá seu problema. Além disso, se anestesiou, onde estará se prazer. Esse método além de não ser eficiente, desconsidera o seu prazer. Ou seja, basta penetrar, não importando como, e pronto!
    Renata, você fala de uma outra questão importante, que onde você mora não tem profissional especializado para atender essa demanda. Isso é muito ruim. E realmente eu não conheço ninguém para indicar para você. E como a distância é grande, isso dificulta muito.
    Você não falou sua idade nem se tem algum relacionamento. Isso é importante.
    Normalmente essa dificuldade sexual além de gerar um desconforto muito grande na pessoa, também abala o relacionamento, podendo chegar até mesmo ao rompimento.
    Não tem como fazer esse tipo de tratamento por e-mail. O máximo que daria para fazer são algumas orientações. É necessário que o terapeuta sexual conheça você, saiba da sua história de vida.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Adorei o site, tenho 20 anos e estou com um problema, já tive dois namorados e com nenhum dois conseguir sentir prazer, com o 1º não tive relção sexual, mas com o 2º e atual, com o qual eu perdi minha virgindade, transo com ele, mas não tenho sinto prazer, dói muito, fui a ginecologista e ela disse que eu tenho "vaginismo" não sei muito bem o que é isso queria mais informações, quero ser uma garota normal que sinta prazer. Por favor preciso da sua ajuda.

    Anonimo, 20 Anos - Ver Resposta

    Pelo que você descreve, parece que não é um caso de vaginismo, pois se assim fosse você não conseguiria ser penetrada (dê uma lida sobre vaginismo nos artigos aqui do site). Pode ser um caso de dispareunia (leia também nos artigos do site). No entanto é necessário saber mais detalhes para um diagnóstico adequado.
    Seja o que for, é importante que você vá a dois profissionais: em outra ginecologista e ao terapeuta sexual. Se a ginecologista descartar a existência de questões orgânicas, então é preciso ver o aspecto psicológico, que é o que está por trás dessas duas possibilidades (vaginismo ou dispareunia), na qual o tratamento precisará ser de base psicológica.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá doutor! bom gostaria de saber se tem uma possibilidade de tratar o vaginismo sem precisar ir ao médico eu minha namorada estamos com esse problema, mas os pais dela nâo podem saber. E será que podemos ter relações sexuais antes de tratar do vaginismo? Um abraço.

    Ricardo, 23 Anos - Ver Resposta

    Olá Ricardo.
    Quando a mulher tem vaginismo, ela não consegue ser penetrada, por isso, não é possível ter relação antes de tratar essa questão.
    Mas esse diagnóstico é dado por especialistas, terapeuta sexual ou ginecologista. É importante que vocês procurem se informar com esses profissionais para o diagnóstico.
    Quanto ao tratamento, não existe tratamento médico, ou seja, não tem medicamentos nem cirurgia para essa questão. A forma de tratar o vaginismo é buscando os aspectos psicológicos envolvidos, e para isso é importante buscar um psicólogo especializado em sexualidade, ou seja, um terapeuta sexual.
    Para entender melhor esse tema, vá em saiba mais > vaginismo aqui no site.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Quem sofre de vaginismo, e não quer procurar um psicoterapeuta sexual, o que deve fazer?

    Ana, 24 Anos - Ver Resposta

    Oi Ana Paula.
    Se for esse o caso, a pessoa continuará sofrendo com esse problema, pois não há outra maneira de tratar se não pelas vias psicológicas.
    Exceto alguns raríssimos casos que tem origem orgânica, e que nesse caso é o ginecologista que avaliará. Porém essa é uma questão fundamentalmente psicológica, e á assim que precisará ser tratada.
    Mas por que não querer fazer a terapia sexual?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • A minha primeira relção sexual doeu muito e sangrou tambem, chegou ao ponto que eu pedi para o meu namorado parar mas ele nao o fez. Desse dia em diante todas as minhas relações sexuais são sempre muito doloridas e sexo para mim hoje tem sinonimo de muita dor. Gostaria de saber se isso pode ser vaginismo e o que posso fazer para mudar esse quadro?

    Erika, 28 Anos - Ver Resposta

    Olá Erika. Que desagradável essa situação, não é?
    Mas esse não é um caso de vaginismo. Pois se fosse, você não conseguiria ser
    penetrada.
    Será necessário investigar, mas provavelmente seja um caso de dispareunia, ou seja, dor todas as vezes que ocorre a penetração.
    É importante saber se existe alguma causa orgânica envolvida, para isso vá ao ginecologista. Caso não haja, é uma questão psicológica, e nesse caso que você procure um terapeuta sexual, que está habilitado para atender essa questão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sara Simas, 18 anos - Lisboa - Portugal Olá...eu namoro com o meu namorado há uns meses e temos vindo a tentar estabelecer uma relação sexual mas parece-me que a penetração é dificil, parece-me mesmo que não há possibilidade de passagem. Gostaria de saber se o vaginismo é um problema com solução e, caso exista gostaria de saber qual é. Gostava também de perguntar se é normal que sangremos mais do que uma vez durante a tentativa de penetração, se é uma situação grave e se tem solução também. Muito Obrigado pelo esclarecimento de dúvidas. Com os melhores cumprimentos aguardo resposta.

    Sara Simas, 18 Anos - Ver Resposta

    Olá Sara como vai?
    Todas essas questões têm tratamento, inclusive o vaginismo.
    Porém é necessário você procurar um ginecologista para ser ver se existe alguma questão orgânica, e depois um psicoterapeuta sexual para fazer um diagnóstico e assim saber o que está acontecendo, e então poder ajudá-la.
    Na maioria das vezes Sara, essas dificuldades sexuais são desencadeadas por
    questões emocionais que estão envolvidas. E muitos casos as pessoas se
    perguntam: Mas se eu quero tanto uma coisa, por que não consigo? É então que
    surge a necessidade de investigar o que está acontecendo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • dr por favor me oriente. tenho vaginismo, ja fiz terapia vaginal, mas nao adiantou. esses dias fui ao ginecologista e ele me falou que tenho que fazer uma cirurgia para o aumento da minha vagina. isso existe? mas ele nao quiz me dar o endereço pra eu fazer essa cirurgia. por favor me ajude

    Lili, 27 Anos - Ver Resposta

    Olá Lili.
    Eu desconheço essa terapia vaginal e o conselho de medicina desaprova a cirurgia para resolver o vaginismo, desde a década de 70.
    O que nós especialistas em sexualidade conhecemos é uma psicoterapia focada na sexualidade para resolver o vaginismo.
    Sei como sofrem as mulheres que me procuram para resolver essa questão. Muitas falam de técnicas difundidas na internet, de exercícios... mas a questão é outra. A questão do vaginismo está na cabeça. Isso é que precisa ser descoberto, para depois pensamos em exercícios, específicos para cada caso.
    Você já procurou um psicólogo especializado em sexualidade?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Não sei bem por onde começar. Porem escrevo sem minha noiva saber. Foi "descoberto" que minha noiva se encontra com vaginismo. Ela tem procurado ajuda porem a ajuda encontrada parece que não tem dado importancia a um problema que a tem deixado em um estado depressivo e doente. Uma pessoa que antes era somente risos hoje somente escorrem largrimas e tristesa de seus olhos. Estou tomando a frente para escrever pois a vejo extremamente sem motivação para vida é até buscar tratamento para o seu problema. Vocês fazem esse tipo de tratamento, sabem dizer ou indicar algum instituto ou médico que possa nos ajudar. Outro problema que apareceu com o surgimento do vaginismo é a falta de libido, que antes ela não havia problema algum em relação a isso. Por favor nos ajude... pois isso não tem afetado somente a ela e sim também a mim que a vejo triste e "doente" e nao sei bem o que fazer. Muito obrigado Rodolpho

    Rodolpho, 29 Anos - Ver Resposta

    Olá Rodolpho.
    Mesmo fazendo isso sem o consentimento dela, eu o parabenizo por procurar ajuda.
    As mulheres que apresentam esse problema, de fato, se sentem muito mal, tristes por acharem que são anormais e que nunca resolverão esse problema.
    Mas saiba que tem solução sim. Já atendi muitas mulheres com esse quadro e ainda atendo. É possível resolver essa questão, e ela verá que é possível ter uma sexualidade plena e uma vida mais equilibrada. Mas para isso, é preciso que ela procure um psicólogo especializado em sexualidade. Esse profissional estudou e tem condições de ajudar.
    Converse com ela. E mais uma vez, parabéns.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Claudecy, Tenho 32 anos, sou casada há um ano e estou passando por um momento muito difícil na minha vida, estou fazendo tratamento psicologico para tratar o vaginismo e por enquaNTO não estou tendo nenhum resultado o meu marido quer me deixar e estou ficando desesperada o que posso fazer para acelerar o meu tratamento e obter resultados mais rápidos. Atenciosamente, Fabi

    Fabi, 32 Anos - Ver Resposta

    Olá Fabi.
    É delicada essa situação...
    Eu entendo o seu medo de perder seu parceiro. Apesar de eu não saber da história de vocês, proponho uma reflexão: se no momento em que você está precisando da ajuda dele, ele quer ir embora, valeria a pena investir nessa relação? Ele tem todo direito de não querer. Sei que tem seus sentimentos envolvidos, mas trabalhe essa questão na sua terapia.
    A outra questão, quanto a acelerar o tratamento, não é simples assim. Existem dois fatores que contribuem com o andamento do processo psicoterapêutico: a paciente e o psicólogo. Quanto ao segundo, é preciso conhecimento, se especializar no tema para conduzir o caso de modo que os resultados sejam satisfatórios. A primeira parte, no caso você, também é fundamental. É comum encontrarmos pacientes que chegam até os especialistas chorando, dizendo que querem muito resolver o problema, mas, quando começamos a desvendar a estrutura que está por trás do sintoma mantendo-o, a coisa pode mudar. É então que vemos alguns casos em que a pessoa não se comporta de modo condizente com a fala de querer resolver o problema. Em outras palavras, ocorre uma auto sabotagem. Não se dedicam como precisariam, não fazem o que pedimos... E em casos assim, o profissional deve alertar a pessoa do que está acontecendo. Isso ocorre porque em alguns casos o "ganho" de manter o problema é maior que o "ganho" de resolvê-lo. Pode parecer estranho e confuso, mas esse é um mecanismo muito comum a todos nós, nas mais variadas questões.
    Por fim, afirmo que essa pressão que seu marido está fazendo, deixa você mais aflita, angustiada e ansiosa, e todos esses sentimentos contribuem de modo muito negativo no seu processo para resolver essa questão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, Dr. Claudecy Meu nome é Rachel, tenho 28 anos, sou casada há 7 anos e descobri que tenho vaginismo há alguns anos (nunca tive penetração durante uma relação sexual). Mesmo sem tratamento psicoterápico, tentei sanar minha disfunção sozinha, apenas com ajuda de leituras de livros e de fontes da internet sobre o assunto. Obtive sim algum sucesso, consegui a penetração total de um plug anal (cerca de 3,5cm de circunferência), fazendo exercícios de dessensibilização quase todos os dias num período de apenas 1 mês. No entanto, isso foi há praticamente 1 ano e nesse período parei totalmente com os exercícios (se perguntar por que, sinceramente, não vou saber responder). Estou pretendendo voltar, mas ultimamente uma questão tem mexido muito comigo: gravidez. Mas não porque quero engravidar, mas porque tenho pânico só de pensar, não quero engravidar nem agora e, digo com 99,99% de certeza, nem nunca. Filhos simplesmente não estão entre minhas escolhas pessoais nem nas do meu marido, estão totalmente fora de cogitação. Acredito que esse meu medo de engravidar esteja diretamente relacionado com o vaginismo, pois ao manter relações sexuais corro o risco de engravidar, mesmo que esse risco seja mínimo, pois tomo pílula. Tenho receio de conseguir obter sucesso na dessensibilização e chegar na hora de me relacionar sexualmente com meu marido, não conseguir justamente pelo medo da gravidez. O senhor acha que uma laqueadura no meu caso é justificável? Simplesmente não quero filhos, Dr Claudey, e venho sofrendo mto com essa questão, pois mtos "amigos" e a família do meu marido nos cobram de uma maneira inconveniente, pra falar a verdade já estou farta dessa situação e se eu for cobrada mais uma vez (são algumas pessoas que SEMPRE me perturbam, mais a mim, como se eu fosse a responsável) vou acabar jogando na cara a verdade e parar de ficar enrolando com respostas evasivas. Muito obrigada por disponibilizar esse espaço. Att Rachel

    Rachel, 28 Anos - Ver Resposta

    Olá Rachel.
    Eu entendo que essa é uma situação delicada e ao mesmo tempo perturbadora, ainda mais com as perguntas sobre filhos que as pessoas fazem.
    Se por um lado a internet ajuda muito, pois possibilita a veiculação de muitas informações importantes, por outro, pode atrapalhar por ser um espaço livre onde cada um escreve o que quer. Isso pode ser muito perigoso, pois no caso do vaginismo, recebo muitas questões de pessoas que leram na internet sobre isso e aquilo para resolver o problema do vaginismo. Muitas têm fundamento, mas a maioria foca nos exercícios para a dilatação. Os exercícios são parte do tratamento, mas existe uma complexidade a ser considerada nos exercícios, devido as variáveis de cada um, que só um profissional para analisar o caso e então orientar.
    O foco principal deve estar na origem do problema ou o que está fazendo a manutenção dele. Negligenciar a origem do problema, seria é apenas maquiar a situação. Não vai resolver. O tratamento dever ser conduzido a parte desse ponto. Os exercícios entrarão lá pra frente.
    No seu caso, perceba que o fato de engravidar parece ser um fator que a deixa mal. Apesar de não conhecê-la, penso que esse é um ponto a ser investigado numa psicoterapia.
    Com frequência recebo casos de mulheres que querem muito engravidar, por não conseguir a penetração, optam em fazer a inseminação artificial. Do pondo de vista psicológico, isso é um crime! Tais mulheres não estão preparadas para serem mães, esses filhos sofrerão por causa desse despreparo, por causa das pendências psicológicas das mães. Resolver essas pendências, ficar o mais próximo do equilíbrio, é a melhor escolha. Encare o vaginismo como um sintoma que está denunciando que algo não está bem. Negligenciar tais sinais é uma forma de manter o problema, e cada um sabe onde mais aperta, onde mais dói, os medos... Algumas mulheres optam por manter o sintoma/problema, pois para essas, enfrentar o que precisa para resolver o problema, pode parecer tão maior que o próprio vaginismo, que muitas preferem fugir, deixar como está. É triste, mas o problema vai continuar.
    O mesmo se aplica a sua ideia de fazer laqueadura. “Seria um crime!”.
    Você já pensou na possibilidade de deixar que um psicólogo especialista em sexualidade trate de você?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde... Adorei seu video sobre vaginismo..... realmente é certinho como vc falou... infelizmente estou entre as mulheres q sofrem com este problema, já perdi a conta de qtos ginicologistas, terapeuta sexual enfim vários profissionais e até agora não consegui resolver este tormento. Vc poderia ter um consultorio aqui em Blumenau hehehe eu seria sua primeira paciente :D Mas doutor oq eu posso fazer p me curar disso?? Grata por sua atenção!!

    Jo, 26 Anos - Ver Resposta

    Olá Jô.
    Num primeiro momento eu diria: procure outro terapeuta sexual. O profissional para esse caso é o terapeuta sexual. Mas em muitos casos essa dificuldade em resolver o problema pode estar relacionada a própria paciente, que não faz o que proposto. É comum encontrarmos pacientes que apesar do sofrimento causado por esse problema, preferem mantê-los, pois existem "ganhos" com esse problema. É papel do psicólogo especializado em sexualidade entender quais são esses ganhos e ajudar a pessoa a ver e a mudar essa forma de se relacionar com o meio em que vive. É nessa fase que muitas desistem, pois têm dificuldades de ultrapassar essa barreira.
    Do ponto de vida da saúde, desistir definitivamente não é a melhor saída, mas cada uma sabe do seu limite.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa Noite Claudecy, Tenho 30 anos e descobri que tenho vaginismo há +/- 5 anos. Fiz Psicoterapia durante 2 anos, mas não me curei. Namorei pouco mais de 5 anos e nunca consegui ter uma relação sexual completa. Hoje estou solteira e tenho muito receio de iniciar um relacionamento por conta desse problema. O que eu faço? Obrigada, Luciana.

    Luciana, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Luciana.
    Imagino o quanto esse problema deve deixar você chateada e perdida.
    Se o diagnóstico estiver correto, é preciso se tratar com uma psicoterapia focada na sexualidade, e que cuida dessa área é um psicólogo que seja especialista em sexualidade.
    Esse profissional está preparado para entender o que está por trás desse problema e orientá-la sobre o que fazer.
    É bom lembrar que esse processo depende das duas partes, do profissional que conduzirá o caso e você. É precisa que tenha confiança no profissional e que siga as orientações dele.
    Mas saiba que tem solução seu caso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá , doutor . Minha situação parece com a de muitas descritas . nme sei mais o qquefazer. Depois de procurar um ginecologista , ele prescreveu KY gel , depois de muitas tentativas , ele me avaliou e disse que o hímem ers um tanto espessoe talvez difucultasse .Tenho lubrificação natural, eé muito estranho ,pois num consigo ir adiante Me submeti a pequena cirurgia de retiradado hímem e mesmo assim num consegui. Estou casada há 1 ano e meio e dois de namoro. pessoa que está comigo é muito compreensiva senão nao estaria mais . este assunto já me trouxe tanta angustia e tristezaque nem consigo chorarmais .e pior ele tem um sonho de ter filho , tenho medo que mesmo sem penetração engravide sem que tenha conseguido ir ate o final.Peço encarecidamente que me ilumine.

    Dany, 35 Anos - Ver Resposta

    Oi Dany.
    Eu entendo o seu sofrimento. Por atender muitos casos de vaginismos, sei como é horrível conviver com esse problema.
    Pela falta de conhecimentos de alguns profissionais como ginecologistas e psicólogos, e até mesmo pela escassez de profissionais que atendem essa demanda, muitas mulheres sofrem muito. Muitas vezes sofrem com erros de profissionais que não estão capacitados para atender assunto.
    Infelizmente o seu relato parece ser mais um absurdo. Não sei do histórico, mas é intolerável a ideia de fazer uma cirurgia para retirar o hímen como forma de solução do vaginismo. Não existe nenhuma literatura ou pesquisa série que comprove a eficácia desse método. Basta olhar para você como exemplo. Procedimentos assim precisam ser denunciados ao conselho de Medicina.
    Quando é feito o correto diagnóstico de vaginismo, o tratamento é psicológico, pois o problema não é orgânico, mas sim psicológico.
    É com muita frequência para mulheres com esse problema, que o desejo de ser mãe, ao bater a porta, deixam vocês desesperadas. Mas calma! Eu prefiro ver que esse problema do vaginismo é um sintoma que demonstra que algo não está bem. Observo que enquanto os motivos que causaram o vaginismo não forem resolvidos, essa mulher e provavelmente o marido, não estão preparados para cuidar de uma criança. São fatores psicológicos que necessitam de atenção.
    Pela minha experiência no atendimento desse assunto, vejo que uma gravidez após ter resolvido esse problema, que normalmente ocorre, a mulher se sente muito melhor preparada para ter um filho.
    Pense com carinho na possibilidade de procurar um psicólogo especializado em sexualidade para tratar essa questão. Você verá como sua vida vai mudar para melhor.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada a 5 anos tenho um filho de 6 meses apesar disso não consigo ter penetração fui a 3 ginecologistas que falaram que era psicológico mais eu não entendia. Um desses médicos não conseguiu fazer nem o exame de toque procurando uma solução ele disse para mim operar eu fiz o rompimento do himen mais não adiantou. Meu parto foi cesaria senti muita dor para fazer a intravaginal que foi 2 vezes mais não foi por completa o neném ia nascer dia 10/04 mais adiantou para 28/03 tive contração 15 dias mais falei do meu problema ao medico e ele disse que tinha que ser cesaria ele nem fez o exame de toque pois ele falou que não tinha jeito de ser normal. Agora o meu casamento esta por um fio hoje vendo um vídeo seu descobri o vaginismo que não sabia que existia ,não sabia que tinha outras mulheres como eu preciso de ajuda aqui não tem especialista no caso por favor me ajude não sei mais o que fazer agora tenho um filho preciso salvar o meu casamento não aguento mais de angustia e tristeza estou ate estressada por causa disso me ajude. Tive 2 frustrações a operação que não resolveu e a cesaria pois tínhamos expectativas de ser normal para resolver o problema mais não foi possível tinha sido a ultima tentativa mais agora que descobri essa doença vou tentar mais uma vez me ajude por favor. O meu marido é super estressado dizem que é por causa disso mais não tenho certeza pois o casamento dos pais dele de 31 anos acabou por causa do temperamento do pai dele na casa dele o pai dele e os 2 irmãos homens são estressados mais mesmo assim vou tentar.

    Lillian Kelly, 24 Anos - Ver Resposta

    Olá Lillian.
    Parabéns pela sua perseverança em resolver esse problema.
    O seu relato é muito triste, mas infelizmente está longe de ser o único. Muitas mulheres sofrem com esse problema, mas, em função de escassez de profissionais com conhecimento para lidar com esse problema, vocês sofrem muito.
    Pelo que você descreve, parece ser um caso de vaginismo sim. Para uma certeza seria necessário uma avaliação com um especialista de psicólogo especializado em sexualidade. Caso se trate mesmo de um diagnóstico de vaginismo, é lamentável o que esse médico fez: tentar resolver esse problema via cirurgia. Isso foi um ato criminoso! A prática de resolver esse problema via cirurgia era praticada nas décadas de 70 e 80, como não solucionada o problema, foi abolida pelo conselho de medicina. Ver que ainda se pratica tal método, é muito triste.
    O hímen não tem nada a ver com o problema do vaginismo. O vaginismo é caracterizado pela contração involuntária da musculatura vaginal. É essa contração que impede a penetração. Porém, o que faz essa contração acontecer é psicológico. Esse é o grande problema, as pessoas têm dificuldades de compreender como isso acontece. Existem diversas pessoas colocam materiais na internet sugerindo a solução desse problema com exercícios de introdução de dilatadores vaginais. Isso é pouco eficiente, pois o problema não está na vagina, mas sim na cabeça da pessoa, são questões psicológicas que precisam ser arrumadas. É comum as mulheres relatarem “que parece que tem uma parece que impede a penetração”. A questão que essa “parede”, que são bloqueios, não é na vagina, mas sim na cabeça da pessoa. É por isso que se faz necessário um tratamento com um psicólogo especializado em sexualidade para resolver esse problema, que vai propor alguns exercícios, mas o principal é tratar esses bloqueios psicológicos.
    Você deu uma pista no final da sua mensagem, ao falar que seu marido é estressado. Não tenho como falar se é a causa, mas acredito que pode influenciar. Outros fatores que normalmente costumam contribuir para essa dificuldade, são valores que a mulher aprende na família, a relação com os pais, não mulheres que em boa parte das vezes são muito controladoras, portanto inseguras, conceitos equivocados de certo e errado, do que pode ou não...
    Lillian, o ideal é que você vá a um psicólogo especializado para cuidar do seu caso, assim você terá melhor condição de compreender de forma mais ampla o que está acontecendo com você e assim resolver esse problema.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde doutor, já pratiquei muitas vezes Urofilia, mas tenho um receio muito grande que é o de urinar dentro da vagina da minha companheira. Pode trazer alguma conseqüencia? Um forte abraço!!!!

    Fabio, 23 Anos - Ver Resposta

    Olá Fábio. Pensando apenas na sua pergunta, o problema dessa prática está em que se a pessoa estiver com alguma infecção ou algo nessa linha, pode sim causar problemas.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Prezados Dr. Claudecy, Entendo que não há um histório entre eu e o senhor, mas tentarei explicar da melhor maneira. Tenho 50 anos, muito bem de saúde, faço esporte, formação acadêmica em Adm de Empresas, muito viajado, morei fora do país, divorciado, uma filha de 21 anos, tenho uma empresa, trabalho bastante, tenho namorada, e uma vida sexual muito ativa, tive minha primeira realçaõ aos 15 anos de idade, sempre hétero, e é o que gosto (mulheres), não sou do tipo promíscuo. Gosto de relações densas e somente com uma mulher. Bem, o fato é que minha namorada, quase minha mulher, minha esposa (nos amamos profundamente...), e que tem 37 anos, extremamente saudável, jovial, mente aberta, me disse que queria muito ter uma relação anal comigo, ou seja, ela queria introduzir seu dedo no meu anus, e é claro, com carinho, paciência, etc.. O fato é que ela tem prazer assim, e eu nunca tinha tentado nada igual. Bem, já li a respito disso, e me consiero tb um homem esclarecido pra essas coisas, e senti prazer do jeito que ela soube me tocar. Tive ereções como nunca tinha tido... Primeiro, temos um "timing" excelente na cama, nos amamos mesmo, temos relações praticamente diariamente, e nos concentramos em dar e receber prazer. Mas só entre nós mesmo. Não curtimos swing e menage. Contei isso tudo a vcs pra continuar o questionamento que vem agora. Eu sinto tesão em ver minha mulher urinando... fazendo xixi, seja no vaso, ou durante um banho. Isso me faz ter vontade de a possuir ali mesmo, e ela adora que eu a veja assim tb. Também tive uma namorada que se excitava tanto, mas tanto, que ao gozar chegava a "ejacular" fartamente, e eu gostava demais de sentir tudo aquilo. Vou mais além, ambos ficamos muito excitados se urinamos na perna um do outro, com toda nossa intimidade e cumplicidade. Notem, não se trata de ambos ficarmos SOMENTE excitados quando fazemos isso, não bebemos a urina um do outro como já li a respeito, e nos excitamos de outras diversas maneiras, sendo esta apenas uma pequena prática dentro de nosso universo de homem/mulher. As perguntas são: poderíamos ter algum desvio, ou um desvio seria caracterizado por SOMENTE se excitar através desse método?.. essa prática é mais comum do que imaginamos?.. O que vcs poderiam me relatar para que eu saiba um pouco mais sobre o assunto? Essa curiosidade veio beirando os 50 anos...rs.. Não sou do tipo que dá muita atenção ao que os outros dizem, mas a título de uma luz gostaria de uma palavra de um profissional. Sempre fui curioso sobre tudo e o que quero deixar claro é que nos damos muito bem, e só quero continuar a dar e receber muito prazer com minha amada parceira. Agradeço antecipadamente a resposta e aproveito para parabenizá-lo pelo serviço prestado. Um excelente 2008!

    Marco, 50 Anos - Ver Resposta

    Olá Marco. Muito obrigado por visitar meu site e parabéns por buscar informações. Feliz 2008 para você também.
    Existem inúmeras maneiras para sentir o prazer sexual. Cada pessoa tem uma história, e nessa, cada um aprendeu e desenvolveu os próprios meios para a obtenção do prazer. Falar de certo e errado nesse assunto é muito delicado. Na verdade, uma coisa que atrapalha no assunto sexo, é a maneira como somos educados, ou seja, aquilo que foi ensinado com base em regras carregado de falso moralismo e idéias infundadas.
    Quando você falou da prática anal, não há nada de errado nisso, para quem gosta, é mais uma maneira de obtenção de prazer, e isso, não necessariamente está relacionado a homossexualidade, já que a região anal do homem e da mulher são dotados das mesmas condições para sensibilidade.
    O prazer quase que indescritível relacionado a urina que vocês sentem, com base no seu relato, parece ser também mais uma maneira de sentir prazer. Outro dado importante é que essa prática não é a única via para o prazer sexual. Do modo como é feito, com ambos desejando, e é feito em comum acordo, respeitando as regras do outro e, como não há a ingestão da urina isso evita possíveis problemas de saúde, tudo indica não haver problemas nessas práticas.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Ingestao de urina faz mal a saude,acha que e uma fantasia normal.

    Orlando, 38 Anos - Ver Resposta

    Orlando. Como vai?
    A urina é um líquido que o organismo não aproveitou. Nele pode ter muitos resíduos que o corpo após uma filtragem dispensa. Pode ser que nela contenha algumas substâncias que podem gerar alguns problemas, como uma infecção por exemplo.
    É por esse motivo que ingerir a urina pode trazer consequências ruins a saúde.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • A urofilia é um transtorno? O que desencadeia isso? Meu namorado propôs que praticássemos porém fiquei me sentindo péssima, achei uma agressão, gostaria de explicações.

    Patricia, 25 Anos - Ver Resposta

    Oi Patrícia. A urofilia passa a ser um problema como se configura como principal forma de obtenção de prazer e quando a outra pessoa, você nesse caso, não se sente bem com essa prática.
    Como você se sentiu agredida com essa proposta, cabe muito diálogo aberto entre vocês sobre essa questão, e verificar se seu marido se sentirá bem se não praticar a urofilia. Caso isso não ocorra, será muito importante que ele procure ajuda de um terapeuta sexual.
    Não usamos o termo transtorno para a urofilia. Quando ela é aa única ou principal forma de obtenção do prazer sexula, dizemos que é um desvio (parafilia).
    Diversos fatores podem desencadesar a urofilia, em muitos casos a pessoa ao longo de sua vida relacionaou o prazer sexual com a urina em algum período da sua vida.
    Casa pessoa que pratica tem o seu fator que contribuiu para desenvolver o prazer sexual pela urina.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. como vai? Bem, eu não vou tão bem por estar com uma séria dúvida durante muito tempo e sei que ela não é muito comum. Já vi e ouvi falar de urofilia e gostei muito da idéia de praticar com alguma mulher, de forma passiva(recebendo a urina). Li depoimentos e dizem que o prazer é muito grande e o risco é quase nenhum. Gostaria então de saber por um especialista se isso pode causar danos a saúde. Até hoje não tive coragem de expôr isso para alguma companheira e penso então partir para uma GP como iniciativa. Tenho um desejo muito grande por essa modalidade, estou pensando seriamente em executar, só não fiz porque minhas dúvidas são maiores.

    Rodrigo, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Rodrigo, como vai?
    Essa prática, de fato traz pouco risco para sua saúde, desde que a urina, só toque na pele sem lesão.
    Ou seja evite o contado da urina com algum ferimento ou boca.
    Porém, é importante observar se essa é a única forma de se excitar, de sentir prazer. Caso seja, procure ajuda.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor, entrei no site pela primeira vez e quero relatar a minha história. Sou casada a 15 anos, tenho uma vida sexual excelente, meu esposo é maravilhoso e me satisfaz muito e também satisfaço ele pois nossa relação sexual é sem limites, sou muito ciumenta e ele diz que não sente ciúmes de mim, a cerca de 1 ano ele comecou a falar sobre irmos a uma casa de swing para conhecer somente e ver se íamos gostar, pois ele tem fantasia de transar com outra mulher e me ver transando com outro homem, então de tanto falarmos sobre o assunto eu topei ir, chegando lá eu gostei, pois fico a vontade ao lado ele, depois ficamos com um casal e foi somente um pouco e não foi uma relação sexual completa com preliminares e etc...somente penetração e o final. Tenho também fantasia de transar com outro homem e também de ver meu esposo transando com outra mulher. Vamos sair com um casal para swingar e coloquei para eles o que eu não gostaria de fazer, acho que é assim, o que o Sr. acha?..o meu esposo desde o início sempre falou que sexo não tem nada a ver com amor, que ele tem estas fantasias e não queria realizar sozinho e sim que eu estivesse junto, pois amor ele sente por mim e quando estamos juntos na hora do sexo ele sente amor, tesão por mim e por isto é mais intenso e gostoso. Será que realmente não devo me preocupar mesmo? é possivel que ele venha a se envolver emocionalmente com esta mulher, mesmo dizendo que me ama e que entre nós não é só sexo e nosso relacionamento ser prazeroso para ambos?

    Priscila, 41 Anos - Ver Resposta

    Olá Priscila.
    Muito obrigado por visitar meu site. E que bom você se sentir à vontade para relatar seu caso.
    É muito mais comum do que se imagina essa vontade que alguns homens têm de verem sua parceira transando com outro homem ou participando de um swing. Porém, é importante destacar que muitas mulheres também têm essas vontades de transarem com outros homens, juntos ou separados, bem como, de ver o marido com outra mulher. A questão é que por não “pegar bem”, por causa do preconceito, não falam ou não admitem essa vontade. Basta ir a uma casa de swing para ver isso.
    Eu penso que o que se deve discutir nessas situações, é o intuito dessa prática; é o que essas pessoas estão buscando.
    Na minha prática clínica, eu ouço diversas falas de pessoas que frequentam ou querem frequentar. A fala mais comum é a da realização de fantasias. Inicialmente, a maioria vai para conhecer, realizar uma simples aventura e nada mais. Há os que usam para apimentar a relação, os que querem sair da rotina com o consentimento da outra pessoa. Porém, em alguns casos, essa prática serve para mascarar alguns conflitos da relação. Mas isso apenas prolongará o problema.
    Na sua pergunta, percebi que existe uma preocupação quanto à insegurança de que seu marido possa se envolver com outra pessoa. Bom, não é preciso “swingar” para ele ou você se envolverem com alguém. Podemos nos envolver com alguém em qualquer lugar, no trabalho, escola, shopping...
    O seu marido falou que ele separa bem amor de sexo. Ele está certo. Amor e sexo são coisas diferentes, mas que podem acorrer juntos. Para algumas mulheres é difícil compreender ou mesmo aceitar que são coisas diferentes e que pode ser feito sexo com prazer, mesmo não amando a pessoa.
    Cada casal que tem a intenção de praticar essa forma de sexo precisa fazer uma reflexão quanto ao que estão buscando. Devem também analisar como está a saúde da relação, para depois de aventurarem ou não.
    Também percebo que você tem uma forte vontade de realizar sua fantasia, apesar da insegurança. Mas vocês já tiveram uma amostra, e parece que você gostou. Porém, para finalizar, você terá que aprender a lidar com essa insegurança, caso queira levar isso adiante.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Claudecy! Estou namorando um homem da minha idade há 4 meses.Estou atravessando um conflito, pois ele gosta de frequentar lugares ,tipo boates com salas pra casais em que ele quer me ver transando com outro homem...nesses 4 meses é a 2ª vez que vamos a esses lugares e sempre rola uma briga antes,pois não é minha vontade, mas acabo cedendo...Por mim preferia algo entre nós dois.Acabo fazendo pq ele gosta,porém não vai de acordo com minha vontade.Percebo agora que essa situaçao nao vai mudar,pq invariavelmente ele vai querer ...O que fazer?Gosto muito dele.

    Deyse, 47 Anos - Ver Resposta

    Olá Deyse.
    Essa é uma situação muito comum e se torna delicado por envolver um sentimento pelo outro.
    Ter um relacionamento onde você tem que se violentar para satisfazer os desejos do seu parceiro - que nesse caso parece ser muito egoísta - na qual ele não se importa com seus sentimentos, seus valores, acredito que seria muito importante você rever seu papel nessa relação, já que você diz que ele não vai mudar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi doutor, eu e meu marido frequentamos clubes de swing, desde que ficamos juntos, há mais ou menos 1 ano. Na verdade eu participo, porque nossa relação fica bem mais apimentada, mas ainda existem problemas, apesar de meu marido sempre tentar me dar o máximo de prazer. É a tal da entrega, eu acho. Eu fico um pouco tensa e não me libero totalmente, durante o swing. E meu marido também contribui pra isso, ele, de vez em quando tem crises de ciúme e daí fica controlando, digo, me controlando, eu me sinto controlada por ele e não faço o que gostaria de fazer. Teve vezes que ele resolveu interromper tudo e sair. E em nossas relações mais íntimas, tenho dificuldade em obter orgasmo. Preciso descobrir como me entregar totalmente... eu não estou conseguindo fazer isso, apesar de adorar fazer amor com ele. Aguardo sua dica, obrigada.

    Anna, 48 Anos - Ver Resposta

    Olá Anna.
    Tenho a impressão que a sintonia de vocês não é a mesma para esse assunto. Apesar dele querer te proporcionar prazer a você, ele a reprime, o que de fato dá uma mensagem dupla, você não sabe se deve ou não se entregar totalmente àquele momento. E claro, isso frustra os dois.
    Pelo seu e-mail, tive a sensação de que a relação de você está passando por uma crise, e vocês estão usando o swing para ajudar a administrar ("mascarar") essa crise. Nesse caso, pode ser que esse método não traga o resultado que você queira para a relação de vocês.
    Perceba que você assume que tem dificuldades para ter orgasmo na relação de vocês.
    Acho que seria muito importante vocês reverem a configuração da relação.
    Pode ser que vocês precisem da ajuda de um profissional para ajudá-los.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Prezado Claudecy, Tenho uma namorada (namoro de 1 ano e 2 meses) e ela tem a fantasia de participar de um swing. Eu adorei a idéia, pois confesso que eu também gostaria de participar de algo assim. Pergunto: o Sr. acha que um casal que pratica swing está, de alguma forma, sendo infiel ou não existe amor? Será que podemos ser considerados normais? Esclareço que, em nosso dia a dia, nós sentimos ciúmes um do outro (nada de ciume doentio). Mas se um de nós sai com outra pessoa, já motivo de abalo na relação. Será que estamos prontos para um swing?

    Marcos, 38 Anos - Ver Resposta

    Olá Marcos, sinceramente não sei se vocês estão prontos para essa aventura, afinal não conheço a relação de vocês.
    O assunto infidelidade ou traição são muito polêmicos e depende do que cada pessoa acredita ser o correto ou não. Para algumas pessoas, apenas pensar ou mesmo fantasiar com outra pessoa já uma traição, porém, para outros, fazer sexo com mais pessoas ou participar swing é muito excitante e não é encarado como uma traição, muito pelo contrário é feito de comum acordo e ambos desfrutam do prazer.
    Cada pessoa, cada casal é que precisa avaliar se terão condições de praticar essa forma de sexo, bem como, tentar entender o porquê de praticar, pois muitos casais buscam essa aventura porque estão em crise e o swing, sexo a três ou com casal podem ser usados como uma maneira de mascarar esse problema.
    Outra questão polêmica é: quem ama trai? Sim, pode trair, depende das contingências. Amor e sexo são duas coisas diferentes que não necessariamente uma seja condição para a existência da outra.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Depois de alguns anos no swing, fizemos apenas 3 vezes, mas ficamos com isso sempre na cabeça, agora, minha esposa diz querer se separar, acredito que ela perdeu o encanto que sentinha por mim causado pela exposição de nossas intimidades a qual acredito que deveria ter sido preservada, enfim, penso que ela está muito confusa e ainda me ama, mas sinto que seu amor e sua cabeça estão muito conturbadas. Temos 15 anos de casados e um garoto de 8 anos. Por favor me ajude, eu a amo.

    Paulo, 37 Anos - Ver Resposta

    Paulo, você falou coisas, que para alguns casais, são muito reis e importantes, como, abrir a intimidade do casal para outras pessoas.
    De fato, a prática do swing não é uma brincadeira para qualquer casal. Isso pode abalar muito a relação.
    Agora, penso que é importante entender o que está ruim para ela na relação. Se existe comportamentos seus que contribuíram e ainda contribuem para ela desejar se separar.
    Dificilmente, só a troca de casal, de "comum acordo", é motivo para o término. É preciso avaliar em quais condições vocês fizeram isso, se era a fantasia dos dois ou só de um, ou mesmo, quais motivos levaram vocês a desejarem praticar o swing. Em muitos casos, encontramos uma relação que não está bem, e essa pratica é usada para "maquiar" o que não está bem.
    Ela deve estar muito confusa e tem motivos para isso. É importante que vocês conversem muito sobre a relação, e estejam abertos para ouvir o que para a outra pessoa, não agrada o outro e, se possível, procurar meios para mudar.
    Essa não é uma tarefa fácil, mas se precisarem procurem a ajuda de um psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa noite doutor... Sou casada há 12 anos, tenho 02 filhos e amo muito viver a vida. De uns tempo pra cá, meu esposo vem se tornando mais "safadinho" na cama. Confesso que ele mudou bastante, está mais quente, tem me satisfeito mais,e se preocupado mais com a minha satisfação sexual. Só que ultimamente ele tem insistido em explorar o campo das fantasias sexuais..e vem insistindo em conhecer uma dessas boates de swing. Ele fala que é somente para sair da rotina, mas eu tenho medo de que ele se envolva com algum casal e isso me deixa insegura. Nos temos brigado por causa disso, por que eu não concordo com este tipo de safadeza. Isso para mim é coisa de pessoas sem moral e sem amor próprio. Será que ele está ficando paranóico? será que eu deveria me separar? Ou simplesmente ser mas liberal com ele e topar e ver até onde isso dá?

    Luana, 37 Anos - Ver Resposta

    Oi Luana, vá com calma. Pode ser que isso seja apenas uma fantasia, o que não teria problemas.
    Outra coisa que é bom você saber, é que ir a essas casas para casais não significa que você ou ele terão que transar com outras pessoas. Você pode apenas ver e conhecer como funciona.
    A sexualidade é muito ampla, e isso significa que temos várias maneiras para explorar. Porém, entendo que essa proposta do seu marido deve ter te assustado, por isso, dialogar muito sobre essa questão é necessário e muito importante. Brigar não vai adiantar nada, mas pode causar uma reação diferente do que você quer.
    Muitas pessoas têm uma visão bem distorcida dessas casas. Em vários lugares vamos encontrar pessoas com comportamentos promíscuos, lá também. Mas isso não significa que todos lá são, ou que são pessoas que não mereçam respeito.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá doutor, sou casada há dez anos, tenho um bom relacionamento com meu marido, mas ele sempre me pede, que tem vontade de arrumar um casal para transarmos todos juntos, disse que quer que eu transe com a mulher para ele ver, que eu faça tudo que ele gosta para ele ficar vendo. Não sei mas o que fazer, tenho que tomar uma decisão, e tenho muito medo de doenças, sei que só camisinha não resolve, e o sexo oral as preliminares? Como o senhor entende, passa aqui passa ali, põe a boca aqui ali e ali. Também tenho medo de me arrepender e não gostar mais dele por isso. Doutor, pela sua experiência os casais que praticam esse ato pode chegar ao fim do casamento? Me ajude por favor.

    Tania, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Tania. Ótima a sua pergunta.
    Percebo que você está sendo muito precionada e isso está de deixando você muito ansiosa. Porém, suas preocupações são muito pertinentes.
    Existem algumas questões a serem consideradas:
    Você quer fazer isso?
    Possibilidade de doenças.
    Como você vai se sentir durante e após?
    Que impacto isso terá para sua relação?
    Quanto as doenças, você está correta, passa aqui, ali e depois pões aqui e lá... é um risco que precisa de cuidados. Nesse caso o que pode ser feito é estipular regras antes da relação, o que pode ou não pode ser feito ou, o que você aceita ou não. Se que não é agradável colocar regras, mas num contexto na qual as doenças não cara ou aparências...
    Eu ouço os mais variados tipos de comentários de casais que iniciaram essa prática. Por exemplo, aqueles que dizem que foi uma experiência gostosa e que pretendem repetir, bem como, aqueles que disseram que o impacto foi grande e que isso refletiu diretamente na relação.
    Tania, se vai ou não causar um impacto ruim a relação, não tem como saber sem conhecer que tipo de relacionamento vocês têm. Pode ser que para ele isso seja apenas uma aventura e servirá para aquecer mais as relações sexuais de vocês ao lembrarem do momento. Como pode ser também uma maneira dele pedir a você para ser conivente com um desejo dele.
    Não sei se minha percepção está correta, mas parece que ele vem cobrando muito isso de você. Se for assim, é importante observar que seu espaço, seus sentimentos não estão sendo respeitados. Isso não é bom para a relação. Provavelmente pode haver outros aspectos na relação na qual também haja essa dificuldade de respeitar os seus limites.
    Perceba também a sua intuição: “também tenho medo de me arrepender e não gostar mais dele por isso”. Acho que essa frase pode estar dizendo muito mais do que você imagina, pode estar refletindo seus sentimentos e posicionamento nessa relação.
    Seja qual for sua decisão, desejo boa sorte.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. tudo bem? Tenho um relacionamento de 5 anos apesar de alguns probleminhas sempre nos dávamos bem mas utimamente não, isso porque ele me revelou que tem uma fantasia de transar com outros casais. Isso é normal? Ele diz que me ama, mas tem vontade de transar com outras mulheres só por prazer e que isso no via mudar nada entre nós que é só fantasia.

    Nubya, 28 Anos - Ver Resposta

    Oi Nubya.
    Existem muitos casais que praticam o swing, troca de casais ou sexo a três. Aliás essa prática é muito mais comum do que se imagina.
    Porém, algumas pessoas, mais frequentemente os homens tem essas fantasias. O que precisa ser analisada nessa situação é como a a outra pessoa, no caso você, se sentirá ao fazer isso e o que essa realização de fantasia significa para ele.
    Se para você isso é uma agressão, não a faz sentir bem, respeito seus limites.
    Por outro lado, é importante saber qual o real motivo para ele fazer isso. Seria apenas uma realização de fantasia ou falta algo na relação de vocês?
    Em muitos casos quando o homem diz que é apenas o prazer do momento, isso é verdade. O homem não precisa se envolver para fazer sexo. Contudo, não dá para afirmar que não mudará algo após essa prática, pois cada casal reage de uma forma.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Claudecy! Sou casado há 6 anos, mas estou com minha esposa há 7 anos. Minha esposa perdeu a virgindade comigo e não teve nenhum outro homem em sua vida. Porém, recentemente, ela não sente mais desejo por mim. Ao conversarmos a respeito, ela me disse que gostaria de saber como seria se deitar com outro homem. Depois disso acabei ficando desgostoso em relação ao nosso relacionamento. Decidimos, então. procurar outros parceiros para tentar reavivar o casamento. Sei que parece contraditório, mas foi a solução que encontramos. Que conselho o Sr. nos daria?

    Paulo, 26 Anos - Ver Resposta

    Olá Paulo. Imagino que você esteja confuso diante dessa situação, e não é para menos.
    É comum que pessoas que só tiveram só tiveram experiências sexuais só com uma pessoa, sintam vontade de saber como seria com outra pessoa. Muitas têm essa vontade apenas por curiosidade, outras demonstram nesse desejo alguma insatisfação com a atual relação. È importante entender qual é o motivo dessa vontade.
    Penso que é importante vocês explorarem essa questão, que pode não ser muito fácil dialogar abertamente, pois pode causar constrangimento. Mas não há outra maneira de sabermos se não for pelo diálogo.
    Pode ser que ir a uma casa de swing seja apenas uma realização de fantasias, mas também pode ser que seja um modo de dizer que a relação não está satisfatória.
    Seria muito importante, caso achem necessário, conversar os dois com um terapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr.Claudecy, estive olhando sobre o assunto Swing, e lendo sobre as perguntas e respostas deste site,eu fiquei muito curiosa em perguntar tambem, e a primeira vez que entro nesse site.Vi que este assunto e muito polemico. Entre os casais.Gostaria de saber se quando o marido quer ter sexo com outra,e diz que isso seria somente sexo, sem mais nada intimo,quando o esposo chega pra mulher e diz isso, que seria somente sexo, sem amor, sem nada, e dificil de acreditar pra mim isso e dificil de acreditar pois para voce fazer sexo com outra pessoa,voce precisa ter tesao na outra pessoa, ou nao? Me de sua opiniao por favor.

    Carolina, 29 Anos - Ver Resposta

    Olá Carolina, como vai?
    Realmente esse assunto costuma gerar polêmica mesmo.
    Cada caso precisa ser analisado individualmente. Porém parece que você está confundindo a relação sexual com amor. São coisas separadas, que não precisam estarem juntas para existir uma boa relação sexual. O amor não é um pressuposto para o sexo. Apesar de você poder amar a pessoa com quem faz sexo.
    No caso das pessoas que falam que fazem sexo sem envolvimento, significa que ela se sente atraída pela outra pessoa, mas essa atração é física, não tem ligação alguma com o amor. E aqui é que parece estar a sua confusão.
    Para ter tesão pela outra pessoa, não é necessário amá-la, são sentimento diferente. Mas você pode amar e sentir tesão pela mesma pessoa.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy, agradeço pela atenção ... deixa ver por onde começo e prometo resumir bem a ópera! Sou casada faz um ano , é meu segundo casamento. No inicio da nossa relação meu marido era um docê, depois o tempo passou e acabou aflorando a maior fantasia dele que é frequentar uma casa de Swing, isso ele já fazia antes de me conhecer . Eu sou uma mulher madura , bem resolvida e não tenho nem nunca tive problemas sexuais porque entendo que entre um casal , em quatro paredes , vale tudo para ser feliz. Acontece que toda vez que vamos pra cama é a mesma lorota ele fica me falando: Já imaginou mais uma , mais um ... no começo eu fiquei chocada , depois eu comecei a tirar um barato e dizia , legal ... já imaginou mais 10 , mais 20 ... que tal uma fila ??? Busquei um dialogo para conscientiza-lo que não curto esse tipo de coisa , que teria nojo de participar disso , que sexo sem amor é uma merda assim por diante , mas não adianta ... eu tentei de tudo , faltei subir no lustre e a fantasia dele fica sempre latente ... é uma droga porque ele nem percebe que eu me entrego totalmente , com carinho , amor e tesão . O que fazer ?? REcuso-me terminantemente a participar de algo do gênero , tenho meus principios e não posso abrir mão deles sob pena de perder minha identidade , mas sinto vontade , uma contade enorme de ter uma relação gostosa , "normal " ... quando estamos na cama e ele vem com a conversa de mais um , mais uma e como se jogassem um balde de água fria em mim ... por favor me ajude. Um abraço.

    Raquel, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Raquel.
    Que desagradável essa situação, não é?
    Essa é uma questão básica de ultrapassar os limites da outra pessoa.
    Percebo que você está bem convicta da sua posição. O que é muito bom. Pois quando pensamos que duas pessoas vão se relacionar, para ser saudável essa relação, é preciso, para começar, que exista o respeito pelo outro. Afinal, cada pessoa tem uma bagagem, um modo de pensar, de interagir, de analisar a situação, e tudo isso é fruto de sua vivência de como ela internalizou o que aprendeu.
    No seu caso, seu companheiro parece que está esquecendo de olhar para você, de perceber que isso é uma invasão sua área, na qual você não está interessada em dar permissão para ele entrar, o que é um direito seu.
    Quando você fala que já tentou de tudo para ele entender que você não quer isso, eu fico pensando: será que tentou tudo mesmo? Se sim, será que foi de um modo adequado a ponto dele entender?
    Por outro lado, seria importante saber (e aqui cabe a um profissional investigar isso), qual a necessidade dele precisar de uma terceira pessoa na relação sexual de vocês. A relação não estaria completa se não for dessa maneira?
    Talvez seja necessário que seu marido entenda o quanto você se dedica ao relacionamento, que o ama, que está disposta a fazer o que for possível para ter um relacionamento saudável. Porém, não está disposta a se violentar para satisfazer um desejo dele, que provavelmente não acrescentará conteúdos que promovam a relação de vocês.
    Raquel, caso você não esteja se sentindo em condições para resolver essa questão sozinha, peça ajuda, vá atrás de um psicólogo, que é o que você já está fazendo. Assim, você e o profissional, que saberá mais afundo toda essa questão, poderão encontrar meios para resolver essa e outras questões.
    Para muitas pessoas, a prática de uma terceira pessoa na relação sexual, é fascinante e eles se relacionam bem assim. Porém para outras pessoas essa não é um prática aceita, o que deve ser respeitado pela outra pessoa.
    Boa parte dos casais que buscam essa maneira de vivenciar a sexualidade, denunciam que algo na relação não está bem, por isso, buscam esse recurso para manterem a relação aparentemente bem. O que é um equívoco. Pois, sobre o pretexto que isso apimenta a relação (que pode ser verdade), esses casais vivenciam relacionamentos vazios, por isso buscam mais e mais essas práticas.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada há seis anos e nunca traí meu marido, ultimamente ele vem com uma conversa estranha, quer que eu transe com outro homem na frente dele e ainda o chame de corno. Agora ele só consegue ficar exitado ou ejacular quando se toca neste assunto. Isso é normal ou ele precisa de ajuda? Aguardo anciosamente a resposta.

    Noemy, 40 Anos - Ver Resposta

    Olá Noemy.
    Parece que esse pedido dele deixou você assustada, não é?
    Pois bem, essa é uma prática que tem aumentado cada vez mais. Para algumas pessoas isso é uma boa fonte de excitação e prazer, para outras essa é uma questão fora de cogitação. Então, qual está certa? Essa é uma questão muito particular de cada um.
    É importante saber qual a função desse desejo dele. Bem como é importante saber se essa é uma questão que você estaria disposta a praticar, se isso irá ou não violentar seus princípios.
    Muitos casais encontram nessas práticas sexuais, uma forma de "apimentar" a relação. Eu percebo que alguns desses casais que chegam a meu consultório trazendo essa questão, que de fato eles estão com o relacionamento, de certa forma insatisfatório. Assim, essa prática de sexo a três, troca de casais ou mesmo o swing, são formas que alguns encontram para manter a relação.
    Se esse for o caso, é importante que o casal procure ajuda de um psicólogo de casal, para juntos descobrirem onde está a deficiência na relação e resolverem.
    Por outro lado, para alguns casais, essas práticas são apenas uma aventura e nada mais.
    A você Noemy, cabem algumas questões: como você se sente com essa idéia? Essa é uma questão que te agredirá? Você faria isso apenas para manter a relação?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • ola.. dr. claudecy. tenho uma grande duvida sou casada ha 3 a anos tenho 4 filhos e meu marido tem vontade que eu faça sexo com outro na sua frente essa fatasia pra mim e estranha demais. seria ele homossexual? problamas psico? como a ciencia ver esse comportamento? sei que posso fazer isso sem problemas. devo satisfazer-lo? me ajude por favor.

    Paulo, 35 Anos - Ver Resposta

    Olá.
    Essa é uma fantasia muito frequente tanto em homens quanto mulheres. Na maioria das vezes, a pessoa não tem coragem ou espaço para contar.
    Esse é um assunto delicado, e por causa disso quase não se comenta.
    Porém é importante esclarecer que essa fantasia não tem ligação com homossexualidade. A pessoa pode ter essa fantasia e não ser homo. No entanto não significa que um homossexual não possa ter essa fantasia. O que não se deve é associar a homossexualidade e essa prática de ver a parceria ou outra pessoa.
    Como parece que essa questão te chocou, é bom que você respeite seus limites. Talvez essa prática te agrida muito e isso pode te trazer sofrimento. Numa relação do casal, é importante procurar satisfazer a outra pessoa, desde que isso não cause mal.
    Por outro lado, verifique se essa maneira de você pensar não está baseada numa moral cultivada pela sociedade, e que talvez, não corresponda exatamente com o seu modo de pensar, por isso, quem sabe, a incomoda muito.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr, sou casada a 4 anos estamos juntos a6 anos. Ja nos separamos algumas vezes e no momento estamos separados a 3 meses. Temos 2 filhos. Tive uma gravidez próxima da outra. Isso acabou me estressando muito, e fazendo com que nosso casamento caisse num marasmo e o sexo passou a ser esporádico e básico. Meu marido sempre gostou muito de sexo, e diz que esse foi um dos motivos pelo qual nos separamos, recentemente. A 1 mes começamos a sair novamente, temos uma quimica indescritivel, o sexo é maravilhoso e cheio de fantasias. Porém ele disse que precisamos melhorar nossa relação, que foi deixada pra tras por conta de todo o precesso de filhos pequenos (viviamos sem tempo pra nós). Ele insinuou algumas fantasias como: sexo a tres, swuing, etc... Alegou que me ama mas nunca teve coragem de falar dessas fantasias. E que sempre quis realizá-las comigo. A questão é: ja fui algumas vezes em casas de swuin qdo solteira (e ele sabe), porém agora não sei se tenho coragem, devido a minha mudança de valores, mas essa é uma questão que me excita. Penso tb que poderia salvar meu casamento, se melhorasse esse aspecto da nossa relação. Nos amamos muito e ele fala que essa é mais uma tentativa de salvar nossa relação. Quero ir, mas tenho medo do depois. O que devo fazer? è comum esse tipo de fantasias entre marido e mulher? Devo experimentar com ele, uma vez que já conheço como funciona? Me responda por favor. Obrigada Ana Paula

    Ana Paula, 35 Anos - Ver Resposta

    Olá Ana Paula.
    Pois é, a maioria dos casais que praticam o swing, estão nesse estágio do relacionamento que você descreveu. Assim, eles veem que esse caminho pode salvar a relação. Isso pode ser uma armadilha. Eu penso que essa prática enquanto realização de fantasia dos dois, na qual os dois se sentem bem, pode ser interessante e dar uma apimentada na relação. Mas, usar esse caminho como uma forma de salvar a relação, é muito arriscado e com um índice de sucesso muito duvidoso.
    Quando atendo casais que estão nessa situação, e o swing aparece como um alternativa, é visível como isso instiga a fantasia de muitos. Porém, eu vejo outras formas mais seguras para resolver esses conflitos dos casais.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr Tenho 38 anos, fui casada 11 anos e me separei. estou namorando com um rapaz de 31. Sexualmente é tudo maravilhoso, mas ele insiste em ir em casa de swing, fomos uma vez e não curti. Tenho fantasias, ele quer sempre me ver com outro homem, mas o amo muito e não sinto vontade. Estamos brigando muito pro isso, temos um ótimo relacionamento e fico com medo que ele me traia. Não sei mais o que fazer.

    Priscilla, 38 Anos - Ver Resposta

    Olá Priscilla.
    Eu entendo como essa insistência deve deixar você perturbada.
    Para boa parte das mulheres não faz sentido o parceiro querer vê-la com outro. Enquanto que para ele isso é altamente excitante. São visões diferentes, e por isso o conflito.
    Eu sei que quando estamos envolvidos e não queremos perder a pessoa, em muitos casos, podemos nos submeter a situações nada saudáveis. Isso precisa ser questionado e muito analisado, pois em todos os relacionamentos as pessoas buscam pessoas que possam nos completar, compartilhar os momento da vida, curtirem, e isso é muito gostoso e saudável. Porém, algumas pessoas têm dificuldades para perceber que o que elas buscam nem sempre é saudável, mas alguém que alimente, que seja conivente, que contribua para dar continuidade a uma forma de prazer, de pensar ou qualquer outra coisa que não seja saudável.
    Não estou dizendo que quem pratica swing, sexo a três ou coisas do gênero não são saudáveis, cada caso precisa ser analisado. Mas estou dizendo sim, que algumas pessoas buscam relacionamentos para alimentar forma de prazer, como essas, por exemplo, que não tem o objetivo de criar bases mais sólidas para um relacionamento mais saudável. O interesse é apenas pelo próprio prazer, desconsiderando o sentimento da outra pessoa.
    Em muitos casos, o que encontramos é uma pessoa desajustada que precisa de ajuda, mas que não vê dessa forma.
    Podemos fazer uma analogia com o dependente de álcool ou qualquer outra droga. Isso não faz bem, mas é a forma como a pessoa educou seu corpo, uma parceria que consome junto, para não abandonar a pessoa, de fato, não estará ajudando, mas sim, alimentando algo que vai prejudicar.
    Como eu disse acima, cada caso precisa ser analisado separadamente. Não posso falar muito do seu caso por não conhecer. Porém fico com a impressão de que ele está com dificuldades para entender que isso a agride. Por outro lado, esse seu medo de que ele vá te trair se você não compartilhar, pode fazer você compartilhar desse esquema. Nesse caso, é você quem precisa decidir se vale a pena manter essa relação.
    Caso queira falar mais sobre essa questão, pode entrar em contato novamente.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Boa tarde, sou Sara, sou casada há 4 anos, conheci meu marido no swing, foi uma química louca, nos casamos 4 meses após nos conhecer. Ele estava se separando de seu 2o casamento, eu, uma noiva traída e largada pelo ex, a procura de uma "válvula de escape". Não demorou depois que nos casamos, e isso não posso culpa-lo, ele adora swing, casamento pra ele tem que rolar, senao ele prefere não viver casado. O problema não eh que não quero ir, até quero, gosto por ser diferente, mas so de vez em quando, e quando os dois estão de comum acordo. Já faz um bom tempo que tenho ido so por causa dele, mas confesso estar me cansando dessa vida. Já tentei conversar com ele pra pedir pra diminuir as idas, na hora ele concorda e tal, mas depois quando da vontade (isso eh quase toda semana), começam as brigas, e voltamos a estaca zero. E ele ainda quer me fazer me sentir mal, eu sou a chata, a careta, ele vai morrer fazendo isso, sinônimo de diversão pra ele eh isso. Eu as vezes so peço pra ir ao cinema, ou ir a um karaokê, fazer algo normal, mas isso eh demais pra ele. Sempre tenho EU que ceder as vontades dele. Estou cansando, estou confusa, triste, por ele ser tão fútil, pois o ajudo em tudo, estamos comprando e construindo coisas juntos, eu aceito e trato tão bem os filhos dele dos outros casamentos. O que eu faço? Ah, dia desses ainda me falou, numa das discussões por causa de swing, que já esta casado comigo há mais tempo do que ficou com as outras mulheres dele e que já deu o tempo, se não estivesse satisfeita, poderia ir embora... Já falou que não gosta dos meus pais e ir visitar eles pra ele eh um fardo. Doutor... SOCORRO... PELO AMOR DE DEUS, me ajude. O que eu faço? O que faço com meus sentimentos para com ele? Eu gosto mto dele, mas não sei se o amo mais, depois de ouvir estas e outras barbaridades. ME AJUDE, POR FAVOR! Sara

    Sara, 31 Anos - Ver Resposta

    Olá Sara.
    Entendo como essa situação é embaraçosa. Todo comportamento muito extremista precisa ser analisado com cuidado. Pode ser na relação como futebol, com religião, amigos, trabalho, com a comida ou mesmo em relação ao sexo ou qualquer outra coisa, que podemos usar como forma de amenizar algo que não está bem, para canalizar nossas ansiedades ou mesmo para buscar a resolver questões que estão pendentes. Apensar de não conhecê-lo, mas pelo seu relato, fiquei com a impressão que a forma como ele se relacionou nos outros casamentos e agora como você, além da importância intensa que ele da a prática do swing, pode ser que a forma como ele compreende como deve ser a configuração de um casamento, é bem diferente do que você procura. Além disso, parece que não tem graça viver se não existir essa relação com a prática do swing. Parece que há uma necessidade constante por novidade, por sentir aquelas sensações intensas, que parece que ele aprendeu a sentir no swing. Diferente de você que foi para curtir, que gosta do swing de vez em quando e isso não é essencial para você.
    Nesse cenário, então vemos duas pessoas com ideais diferentes. Penso que numa relação de casamento, quando essas diferenças são tão divergentes, e cada um não quer mudar, pois acha que é importante continuar assim, fica difícil continuar juntos. Não estou entrando no mérito de ser certo ou errado, mas sim, do que cada um precisa, do que cada um acha necessário ter para se sentir bem.
    Pelo que entendi, ele sugeriu que você fosse embora. Fico imaginando como você deve ter se sentido. Acho que o foco deve ser esse: como você está genuinamente se sentindo nessa relação. Continuar assim, se humilhando, fazendo o que não gosta, você acha que aguentará até quando? Ou você acha que ele vai mudar? Ele tem todo o direito de continuar vivendo dessa forma, a vida é dele. Cabe a você analisar se é numa relação assim que você quer viver. Sei que você gosta dele, mas há outros fatores que também precisam ser levados em consideração, como sua saúde, seu emocional, sua felicidade.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. sou 100% infeliz, pois tnho um penis d 13cm. muitas vezes pensaei em suicidio.Me odeio a ponto de xorar todos os dias. Acabei de var vc falar q nao existe soluçao para meu problema, isso me faz pior, cada dia da minha vida e mas um sofrimento. O q devo fazer zer. Axo q nunk vou ser aceito. A ja fiquei com algumas pessoas mas as vezes nao me qerem mas . Eu sou homosessual sou ativo. Me odeio, me sinto a pior meseria do mundo. faria tdo pra ser um homem como os demas. O q devo fazer pra conseguir viver e ma aceitar?

    Tiago, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Tiago.
    Eu entendo seu sofrimento e também sei como isso atrapalha sua vida.
    Cada caso precisa ser analisado individualmente. Será que você está 100% infeliz só por causa do tamanho do seu pênis? Ou você será que tem outras questões que também estão precisando de atenção? É comum canalizarmos toda nossa atenção para um ponto e esquecermos de olhar a origem ou mesmo o todo.
    Eu o parabenizo por ter procurado ajuda, mas é muito importante que você continue, que vá atrás de um psicólogo próximo a você para juntos resolverem o que está te atrapalhando.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • ola! sou casado à 13 anos e ha alguns anos resolvemos adquirir um penis de silicone para nossas fantasias, bem comprei o mesmo por telefone e que recebi acabou sendo maior do esperava, minha esposa começou a se maturbar com ele sempre que sentia vontade tanto sozinha como comigo e comecei a perceber que quando ela tinha seus orgasmos com a penetração do penis de silicone esses eram bem mais visíveis e fortes do que os que ela tinha comigo, perguntei se ela sentia assim pelo fato do tamanho ele mede 19cm x 5cm quanto que o meu mede 14,5 x 4,5cm indaguei a ela e apos muitas discussões sobre isso ela me disse que seria bom se o meu tivesse mais uns 3cm, o fato é apos algum tempo não estou sabendo conviver com tal declaração, como resolvo isso ?

    Alberto, 33 Anos - Ver Resposta

    Oi Alberto. Entendo que isso deve ter te abalado muito.
    Porém, "quem brinca com fogo pode se queimar", e você se queimou. Para muitos homens, o tamanho do pênis tem uma significância além do normal, e parece que agora você descobriu isso.
    Mas o que fazer agora? Só existe uma coisa para te ajudar: é você entender que ela está com você não por causa do tamanho do seu pênis, mas sim por você como um todo, pelos seus comportamentos.
    Existem fatos que não temos como mudar, o tamanho do pênis é uma dessas coisas. Se você observar, sua esposa deve ter algumas características físicas, que se possível, você mudaria. Mas não é por isso que você vai deixá-la. O mesmo acontece com seu pênis. Lembre-se que você não é um pênis, ele é parte de você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Ola Doutor, bom dia Antecipadamente, meus agradecimentos pelo espaço. Minha vinda se dá pelo fato de eu ser apocaliticamente infeliz com o tamanho do meu pênis. Acredito que deva medir uns 14 ou 15 cm, tenho vergonha de medir e me decepcionar, o fato é que não consigo me relacionar com mulheres pq morro de vergonha. Acabou virando uma fixação: fico pesquisando o tempo todo sobre oq as mulheres acham sobre tamanho de pênis, leio coisas que não me agradam e termino deprimido. Minha ex-esposa revelou que gostaria de ter ser penetrada por um pênis grande(em uma de nossas conversas) e me deixou ainda mais desesperado. Assisti a um vídeo seu(alias o único sensato dentre tantos que vi) e me senti encorajado pela sua firmeza sobre o assunto. Me relacionei com uma mulher casada, que acabou dizendo que o pênis do marido dela era maior que o meu, dá pra se imaginar que nunca mais nos vimos. Por favor, não ha nada no mercado(cirurgia, exercício,medicamento) que possa me ajudar de verdade? Acha que preciso de terapia? Enfim, meus repetido agradecimentos por sua cordialidade. Att. Renato Henrique

    Renato Henrique, 38 Anos - Ver Resposta

    Oi Renato.
    Eu entendo a sua angústia e sofrimento diante desse fato.
    Pelo seu relato, percebi que você está fixo num ponto - o tamanho do seu pênis. O restante não interessa, não importa para você. E claro, que dessa forma, não há prazer ao pensar no sexo.
    Eu sou careca. Seria o mesmo que eu me sentir mal porque eu colocaria na minha cabeça que as mulheres não me querem, não gostam de mim, não se importam comigo porque sou careca. Essa é uma condição minha, não vai mais nascer cabelo em mim. Mas olha, não me importo com isso, pois tenho ouros valores que sei que vão agradar muitas mulheres.
    Você se focou no tamanho do seu pênis e é infeliz por causa disso. Esqueceu que tem outras características que agradam. Você não é um pênis, ele é apenas uma parte de você. Na verdade o seu pênis é apenas algo que você elegeu como "bode espiatório", culpado por todas as desgraças da sua vida, mas que na verdade está denunciando que outras áreas da sua vida não estão bem. É isso que precisa ser investigado.
    Pense na possibilidade de ir a um psicólogo. Ele não vai fazer seu pênis crescer, mas pode ajudá-lo a se ver de outra forma.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Ola Dr Claudecy sou evangelico mas tenho um habito que diga se de passagem não faz mal para ninguem. Gosto de ver videos na internet de mulheres andando nuas em publico. só que isso e condenado pela igreja como pecado . Porem isso me da muito prazer maior do que uma relação sexual. Gostaria de saber se esse habito e normal ou devo buscar ajuda especializada. Obrigado.

    Zezo, 36 Anos - Ver Resposta

    Oi Zezo.
    É normal as pessoas sentirem prazer sexual ou diversas formas. Alguns pelo sexo "convencional", outras por determinadas roupas, posições, pés, bunda... Você gosta de ver mulheres nuas na rua. Qualquer se seja a prática, o que precisa ser observado é a relação emocional da pessoa com aquele "objeto de prazer", se é só daquela forma que a pessoa sente prazer, o tempo gasto com essas práticas, se assistir os vídeos está atrapalhando outas partes úteis da sua vida.
    Para um aprofundamento melhor dessa questão, sugiro que você vá a um psicólogo para entender essa questão na sua vida.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • olá tenho,sou casada a 2 anos estou gravida e meu marido prefere ficar se masturbando vendo filmes pornograficos,não me procura sempre sou eu que tomo iniciativa ele sempre tem as piores desculpas para não tranzare ja falou em transar comigo e mais duas mulheres. doutor não sou feia,não engordei muito, estou co 5 meses de gravides e mesmo quando estáva com 2 meses nem tinha barriga mas ele já me evitava. o que fasso? tamben tenho medo se nos transarmos com outras mulheres ele deixe de querer tranzar comigo de vez, e queira sempre tranzar com outras; me ajude o que fasso

    Beatriz, 22 Anos - Ver Resposta

    Olá Beatriz.
    É muito comum os alguns homens não desejarem fazer sexo enquanto a esposa está grávida. Existem vários argumentos para isso com, vai machucar o bebê, agora ela é mãe... bom, essa argumentos não tem fundamentos. Para a mulher é muito importante fazer sexo durante a gravidez.
    Porém perceba que a gravidez pode até estar sendo usar como desculpas, mas para fazer com duas mulheres, parece que ele quer. Além disso, você diz que antes ele já a evitava. É muito provável que alguma coisa não está bem para ele, e isso precisa ser investigado para descobrir o que é.
    Conversar com ele, de modo aberto pode ser um bom começo. Porém se não conseguirem, seria legal irem a um psicólogo de casal.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. estou grávida, eu e meu marido temos uma relação de bastante amor, antes de engravidar ele já tinha a maior proteção comigo, agora q engravidei a barriga está mais visivel,agente ñ faz amor como faziamos,com tanta frequência, mais por ele ,ele tem medo de me machucar machucar o bebê, ele ñ toca na barriga com medo de machucar,é normal, eu converso muito com ele pra ver se diminui esse medo,eu tenho muita vontade, de fazer amor, mas ele tem mais receio,o que é q eu faço?

    Polianna, 25 Anos - Ver Resposta

    Olá Poliana.
    Em muitos casos o que falta é informação apropriada para. O bebe está muito bem protegido. Inclusive é muito importante a mãe ter relações nesse período também. Pois apesar das mudanças no corpo, elas sentem que o marido as deseja.
    Há casos em que o marido perde o desejo pela esposa, como também há mulheres que diminuem o desejo durante a gestação. O que pode ser muito normal, já que existe uma grande mudança hormonal e sua a tenção está voltada para o bebe.
    No último mês, é comum que se presente dificuldade para a relação sexual, pois a barriga estará muito grande e com isso pode aumentar o incômodo.
    Pode dizer para seu marido que não há problemas e que ele ter relações sim com você, aliás, deve.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • olá! estou vivendo uma situação confusa em meu relacionamento,estou casada a uns 3 anos e tenho uma filha de 2 meses, sempre fui uma mulher fogosa e antes de engravidar eu e meu marido transavamos frequentemente e ele tinha muito desejo e era muito fogoso. depois que minha filha nasceu ele simplismente mudou vejo que ele não sente desejo por mim nem tesão nada, tenta disfarçar quando o procuro e da pra contar as vezes que fazemos sexo eu continuo cada vez mais com muita vontade só que estou ficando frustrada pois ele sempre diz que não sabe o que está acontecendo e nunca tá com vontade, eu sinto falta de transarmos que nem antes não sei o que fazer tenho muito tesão mas vejo e sinto que ele não, ele sempre se empenhava para me dar prazer e agora parece que só transa por obrigação e de vez em quando. O que pode estar acontecendo li que o homem pode passar a enxergar a mulher depois que tem filho como mãe do seu filho e não mais como mulher é verdde? estou realmente preocupada pois não aguento ficar sem sexo e estou me sentindo rejeitada por ele.

    Polaka, 29 Anos - Ver Resposta

    Olá Polaka.
    Sim, é comum, mas não uma regra, o homem mudar sua visão sobre a parceira de mulher para mãe. Porém cada caso precisa ser investigado individualmente. Existem outros fatores além da questão do filho ou de que ela agora é mãe. Por exemplo, na minha experiência clínica, eu percebo muito mais aspectos na parte comportamental da mulher que contribui para essa mudança no desejo.
    Há casais que como nascimento dos filhos passam a se referir ao outro como papai ou mamãe. Isso é um grande erro. Outro erro muito comum é permitir que o filho durma junto como casal. Isso é ruim para o casal e para o crescimento saudável do filho.
    Sugiro que vocês conversem francamente e caso não consigam mudar, procurem um psicólogo para ajudá-los.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • estou casada ha 2 anos e juntos fazem 12 anos meu marido é maravilhoso para mim, porém estou gravida de 5 meses, até o 3 mes fizemos sexo, agora ele nem toca no assunto, ja expliquei para ele que gravidez não é doença e que no meu caso não há contra-indicação porém ele diz que o psicologico dele não aceita tenho certeza que ele não tem outro relacionamento mas as vezes acho que ele me confunde com sua mãe, amiga ou irmã, observo que ele fica vendo mulheres nuas na net já conversamos a respeito e ele fica irritado se toco no assunto confesso me sinto muito mal com essa situação para ele esta tudo bem mas para mim não ele disse que não se deixa levar pelas aparencias que o relacionamento é muito mais do que atração porem porque ele fica olhando as mulheres nuas na net?ele diz que os homens gostam de ver e que ele ve continuará vendo e que não se importa com o que eu penso eu não estou suportando essa siuação e não sei como agir, porem tirando a sexualidade os demais assuntos do nosso relacionamento é perfeito nos damos muito bem em tudo

    Leka, 33 Anos - Ver Resposta

    Oi Leka.
    Sei que você deve estar aflita. Mas vamos com calma.
    É muito comum no período gestacional acontecer do homem não desejar fazer sexo. O mesmo pode acontecer com a mulher. Assim como existem aqueles casais que transam durante a gravidez normalmente. Não existe uma regra que diz que se um ou ambos não fizerem sexo durante a gravidez há algo errado. Cada caso precisa ser analisado individualmente.
    Do ponto de vista físico e psicológico, é importante para a mãe e para o bebê que o casal faça sexo. Isso porque as reações químicas desencadeadas pelo prazer do ato sexual faz o corpo da mulher produzir mais substâncias como a serotonina e endorfina, que além de darem a sensação de prazer, faz muito bem para o bebê, apesar desse não entender nada do que está acontecendo. Isso é maior quando se atinge o orgasmo.
    Quando atendo homens, mulheres ou o casal, e esses estão nessa fase, é muito comum eles falarem da não vontade de fazer sexo, e após a gestação, tudo volta a normalidade. Apesar de incentivamos o casal a fazer sexo nesse período, procurando meios para estimulá-los, por outro lado, muitos descrevem essas situações como algo mais forte que eles. Não têm vontade mesmo. Nesse caso, não podemos desconsiderar a influência da Biologia, da natureza. Por essa ótica, os corpos de ambos já entendem que a “missão do sexo” já está cumprida. Ou seja, agora a mulher está grávida e sua atenção e energia devem ser canalizadas para o desenvolvimento do bebê. É a natureza fazendo a parte dela.
    Há outra questão que parece que é o que mais está angustiando você. Vivemos numa sociedade em que “é função mulher dar prazer ao homem”, “caso contrário, ele irá buscar fora”. Pois é, isso tem muita influência no que muitas mulheres sentem, e parece que você não ficou fora dessa. Sinto uma preocupação muito grande em você ao saber que ele olha para outras mulheres, e claro, isso gera insegurança e receio que ele vá buscar outra. Eu diria, pega leve com ele e com você. Essa pressão e preocupação só vão atrapalhar.
    Há também em muitas mulheres a necessidade de fazerem sexo nesse período para se sentirem desejadas pelo parceiro, já que o corpo muda e isso pode trazer insegurança a mulher.
    Você diz que às vezes ele parece confundi-la com a mãe dele, isso sim, pode ser um problema. E poderá ser maior depois que o filho nascer. Isso precisa ser arrumado.
    Desejo que seu bebê nasça e cresça muito saudável e que o casal se acerte e viva bem.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi, eu fui educado em uma forma muito conservadora, com direitos a valore religiosos e tudo mais... Tenho muita insegurança quanto aos meus impulsos sexuais, e não consigo controlá-los, a tal ponto de já me sentir tentado a molestar uma criança e a manter relações sexuais com um animal(um cão). É como se fosse mais forte do que eu: uma curiosidade incessante de sentir o prazer sexual nos seus extremos, e depois que realizo o ato sinto-me frustado porque não corresponde ao que eu julgo ser mais saudável e aceitável. Tenho uma vida sexual ativa homossexual e heterossexual, e recentemente com um animal, um cão. Na relação HOMO, embora sinta prazer fico cheio de grilos, sinto-me fraco diante dos meus impulsos, é como se não fizesse parte da minha lucidez. Outro dia fiquei muito preocupado porque mantive uma relação sexual com um cachorro "ele me comeu". Isso mesmo! FIQUEI HORRORIZADO QUANDO O ANIMAL ESTAVA GOZANDO PORQUE VC SABE QUE O CACHORRO INCHA O SEU PÊNIS DE TAL FORMA QUE FICA ENORME, FIQUEI DESESPERADO PARA TIRÁ-LO DO MEU ÂNUS, E QUANDO CONSEGUI DOEU DEMAIS E VÍ UM POUCO DE SANGUE SAINDO PELO MEU RETO. ESTOU COM MEDO DE MIM MESMO! E DAS IMPLICAÇÕES FISIOLÓGICAS QUE POSSO CONTRAIR: POSSO TER ALGUMA DISFUNÇÃO INTESTINAL SENDO PENETRADO NO ÂNUS? Confesso que foi uma experiência muito ruim, mas a tal da curiosidade, que julgo ser mais uma COMPULSÂO, ainda permanece. TENHO UM PARCEIRO HOMOSSEXUAL NO MEU TRABALHO E JÁ DISSE-LHE QUE NÃO QUERO MAIS MANTER ESSE TIPO DE RELAÇÃO PORQUE FICO FRUSTRADO, MAS SEUS ASSÉDIOS ACABAM INCITANDO-ME A UM ATO COMPULSIVO, ENTÃO TRANSAMOS E LOGO DEPOIS FICO NESSE ESTADO QUE ESTOU AGORA... ANGUSTIADO COM MAIS UMA FRAQUEZA, UMA DERROTA... GOSTO TAMBÉM DE GAROTAS E TAMBÉM MANTENHO RELAÇÕES SEXUAIS COM ESTAS, E É JUSTAMENTE O CONTRASTE DESSA DUPLA SEXUALIDADE (SOMADA A OUTROS IMPULSOS COMO MASTURBAÇÃO, SEXO COM ANIMAL ETC...) COM OS VALORES QUE HERDEI TRAZ-ME UMA ANGÚSTIA, MUITO GRANDE E UM SENTIMENTO DE CULPA. POR FAVOR ME AJUDEM.

    FCSR, 20 Anos - Ver Resposta

    FCSR, como vai?
    Parece que essa situação foge do seu controle, não é? E pelo seu relato isso o deixa muito angustiado.
    Essas relações da qual você fala que ocorre tanto com homens como com mulheres, parece que acontece sem um envolvimento emocional, apenas como impulso. Já percebeu isso?
    Por outro lado, sinto que você além de angustiado está muito confuso, sem saber o que está acontecendo com você. Também existe a preocupação com os pensamentos envolvendo crianças e animais.
    É necessário que você procure ajuda. Do modo como você está, não conseguindo ter controle, muito provavelmente isso vai afetar outros aspectos da sua vida.
    Um psicólogo que trabalhe numa abordagem cognitivo-comportamental, pode ajudá-lo. Por isso fica aí a minha sugestão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, tive alguns desentendimentos amorosos ao longo de minha vida, fato que me deixaram com insegurança em relação se vale a pena ou nao ter alguem somente para satisfazer meu apetite sexual... sendo que tenho feito de tudo pra sufocar esse apetite... nao que falte parceiros pra isso...o que parece é que eu nao quero so isso pra mim... esbarro tambem na questao religiosa...de que sexo so com o marido... mas nem sempre fui evangelica, e agora, embora nao esteja frequentando a igreja eu tento nao fazer nada que contrarie os dogmas por ela estabelecidos...mas sinto falta de sexo, e principalmente, de uma companhia...fico muito triste por isso... tento desviar minha atençao para outras coisas, como faculdade e trabalho... mas quando vejo alguem que acho bonito, fico imaginando coisas...e logo vem a culpa... terrivel vilã de minha vida...adoraria nao senti-la mas fazer o que...ela nao me deixa...rsrs...tem algum metodo pra que esses desejos sejam totalmente refreados, sera que existe alguem realmente ideal para cada um de nós... nao sei se estas perguntas lhe dizem respeito, mas nao tenho a quem recorrer...estou muito confusa...deu pra perceber nao é??? obrigada pela atenção...desde ja...bjos.

    Silvia, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Silvia.
    Entendo que essa situação que você está vivenciando não é nada agradável.
    Pelo que você descreve, parece que o sexo ocupa um lugar de muito destaque na sua vida, o que é muito saudável. Parabéns por isso.
    No entanto, você fala de uma culpa muito grande que tira o brilho e o prazer que o sexo pode te proporcionar. É muito ruim vivenciar a sexualidade, mas depois se sentir culpada. E os mecanismos para desviar sua atenção do sexo que você usa, também resultam num sentimento que te corrói por dentro, de acordo com você.
    Com esse contexto, estou entendendo que você não está bem. Que esse modo pela qual você está conduzindo sua vida, parece que não está dando certo, não é?
    Sabe Silvia, existem aspectos nas religiões que realmente são interessantes de serem observados e até mesmo usados por nós. No entanto, o problema passa a existir quando algumas crenças, doutrinas, dogmas, ocupam lugares de destaques na nossa vida sem se quer ser questionadas. É aí que acontecem os grandes conflitos, e quem aparece para infernizar a vida? A nossa conhecida CULPA.
    Como você muito bem disse: "a culpa é a terrível vilã de minha vida". E não é só na sua vida. Você já parou para pensar no que seria da maioria das religiões se não fosse a culpa? Será que teria essa mesma quantidade de fiéis?
    Sei que você tem muita vontade de viver sua sexualidade de modo saudável, sem culpa. Mas para isso será necessário questionar muito desses dogmas na sua vida. Viver dessa maneira, com culpa, não é saudável.
    Sua sexualidade parece ser muito desenvolvida, por isso, vejo que reprimir esse seu potencial só te fará mal.
    Seria muito bom, caso você não consiga se livrar dessas questões que te atrapalham, procurar um psicólogo para ajudá-la.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde, Dr. Claudecy. Uso maconha, numa média de 3 a 4 X por semana com o intuito maior de obter maior prazer no sexo. Apesar de não encontrar diculdade em ter orgasmos normalmente, através da masturbação ou do sexo, confesso que um ou dois baseados antes de transar me leva à um nível de excitação sexual extraordinário, me proporcionando orgasmos "cósmicos", de tão intensos e não raramente, múltiplos. A sensibilidade fica alterada ao limite e chego perto do orgasmo apenas com estimulação mental. E mesmo que a transa tenha sido fenomenal eu acabo me masturbando depois... Então, Dr... A pergunta é: com essa média de consumo da droga, quais os riscos físicos e psíquicos para meu organismo, a longo prazo? Parei de usar e retomei a droga, mas não pretendo parar tão cedo e descartar efeitos, digamos, tão agradáveis... Porquê esse efeito em mim, ou é estensivo a todos os usuários? Tudo bem que normalmente, sob nenhum efeito de droga, álcool, etc., meu desejo sexual já não é muito baixo, pois penso muuito em sexo. Logo que conheço um cara interessante dispo a minha vítima e meus pensamentos voam... E devo transpirar isso pelos poros porque os homens mais sensíveis percebem e "colam". O que me deixa ainda mais maluca. E sou uma mulher normal, não ando com a bunda e o peito de fora esfregando nos caras, tipo loira fatal em micro-roupa, faço mais o tipo misteriosa. Sou casada há 8 anos e eu e meu marido estamos ensaiando um menage a trois com um cara daqui da nossa cidade porque não estou segurando a onda de transar com um cara só há taaanto tempo... Ele está preocupado de que se não for com ele vai ser com outro, então... Já fiz muitas baladas dessas quando tinha menos de 25 anos. Estou no "deadline" da compulsão sexual? Obrigada

    Maria, 36 Anos - Ver Resposta

    Olá Maria. Como vai?
    Essa é uma questão que com freqüência chega para mim.
    De fato, o uso da maconha deixa os cinco sentidos mais aguçados. Por isso você descreve que suas sensações ficam maiores após o uso, e com isso vem o aumento da excitação, o que a faz sentir orgasmos "cósmicos".
    Como a maconha acaba funcionando como "potencializador" para você. Essas sensações acabam se transformando num grande reforçador para você continuar usando.
    É importante dizer que existem muitos estudos mostrando os danos que a maconha proporciona, no entanto, ainda a Ciência não sabe mensurar todos os efeitos danosos que ela pode acarretar ao longo do tempo.
    Alguns danos cerebrais causados pela maconha, já temos estudos mostrando. Na sexualidade, é muito comum encontrarmos pessoas que desenvolveram disfunções por causa da maconha, como por exemplo, disfunção erétil, além de mexer com todo metabolismo, alterando assim as o desenvolvimento normal do organismo para a vivência sexual, tanto em homens como em mulheres.
    Por ela aguçar os sentidos, muitas pessoas acabam sempre precisando da maconha para terem as sensações desejadas, o pode caracterizar um problema, pois sem o uso de tais substâncias elas têm dificuldades para conseguir.
    Pelo que você descreve, sua sexualidade parece ser bastante desenvolvida, o que é muito bom. No entanto você comenta que seu desejo sexual é bem alto, e, que "mesmo que a transa tenha sido fenomenal eu acabo me masturbando depois".
    Seria muito bom investigar se atrás desse enorme vontade para o "sexo", não se esconde a ansiedade, na qual, muitos aprendem a usar o sexo como amenizador de ansiedade. Outras pessoas usam a droga, bebida, cigarro, comida, como maneiras para aliviar a ansiedade.
    Quanto ao sexo a três, que você diz "que não está segurando a onda de transar só com um cara", pode reforçar essa hipótese que estou levantando, de que, para você, o sexo pode ter outro objetivo além do prazer sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Atualmente estou grávida de 31 semanas e quando soube que estava grávida já estava com 12 semanas e até então fumava cigarro, maconha, bebia e entre estas dozes semanas, também havia ido a uma rave e tomado extasi. Assim que soube da gravidez parei de fumar cigarro, beber e maconha. Porém nestas dozes semanas o que são os riscos? Até então os exames dão todos normais. Depois do meio para o fim, voltei a fumar maconha e em seguida cigarro, fumo em média no máximo 3 cigarros por dia, as vezes menos e a maconha aumentou, 2 baseados em geral por dia e finais de semana um pouco mais, mas as quantidades são pequenas. Eu sendo o mais franca possível, para que o senhor me dê indicações reais da situação. Beber não bebo. Agora com 31 semanas, quais são os riscos que corro fumando maconha? A formação do bebê como está, pode piorar, pode nascer prematuro? Tudo que li, fala dos efeitos, mas nada comprovado de que realmente faça mal, em alguns sim outros não, mas o que real e o que não é? O que de fato meu bebê já tem de problema? Ele recebe a droga, pode ter mais facilidade para usar drogas, postertior, pode nascer meio lelé? Preciso de ajuda e aguardo retorno.Grata.

    Nathalie, 24 Anos - Ver Resposta

    Oi Nathalie, como vai?
    Vários estudos mostram que o uso de dessas drogas prejudicam o bebê e a mãe. Não há dúvidas sobre essa questão. O que não podemos afirmar é se ao nascer a criança já apresentará problemas ou se isso ocorrerá ao logo da vida. Mas que as chances de ocorrer são grandes, os estudos científicos não deixam dúvidas.
    Você levantou a possibilidade da pessoa ter maior tendência para usar drogas. Sim, isso ocorre e há vários estudos mostrando isso.
    Porém, vejo que há outra questão atrás das suas dúvidas: a dificuldade de você não usar as drogas. Parece que essa deve ser uma questão importante para ser investigada com o auxílio de um psicólogo, pois, sem dúvidas, muitas coisas vão ser descobertas na sua vida que, quem sabe estejam te atrapalhando, impedindo seu crescimento e você não sabe.
    Não sei se você percebeu, mas parece que o "ganho" que você tem ao usar drogas é muito grande a ponto de você preferir colocar a sua saúde e vida, assim como a do bebê, em risco, a parar de usar as drogas.
    Coloco-me à-disposição caso queira saber mais alguma informação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Estou com medo! Sou alcoólatra e dependente químico em abstinência há 4 anos.... Não tenho amigos, não sei fazer e manter amizades... o que faço?

    Luciano, 35 Anos - Ver Resposta

    Olá Luciano, como vai?
    Pois é, essas substâncias, não só acabam com nossa saúde, como também com as nossas relações sociais.
    Provavelmente muitos aspectos na sua vida precisam de atenção, devem estar bastante distorcido. O modo como você pensa, se relaciona, se aproxima das pessoas, é, sem dúvida, de uma maneira que não agrada as pessoas.
    Se aos 35 anos, você tem essa dificuldade, é provável que você tenha muita dificuldade para conseguir se reerguer só. Uma sugestão, é você procurar um psicólogo para trabalhar os aspectos que impedem de você crescer, e assim começar a construir uma rede social de modo saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Estava navegando pela rede quando me deparei com o seu site... e gostaria que o Sr me esclarecesse uma dúvida!!!! Tenho 26 anos... sou fumante desde os 20... inveterado... fumo dois maços de marlboro por dia... fumei maconha diariamente por 6 anos... ultimamente o uso se tornou esporádico, mas sinto muita falta qdo não fumo!! Cheirei cocaína... fumei crack, mesclado e bebo cerveja... tudo esporadicamente (cocaína e crack já não uso mais). Estou namorando há 1(um) ano e na hora de manter relação sexual, vejo que a minha ereção não é das melhores! Inclusive oscila na hora da transa! Acho que meu desempenho não é dos melhores. Minha namorada diz que chega ao orgasmo... 2 orgasmos... 3... mas não acredito! Minha auto estima é baixa! Todos falam que fumo muito. O SENHOR PODERIA ME DAR UM "PARECER" PARA A MINHA SITUAÇÃO? VEJO QUE MEU DESEJO SEXUAL AS VEZES FICA EM BAIXA!!! SERÁ Q SERIA O CIGARRRO O VILÃO DESSA SITUAÇÃO? SERÁ Q SE EU PARAR DE FUMAR, MEU DESEMPENHO IRÁ MELHORAR? QDO SENTO NUMA MESA NÃO CONSIGO PARAR DE MEXER AS PERNAS...TIPO UMA TENSÃO... NERVOSISMO. SERÁ Q ISSO TB PODE ESTAR INFLUENCIANDO?

    Anonimo, 26 Anos - Ver Resposta

    Olá Jovem, como vai?
    Como você mesmo já sabe, as drogas têm influência direta na nossa saúde, alterando todo nosso metabolismo e sistema nervoso central. Desse modo, também afeta a sexualidade.
    Você descreve que é um fumante inveterado, além das outras drogas que já usou. Qual o papel dessas substâncias na sua vida? Qual a necessidade de usá-las? O que será que elas estão substituindo ou mesmo suprindo em você? Seria muito importante você tentar descobrir a respostas para essas questões.
    Por outro lado, você também fala de sentimentos de inquietação, tensão, ansiedade. Isso são sintomas que estão indicando que algo que não está bem, que precisa de atenção profissional.
    Como podemos querer que a máquina mais perfeita do mundo - nosso corpo - funcione bem nesse contexto. Não vai funcionar.
    A sua questão sexual também é vítima nessa história. E tudo indica, caso você não começe a se tratar, que vai piorar cada vez mais.
    Sugiro que você procure um psicólogo, de preferência um psicoterapeuta sexual que irá cuidar de você como um todo, mas que tem um preparo para atender essa questão sexual também.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Prezado Dr Saudações! Como coloquei sou amasiada a 03 anos, com um homem com 59 anos, o qual super viril e que sempre me satisfez a contento. Ocorre que o mesmo sempre gostou que o acariasse no anus com o dedo. Se não bastasse, ele comprou um penis medindo 17X3,5 cm em cyberskin para que eu o penetre. Gostaria muito que o Dr me informasse se é normal ou não, este desejo de meu companheiro, ou o que devo fazer, de que forma devo proceder? pois nos amamos muitissimo e sempre nos realizamos em todos os sentidos sexualmente Estarei ans.iosa por sua breve resposta! Desde já, fico muito grata.

    Monica, 41 Anos - Ver Resposta

    Oi Mônica.
    Eu entendo que isso confunde muito as pessoas. Porém, talvez a sua dúvida esteja relacionada a ele ser ou não homossexual. Isso não necessariamente significa que ele seja gay. Muitos homens sentem prazer na região anal e são heterossexuais. Essa região no homem e na mulher são iguais, dotadas de muitas terminações nervosas, por isso, muito sensível. Se a mulher pode sentir prazer na região anal, por que o homem não pode? Isso está muito associada a preconceito e ao sexo gay. Mas o caminho não é por aí.
    Porém, percebo que você está incomodada com essa questão. Porém vale refletir sobre o que de fato está incomodando: se é a possibilidade de uma homossexualidade ou o "nó" na sua cabeça de penetrá-lo.
    Se há o incômodo, converse com ele e exponha seus sentimentos, quem sabe assim você resolvam esse mal estar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor, Por gentileza,gostaria que o senhor me ajudasse nesta dúvida.Sou casada a 6 anos,e a 1 ano meu esposo começou a pedir que eu introduzisse o dedo no anús dele em todas as relações,quando não introduzo ele não consegue gozar.E a minha dúvida maior,a pouco tempo ele me pediu o seguinte:que ele ficasse de quatro,eu atrás dele introduzindo o vibrador no anús dele e precionando meu corpo contra o dele.Lí suas respostas em relação a esse assunto de sexo anal em homens e entendi que eles podem sentir prazer assim.Mas será que a posição que ele me pediu para ficar não é estranha?por favor me responda URGENTE pois estou muito preocupada. Fabricia.

    Fabricia, 33 Anos - Ver Resposta

    Oi Fabricia, imagino que essa situação deve deixar você muito confusa.
    De fato, o que você leu nas outras respostas é mais comum do que se imagina, mas cada caso precisa ser analisado particularmente.
    Não é a posição ou o prazer anal que diz que ele é ou não gay. No entanto não sabemos o que passa na cabeça dele, que tipo de fantasia ele tem, e a posição pode ser algo nesse sentido.
    Vale conversar com ele sobre suas impressões e abrir espaço (sem crítica ou ataques) para ele falar sobre o assunto.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Meu namorado gosta de ser penetrado. Isso é normal?

    Elaine, 35 Anos - Ver Resposta

    Oi Elaine, como vai?
    Quando olhamos para essa situação sem a influência do preconceito, veremos que não há problemas nisso.
    O homem ser penetrado está muito ligado a homossexualidade, o que não é uma condição verdadeira, pois a região anal tanto dos homens quanto das mulheres anatomicamente e fisiologicamente são iguais, por isso os dois podem sentir prazer nessa região se estimulados.
    Por que as mulheres que gays podem e os homens heterossexuais não podem?
    Sei que isso não é fácil para algumas pessoas entenderem. Mas tentar ver isso sem preconceito pode facilitar a compreensão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Peço que se possível responda esse email de forma URGENTE. Pode ser que pra o Dr. isso seja uma pergunta normal, mas há uma situação que está atrapalhando meu relacionamento. Meu namorado tem 25 anos e sente enorme prazer no ânus, pede pra que eu acaricie, introduza objetos maiores que meu dedo ou o dedo simplesmente. Diz coisas como quem quer algo maior dentro dele. Quer gozar ás vezes enquanto eu o acaricio. Pergunto: Permito que ele goze enquanto eu faço carícias? Isso não pode despertar algum tipo de homossexualidade nele? Ele pode ser bissexual? Por favor me ajudo Dr, pois não quero me relacionar com um homo ou bissexual. Obrigada

    Dayane, 25 Anos - Ver Resposta

    Oi Dayane.
    Não existe nada que "cause" a homossexualdiade.
    Ele aprenseu a sentir prazer dessa maneira, o que parece estranho para você. Mas isso não significa que ele seja homossexual ou bi. Por isso, não há nada de errado em gozar dessa maneira.
    O que é preciso ficar atenda é se isso se torma uma rotina, se somente dessa maneira ou na maioria das veses ele prefere assim e com isso deixa de lado o que seria o "normal".
    È importante você olhar para seus sentimentos também. Se esse tipo de prática te agride, faz você se sentir mal, pense como você se sentirá a longo prazo também.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Bom sou separada a 3 anos ,mais até hoje continuo transando com meu ex marido.só que ando percebendo que o prrazer sexual dele anda meio mudado ,acredito que quando amamos alguém no sexo tudo pode rolar mais estou meio prteocupada por exemplo sinto que ele começou a ter muito interesse em suruba coisa que não sou muito fã gosto de sexo a dois .Nessa noite ele me pediu para que eu lambesse o anus dele tinhamos acabdo de tmar um banho maravilhoso de banheira ,achei estranho pois pensei assim homem que é homen não suporte nem uma possibilidade de chegar perto do anus como posso tirar essa dúvida da cabeça será que meu quase ex marido é gay,o que ele andou aprontando no tempo que ficamos separados ,experimentou quais surubas emfim me ajude.

    Anita, 34 Anos - Ver Resposta

    Olá Anita.
    Essa questão perturba muitas pessoas. Mas é importante entender algumas coisas: a região anal da mulher e do homem são iguais, com muitas terminações nervosas, o que possibilita sentir prazer quando estimulado. Então, por que a mulher pode ser estimulada nessa região e sentir prazer e o homem não pode?
    A resposta está no conceito preconceituoso e moralista de que "homem que é homem não pode sentir prazer na bunda". Normalmente essa prática está associada a homossexualidade, por isso esse preconceito.
    Não sei qual é a questão do seu ex marido, mas quando ele pede para você acariciar o anus dele, não necessariamente significa que ele seja gay, mas com certeza ele descobriu mais uma maneira de sentir prazer.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casado, tenho filhos, sou feliz, estável profissionalmente e financeiramente. Quando criança, observava perplexo que atraía os garotos sexualmente. Alguns garotos mais velhos passaram a me usar sexualmente, a me penetrar. Inicialmente fiquei chocado, mas depois passei a gostar que me penetrassem. Até hoje,sinto um prazer enorme em ser penetrado. Tenho encontros sigilosos com rapazes, remunerando-os para que me penetrem. Não gosto de homens, apenas de ser penetrado. Gosto do pênis deles,não deles. Isso é normal? Agradeço desde já a orientação.

    Junior, 56 Anos - Ver Resposta

    Olá Júnior.
    Essa é uma questão bastante polêmica, porém, mais comum do que se imagina, mas por ser ser um tabu na nossa sociedade, poucos assumem essa forma de prazer e desses, menos ainda falam par alguém.
    Júnior, essa questão gera muito mal entendimento porque a prática do sexo anal em homem está ligada a homossexualidade, e nesse caso, o preconceito é algo ainda muito presente na nossa cultura.
    Pelo seu relato, desde a sua infância você desenvolveu a erotização na sua região anal, e isso pode ser desenvolvida tanto em homens como em mulheres. As suas brincadeiras sexuais desde a infância foram canalizadas dessa forma, como desde lá essas brincadeiras foram tidas como prazerosas, você fez essa associação, tanto que sua fala é "Gosto do pênis deles, não deles."
    E por fim, falar de normalidade é algo bastante discutível. Acho que a questão não é discutir se é normal ou não, mas sim se isso atrapalha sua vida, seu relacionamento familiar. Caso sim, caso isso gere angústia, algum sofrimento ou interferência negativa, então seria interessante ampliar essa discussão com um psicólogo para ajudá-lo. Do contrário, seja feliz.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Pratiquei sexo anal a muito tempo atras tinha dezesseis anos, depois de um tempo não pratiquei mais. Aos 20 anos comecei a namorar e tentei praticar novamente mais comecei a sentir muita dor acabamos desistindo de tentar, mas hoje com 27 anos tenho vontade de voltar a praticar. O que posso fazer para amenizar a dor ? e porque será que antes eu não sentia dor e hoje eu sinto muita dor...Obrigada pela atençâ.

    Luciane, 27 Anos - Ver Resposta

    Oi Luciane.
    Tirando a possibilidade de existir alguma questão orgânica como um ferimento, o motivo da dor é o não relaxamento adequado.
    Quando você tentou e doeu, ficou com essa mensagem registrada, então, ao tentar novamente você já vai preparada para sentir aquela dor, por isso não relaxa o suficiente e então vem a dor.
    O uso de lubrificante é muito importante nessa hora. Além disso, faça exercícios com um dedo algumas vezes, e depois treine com algo com um diâmetro maior até atingir o diâmetro de um pênis. Mas esses exercícios precisam de tempo, quem sabe semanas de treino. Lembre-se de que o objetivo é sentir prazer e não dor.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Não curto sexo anal, mas fiz commeu namorado, senti muita dor, e fiquei com uma saliência no anus por quase uma semana. O que aconteceu? Que tipo de argumentos posso usar para meu namorado desistir desta prática? Curto qualquer outra coisa, mas sexo anal odeio...detesto... Se ele insistir terei que terminar o namoro...gosto dele, mas sexo anal não curto de jeito nenhum...e não é tabu, sou bem resolvida...mas me incomoda colocarem o dedo em mim, a sensação de alguém lambendo é péssima...tenho amigas que curtem, respeito,mas eu não curto mesmo.

    Susana, 36 Anos - Ver Resposta

    Oi Susana.
    Que chato isso. Mas eu a entendo, e seu que há um grande apelo para o sexo anal.
    Eu penso que ser colocada numa situação na qual você se sente violada, agredida e até com danos físicos, para apenas satisfazer uma vontade do parceiro, não é uma relação saudável, mas sim egoísta.
    Claro que é importante que você converse com ele e exponha o quão aversivo é isso para você. Caso ela não compreenda e queira assim mesmo continuar com essa prática, acho que vale à pena rever a relação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada há 12 anos, e a pouco tempo começamos a fazer parte de swing, meu marido é louco para eu fazer sexo anal com ele, mas já tentei e nao consigo doi muito talvez pq o penis dele é grosso, ja tentei d tudo anestesico e nao tenho problemas como emorroidas nada, gostaria de resolver isto tenho vontade mas parece q o medo toma conta, nao gostaria de ver ele fazer com outra,a nao ser eu, me ajude preciso resolver isto.

    Tania, 31 Anos - Ver Resposta

    Tania, existe duas questões para ser abordado nessa pergunta.
    Para quem quer iniciar na prática do sexo anal, é importante alguns passos. Entre eles, sempre usar a camisinha, mesmo com o marido, usar algum lubrificante (KY), e não começar a penetração com o pênis. Vá devagar, primeiro com um dedo e só passe para dois dedos depois de se acostumar com um. Isso pode legar algumas boas vezes de treino. Então depois vagarosamente use o pênis.
    A outra questão é o motivo que a levaria fazer essa prática. Se essa não for uma prática que você queira, que não lhe proporcione prazer e se for apenas para agradá-lo, você precisa rever essa relação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Durante as relações sexuais, sinto muita tesão e muito desejo, adoro todo ato em si porém me incomoda pq tenho pouca lubrificação, isso é preocupante? DEve-se a que? Meu parceiro já chegou a mencionar q eu estava "seca" durante a transa e isso me incomodou. Outra dúvida é com relação ao sexo anal, adoro essa prática e costumo fazer com muita frequencia, dia sim, dia não e às vezes até diaramente e mais q uma penetração anal no mesmo dia. Pode trazer algum problema? O sexo é seguro com camisinha e bastante lubrificante mas meu receio é com relação ao meu organismo. Se for possível enviar a resposta para meu e-mail, agradeceria. Obrigada

    Cris, 39 Anos - Ver Resposta

    Olá Cris.
    É preciso investigar o motivo dessa dificuldade com a lubrificação.
    Num primeiro momento é bom ver se existe alguma questão orgânica, por isso ir ao ginecologista é importante.
    Caso não haja nada orgânico, então a questão é psicológica, ou seja, muito provavelmente você não está se excitando o suficiente para ter boa lubrificação. Isso é ruim para você e para o parceiro.
    Quanto ao sexo anal, os cuidados necessários você já está tomando, que é o uso da camisinha e lubrificante. Porém, sobre a frequência, isso depende de cada pessoa e do como é feito. Cada um tem seus limites e isso precisa ser respeitado.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi Dr. Claudecy Eu gostaria de sabe como posso fazer a limpeza retal..pois me incomoda muito o fato de sair algumas sugeira no pênis do meu marido..e ele assiste filmes pornos e ve que nelas não sai nada, ele não me fala mas sei que essa sugera não agrada ele também..

    Iabela, 19 Anos - Ver Resposta

    Oi Iabele. Como vai?
    De fato, para muitas mulheres que praticam o sexo anal, ver um pouco de feses no pênis é constrangedor.
    Porém é importante fazermos uma distinção entre a vida real e os filmes. As mulheres que praticam sexo anal nos filmes estão ali interpretando um papel, e para isso elas se preparam. Nessa preparação está incluído a lavagem retal e muitas vezes uma pre lubrificação para a hora da penetração.
    Na hora da cena, toda essa preparação faz parecer que é daquele modo que aparece nos filmes, que deve ser, que é o certo... Mas isso não é real.
    No dia a dia as pessoas que fazem os filmes são normais como nós.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, preciso muito da sua resposta sobre um assunto que está me deixando preocupada! Estou com uma inflamação causada por hemorróidas (já estou me tratando com um especialista, mas tive vergonha de falar sobre isso). Já li bastante sobre o assunto e sei que o sexo anal não causa essa doença, mas a minha preocupação é... eu só gosto de fazer sexo anal, não gosto de sexo vaginal porque me causa dor e não me dá prazer o que acontece exatamente o oposto com o sexo anal. A minha dúvida é como vou saber que naquele dia não posso fazer sexo anal, porque vai me dar esta inflamação de novo? Eu sei que como eu já tenho se fizer em um período ruim só vai agravar o meu caso... mas como sei que estou nesse período ruim? POR FAVOR ME AJUDE!!! No momento estou com uma inflamação muuuuuito feia (que como disse, já estou tratando) é tipo uma "bolsa" para fora do ânus que me doi tanto que mal consigo andar e sentar, e ficou assim tão grave depois de uma relação sexual anal (mas faz muito tempo que eu só faço sexo assim) mas desta fez ficou assim horrivel. Me ajuda, por favor!

    Joanna, 24 Anos - Ver Resposta

    Oi Joanna.
    Não tem como saber quando você estará com hemorróida (inflamação nas veias da regiaão anal) ou não.
    Entendo que para algumas pessoas falar sobre isso seja constrangedor, porém, é necessário você conversar com seu médico e expor exatamente sua situação. Assim, ele tem como orientá-la adequadamente. Caso contrário, você continuará com esse problema periodicamente, o que, além de descofortável e doloroso pode agravar mais e causar outros problemas.
    Outra questão importante é sobre a dor que você sente ao ser penetrada na vagina. Como é essa dor? Desde quando acontece? Quando acontece?
    Se existe essa dor, é sinal de que algo não está bem, logo, o sexo anal passou a ser uma via alternativa para você.
    Sugiro que você vá a um ginecologista e depois a um terapeuta sexual para entender o que está acontecendo e ser tratada.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Há muito tempo que meu marido me pede para fazer sexo anal com ele, mas tenho hemorróidas e tentamos duas vezes mas senti muita dor e ele não conseguiu efetuar a penetração, eu gostaria de saber se eu posso continuar tentando? Confesso que ñ utilizamos lubrificantes, apenas camisinha, a dor é horrível, mas eu gostaria de satisfazer o meu marido, o que eu devo fazer?

    Carla, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Carla.
    Quem tem hemorróidas, ou propensão para ter, deve evitar o sexo anal, pois normalmente machuca e pode inflamar.
    O uso de lubrificante é muito recomendado para quem quer fazer anal. Mas é importante você pensar em você também, pois nesse caso, satisfazer seu marido significará um sofrimento para você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • quero fazer sexo anal com minha parceira, mas ela tem hemorróidas e tem medo, usando preservativo tem alguma possibilidade de machucá-la?

    NGC, 61 Anos - Ver Resposta

    Olá NGC.
    O preservativo nesse caso só terá a função de pretegê-lo de alguma contaminação por ccausa das fezes.
    Se ela tem hemorróidas, o sexo anal não deve ser feito. Primeiro ela deve ir ao médico para resolver esse problema.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tenho uma duvida sobre sexo anal... Ja fiz algumas vezes e ja não sinto dor. O meu problema é que sempre quando estamos no meio da coisa começa a sair um liquido marrom...tipo fezes misturada com o lubrificante(KY).Mesmo depois de ja ter defecado algum tempo antes do ato sexual sempre sai esse liquido que acaba sujando a cama e escorre pra minha vagina e tb sinto uma certa vontade de defecar no momento.Sei que isso não é bom por causa das bacterias anais em contato com a vagina. Será que é pq demoramos demais com a penetração anal? O que posso fazer pra "limpar" o reto antes do sexo?Algumas pessoas ja me falaram sobre usar um produto(fleet enema) pra limpeza do reto q é usado antes de exames como a colonoscopia....isso pode ser usado rotineiramente para o sexo anal?Esse corrimento é comum de acontecer? Tudo isso gera um certo desconforto pq temos que parar tudo pra podermos nos lavar...o meu parceiro esta sempre com camisinha. Gosto muito do sexo anal que me da muito prazer mas fazer a coisa na espectativa de que vai sair fezes e atrapalhar tudo é horrivel! Preciso de ajuda!!! Por favor....se puder, me mande a resposta por email. Obrigada!

    CRM, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi CRM.
    De fato, é desagradável essa situação das fezes escorrendo. Mas faz parte do sexo anal. Em algumas pessoas isso é mais em outras menos.
    O uso de enemas para limpara o reto não deve ser feito com frequência, pois atrapalharia o sistema natural de microorganismos que vivem nessa região e são importantes.
    É muito comum no filmes pornôs as atrizes fazerem o uso de enemas, pois ali elas estão representando um papel e não fica bem se aparecer fezes.
    O uso exporádico não tem contra indicação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, doutor. Gostaria de tirar uma dúvida que está me perturbando muito. Descobri recentemente a prática do sexo anal com meu namorado. Nossa relação é ótima, dialogamos bastante! E essa descoberta está me proporcionando muito prazer, realmente. Acontece que ainda acho que essa prática é vista por mim, e por muitos como algo incomum ou incorreto.Quais suas recomendações nesses casos? É uma prática saudável? Corro algum risco de ter problemas no futuro? Ou é incorreto pelo fato de ser uma área delicada?

    D., 26 Anos - Ver Resposta

    Olá D.
    O sexo anal ainda é motivo para muitos debates.
    Mas como você disse, o sexo anal está proporcionando muito prazer a você e provavelmente ao seu parceiro, o que é muito bom.
    Existem muitas maneiras de sentir prazer sexual, uma delas é o anal. Desde que seja de comum acordo ao casal não há problemas, ainda mais se o prazer estiver presente.
    Alguns cuidados precisam ser tomados como, sempre usar a camisinha, pois pode causar infecções ao homem, já a região anal devido as feses, tem muitas bactérias que na uretra do homem não são bem vindas. O uso de lubrificantes como o KY é importante já que o anus não possui lubrificação como a vagina.
    A sua visão de que essa prática é incomum ou incorreta, muito provavelmente tenha origem em crenças populares, já que na nossa cultura a influência da igreja é muito grande.
    No entanto, se tomados os devidos cuidados, não há nada que a impessa de sentir prazer dessa maneira.
    Parabéns por isso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. namoro a 1 ano e meio. Na 1ª vez que tivemos relação sexual com o meu namorado, deixei que ele penetrasse no meu anus, não sei direito como deixei, nunca tinha feito isso antes, mas aconteceu tão rápido que...sei lá. Contei a ele que nunca tinha feito aquilo antes e ele na hora pareceu acreditar, mas um tempo depois ele começou a dizer que eu menti, pois eu tinha deixado muito fácil, talvez ele tenha razão em pensar desse jeito. Jurei a ele por tudo mais sagrado desse mundo que não menti, mais sempre caiamos na mesma discurção, ele disse que isso não saia da cabeça dele, que a mesma rodava pensando nisso. Teve uma briga que eu me sentia tão esgotada, não tinha mais força pra discutir, e comecei a concordar que eu tinha mentido, queria acabar com essa discursão de uma vez por todas.Ele disse p/ q não o procurasse mais, ficou totalmente perdido. Enfim, fui fraca e na cabeça dele eu sou uma mentirosa, que cheguei a jurar para ele, por tudo que é de mais sagrado. Não sei o q fazer, não queria q ele pensasse isso de mim, pois eu disse a verdade e não tenho como provar isso. Ele está sofrendo muito e diz que não pode mais confiar em mim e eu sofrendo em dobro. Socorro! Eu o amo demais.

    Rosangela, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Rosângela.
    O problema não está no sexo anal, mas sim na extrutura psicológica do seu parceiro. Todos esses comportamentos indequados dele, como a insegurança e a dificuldade de acreditar em você (e em qualquer pessoa que ele se envolva emocionalmente), acabam desgastando muito a relação e com isso vem o seu sofrimento.
    A região anal é um músculo, e se essa musculatura estiver relaxada a penetração será mais fácil, o que, não significa necessáriamente que a pessoa já praticou sexo anal antes.
    Penso que é importante você rever se essa relação está sendo saudável para você, se está promovendo o crescimento individual e do casal, já que ele tem forte influência sobre seu comportamento a ponto de você dizer que fez o que não fez, de se humilhar, se violentar e sofrer.
    Onde está seu amor próprio? Sua dignidade? Com a dificuldades dele de respeitá-la, acaba te prejudicando, colocando você para baixo e até fazendo você duvidar de seus próprios comportamentos.
    A vida é muito gostosa para ser vivida dessa maneira.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Claudecy de Souza, estou passando por uma fase incomum e difícil de se achar respostas, sou casada e estou confusa com alguns fatos q estão ocorrendo nessa relação. Bom, nós temos um relacionamento onde nos abrimos falamos de nossos desejos, fantasias e etc. O que me deixa intrigada é q após 11 anos de relacionamento, neste ultimo ele começou a gostar que eu tocasse seu ânus, e após começou a sentir desejo em que eu o penetrasse com um vibrador, eu percebo que ele sente enorme prazer quando isto acontece, estou com medo que ele seja gay, por favor me ajude a entender tais fatos e como devo agir , por favor aguardo um cantato. Grata.

    Claudia, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Claudia.
    Isso deve dar um nó na sua cabeça.
    Mas vamos com calma.
    A região do ânus do homem como o da mulher têm a mesma estrutura orgânica, o que significa que os dois são passiveis de sentir prazer nessa região, principalmente por ser uma região muito inervada, o que o torna muito sensível. E isso não significa que se o homem sente prazer na região anal, ele seja homossexual. Assim como a mulher pode sentir, o homem também.
    O que ocorre nessa situação, é que vivemos numa sociedade onde é difundida a idéia que o homem não pode ser acariciado na bunda e muito menos sentir prazer. Mas esse é um pensamento equivocado que precisa mudar.
    Mas é importante saber como andam os outros aspectos da vida sexual de vocês. E uma conversa franca com ele sobre suas dúvidas pode ser muito esclarecedora.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. eu namoro há 3 anos, meu namorado só gosta de praticar sexo anal, há 6 meses eu estou traindo ele com um ex namorado meu que hj está casado, o motivo da traição é a não satisfação sexual, eu não tenho coragem de falar com ele sobre esse assunto, e o pior é eu amo meu namorado, mas nao sou feliz sexualmente. dr ql argunmento eu poderia usar para falar com ele sobre esse assunto? Me ajude!!!

    ANF, 19 Anos - Ver Resposta

    Olá ANF, como vai?
    Parece que a comunicação entre vocês é um pouco deficiente. Tenho a impressão, que desde o início da relação, vocês não nutriram o aspecto do diálogo de forma saudável, aberta, com respeito, falando dos sentimentos, idéias, fantasias...
    E depois de um tempo de relacionamento, como é o caso de vocês, parece muito difícil e complicado falar de coisas tão intimas e importantes quanto a situação que você me conta: a insatisfação sexual.
    A sua insatisfação é por que ele só gosta se sexo anal? Ou será que existe outros motivos que você não mencionou aqui?
    Por outro lado, parece que desde o início dessa relação, você vem se anulado, pelo menos no que diz respeito a sexualidade. Ou seja, no começo, mesmo ele mostrando esse interesse pelo sexo anal, você não expôs seus sentimentos, seus limites e até mesmo regras, dizendo por exemplo, que o sexo anal é muito bom para ele, que o satisfaz, mas não é a maneira como você se satisfaz.
    A relação para crescer, é preciso que ambos estejam bem, precisa acontecer trocas de experiências, de emoções, compartilhara as idéias. Quando isso não ocorre, a relação fica debilitada, e então, começa a busca fora da relação por algo que satisfaça, que supra a deficiência.
    Caso você queira levar isso adiante, será preciso coragem e tato para dialogar, contar sua insatisfação, mesmo que isso abale a relação, mas assim você terá a chance de fazer seu parceiro pensar, e ver que desse modo ele está sendo egoísta.
    Caso queira ANF, pode entrar em contato para maiores explicações.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • DR. SOU CASADA A 13 ANOS E TENHO 2 FILHAS, 12 E 10 ANOS. MEU CASAMENTO NÃO ESTÁ BEM E PENSO ME SEPARAR, HA ALGUM TEMPO CONHECI UM HOMEM MARAVILHOSO QUE ME PAQUEROU E ME DEIXOU ENCANTADA, ACABAMOS SAINDO E TRANSAMOS, EU ADOREI, ME SENTI UMA MULHER GOSTOSA PORÉM DIAS DEPOIS ( EU SABIA QUE ELE ERA CASADO ) ELE DISSE QUE SE EU QUISESSE CONTINUAR A VÊ-LO TERIA QUE SER A 3: EU ELE E A ESPOSA DELE. NUNCA TIVE TAL EXPERIÊNCIA, MAS ELE ME EXCITA, ME DEIXA MALUCA E O QUE DEVO FAZER? POR FAVOR ME AJUDE...

    Anonima, 00 Anos - Ver Resposta

    O sexo a três, para muitas pessoas é maravilhoso, uma grande fonte de prazer. No entanto, para muitos, essa prática é uma agressão, viola princípios e crenças que foram cultivados durante sua formação moral e ética. Assim, podemos dizer que praticar sexo a três ou com mais pessoas, é muito particular, cada pessoa tem uma estrutura que vai ou não permitir essa vivência.
    Porém, é importante você observar seu histórico na relação com seu marido: você está infeliz, suas necessidades enquanto mulher, esposa, não são supridas. Muito provavelmente outros aspectos da relação de vocês também devem estar precárias, como por exemplo, o diálogo de modo saudável, o respeito, a atenção aos filhos...
    Nesse ambiente nada facilitador para promover o crescimento do casal e dos filhos, a relação está desgastada, talvez você tenha perdido as esperanças de investir no casamento, e para completar, aparece uma homem e lhe dá atenção, carinho, que te proporciona prazer sexual, que faz você se sentir bem, se sentir viva, despertar novamente sua energia e capacidade sexual. Tudo de bom, não é?
    Por outro lado, parece ser tentador para você essa idéia de sexo a três, principalmente porque essa é a condição para você usufruir do que ele te proporciona.
    Tenho a impressão que em sua relação com seu amante, não há a pretensão dele ou você largarem seus casamentos para ficarem juntos, mas sim, apenas aproveitar os momentos de prazer. Então podemos pense nos seguintes aspectos:
    - Você está com vontade de fazer sexo a três? Se sim, ok. Mas se não, vale a pena se violentar?
    - Será que só existe esse homem capaz de te dar atenção, carinho e prazer?
    - Por que você ainda está com seu marido, se a relação não está bem a ponto de querer se separar? E o que você está ganhando ao manter ainda essa relação nessas condições?
    - Você já pensou em procurar a ajuda de um profissional, psicólogo para o casal ou para você só?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Prezado Dr. Claudecy Tenho muitas fantasias, mas a principal é a de ver minha esposa com outro homem. Começamos a fantasiar essa possibilidade há seis anos, quando ela conheceu um rapaz na internet e passou a se relacionar com ele virtualmente, sempre com conversas picantes. Gostei disso e sempre a incentivo. Mas nunca colocamos em prática, por medo dela, embora sinta desejo. Essa possibilidade melhorou muito a nossa vida sexual. Isso me excita muito. Em síntese, isso nos excita muito, mas tenho receio de que a incentivando, possa criar uma situação da qual sinta-se culpada depois. Ela, embora deseje muito, está presa a questões culturais que molda o comportamento da mulher. Gostaria que você comentasse sobre isso. Obrigado

    DCS, 41 Anos - Ver Resposta

    Olá DCS. É isso mesmo que você descreveu. Essa possibilidade da culpa existe. O fato da mulher se excitar com essa situação, não significa necessariamente que ela queira realizar. A sua estimulação pode ser interessante enquanto fantasia, porém, isso não invalida a possibilidade de algumas consequências que são comuns ocorrer, como a mulher achar que o homem não a ama, que ela está oferecendo-a a outro homem (a mulher pensa e funciona diferente do homem), afetar a qualidade da relação, dar abertura para ela se envolver emocionalmente com outra pessoa... Mas também existe a possibilidade de, caso a estrutura do casal esteja bem sólida, de que essa seja apenas uma maneira de apimentar a relação. Nesse caso seria interessante que isso não fosse a fonte principal de fantasias, excitações e prazer do casal.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • boa tarde, sou casada há 5 anos tenho um otimo relacionamento com meu marido, mas, sempre tive a curiosidade de transar com outro homem, pois me casei virgem, e ele de tranzar com 2 mulheres, conversamos sobre o assunto e concondamos com nossas fantasias. num belo dia encontramos uma amiga e ela topou, confesso que fiquei um pouco travada, mas, foi legal ele gostou muito , mas foi o que ele esperava.... no entanto resolvi procurar o meu parceiro nao queria que fosse ninguem estranho, resolvemos entao por um amigo em comum, expliquei para ele de minha curiosidade e que meu marido concordava, e ficamos conversando alguns dias sobre o assunto, mas sempre dizia que nao tinha coragem, por causa da amizade mesmo me achando muito bonita. Meu marido entao conversou com ele e explicou toda a situação, inclusive que eu teria participado da fantasia dele. esse amigo disse que tambem tinha muita curiosidade, mas tinha medo de não conseguir na hora h. depois voltei a conversar com ele e ele me disse que não, que nao achava necessario, errado, mas percebi que ele queria sim , que ele quer. depois conversando com meu marido chegamos em algumas hipoteses 1) ele é virgem, e ficou com medo de não suprir minha expectativa. 2) nunca foi num motel, 3)OU algum outro problema que ele nao quer contar. por que no final da nossa conversa ele disse que se algum dia ele tiver coragem ele iria me falar. eu nunca imaginaria que um homem falasse nao numa situaçao dessas, o que vc acha?

    Nina, 28 Anos - Ver Resposta

    Olá Nina.
    Eu entendo que esse tipo de fantasia é muito excitante. Acho que você e seu marido têm uma característica muito importante que é o de dialogar sobre essas questões que muitos sentem vontade, mas não conversam sobre, e preferem realizar escondido.
    Quanto ao amigo, não sei se seria importante colocar o foco nele, no por que ele não quis. Também não é verdade que todo homem aceitaria ou que todos desejam uma aventura assim. Talvez seja melhor dizer que a maioria deseja.
    Penso que ao invés de ficarem tentando descobrir o motivo que ele não quis, quem sabe, seria mais interessante vocês pensarem em qual o outro homem que vocês escolherão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casado a 14 anos ,3 filhos,minha mulher casou virgem ,a alguns anos atras contei da minha fantasia de vela transando com outro,icentivei ela a usar mini saia ,com isso um colega de trabalho comecou a cantala ela me contou eu incentivei a deixei ela transar com ele ,ela marcou transou com ele no servico de manha antes do pessoal chegar ,ela me contou tudo depois e tivemos uma noite e tanto ,as vezes falamos disso na h da transa ...mas isso e realmente normal

    Everton, 41 Anos - Ver Resposta

    Olá Everton.
    Falar de normalidade em algumas situações é delicado.
    No seu caso, como em muitos semelhantes, o que precisamos observar é o que causou e o que está mantendo essa vontade.
    O risco dessa forma de prazer sexual, está na possibilidade de afetar o relacionamento a médio ou a longo prazo.
    Sei que o prazer que você sente é muito grande, por isso a vontade de continuar e manter o incentivo a esposa.
    Como sua esposa se sente diante disso? O que ela fala?
    Seria legal, caso você queira e esteja te incomodando, conversar com um psicólogo para ver se há algo atrás de tudo isso que necessite ser trabalhado.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Como se explica essa vontade de ver a mulher transado com outro (ou outros) na frente do marido? De onde pode vir eesa fantasia? Não sabia que era fato tão presente na vida de vários homens, me incluo entre eles. Obrigado e parabéns pelo site.

    Alexandre, 34 Anos - Ver Resposta

    Olá Alexandre.
    Obrigado pelos elogios.
    Não existe uma única causa. Somos diferentes e por isso reagimos a estímulos de modo diferentes.
    De todos os casos que já atendi com essa queixa, as origens foram diferentes.
    O que é importante verificar é o sentido/motivo (além do prazer) que leva cada um a praticar essa forma de sexo. Isso é muito particular.
    Existem aqueles que encontram nessa maneira de sentir prazer, o modo de serem humilhados (para essas pessoas isso é muito prazeroso), outros para terem o consentimento da parceria para transarem com outras pessoas, outros para realizarem uma fantasia (e só isso e nada mais), outros porque começaram a fantasiar com essa situação, outros foram expostos a estímulos como esse e desenvolveram essa forma de prazer... Além dessas possibilidades, há várias outras. Ou seja, cada caso precisa ser analisado separadamente.
    Mas é importante salientar que, o que dever ser visto como um sinal de alerta é se há sofrimento, se a há brigas porque a parceira não aceita, se a relação corre perigo... Esses são alguns dos sinais que devem ser vistos como alerta, e nesse caso é importante procurar um psicólogo para ajudar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Puxa nem sei por onde começar. Tudo isso é muito confuso p/ mim. Amo muito minha mulher, sou muito apaixonado por ela. Mas de um tempo pra cá não consigo parar de fantasiar com transando com outro homem. Tenho essa fantasia quase todo dia. O que atrapalha muito meu desempenho sexual, porque nessa hora o tesão é tanto que a ejaculação é inevitável. Depois que passa o tesão minha cabeça fica confusa, porque na verdade eu não quero que isso aconteça sei lá. Não aguento mais, isto tá sendo uma tortura, um tormento. Minha esposa sabe. E é muito compreensiva. Diz pra eu não ficar assim, que tudo bem, é normal. Já até participou da fantasia. Mas a questão é que eu não aguento mais. Queria parar de pensar nisso. Isso tornou se um vício incontrolável e me atormenta muito. Ao mesmo tempo que quero parar também não quero. Socorro!!!!!!

    Marcelo, 35 Anos - Ver Resposta

    Olá Marcelo.
    Eu acho muito importante o que você está fazendo, que é pedir ajuda quando não conseguimos resolver algo que nos atrapalha. Parabéns por isso!
    Não se sinta sozinho nessa situação, existem muitos homens com esse desejo, mas não saem falando para todos por aí. Mas com isso não estou dizendo que é certo ou errado, saudável ou não. Cada caso é precisa ser analisado individualmente.
    No entanto, no seu caso, você relata que está sofrendo e isso deve ser visto como um sinal de alerta.
    Será importante investigar para entender o por que dessa fantasia e do sofrimento.
    Esse sofrimento da qual você relata, pode ter origem no medo de após essa prática, casamento de vocês fique abalado, bem como, "compartilhar" sua esposa, pode não ser algo bem aceito por você, algo meio proibido, mas que ao mesmo tempo é uma situação que o excita.
    Outra coisa que dever ser considerada, que pode contribuir para esse sofrimento, é a confusão que está na sua cabeça de amar sua esposa mas ao mesmo tempo desejar que ela transe com outra pessoa. Na maioria das vezes, com mais frequência entre os homens, desejar praticar essa forma de sexo, envolve apenas sexo, sem envolvimento emocional, o que pode ser bem aceito pelas mulheres. Mas essa é uma das regras desse jogo: nunca se envolver.
    Como você está muito confuso e sofrendo por causa disso, seria muito importante que você procurasse um psicólogo para trabalharem essas questões que tanto fazem você sofrer.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Prezado Doutor Claudecy, Estou no meu segundo casamento, no primeiro casamento fiz sexo a 3 (eu, meu marido e uma garota de programa). Gostei muito, enfim meu primeiro casamento acabou e agora estou com um homem 7 anos mais novo que eu, ele gosta muito de sexo, e agora quer me ver com outro homem, no começo me senti desrespeitada, que ele não me amava mais, enfim não me senti bem com a proposta, mas ultimamente ele vem falando o que ele quer que eu faça com outro homem que vem me deixando o sexo mais apimentado, mas depois me da um vazio, eu quero fazer mas tenho medo de acabar com meu casamento, isso é normal ou é uma doença? Obrigada.

    Fernanda, 35 Anos - Ver Resposta

    Oi Fernanda.
    Que bom que você está procurando ajuda, parabéns por isso.
    De fato essas práticas não são para todos, e poucos de fato têm condições de brincar e não saírem machucados.
    É muito comum, principalmente às mulheres, confundirem essas propostas dos parceiros de vivenciarem essas aventuras com descaso, em relação a parceira, que não a ama mais... Porém, não cada caso é único e precisa ser analisado separadamente. Numa relação estável, quando o homem propõe esse tipo de sexo, isso para ele é apenas sexo, sem emoção, o que é difícil para algumas mulheres entender.
    No entanto, pelo seu relato parece que você está sofrendo com essa situação, pois a insegurança e o medo de abalar o relacionamento é grande. Porém Fernanda, esse é um risco que se corre nessa prática. Ouço relatos de casal que tiveram sérios problemas com isso, como também de casais que gostaram e relatam como sendo uma aventura que serviu para apimentar. Ou seja, não há certezas apenas hipóteses, dependendo muito da estrutura de cada relacionamento.
    Porém é importante se pensar se vale a pena correr esse risco ou mesmo, qual a necessidade dessa prática. O que está atrás disso, apenas uma simples fantasia ou outras questões pendentes que o casal não consegue conversar ou resolver?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, Sou casado e tenho imença vontade de fazer sexo com outros casais ou até mesmo ver minha esposa com outro, no começo minha esposa até teve um mínimo de interesse pelo assunto, mas agora ela não está interessada mesmo e eu preciso tbm parar pois ela não gosta disso e eu fico alucinado em chats e pornografia focados nesse assunto, o que posso fazer para parar com essas fantasias, pois estou criando problemas no meu relacionamento, já virou vício pornográfico, mas sei que é por uma razão, a fantasia...

    Carlos, 29 Anos - Ver Resposta

    Oi Carlos.
    De fato algumas fantasias podem desencadear um problema.
    Pela sua mensagem parece que esse assunto mexe muito com você, mas você está num relacionamento e sua parceira parece não aceitar. Isso precisa ser respeitado. E alimentar uma fantasia que "já virou vício pornográfico", pode estar demonstrando que tem algo que não está bem, a qual parece estar fora do controle.
    Esse reconhecimento de que existe um problema e o ato de pedir ajuda, já merecem parabéns.
    Seria muito importante que você procurasse um psicólogo para ajudá-lo a entender o que está acontecendo e assim, juntos resolverem o que for necessário.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, Tenho um relacionamento de muito respeito e confiança com minha esposa. Somos casados a 20 anos e nunca houve um relacionamento extra conjugal em nenhuma das partes. Existe muito respeito e confiança entre nós, temos um relacionamento aberto e não escondemos nada um do outro. Confesso que sou apaixonado pela minha mulher, as vezes quando tenho que viajar e ficar uns dias fora de casa tenho necessidade de ligar todos os dias. Na minha compreensão casamento é amor, respeito, cumplicidade e sexo, se um desses ítens falhar o relacionamento pode vir acabar. Depois de 20 anos o sexo começa a ficar arroz com feijão, uma mesmice, apesar de mais intenso, ficou menos frequente e eu sempre insisto com minha mulher pra que de vez em quando fazer alguma coisa mais ousada. Quase sempre que estamos transando falo pra ela sobre minha fantasia de termos mais alguém na cama, as vezes um outro outro homem, ás vez outra mulher. Fico muito excitado quando falo das minhas fantasias pra ela. Já propus uma transa a tres, depois de muito conversarmos a respeito, ela aceitou desde que fosse de vez em quando, só pra apimentar a relação. Sei que vai ser muito prazeroso tanto pra mim quanto pra ela, más o problema é o depois. Já vi muitos relatos de casais que se separaram depois que tiveram experiências assim. Apesar da cumplicidade, amor e respeito que existe entre a gente, não tenho a menor idéia de como será nossa relação depois desta experiência. Qual seria a minha melhor atitude: ficar no feijão com arroz e sexo de vez em quando, ou de vez em quando sairmos para fazer algo ousado?

    Fernando, 46 Anos - Ver Resposta

    Olá Fernando.
    De fato não tenho muito o que dizer a você.
    Pela sua fala, percebo que você está bem ciente do que pode acontecer. Aparentemente tudo indica que é apenas para apimentar. No entanto isso não invalida os riscos.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • sou casado ha mais de 16 anos, tenho uma fantasia de ter uma relaçao sexo com minha esposa e mais uma conosco, so penso nisso, dia inteiro, me descupe e rezo pedindo que o espirito santo ilumina o coraçao dela para que ela aceita Dr. o que faço para ela aceitar.

    Edimmar, 32 Anos - Ver Resposta

    Edimmar, parece que você está com um desejo muito fixo nessa fantasia. O que dá a entender que a sua relação sexual não está satisfatória para você, o que não é bom para você nem para a relação do casal.
    Sugiro que você converse com um psicólogo para entender o que está acontecendo e assim poder ajudar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • doutor meu marido tem a fantasia de me ver com outro ou ate mesmo com outra. nos relacionamos muito bem em tudo. ate que descobri que ele tem outros relacionamento fora do casamento e isso me machucou muito pois tinha total confiança nele conversavamos sobre essas fantasias apesar de fugir dos meus principios eu aceitva nossas conversas por confiar e termos uma relaçãomuito aberta como devo lidar com isso agora.

    Helena, 32 Anos - Ver Resposta

    Olá Helena.
    É preciso partir do princípio que só é legal quando é bom para os dois.
    Pelo que você descreve, esse desejo é dele e isso de algum modo parece não te interessar. Se isso for uma agressão, ou seja, fere seus princípios, então é necessário analisar muito antes de fazer. Pois isso pode abalar o relacionamento.
    É muito difícil dizer se você não vai gostar ou que vai gostar de uma experiência como essa. Mas penso que é importante entender o que está levando seu marido a querer tanto realizar esse desejo, se é uma simples vontade ou, quem sabe, se isso está significando que algo não está bom na relação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tenho 31 anos e desde que me casei venho tendo imensa vontade de transar com minha esposa e mais um. o meu desejo (fetiche) é ver como ela iria se sair numa situação dessa e o principal ter prazer para ambos. o principal motivo que ela me da pra não fazer é que sua consciencia não deixa. somos um casal que ja fizemos de tudo entre quatro paredes até com brinquedinhos. tambem tivemos muitos momentos de instabilidade por problemas da vida cotidiana como todo mundo tem. esse meu desejo aumentou muito nos ultimos anos e fico com duas duvidas: isso é anormal de minha parte? se conseguir convece-la devo fazer?

    Diogo, 31 Anos - Ver Resposta

    Olá Diogo, com frequência essa questão aparece para mim tanto na internet como no meu consultório.
    Transar a três ou a própria prática do swing é fascinante para muitos, porém poucos realmente estão preparados para essa aventura.
    Eu ouço relatos como dessas descrevendo que foi muito bom, mas não queremos mais; que foi bom e vamos continuar; mas também ouço que após essa prática a relação não se sustentou, entrou em crise profunda e houve um rompimento.
    Cada pessoa, assim casa configuração de cada casal, tem uma estrutura que permitira ou não essa realização de fantasia. Por isso fica muito difícil dizer qual será a reação de vocês.
    Há duas questão frequêntes que percebo em alguns casais que praticam sexo dessa forma. Muitos estão bem, mas vão procurar essa de modo esporádico apenas para apimentar a relação, e só. Porém, em boa parte dos casais não é isso que percebo, mas sim, essa que prática esconde uma relação em conflito, mas que dessa forma eles conseguem disfarçar por um tempo a mais as dificuldades. Nesse caso, penso que vivenciar esse tipo de sexo não é bom, pois não resolverá a crise, o problema de fato, apenas maqueará.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor obrigado pelo senhor existir, estou muito confuso e realmente preciso de sua ajuda. Estou com uma pessoa a aproximadamente 01 ano. De uns dias pra cá ela vem sempre me falando que quer contratar uma mulher para que eu transe e ela fique observando, depois essa mulher iria embora e eu ficaria só com ela. Quando ela me diz isso eu digo "ah sim, legal, tá vamos ver" pois se realmente é um desejo eu tenho que respeitar, mas o que eu realmente queria entender é o que tem por detrás disto. Afinal ver "seu homem" com outra praticando sexo !? Pra mim seria o fim eu com certeza nunca mais iria querer ve-la na minha frente. Já inclusive perguntei a ela se ela gostaria de que eu contratasse um homem mas ela diz que não, que o que ela quer mesmo é que eu transe com outra mulher enquanto ela observa. O que tem por detrás disso? Obrigado

    VTA, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá VTA, de fato eu não sei o que a motiva a ter essa vontade. É preciso conversar com ela para entender.
    Não é tão comum esse desejo vir de uma mulher, mas existe sim. É mais comum homens terem essa vontade.
    No entanto, se isso está deixando você inseguro é importante conversar com ela sobre esse sentimento. Todos nós podemos ter fantasias, porém, é preciso que a outra pessoa queira participar e se sinta bem. Quando gera mal estar e insegurança, é necessário respeitar os limites.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casado há 12 anos estou com um pobrema em meu relacionamento. O sexo dia a dia somente embaixo do ededrom ficou rotativo, quero fazer fantasia com minha esposa e não esta fácil, quero fazer sexo a 3, meu amigo tem 19 anos ele e tímido, mais tem muita intimidade com minha esposa. Ela está com dificuldades para realizar essa fantasia. Quando começo falar sobre este assunto sinto mais tesão e prazer. O que tenho que fazer para que ela entenda que a fantasia vai trazer mais tesão e prazer ambas partes.

    Luiz, 42 Anos - Ver Resposta

    Luiz, do mesmo modo como você gostaria que ela entendesse que o sexo está ruim e, que a realização dessas fantasias é importante para você, também você precisa entender que ela tem as limitações dela, e realizar essas fantasias sem ter vontade é muito ruim.
    Por outro lado, pode ser que essa necessidade de realizar a fantasia seja uma fuga. É importante saber que possivelmente existam outras questões mal resolvidas na relação, e por isso a vontade pela fantasia seja a maneira que você está tentando resolver. Provavelmente não vai funcionar.
    Procure um psicólogo para ajudar vocês.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi Dr. Ultimamente tenho fantasiado minha mulher com outro e só sinto prazer quando ela me chama de corno e quando imagino outro homem a possuindo. Gostaria de saber se isso é normal e se traria algum problema realizarmos essa fantasia?

    Marcio, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Márcio.
    Fantasiar é bom e importante, porém, alguns tipos de fantasias podem denunciar problemas.
    Perceba que seu prazer está associado a uma única situação que é a de ser chamado de corno ou vê-la com outra pessoa. Isso já nos sugere a necessidade de uma maior investigação para saber o por que dessa maneira exclusiva de obtenção de prazer sexual.
    Há outros aspectos que precisam ser considerados: como a sua esposa reage a essa questão? Vocês estariam preparados para realizar essa fantasia? Qual o intuito dessa fantasia...
    Seria muito interessante uma investigação ampla sobre essa questão, por isso sugiro que você vá a um psicólogo para ser mais explorado essa vontade.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Meu marido falou que gostaria de me ver transando com outra garota. Eu lógico que não gostei nada. Mas percebi que qdo estamos transando e ele começa a falar disso, fica mais excitado. Ai eu pra ver ele feliz , começei a falar disso na hora. Só que agora ele parece ficar excitado somente qdo eu falo isso. Não sei mais o que pensar desse tipo de coisa Até que ponto isso é normal?acho que ele não me ama, temos 16 anos de casado, e isso esta me deixando magoada.

    SARA, 35 Anos - Ver Resposta

    Oi Sara, imagino a confusão que isso está gerando em você.
    Será preciso analisar o caso para entender de fato o que está acontecendo, se isso é apenas uma fantasia ou se esconde algo por trás.
    Há um dado relevante que é o desejo e a excitação dele só aparecerem quando vocês falam disso. Isso precisa ser investigado.
    Seria muito importante vocês irem ao psicólogo que , de preferência seja terapeuta sexual para analisar essa questão, já que isso está incomodando você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, estou muito confusa, namoro a 3 anos e agora meu namorado pediu p que fizessemos c outro homem, eu acho isso errado, até pq sou muito fiel a ele,ele diz tabem axar errado, só que eele diz sentir muita vontade, uma coisa q n dá p controlar, chegamos a terminar nossa relação, porque tanto eu quanto ele não queriamos sofrer,tentamos de toda maneira encontrar um jeito, só q ele diz q n dá porque sempre vai querer mais, só que ter relações com outro homem eu não faço! é muito complicado. Não quero perder ele, pois eu gosto muito dele e ele tbm de mim, só que não sabemos o que fazer, não sei se terminar é a solução, espero que m ajude :)

    Mirele, 28 Anos - Ver Resposta

    Mirelle, como vai?
    Cada um tem o direito de ter a fantasia que desejar. O problema passa a existir quando a fantasia envolve outra pessoa e ultrapassa o limite dela.
    Pelo seu relato, essa fantasia dele ultrapassa seu limite, e parece que você não está afim de se submeter a isso.
    Será preciso você respeitar seu limites. Fazer apenas para agradar o outro, pode ser muito ruim, pois além de te violentar, não sabemos o que que o motiva a ter esse desejo e o que virá depois disso.
    Você é quem precisará decidir o que fazer, pois viver numa relação onde não há o respeito ao outro, fica difícil pensar que haverá crescimento.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy, Venho há vários anos tentando entender o que realmente acontece comigo e minha esposa. Abrimos o nosso relacionamento para mulheres há uns 10 anos atrás, o que foi realmente uma maravilha, saímos com algumas amigas de minha esposa e com outras que conhecemos, sempre com muita segurança. Acontece que um dia falei com minha esposa sobre a possibilidade dela transar com ouro homem em minha frente, ou melhor, termos um relacionamento a três, sendo que desta vez seria com homem, ela achou um absurdo e acabamos encerrando o assunto. Só que aquele desejo começou a tomar conta de mim, e quando eu e ela estávamos transando eu comecei a falar de outros homens e sentir a reação de minha esposa na ora, ela gozou como nunca falando um monte de loucuras. Resolvemos de comum acordo contratar um rapaz de programa, o que aconteceu e foi à primeira vez dela com outro homem, foi uma loucura ela me mordeu todo e realmente aquilo nos fez ficar bem mais próximos. Saímos com mais outro garoto de programa e tudo bem. Acontece que achei de pedir a ela para sairmos com um dos meus melhores amigos. Aconteceram uma duas três vezes. No ato tudo ficava bem, mas depois batia uma depressão em mim que seria ultima vez, mas que iríamos continuar saindo com garotas. A recaída veio de novo e tornamos sair com nosso amigo por mais umas duas vezes, e aconteceu à mesma coisa, no outro dia ficamos para baixo e desistimos de tudo novamente. Agora ela não, mas quer saber de sair com outro homem. Ai eu lhe pergunto! Já que tudo era uma grande maravilha porque não repetir mais o ato, ela fala que sempre que está acontecendo no outro dia ficamos para baixo. O que devemos fazer??? Já que adoro ver minha esposa gozando com outro homem??? Atenciosamente, Paulo.

    Paulo, 42 Anos - Ver Resposta

    Olá Paulo.
    Será preciso entender com mais profundidade o que causa esse sentimento de "ficar para baixo". O que é para ser uma diversão prazerosa, está causando um mal estar.
    Parece que o fato de ser com um amigo, isso o deixa mais vulnerável. É como se alguém próximo soubesse de um segredo que socialmente não é bem visto por muitas pessoas. Perceba que o mesmo não acontecia com as mulheres e nem com os garotos de programa.
    Há outro aspecto a ser considerado: as mulheres e os garotos de programa não representam necessariamente um "ameaça" para a relação, já que são mulheres ou são contratados e pagos, mas já o amigo... parece ter outra conotação.
    É compreensivo o quanto essa maneira de vivenciar o sexo é prazerosa para você, porém, perceba que essa está sendo a principal ou uma das principais vias para se obter o prazer sexual, seja pela própria prática ou por lembrar ou de situações que viveram com outra pessoa ou mesmo fantasiando. Tudo isso pode sintomático, ou seja, é possível que atrás desse desejo exista questões pendentes na sua vida que precisam de atenção. Repare que apesar da angústia que você sente, mesmo assim você quer novamente, dando a impressão de que isso é necessário para o seu prazer sexual.
    Penso que seria muito interessante você procurar um psicólogo para ajudá-lo a entender o que está causando isso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá! Sou casado a 24 anos e tenho uma vontade enorme de ver minha esposa transando com outro homem. Nas primeiras vezes em que toquei nesse assunto com ela, nem levou muito a sério. Depois, quando viu que meu desejo era real, apelou. Atualmente, sempro toco no assunto quando transamos e dá para perceber que ela fica excitadíssima, mas não aceita que eu marque algo real. O q Sr. acha dessa situação, devo continuar tentando, a amo muito mas gostaria muito de realizar essa fantasia.

    Marcos, 49 Anos - Ver Resposta

    Olá Marcos.
    É importante diferenciarmos realidade de fantasia. As tanto uma como a outra podem proporcionar muita excitação e prazer.
    Porém, para algumas pessoas, ficar na fantasia é mais "seguro" e também proporciona prazer. Sair da fantasia e ir para a prática, nem sempre é uma tarefa fácil, pois cada um tem seus limites que são regidos pela história de vida que cada um teve, e que sempre tem a influência da moral, do que é certo ou errado.
    Cada pessoa tem seus limites e o próprio tempo para se sentir preparada para fazer determinadas coisas. Violar esse tempo, seja sozinha ou pela pressão de outra pessoa, é um desrespeito.
    Parece que seu tempo é diferente do dela. Provavelmente pela sua história ou mesmo porque você já vem amadurecendo essa idéia a mais tempo que ela.
    Apesar de você vê-la se excitando com essa fantasia, isso não deve ser encarado por você como se ela estivesse preparada ou querendo ir para a prática.
    Dialogar sobre esse assunto e proporcionar condições para ela se sentir bem e segura são maneiras que podem passar segurança a ela e abortar a idéia ou sentimento (se ela tiver), de que você não a ama e por isso quer que outros desfrutem dela. Esse é um sentimento muito comum que ouço em meu consultório das mulheres que recebem essa proposta dos parceiros. Se esse não é seu caso, então crie condições para que ela não se sinta assim.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá doutor, tenho um relacionamento com um homem casado a 4 anos, temos muita atração um pelo outro e nos damos muito bem na cama, porém comecei a ter uma fantasia de vê-lo transando com outra em minha frente... falei pra ele e ele aceitou, claro! , pensamos em uma mulher de programa, mas não deu certo. Ai um dia sem esperarmos numa conversa nossa entre uma amiga houve a manifestação dela em sair conosco... no fim acabamos saindo os três , fomos pra minha casa... tudo começou muito naturalmente, brincadeiras, etc... porém quando ele penetrou ela eu fiquei morta de ciúmes e quis parar... ele e ela ficaram com medo da minha reação, por um momento paramos, mas depois conversamos os três e resolvi continuar, toquei nela e fizemos até o fim... ela é mais velha que eu e menos bonita, tem uma boa cabeça e é nossa amiga a 4 anos até nos ajudou no inicio da nossa relação, nunca manifestou interesse pelo meu namorado, mas agora não sei o que se passa dentro de mim, quando lembro fico excitada e ao mesmo tempo triste, acho que no fundo eu queria ouvir dele um Não quanto a realizar esta fantasia minha... o que devo fazer para não sofrer com isso....

    Kirska, 44 Anos - Ver Resposta

    Kriska, como vai?
    Quando as pessoas vão realizar algum tipo de fantasia, como a sua por exemplo, é difícil prever qual vai ser a reação. É uma aventura.
    No entanto não é incomum esse tipo de reação que você teve.
    Para uma melhor análise, é preciso conhecer você, porém, numa vista superficial, tudo leva a crer que sua posição de ser a outra, já que ele é casado, a coloca numa condição de não querer perder esse “posto” para outra. Tanto que na sua fala seguinte você menciona isso: “... no fundo eu queria ouvir um não...”
    Penso sua questão seja mais profunda que isso. Esse episódio apenas está mostrando que provavelmente estar na condição de outra, e não na condição de “titular”, não é confortável para você, já que em muitos momentos e datas você gostaria de estar com ele, mas nem sempre pode.
    Deixando de lado um pouco a questão da fantasia, que pode ser real e somente isso. Pode ser que você tenha usado desse recurso (fantasia) para obter dele algo, mas infelizmente o método utilizado não trouxe o resultado esperado.
    Será que não seria o caso de você começar a olhar a mais para você? De investir mais nos seus sentimentos, na sua vida?
    Penso que uma terapia poderá ajudá-la nesse processo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada a 7 anos ,eu e meu marido nos damos muito bem na cama..eu gosto muito de fazer sexo,mas ultimamente na hora do sexo ele tem me falado q gostaria de ter mais uma mulher na cama,eu estou atordoada com isso ,pois não sei se eh só uma fantasia ou se ele realmente quer isso,e eu tenho medo de perguntar e ele dizer que não é só uma fantasia,e eu jamais faria sexo a três pois morro de siumes dele e só de pensar eu fico muito mal.Por favor me ajude a resolver estah situação. Obrigada, Cida

    Cida, 39 Anos - Ver Resposta

    Oi Cida.
    Parece que você se sente muito mal com essa situação. Porém não há outra maneira de saber se você não perguntar, e de forma bem clara.
    Para algumas pessoas que tem essa vontade, não passa de fantasia, que só é gostoso enquanto é fantasia. Mas há também aqueles que tem essa fantasia e realmente querem realizar, poir veem nessa possibilidade mais uma forma de se excitarem e obter o prazer sexual.
    Porém, é preciso sempre lembrar que para uma relação se constituir como saudável, é necessário haver o respeito aos limites de cada um.
    Como acontece com muitas casos, é possível que você mude sua forma de pensar no decorrer do tempo. Mas hoje isso seria uma violência para você, o que pode abalar a relação. Por isso a necessidade de você respeita seu tempo de limites assim como ele também.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa noite, por favor tenho um relacionamento com um homem de 48 anos e ele vive pedindo para que eu faça sexo com outro homem para ele ouvir por tel, quer tb que eu saia com ele e outro homem e depois com ele e outra mulher. Não tenho nenhuma vontade de fazer isso e não sei como alguém pode querer ver a pessoa que gosta tendo relações com outro. O Sr. pode por favor me dizer se isso é normal, ou se é alguma tara, desvio de caráter, ou sei lá o que? Obrigada! Atenciosamente Rosane.

    Rosane, 40 Anos - Ver Resposta

    Oi Rosane.
    As pessoas utilizam várias maneiras para obter excitação e prazer sexual. Algumas dessa formas fogem ao que é aceito como "normal" e por isso causam estranheza em algumas pessoas.
    Ver ou ouvir a parceira(o) tendo relação com outra pessoa é uma forma de sentir prazer que mexe com muitos, é o caso so seu parceiro. Mas isso não deve ser encardo como desvio caráter ou algo do tipo.
    Para essas pessoas o conceito de traição é diferente. Não é encarado esse tipo de aventura como traição.
    Essa forma de prazer começa a precisar de atenção quando invade o limite do outro ou quando isso se configura como única forma de obter prazer.
    No primeiro caso, a outra pessoa (você), se sente ofendida, não respeitada e até coloca em dúvida se é amada ou não. No segundo caso a pessoa dispensa outras maneiras de explorar e sentir prazer.
    No entanto há casos de pessoas que tem fantasias e que só é prazeroso enquanto fantasia. Ao realizar não atingem o mesmo prazer.
    É importante estar aberta para outras formas de prazer, porém cada um tem seus limites e é muito importante que sejam respeitados, pois não dá para se configurar uma relação saudável quando só fica bom para um.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Estou meio desesperada, meu namorado de 5 anos e meio (entre términos e recomeços, rs) me convidou para irmos numa casa de Swing, sou super liberal, entre nós dois não tem preconceitos nem limites, mas entre nós dois, jamais aceitaria trocar, ver outra mulher com ele e jamais ficaria com outro perto dele, nem longe tenho vontade. Eu q sou uma mulher séria, fiel honesta e ele sabe q sou só dele, há 6 anos, q ele foi meu segundo namorado, sou uma mulher muuuuito liberal, mas com a qualidade de ser como antigamente, não traio, não sinto atraida por outtro homem, nem em pensamento.....ele não podia querer me colocar nessa roda e me trocar com um casal. Sabe q sou mulher para ele casar, ter filhos, sou uma dentista de família muito boa e ele adora meus pais, tenho um amigo q diz q sou mulher dos anos 50 de tão honesta e fiel q sou. Mas aceito e participo de todas as fantasias sexuais dele, possiveis e imagináveis. Com ele não tenho limites, desde q esteja apenas nós dois. Tenho 30 anos, ele tem 36, ambos nunca casamos nem temos filhos. Gosto muuuuito dele, sempre fui fiel, ele não... Mas hj em dia ele parece gostar muito de mim tbém. Estávamos vivendo uma época muito boa, de muito carinho, qdo. de repente ele me vem com essa porposta (que já tinha me feito há um tempo, mas dessa vez o negócio foi sério, a intenção dele era sem dúvida fazer troca de casais). Socorro Betty, rs!!! Terminei com ele na sexta mesmo, q foi qdo. ele me propos isso. Sei q ninguém é de ninguém, não sou neurótica com isso, mas aceitar que outro homem transe comigo na frente dele, sabendo q só tive ele e mais um homem na minha vida é meio óbvio q ele não gosta de mim... Vc concorda comigo? O que vc acha Claudecy? Obrigada!

    Fabiola, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Fabíola. Vamos com calma.
    Sei que essa proposta abalou muito você.
    No entanto, você tem um mode de pensar, de funcionar, valores, diferentes do dele, e quando ele resolveu manifestar parte do modo como ele funciona, você se abala e rompe.
    Na relação um precisa ser diferente do outro, mas essa diferença naopode ser tanta a ponto de fazer mal a outra pessoa.
    Parece que no seu modo "liberal"de ser, você demonstra ser rígida.
    Seria importante você observar esse seu comportamento.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Gostaria muito de um esclarecimento, sou casada a 15 anos sendo esse meu segundo casamento, meu marido me incentiva ter outro parceiro fora do casamento, sei que ele me ama muito nos damos muito bem em todos os aspectos. Gostaria de saber na opnião de um profissional se le precisa de algum tipo de tratamento ou se isso é normal, a idade dele é 45 anos e tambem é o segundo casamento dele. Obrigado

    Elizabeth, 49 Anos - Ver Resposta

    Elizabeth,
    Talvez a questão deveria ser como você se sente nessa relação.
    Essa é uma fantasia de muitos homens. O que não necessáriamente se caracterisa um problema. Também não significa que a pessoa não gosta mais da outra, por isso a 'oferece" a outra pesoa. É preciso investigar cada caso.
    O que isso significa para você? Como você se sente com essa proposta dele.
    Caso isso esteja tomando proporções a ponto de atrapalhar a relação, é importante você comunicá-lo, e se necessário procurar um psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tenho a fantasia de fazer menage a trois. Gostaria de ver a minha mulher transando com outro homem. Isso demonstra algum desvio de comportamento

    Jorge, 42 Anos - Ver Resposta

    Oi Jorge.
    Não necessariamente. Muitas vezes isso é apenas uma fantasia.
    Porém, se para acontecer uma relação sexual é preciso ter esse componente presente, pode ser que exista algo para ser investigado.
    Muitas vezes pessoas sofrem por terem essa vontade e não poderem compartilhar porque serão criticadas. Em muitos casos que já atendi, pude perceber que havia um aspecto moralista muito forte que os fazia sofrer.
    Penso que é importante você se questionar sobre o porque dessa vontade. Como está sua relação e como sua esposa vê e se sente diante dessa proposta. E mais uma questão: a estruturas do seu relacionamento está preparada para isso?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, adorei conhecer este site e minha pergunta é, eu e meu marido somos um casal bem liberal, ja transamos a 02 mulher e ele a 03 mulheres e ele, e foi uma experiencia pra mim o maximo pra ele começou a confundir um pouco a cabeça dele, ele passou achar que eu ia querer ser bi sexual qd na verdade eu gosto de sexo, não importada com quem qd derrepende ele começou a ficar com ciumes pq elas são minha colegas, bom começamos a tentar coisas novas eu e ele como vibradores, e etc... Eu comecei a fazer o melhor no sexo oral e percebi que ele tinha muito tesão bem embaixo do saco esgrotal, qd um dia ele levou minha boca o anus e fez eu começar a chupar, continuamos eu fiquei um pouco chocada e percebi que ele tbem ficou mais disfarcei, outra vez fizemos de novo so que dessa vez eu enfiei o dedo e fiz sexo oral ele gozou, ele ficou super chocado com a tal atitude dele, mais foi legal agora ele sempre pede pra eu fazer sexo oral nele e acaba gozando, sera que ele tem vontade de um homem transar com ele????

    Katia, 31 Anos - Ver Resposta

    Oi Katia.
    Quando alguns comportamentos fogem do que é "normal", as pessoas ficam com dúvidas, receios e inseguranças. É o que aconteceu com vocês, tando por você ter transando com outras mulheres quanto com o sexo anal que você fez nele.
    A insegurança dele em relação a você, mostra o quanto ele gosta de você e não quer perdê-la. Apersar dessas brincadeiras dar muito prazer a ele, fica o medo de "será que ela vai me trocar por elas?". É importante que você o faça se sentir seguro, mostrar que isso é uma aventura e que não é sua idéia deixá-lo. Ajudá-lo a se sentir seguro será muito bom para a relação.
    Por outro lado não necessariamente ele deseja ser penetrado por outro homem, o que também não necessariamente significaria que ele seria gay. Essas também são maneiras de encontrarmos prazer. A sexualidade é muito ampla, nunca conseguiremos explorá-la totalmente, o que significa que sempre estaremos descobrindo maneiras de sentirmos prazer. A introdução do seu dedo no anus dele e ele ter adorado, é apenas uma dessas maneiras de prazer.
    Converse com ele, crie um ambiente não ameaçador para esse diálogo e exponham o que vocês sentem, pensam, desejam...

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. em primeiro lugar agradeso a oportunidade de esclarecer minhas dúvidas sobre minhas fantasias em relação a sexo. Eu e minha esposa nos damos muito bem na cama e fora dela, mas fantasio muito ela com outros homens e isso me deixa com tezão. Me responda é normal. Obrigado.

    Edson, 46 Anos - Ver Resposta

    Oi Edson.
    Esse desejo é muito mais comum do que se imagina.
    Com frequência pessoas me procuram por causa dessa questão. Porém é preciso analizar cada caso. Muitas vezes essa é apenas uma maneira da pessoas se excitar, e não a única. Mas se não for dessa maneira, tudo bem também, pois há a excitação normal para uma relação.
    O problema passa a existir quando essa é a principal ou única maneira que se tem para se obter a excitação e/ou o prazer sexual. Outro problema é quando essa prática agride a esposa, e ela apenas fará para agradar ao homem.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor, namoro a um ano e já transei com um amigo do meu namorado 2 vezes, para realizar uma fantasia minha, depois ele transou com uma amiga minha e eu. Achei muito gostoso no momento, ele me deu bastante atenção; porém achei que ele ficou muito interessado por ela. Chegou a pedir o telefone dela. Desde então me sinto traida. E com medo de perde-lo. Ele fala que não. Seria possível?

    Lu, 32 Anos - Ver Resposta

    Olá Lu.
    Eu entendo que essas brincadeiras são muito gostosas.
    Porém, pelo tempo atendendo esse tipo de questão, proponho uma reflexão. Será que vocês estão preparados para essa brincadeira? Será que a estrutura ou configuração da relação suportaria essas aventuras? E o quanto essas brincadeiras contribuem para o crescimento da relação.
    Não existe só um tipo de resposta. Cada casal precisa analisar sob a própria ótica.
    Esse é um tema que não tem verdades absolutas. Mas vale a pena analisar o porquê o casal precisa dessa forma de prazer.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • olá doutor td bem....sou casada a 8 anos e eu e meu marido tinhamos uma fantasia ele de me ver com outro homem e ele queria transar com outra mulher, então resolvemos realizar esta fantasia mas senti muito ciumes do meu marido no momento que estavamos realizando esta fantasia e depois que aconteceu chegando em casa eu me arrependi do que fiz pois nao queria ter feito mas ele sempre me pedia que queria transar com outra . Quando cheguei em casa chorei muito e agora nao consigo esquecer o que aconteceu pois fico lembrando e isso esta me causando sofrimento e vontade de me separar do meu marido mas temos um lindo filho mas nao estou conseguindo mais ficar assim ...por favor me ajude o que posso fazer pra esquecer o que aconteceu::::::

    Tatinha, 29 Anos - Ver Resposta

    Oi Tatinha.
    Sempre que trato essas questões no consultório ou mesmo aqui, respondendo essas perguntas, frequentemente recebo pareceres como o seu. É um bom exemplo que mostra que essa brincadeira não é para todos. Não são todas as pessoas que tem uma estrutura pessoal ou uma configuração na relação que suporte o resultado dessa aventura. O que é para um muito prazer, pode ser muito desconfortável e até além do que consegue suportar. Por isso, é sempre bom que ao decidirem fazer isso, que ambos queiram e se sintam confortáveis com a ideia. Muitas vezes uma fantasia só é legal enquanto fantasia, pois ao ser colocada em prática, pode não ser legal.
    No seu caso, agora resta tentar arrumar esse problema. Essa brincadeira bagunçou a relação, gerou raiva, ciúmes, vontade de se afastar. Não existe uma receita para resolver essa questão, mas dialogar muito sobre os seus sentimentos pode ser um bom caminho. Se isso não for o bastante, procure um psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá ,boa noite. eu e minha esposa somos casados ha 19 anos e já fizemos menage com homem, 02 vezes,foi legal, mas já faz tempo, agora estavamos combinando para mais um com um colega próximo, beleza sinto e sei que ela tem muita tara por ele,o que me deixa com muito tesão,porém conversamos com ele a respeito e le achou loucura e disse que não pois tem vergonha da minha presença ,então combinamos de achar outro pretendente, mas ela está combinando com ele para leva-la ao motel,sem minha presença,pois gravei uma conversa telefonica deles e agora eles estão transando sem minha presença,acho que preciso,não de um piscologo mas sim de divorcio Abraços e parabéns pelo site.

    Joao Pereira, 42 Anos - Ver Resposta

    Olá João. A brincadeira não saiu do modo como você pretendia, não é?
    Essa é uma das prováveis consequências dessa forma de brincar, e parece que voce não contava com isso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Eu sempre disse que queria ver meu marido com outra, tentamos uma colega de 21 anos, não terminamos, mas teve penetração ela desistiu. Desde então ele esta querendo outra, até cantou a recepcionista do nosso prédio e estão indo para o motel com minha autorização, mas sem eu. Eu estou com ciumes , medo e me sentindo traida e ao mesmo tempo excitada. Estou confusa e perdida, preciso de orientação.

    Sofia, 37 Anos - Ver Resposta

    Olá Sofia.
    Eu sei como é gostoso fantasiar algumas situações, e isso nos proporciona muito prazer. Eu fiquei imaginando como você deve se excitar ao fantasiar ver seu marido com transando outra. A sexualidade é muito ampla e as formas para vivenciarmos o prazer sexual são infinitas.
    A grande questão de algumas fantasias são consequências que ela pode causar. Com muita frequência recebo essas questões no meu consultório, seja do marido querendo ver a esposa com outro ou o contrário, como no seu caso. De fato é um prazer incrível. Porém, algumas dessas fantasias quando realizadas, depois do prazer, podem ter um resultado não esperado, como parece ser o seu caso, com o ciúmes, em outros casos pode abalar muito a relação.
    Quando o casal tem uma base sólida, essas aventuras podem ser apenas aventuras deliciosas que servem para excitar o casal e trazer ótimas lembranças. Mas não é sempre assim que acontece. O que percebo em boa parte dos casais que tem essa fantasia e as realizam, é uma relação em conflito ou mesmo uma relação morna ou fria. E nesses casos essas fantasias não uma boa esquentada na relação e mascaram por um tempo os problemas do casal, afinal, o foco fica em outro lugar.
    Em outras palavras, é uma brincadeira muito gostosa, mas ao mesmo tempo muito perigosa.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Prezado doutor, Estou angustiada.Conheci uma pessoa há pouco tempo e que é muito liberal em relação ao sexo.Gosta de swing,menage,troca de casais e eu não sei o que fazer.Não sei se continuo,gosta de tirar foto do meu corpo e exibir em sites eroticos.Estou confusa,nunca fiz isso e me assusta um pouco.Não sei se quero continuar este relacionamento,e se for o caso,como terminar?Tenho medo de me expor devido a minha profissão ,pois sou professora e advogada.Aguardo resposta

    Cris, 34 Anos - Ver Resposta

    Oi Cris.
    Cada um tem uma forma para sentir prazer. Mas quando essa forma viola os limites da outra pessoa, precisa ser questionado.
    Pelo seu relato, vocês estão fora de sintonia. Parece que os objetivos dele com você são diferentes dos seus. Não é todo muito que curte ser exposto assim e um relacionamento tão liberal.
    Você consegue visualizar uma vida longa para uma relação com essa configuração.
    Eu imagino que você até sinta prazer com essas práticas, pois são excitantes, mas é importante olhar mais para frente, pois essa fase de festa, com o tempo vai esfriando e o que sobrará? Em caso s assim, onde não foi construído uma base mais sólida, provavelmente não sobrará nada.
    Não custa nada lembrar, mas quando postamos qualquer coisas na internet, ela se espalha rapidamente e não tem como ter controle sobre isso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. tenho quatro anos com minha noiva, no inicio sentia muitos ciúmes só em imaginá-la com seu ex-namorado, mas depois de uns dois anos, passei a desejá-la a vê-la transando com ele, conversei com ela sobre o assunto, no inicio ela não gostou muito da minha ideia, mas depois terminou aceitando, ela transou com ele e eu adorei foi muito bom, mas acontece que eu sinto muita vontade de vê-la transando, não só com ele mas com outro homem. Isto pode prejudicar nosso relacionamento? em um destes cheguei até transar com o outro homem, ela aparentemente não se ofendeu.

    Lucas, 28 Anos - Ver Resposta

    Oi Lucas, esse assunto é bastante amplo e no meu site já tem muitas questões relacionadas a esse assunto.
    Seria legal você se aprofundar na procura sobre o porque dessa vontade, pois do modo como você descreve, é provável que o que você busca no sexo vá além o sexo propriamente dito. Ver sua noiva com outro e sentir o grande prazer que você sente, já é um indicativo do que eu disse.
    Provavelmente a relação só entre vocês já não é satisfatória, é preciso ter outras pessoas para satisfazê-lo. É para ser questionado mesmo sobre o quanto isso afetará a relação de vocês.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Eu sou casada e vivo uma situação de desgaste na relação, busquei alguns sites para prazer sexual encontrei um que falava de scat, hoje não paro de pensar nisto e até prativo auto-scat. é normal ou estou precisando de um tratamento clinico.

    Julieta, 33 Anos - Ver Resposta

    Oi Julieta. Obrigado por acessar meu site e parabéns por procurar ajuda.
    As maneiras para se obter o prazer sexual são muitas e amplas, e sem dúvidas as pessoas só se mantém fazendo por causa dos ganhos, nesse caso o prazer é uma delas. O problema passa a existir quando o motivo que leva a pessoa a buscar determinados tipos de prazer sexual, não é com o intuito propriamente do sexo. Por exemplo: uma pessoa que gosta de ser humilhada ou mesmo sentir dor durando o sexo. Nesse caso, a pessoa tem algumas questões que foram geradas pela interação dela com o meio em que viveu ou vive, que a levaram a buscar essa forma de obter prazer sexual. Nesse caso, essa maneira de obtenção de prazer não é saudável, pois a função sexual deixa de existir e o foco passa a ser outro para alimentar um problema anterior.
    Por não ter mais dados sobre você, não tenho como ir além disso. Porém, perceba que até mesmo você não acha isso normal.
    Sobre o desgaste que você vive na relação, não necessariamente é o motivo para isso, mas é preciso se aprofundar para saber
    Seria muito bom investigar o que a leva a buscar essa forma de prazer. Um psicólogo especializado em sexualidade pode te ajudar.
    Seria muito bom se você fosse atrás para verificar o que a leva a ter esse tipo de prática sexual. Num processo terapêutico, não só isso será descoberto, como também várias outras questões (que todos nós temos) que se mudadas, viveremos melhor.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou praticante de BDSM já a algum tempo. No começo, eram coisas leves, pura brincadeira. Conforme o tempo foi passando fui concretizando esta orientação e aos poucos ela se torna quase fundamental a minha vida sexual. Sou completamente submissa, masoquista, gosto de ser tratada como uma escrava e (pode parecer realmente muito estranho) de apanhar... Realmente gosto disso, me satisfaz. O problema é que tenho sérias dúvidas quanto a estas práticas. Não que elas me façam mal, pelo contrato, sempre seguiram a lei SSC que existe dentro do BDSM (são seguro e consensual). A dúvida é outra... Esta prática pode ter se originado por acontecimentos aos longo da minha infância? Tem relação com o tratamento que recebi de meus pais ao longo destes anos? Seriam consequências inconscientes da maneira como fui criada? Este pensamento me atormenta um pouco... As vezes fico pensando que isto tudo se originou (sem que eu percebesse) da minha criação, de traumas infantis ou sintomas patológicos... Também sou bissexual, gosto de homens e mulheres. Não sei explicar o por que, nem como... Teria esta minha opção sexual alguma relação com meu relacionamento com a minha mãe? Ou o sadomasoquismo alguma relação com o fato de meu pai biológico ter sumido, sendo eu criada por meu padrasto, no qual sempre houveram conflitos?

    Fabiane, 18 Anos - Ver Resposta

    Olá Fabiane.
    Que bom saber que você está procurando ajuda.
    Todos os nossos comportamentos são aprendido. Porém, nem tudo que aprendemos damos continuidade. As que damos, é porque houve sentidos, porque "ganhamos algo". Porém, o que faz com que gostemos disso ou daquilo vai depender diretamente da nossa história, da nossa relação com o meio; a relação com os pais têm muito importância no nosso desenvolvimento, e aí está a complexidade do comportamento humano.
    Não da para afirmar que você desenvolver essa maneira de sentir prazer sexual por causa da relação com seus pais, pode ser que sim, mas como eu não a conheço, não tenho como dizer isso.
    Quando você fala que tem várias dúvidas com relação a isso e também comenta da sua orientação sexual (e não opção sexual), tenho a impressão de que você está muito confusa, quem sabe tentando encontrar o que causou tudo isso, mas que de alguma forma está te incomodando, quem sabe às vezes gerando angústia.
    Penso que tentar encontrar respostas para o por que de tudo isso, não deveria ser o foco principal, mas sim, o que pode ser feito para você viver bem, de modo que você possa se relacionar e viver sua sexualidade de modo saudável.
    Todas essas hipóteses que você levantou (pais separados, conflitos com o padrasto, criação, traumas...), são importantes e devem ser levadas em consideração na análise do seu caso.
    Seria muito importante você permitir que um psicólogo te conheça que entenda o que está acontecendo com você e então, ajudá-la a descobrir o que causou e/ou desencadeou essas maneira de viver sua sexualidade e as relações sociais.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada a quase dezoito anos. Há pouco mais de dois anos descobri a internet, e o sadomasoquismo, ou bdsm. Fiquei e fico excitadíssima com as coisas que vejo. Adoro fantasiar, porém o meu marido considera isso uma perversão. Só que eu não consegui parar com o encanto. Adoro me "machucar", e visito e mantenho relacionamentos virtuais com Mestres. Isso é normal?

    Anna, 36 Anos - Ver Resposta

    Olá Anna.
    Nós temos inúmeras maneiras de obtermos o prazer sexual. Essa que você descobriu é uma das maneiras vivenciar o prazer sexual.
    Dificilmente algum praticante de SM acha que precisa de ajuda para "resolver" essa questão, pois, para os praticantes não há nada de errado. A questão começa surgir quando essa prática torna-se a única ou a principal fonte de prazer e não se tem uma parceria que compartilha dessa mesma fonte de prazer.
    Aos olhos dos outros (não praticantes), essa maneira de vivenciar a sexualidade é estranha, perversa...
    Há algumas práticas no bdsm que põe em risco a vida, e isso é uma questão muito séria que necessita de tratamento.
    No entanto, se a prática do sadomasoquismo é algo que não incomoda ao casal, não põe em risco a vida ou que ela não se constitua como única fonte de prazer sexual, não temos o que fazer.
    Porém, com base na nossa experiência clínica em atendimentos a questões como essa, percebemos que a forma de obtenção do prazer causando no outro "dor" ou sentindo "dor" física ou psicológica, tem nos mostrado que ao longo da sua vida a pessoa aprendeu, sem se dar conta, sentir prazer assim. Não que ela algum dia tenha praticado explicitamente com esse propósito, mas de uma forma subjetiva ela aprendeu a se relacionar desse modo. Assim, tão logo ela consiga perceber que isso é uma fonte de prazer, buscará meios para se satisfazer.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy, Sou casada ha 3 anos, tenho 1 filho do 1° casamento com 11 anos de idade e 1 menina deste casamento com 1 ano de idade. Meu marido não é afetivo com meu filho e costuma repreendê-lo com berros e agressividade ( nunca o bateu mas, já chutou a cadeira que uma vez estava sentado ). Com a nossa filha menor, ele é carinhoso e atencioso. A única maneira dele demonstrar afeto pelo meu filho é dando presentes caros e afirma que suprindo as necessidades materiais dele é o suficiente. Conversando com meu marido, ele mostra-se irredutível, afirma que não vai mudar e que não está nem aí, que não fez nada demais em ser agressivo, diz que o menino é desobediente, mal educado..etc...e nega-se a fazer terapia de casal. Como convencê-lo a mudar? A separação será a única alternativa?

    Patricia, 31 Anos - Ver Resposta

    Olá Patrícia.
    Parabéns por você procurar ajuda. Imagino que você esteja muito confusa, quem sabe até perdida quanto ao que fazer. Mas compreendo sua situação, afinal, você está dividida entre os sentimentos pelo marido de um lado e do outro pelo filho.
    Seu filho não tem culpa, ele apenas faz o que lhe ensinaram ou demonstra o que sente, por essas vias, o que pode ser encarado como desobediente. Ela não sabe saber de outra maneira. Porém, no contexto em que ele vive, onde não sente amor e carinho do homem da casa, (além do que não sei como ele se sente em relação a separação e a relação com o pai dele), na qual tenta "comprá-lo" ou se desculpar pela precariedade no acolhimento.
    Para uma criança, crescer num ambiente como esse não é nada saudável. Seu filho deve sofrer por isso, e você também. E do pondo de vista do desenvolvimento da criança, esse ambiente é muito ruim para ela.
    Por outro lado, penso que é preciso você rever essa relação. Alguém agressivo e inflexível a mudanças para melhor, como você descreve, dificilmente se comporta assim isoladamente. É comum observarmos esses comportamentos se repetindo em várias outras situações. Por isso penso que cabe a você analisar o quanto essa relação está bem para você e para os filhos, bem como para ele. Pois quando alguns comportamentos da nossa parceria nos impede de crescer, ou mesmo o desenvolvimento dos filhos, necessariamente, essa relação precisa ser revisto.
    É provável que talvez seu marido não consiga ver que o que ele faz não está bom, como ele disse: “não faço nada demais”. É triste quando estamos cegos dessa maneira. Porém, acho que cabe a você mostra de modo irredutível que assim a relação não está satisfatória para você. Aceitar essa condição imposta por ele é o mesmo que dizer pode continuar fazendo assim.
    É provável que você precise de ajuda nesse momento tão delicado.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi Dr. quando estou tendo relação com meu namorado faço xixi. Gostaria de saber o que fazer para isso não acontecer isso, pois acho muito desagradável. Por favor, me ajuda!!!! Eu queria poder controlar para isso não acontecer. Isso ocorre durante a penetração e quando tendo um orgasmo!! Quando ele me masturba tbm. A quantidade desse líquido é grande tem cheiro sim de xixi, não é um liquido igual ao líquido que lubrifica a vagina, é xixi mesmo tem alguma coisa que eu posso fazer!!!!

    Grazielle, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Grazielle.
    É importante que você saiba que isso não é doença, apesar de te incomodar. Mas isso ocorre quando a mulher “ensina” seu corpo a ter essa reação. Ou seja, ao ser estimulada na região do canal da uretra ela tem a sensação de vontade de fazer xixi, e com o orgasmo isso pode acontecer.
    Do mesmo modo como você aprendeu a ter essa resposta, também pode aprender a descondicionar, ou seja, a não fazer mais xixi na hora da transa.
    O ideal é que um psicoterapeuta sexual a oriente. Mas você pode tentar sozinha também, se concentrando nas sensações que antecedem esse momento e tentar impedir que isso ocorra.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • oi doutor estive vendo no seu site que o fato de fazer xixi na hora do orgasmo parece até normal.. mas devo dizer que isso acontece comigo e me incomoda muito..por exemplo se eu estiver dormindo e sonhar estar tendo um orgasmo..faço xixi na cama..e vamos e convenhamos..na hora de fazer sexo nao é hora de xixi neah..por favor indique o tipo de tratamento..obrigada

    Julia, 26 Anos - Ver Resposta

    Rsrsrsr, pois é Julia, isso pode parecer estranho mesmo, fazer xixi na hora do sexo.
    Pelo que você descreve, parece que você já tem uma resposta condicionada (fazer xixi) quando diante dessa estímulo (sexo real ou no sonho).
    Se isso a incomoda, saiba que tem como mudar essa situação.
    O tipo de tratamento dependerá do que está causando isso. Em boa parte dos casos que avaliei, a origemnão estava relacionada a questões orgânicas, assim o tratamento foi numa linha psicológica/comportamental na qual descondicionamos esse comportamento.
    O promeiro passo é permitir que um profissional avalie o caso com mais detalhes para direcionar o tratamento.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, faço xixi qdo sou muito estimulada, isso é normal, as vezes faço muito durante os orgasmos, mas contudo meu marido parece gostar da situação, pois qdo não acontece ele acha q não foi satisfatorio. Mas isso é normal? E tbm é normal uma mulher de 38 anos querer sexo todos os dias? Obrigada doutor.

    Lavinia, 38 Anos - Ver Resposta

    Oi Lavinia.
    O xixi na hora da transa e orgasmo, está muito ligada a um condicionamente de estímulos. É como se você tivesse desenvolvido essa resposta quanddo recebe esse estímulo.
    Com algumas técnidas específicas, o psicólogo especializado em sexualidade pode ajudar a mudar essa questão.
    Quanto a querer sexo diariamente, não necessariamente significa um problema. Porém, é muito importante investigar o motivo que leva você a desejar o sexo diariamente. Muitas vezes encontramos atrás desse comportamento uma maneira para amenizar a ansiedade. Assim como algumas pessoas usam a comida, drogas, álcool... para essa finalidade, muitos usam o sexo. Seria importante fazer essa investigação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Quero saber se é normal eu fazer xixi durante meus orgasmos, e pq chego ao orgasmo apenas com carinhos, isso é normal? Mas o que mais me deixa curiosa é o fato de eu urinar qdo tenho um orgasmo. O xixi vem quando somente qdo meu marido faz carinhos penetrando o dedo, então chego ao orgasmo em segundos e parece fazer xixi, ele acha legal, mas eu me sinto incomodada com isso, e ao fato de eu chegar ao orgasmo com carinhos, é assim...qdo ele leva a boca em meus seios por alguns minutos ou apenas beijos mais ardentes acompanhados de um carinho mais intimo sem a penetração eu consigo o orgasmo. Então não acho normal pra mim que ja tenho 38 anos. Tambem prático os exercicios de pompoar e gostaria de saber se isso realmente é bom. Grande abraço e Obrigada!

    Claudneide, 38 Anos - Ver Resposta

    Olá Claudnaide.
    Isso acontece por causa do estímulo. Ou seja, é como se você tivesse condicionado essa região, canal da uretra e/ou próximo, de tal modo que ao ser acariciada ou mesmo com o orgasmo, o seu organismo entende que também precisa fazer xixi.
    Como você disse, isso agrada seu marido, e muito homens também, porém, parece que não te agrada. E se você pensa em mudar isso, saiba que é possível, pois do mesmo modo como você condicionou, pode também descondicionar. Para isso será preciso o uso de algumas técnicas comportamentais, orientadas de preferência por um profissional, que na maioria das vezes é um psicólogo terapeuta sexual.
    Quando você fala do orgasmo que não ocorre com a penetração do pênis, mas apenas com os carinhos íntimos, aqui e temos duas vias: uma, é que você aprendeu a ter orgasmos com esses tipos de carinho que você se refere, mas saiba que é possível aprender a ter orgasmo com a penetração também. A outra via, é o que na maioria das vezes acontece com as mulheres que tem essa dificuldade, é não conseguir ficar concentrada nas sensações que ocorrem nos momentos da penetração, é como se sua atenção se desviasse do foco, e aí seu organismo entende que sua intenção não é atingir o orgasmo.
    Quanto aos exercícios de pompoarismo, tirando as promessas mirabolantes que dizem que a mulher vai poder fazer, é uma boa maneira de exercitar a musculatura vaginal. Isso é saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Gostaria de obter informações sobre "ejaculação" feminina ou sobre urina durante o orgasmo. Procurando sobre o assunto não obtive conclusão alguma. É normal? É urina ou alguma espécie de secreção em quantidade?Cheguei a ler que pode chegar a 200ml, mas a informação não tinha indicação científica. É algo que se torna desagradável durante a relação, e gostaria, se possível, de ter mais informações a respeito. Agradeço a atenção.

    Alice, 41 Anos - Ver Resposta

    Oi Alice. Como vai?
    De fato, muitas informações diferentes sobre a mesma coisa nos faz ficar com dúvidas.
    Anatomicamente e fisiologicamente a mulher não tem como ejacular. Algumas mulheres ao ficarem muito excitadas, se lubrificam muito, a ponto de escorrer, e isso pode confundir algumas pessoas, e acham que a mulher ejaculou.
    Outro fator de confusão que quando algumas mulheres fazem xixi durante a transa ou quando estão sentindo o orgasmo.
    Em alguns filmes pornôs isso é muito explorado e valorizado, mas para outras mulheres isso é constrangedor.
    Fazer xixi nessas circunstâncias, ocorre porque o pênis ou objeto estimula uma região próximo ao canal da uretra e isso causa vontade de urinar. Mas isso não ocorre com todas as mulheres, o que significa que essas mulheres desenvolveram maior sensibilidade nessa região. Porém, tem como reverter essa situação, que não é com medicamento nem com cirurgias, mas sim com o processo de dessensibilização dessa área. São sugeridos alguns exercícios para isso.
    Conversar com um especialista em sexualidade pode ajudá-la nesse processo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oiiiiiii Doutor, estou precisando de uma ajuda, eu perdi a minha virgindade há 1 ano e 6 meses, com o meu namorado. Namoro c ele há 3 anos, transamos poucas vezes, porque eu tinha medo q ocorresse algo de errado, ficamos sem transar 8 meses, depois de muitas conversas decidimos transar de novo. Mas aconteceu uma coisa qdo ele estava me masturbando, eu fiz xixi. Acho q tem algo de errado comigo, acho q devo procurar um médico. Pelo q andei lendo, isso pode ocorrer qdo a mulher tem muito orgasmo, mas n sei se isso é verdade... Devo procurar um médico para ver sem tem algo de errado cmg?

    Gabriela, 20 Anos - Ver Resposta

    Oi Gabriela. Calma, não tem nada de errado com você.
    Algumas mulheres apresentem uma sensibilidade no canal da uretra, quando durante a penetração do pênis, dedo ou objetos. Isso causa a vontade de urinar e se der continuidade, ela irá fazer xixi.
    Para algumas mulheres isso é muito constrangedor. Mas não há nada de errado com isso. Essa é uma questão que com a prática sexual a mulher vai aprendendo a se controlar para que isso não ocorra.
    Algumas pessoas confundem essa urina nesse momento, dizendo que é a ejaculação feminina. Isso não é verdade, pois a mulher não ejacula.
    Essa prática de fazer xixi durante a relação é bem explorada e muito desejada em alguns filmes pornôs, aliás eles associam isso ao orgasmo. Mas são coisas distintas. Algumas mulheres relatam essa vontade de fazer o xixi no momento em que estão sentindo o orgasmo, isso é possível. Mas é importante que fique claro que o orgasmo e o ato de urinar são coisas separadas, que podem até ocorrer juntos. Essa exploração nos filmes pode causar uma visão errônea de que a mulher "boa de cama" precisa fazer daquele modo (xixi) ao ter o orgasmo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada há 2 anos, e essa semana peguei meu marido na sala, se masturbando, fiquei muito magoada ele se assustou ao me ver, ficou 2 dias sem me dirigir uma palavra se quer, doutor: pq ele teve essa atitude se sempre que me procura faço de tudo para agradá-lo: sendo que na noite anterior foi Maravilhoso!!! por favor me ajude, obrigado!

    Anah, 23 Anos - Ver Resposta

    Olá Anah.
    Muitas mulheres de fato se incomodam ao saber que o parceiro se masturba. Algumas não se conformam, pois sempre estão ali disponíveis para fazer sexo, então por que ele precisa se masturbar? Em outra situação que também não agrada as parceiras é saber que o parceiro prefere se masturbar que fazer sexo com ela, e se elas insistem sempre há uma desculpa para não fazer sexo.
    Cada casa é um caso e como tal precisa ser analisado separadamente para entender os motivos de cada um.
    É importante que você saiba que é muito normal algumas pessoas fazerem distinção entre o prazer sexual a dois e o prazer solitário, no caso a masturbação. Um não invalida o outro. E nem sempre que a pessoa se masturba, mesmo tendo uma parceira ou parceiro, significa que ela não a deseja mais. Simplesmente é uma forma diferente se sentir prazer, que naquele momento ela quer somente um prazer solitário, um momento só dela. Isso é importante.
    Porém não prefere não usar essa prática, do mesmo modo precisa ser respeitado, pois também é normal.
    O que precisa ser observado, em qualquer situação é a frequência, se a pessoa prefere se masturbar e dificilmente está com vontade de fazer sexo com outra pessoa real. Então, em casos assim é preciso investigar para serber o motivo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • OI Dr.Claudecy, Bom eu gostaria de tirar uma duvida. Quando estou fazedno sexo com meu namorado ele goza isso quando tem muito tempo que nao nos vemos, mas quando tem dois dias que estamos juntos ele demora e começa a dizer que minha vagina esta muito lubrificada e ele se masturbando ele goza. Sera que sou eu ou é ele nao sente tesao por mim? Eu fico toda excitada e com tesao e ele faz com a mao. Eu nao entendo. Eu sinto que nao estou dando prazer a ele. Quando ele nao goza diz que esta com dores e nao termina e eu fico sem graça sem entender toda excitada e com vontade! Falo com ele e ele diz que esta com dores que nao consegue gozar mais de uma vez. E ele tem mania muito de se masturbar. O que eu faço? o problema esta comigo ou com ele? o que devo falar com ele? Espero sua resposta doutor. E Obrigado

    Glaucea, 23 Anos - Ver Resposta

    Oi Glaucia, vários fatores podem contribuir para isso como, o modo como vocês transam (se é ou não bom para ele), alguma questão com ele, ou mesmo algo que tem haver com o modo como ele aprendeu a chegar o orgasmo. Você disse que ele se masturba muito, provavelmente o pressão e o modo como que ele faz ao se masturbar pode ser diferente de quando vocês transam. Isso é comum, afinal, quando aprendemos a nos proporcionar prazer, fazemos de um modo que é com para nós, e quando existe a outra pessoa isso pode ser diferente. Mas isso não é uma questão sua, você não precisa se sentir responsável por isso.
    Dialogar poder ser uma boa maneira de juntos encontrarem uma solução que fique bom para os dois.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá doutor,sou casada a 8 anos,tenho 2 filhos e meu relacionamento com meu marido é bom.Mas hoje,acho q/tive uma decepção.Pela primeira vez peguei meu marido se masturbando na sala e assistindo a um programa em q/duas mulheres dançavam p/ um fotógrafo e lá tiravam suas peças íntimas,se beijavam etc... Confesso q/ já estava desconfiada pois,o vi fazendo outras vezes mas sempre q/ eu chegava perto ele conseguia desfarçar e eu não chegava aos finalmente.Ele parece ter ficado chocado pois,a cara dele era de quem tinha feito uma coisa muito feia.Pediu perdão,disse q/me ama muito ,disse q/eu e nossos filhos são tudo q/ ele tem,e q/isso se deve ao estresse e cansaço.Confesso q/ ele trabalha muito.Desta vez o peguei no momento da ejaculação.Bom doutor,gostaria então de saber se estou sendo imatura para isso ou se realmente é tudo normal.Digo q/fiquei muito chateada,cheguei a dizer para ele q/eu estava no quarto e porque não me procurou. Obrigada e um abraço.

    Helena, 30 Anos - Ver Resposta

    Helena, você está exagerando. Cada pessoa tem suas maneiras de ser estimulado. Até mesmo desejar outra pessoa é normal, se vai concretizar o ato, é outra história.
    Mas parece que esse assunto é pouco dialogado entre vocês, o que não é bom.
    O fato dele se masturbar com outros estímulos pode ter dois motivos: um é que não tem nada de errado, pois é apenas mais um estímulo o que não significa que ele não a deseja mais e que não quer mais sexo como você, simplesmente esses estímulos são mais uma maneira de sentir prazer.
    O outro motivo pode ser o oposto, ele não a deseja sexualmente mais, então usa tais recursos para se excitar. Se for essa a questão, é importante que ocorra diálogos bem abertos para se expor sobre o que cada um não está gostando no outro, e que se possível ocorra mudanças.
    Essa não é uma tarefa fácil, mas é importante que saibam que se precisaram consultem um terapeuta sexual para ajudá-los.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor, fiquei um tanto aliviada quando encontrei esse site pois estou passando por um momento dificil. Sou casada a 8anos, logo no início do namoro descobri que meu marido gostava de pornografia, fiquei decepcionada, briguei e ele prometeu não ver mais, depois do casamento encontrei algumas vezes resvistas pornograficas escondidas pela casa, resultado: brigas, não consigo aceitar tal comportamento. Agora o problema é os sites na internete, ele fica horas "varias vezes" por dia vendo videos e fotos pornograficas, o pior é que agora na hora H ele começou a ter dificuldades, não consegue manter a ereção e fica insistindo ate ter orgasmo assim mesmo, demora mas consegue. Estou começando a achar que ele prefere ficar na internet vendo os filmes e com isso eu não consigo mais satisfaze-lo, pois não faço nem faria certas coisas pelas quais ele se interessa.Já peguei ele se masturbando varias vezes depois de ver os filmes mesmo quando estou em casa, não sei o que fazer, me sinto humilhada com essa situação, e o dialogo sobre o assunto é impossível, ele não quer falar no assunto aos gritos sozinha e sem solução. Me ajude, amo meu marido mas não suporto mais esse comportamento e estou pensando em me separar.

    Isabel, 26 Anos - Ver Resposta

    Isabel vamos com calma. Cada pessoa tem suas maneiras para se excitar, ver fotos e vídeos na internet é uma delas, o que não significa que quem usa dessa via, está cometendo um erro fatal e mereça ser queimado na fogueira.
    Porém, quando algumas práticas sexuais passam a ser concorrentes ou substituto da própria relação sexual com a parceira(o), isso pode significar que algo não está bem. As possibilidades são diversas, desde cuidados com a aparência até comportamentos que causam a diminuição do desejo sexual.
    Você falou que ele está apresentando problemas com a ereção, isso é uma clara evidência de que a relação está precisando de ajuda.
    Apesar de você dizer que o ama e não quer perdê-lo, será esse o resultado se vocês não cuidarem já desse problema. Perceba que ele já se recusa discutir isso com você e parece que o "diálogo" é no grito. Além disso, você já deixou claro para seu ponto de vista e o quanto recrimina que ele veja os sites e se masturbe. Com um comportamento assim, inflexível, você acha que ele sente abertura para tentar conversar com você? De expor os sentimentos dele e os porquês?
    Parece que ambos estão machucados e não estão sabendo como sair dessa situação. Então é hora de pedir ajuda de um profissional, que nesse caso, sugiro que seja um psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Bom dia, Dr. Claudecy Bom, estou casada ha tres anos e tenho uma vida sexual ativa, mas de um tempo pra ca percebi que meu marido estava deixando o sexo que antes era 4 ou 5 vezes na semana , por uma ou duas vezes,ele dizia sempre que estava cansado e que tinha vntade , mas o sono não deixava. Depois de muito conversar com ele, achei ate que estava sendo traida, porque ele tem desejo por mim, mas nao procurava as vezes por uma semana, ele acabou confessando que durante o dia, em qualquer momento que ele fica nervoso ou estressado, ele se masturba, chegando as vezes a 2,3 ou mais vezes num mesmo dia.Dai ele me disse que sente todo tesão do mundo por mim, e eu percebo que realmente sente, ele me ama demais, mas é so ficar nervoso no trabalho, com alguma coisa que não consegue fazer, sente uma frustação, uma depressão e vai se masturbar.Ele disse que depois sente culpa e percebe que não tem graça nesse ato, porq. não é por desejo, e sim pelo nervosismo.Isso estava acabando com nosso casamento, porque ele não me procurava e eu acabei desconfiando dele, mas agora que ele me contou, quero muito ajuda-lo e ele tb quer ajuda. O que podemos fazer a respeito disso, quem procurar? Isso é comum, eu li na internet que sao muitos casos, e tem cura? Pode ser considerado compulsão sexual? DEsde ja muito obrigada!

    Vanessa, 28 Anos - Ver Resposta

    Olá Vanessa. Parabéns por procurar ajuda, é desse modo que se evita um mal maior.
    Que bom que seu marido confiou em você e se abriu. Ele merece parabéns por isso. Pois na maioria dos casos as pessoas preferem, por motivos diversos, não contar e aí o problema dendê só a aumentar, e os conflitos entre o casal também.
    De fato, muitas pessoas encontram no sexo ou mesmo na masturbação uma maneira de aliviar a ansiedade. O mesmo acontece, na maioria das vezes, com o uso de drogas, bebida, jogo, comida, cigarro...
    No caso do sexo, por exemplo, as pessoas usam o sexo não com a finalidade do sexo, mas sim para aliviar a tensão. A maioria das pessoas que usam esse mecanismo não se dá conta que fazem isso.
    Eu precisaria saber mais detalhes do seu marido para dizer se é ou não compulsão sexual. Mas com base no seu relato, os indícios não sugerem ser compulsão sexual, mas pode estar a caminho se não for tratado.
    Como o assunto é sexual, seria muito importante ele procurar um psicólogo que seja terapeuta sexual. Pois assim será possível compreender o que está desencadeando essa ansiedade, e desse modo, juntos conseguirão resolver essa questão.
    Outra sugestão, é que vocês continuem dialogando, fale sempre o que sentem, pois assim terão melhores condições de se ajudarem também.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Namoro a 2 anos e 10 meses e de alguns tempo para cá meu namorado prefere se masturbar ,toda vez que vai tomar banho ele se masturba. Sei que todos os homens gostam de fazer isso.ão sou de Venho aguentando isso mas não sou de ferro e acabei surtando e passei dois dias sem falar com ele, depois conversamos e disse que me sentia um lixo pois pelo menos poderia me respeitar quando estivesse na casa dele, pediu desculpas mas continua fazendo . Alguns tempo nossa vida sexual diminuiu muito,gostaria de saber o que esta acontecendo , gostaria que me ajuda-se pois meu namoro esta se acabando aos poucos pois não aguento mais isso.Ele não gosta muito de conversar sobre sexo,todas as vezes que falo alguma coisa sobre o assunto ele fica quieto. Todas as vezes que ele entra no banheiro já fico pensando que ele vai fazer .Não estou conseguindo ter relações com ele, pois penso nele fazendo. Será que preciso fazer alguma terapia, é uma obsessão o que ele faz ,. é normal tudo isso.

    Angela, 28 Anos - Ver Resposta

    Oi Angela.
    Acredito que você precisa aprender a olhar para você e a se valorizar mais.
    Parece que ele está confortável nessa situação, e por mais que vocês conversem e ele prometa que vai mudar, acaba voltando a rotina. Seria importante saber o que tem atrás desse comportamento dele, se é algo só dele ou algo em você (quem sabe algum comportamento) que contribui para ele preferir a masturbação que fazer sexo com você. Mas como ele não fala, ficará difícil saber. Seria ótimo se ele se abrisse, mas como pode ser que isso não aconteça, que tal você cuidar mais de você, se valorizar mais, investir num relacionamento que a ajude a crescer, se sentir alegre e feliz?
    Quanto a você fazer terapia, penso que seja importante para seu crescimento.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Claudecy Sou casada há 19 anos, tenho dois filhos(14 e 18) e eu e meu marido sempre nos demos muito bem sexualmente. Faz 1 ano que ele vem trabalhando em ritmo acelerado, e tenho a impressão que isso o está deixando com menos vontade de sexo. Mas o vi se masturbando na sala, e fiquei pensando se isso não é falta de interesse em mim. Antigamente ele me procurava todos os dias, e eu até falava para ele que não aguentava isso. Agora ele chega a ficar 10 dias sem me procurar. Mas continua carinhoso, dormindo agarrado comigo, e sempre dizendo que me ama. Será a masturbação normal? Eu não sabia que isso acontecia. Nós vivemos muito bem, mas confesso que ando um pouco triste por ele me procurar menos, e por vê-lo se mastubando, afinal eu nunca tive restrições para o sexo. Poderia me ajudar um pouco? Agradeço

    Cristina, 42 Anos - Ver Resposta

    Oi Cristina.
    Que bom que você está procurando esclarecimento, assim você evita sofrer.
    A masturbação é uma prática saudável, e não deve ser encarada como traição ou que a pessoa não tem mais interesse na parceira ou parceiro. Muitas vezes a pessoa só quer um prazer solitário, um momento só dela, e não tem nada de errado nisso.
    O que deve ser observado é o excesso. O mesmo ocorre com a bebida, com a comida... No caso da masturbação, quando essa acaba sendo a fonte principal de prazer, isso sinaliza que algo não está bem, e então é preciso uma investigação para saber o que não está bem.
    No seu caso, parece que a mudança na rotina de trabalho que deixado seu marido mais cansando e com menos disposição para o namoro. Mas isso é apenas uma hipótese, é preciso dialogar para entender o que está acontecendo. É importante que essa conversa não seja em tom de cobrança.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. eu peço por favor que me ajude,meu noivo me contou que é infantilista desde quando tinha uns 06 anos(ele se sente bem quando usa fralda), hoje ele tem 26, até então nunca tinha ouvido falar disso, apesar de ter me formado em pedagogia e ter uma grande paixão pela psicologia e psicopedagogia, eu sou completamente leiga neste assunto, procurei na internet, em alguns artigos e sites, fiquei meio assustada, a minha dúvida é: o que podemos fazer para encontrarmos uma "cura" para isso, tenho certeza que o caso dele foi um trauma de infância, pois a mãe dele é meio seca com ele, mas ao mesmo tempo ela a trata como um menino ainda, vamos nos casar em breve, gostaria de saber o que posso fazer para ajudá-lo, será que depois de casarmos ele irá conseguir se livrar dessa "mania"? me oriente por favor!! OBS: ele nunca contou isso para ninguém, eu sou a única pessoa que ele teve confiança em conta. Desde já agradeço!!!

    Anonimo, 20 Anos - Ver Resposta

    Olá.
    Parabéns por procurar ajuda.
    Sim, esse é um caso que merece atenção e cuidados de um psicólogo especialista. É preciso entender a dinâmica das pessoas que usam essa forma de prazer para poder ajudar.
    Nem sempre essa forma de obtenção do prazer está associada a algum trauma, mas sim, a uma maneira que essas pessoas aprenderam a obter prazer, que, em muitos casos pode estar relacionada a alguma necessidade não satisfeita na infância.
    Compreendo que você deve estar bem confusa com essa situação, ainda mais porque é uma pessoa que você ama e vai se casar com ele. Mas o melhor você já está fazendo, que é procurar ajuda. É importante que ele também queira ser ajudado.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá doutor descobrir recentemente q tenho infantilismo, sou casado e minha esposa não sabe, pois tenho medo de contar a ela com medo da reação dela, gostaria de saber se o infantilismo e considerado uma doença ,existe tratamento para infantilismo e porque motivo tenho o infantilismo qual é a causa.

    Marcelo, 34 Anos - Ver Resposta

    Oi Marcelo, imagino que você esteja confuso.
    Sim, o infantilismo é um problema, pois impede a pessoas de ter uma vida sexual "normal".
    Porém é importante que se converse com um especialista (um terapeuta sexual) para um diagnóstico adequado.
    Sim, existe tratamento. Mas para responder suas perguntas é preciso conversarmos para eu obter dados que me permitam esclarecê-lo e orientá-lo quanto ao quer fazer.
    Se desejar mais informações pode entrar em contato comigo também pelo telefone 11 5092-3898.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor vejo que o assunto infantilista vem sendo frequente em seus video. Peço que me ajude pois sou infantilista e nao consigo me acertar nos relacionamentos mau inicia-se e ja finaliza. faz um ano meio que frequento psicologo. Enfim nao consigo me aceitar, e gostaria de ter uma relaçao estavel. gosto de mamadeira,fraldas e etc.

    Renato, 20 Anos - Ver Resposta

    Oi Renato.
    Você discute com seu psicólogo essas questões?
    Ficará difícil você se acertar em um relacionamento com uma configuração normal se você não resolver essa questão primeiro.
    Isso acontece porque voluntariamente ou não, você deve apresentar comportamentos para ela, na linha do infantilismo, que ela deve achar estranho.
    Sei que continuar assim, com o infantilismo e não se acertando com as namoradas, não será bom para seu crescimento.
    Caso você não se sinta confortável ou sinta que não está resolvendo essa questão, na atual terapia, pense na possibilidade de procurar outro profissional.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi, doutor Claudecy eu tenho certeza que sou infantilista pois sinto muito prazer em usar fraldas, mamadeiras, e chupetas, quero fazer algumas perguntas? Eu sou mesmo infantilista?Se for tem algum problema de saúde?Eu devo contar para alguem?E como posso fazer isso? Obrigado, agradeço sua atenção

    Lucas, 23 Anos - Ver Resposta

    Olá Lucas.
    Eu entendo se que seja muito prazeroso essas práticas para você.
    Mas também percebo que isso não o deixa tranquilo, afinal, está procurando ajuda.
    Eu sei que é confuso para as pessoas que não conhecem essa prática, e deve ser estranho para você também. Quando você pergunta se isso é prejudicial à saúde, a prática em si de usar chupeta, mamadeira, fraldas... não é prejudicial, afinal até os bebes usam. O problema está nos motivos que leva a pessoa a praticar essa forma de prazer. E isso é muito particular. Cada caso é um caso e precisa ser analisado individualmente.
    Ao atender pessoas com essa queixa, é muito comum encontrarmos questões pendentes, como a dificuldade de se desenvolver emocionalmente, dificuldades com relacionamentos afetivos, profissionais, sociais...
    É importante sim que você compartilhe esse tema, mas que seja com um profissional que compreenda o assunto para ajudá-lo a entender os motivos que o levam a essa prática e orientá-lo quanto ao que fazer.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Gosto muito de chupeta, não durmo sem a chupeta e mamo mamadeira, duas mamadeiras antes de dormir. Tenho muita vontade de mamar no peito e sinto que sou um bebê. Quero saber se isso é um problema, pois não tenho nenhuma vontade de mudar.

    Paulinho, 45 Anos - Ver Resposta

    Olá Paulinho.
    Sim, esses são sintomas do que chamamos de infantilismo. O problema não está na chupeta e nem na mamadeira, mas sim, no porque e na necessidade de usar. Também observamos ao analisar cada paciente, que os reais motivos para essas práticas escodem questões mal resolvidas, que na maioria dos casos as pessoas nem se dão conta.
    A fala de que não sente vontade de parar, não é só sua, é comum a todos os que apresentam essa questão. O prazer obtido é grande, por isso, não desejam parar. Tais pessoas só pensam em procurar ajuda quando há sofrimento ou isso está trazendo perdas, por exemplo, conflitos nas relações (afetivas ou em casa com os pais), nas relações sociais, profissional.
    Caso você mude de ideia, pense na possibilidade de procurar ajuda de um psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor, Gosto muito de usar fralda a noite, mas não me intersso por objetos infantis (mamadeira, xupeta, etc) e nem em agir como um bebe. Minha situação também se enquadra no infantilismo? Usar fralda pode tornar o homem infértil devido ao aquecimento escrotal? Minha namorada sabe, mora comigo e convivemos numa boa com isso, devo procurar tratamento?

    Pedro, 27 Anos - Ver Resposta

    Olá Pedro.
    Que bom que você está procurando ajuda.
    Quanto a parte da infertilidade, seria importante conversar com um urologista. Já a parte do infantilismo, é comigo.
    Acredito que o foco não deveria ser se você é um infantilista ou não, mas sim, o que você sente ao usar as fraldas e os motivos pelo qual você usa.
    Seria muito importante investigar essas questões. Na maioria dos casos, isso não é uma vontade ou comportamento isolado, mas sim, um sintoma que está mostrando que algo não está bem.
    Pense na possibilidade de procurar um psicólogo especializado em sexualidade para ajudá-lo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Desde criancinha sinto prazer em usar fraldas. Me lembro que tinha uns 3 anos quando saí das fraldas e quando via meu irmão mais novo usar, ficava com vontade. Sou casado, minha mulher sabe e levamos nossa vida sexual numa boa. Pergunto ao Sr. , todos os comentários realizados são masculinos, existe mulheres nesta mesma situação?

    Ma, 32 Anos - Ver Resposta

    Olá Má.
    Sim, existe. Numa proporção menor, mas existe.
    Eu desconheço pesquisas que falam de porcentagem para homem e mulher. A literatura menciona e o casos que chegam ao nosso consultório confirma uma prevalência maior de casos masculinos.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, gostaria de saber se existe algum relato na comunidade medica de tratamento que tenha dado certo? Sou infantilista e estou muito mal, porque ja namorei e tenho enorme dificuldade para relações sexuais, pois só tenho ereções quando penso em fraldas, em ser tratado como nenem, e isso criou uma especie de barreira em minha mente, o que posso fazer para mudar isso. Sei que isso tudo é loucura, mas nao consigo parar com isso, sei que isso me prejudica e ate faço votos de parar, mas depois de um certo tempo o desejo vem num crescendo maior e ai ja nao consigo mais controlar esse desejo e acabo sempre usando fraldas e me fazendo de nenem. obrigado pelo espaço que abriu no seu site.

    Carlos, 35 Anos - Ver Resposta

    Olá Carlos.
    Inicialmente parabéns por reconhecer que precisa de ajuda e estar indo atrás para entender o que está acontecendo com você.
    Sim, existem casos de sucesso tanto na literatura científica como nos consultório de profissionais que trabalham com essa questão.
    Pelo seu relato, tive a impressão eu você chegou a um ponto de reconhecer que a forma como você sempre sentiu prazer, já não o completa ou satisfaz mais como antes. Esse reconhecimento é um bom sinal. Isso mostra o quanto você desenvolveu uma relação com o sexo inadequada, é como se você tivesse parado no tempo, lá atrás, e não quisesse sair mais de lá. De lá para cá, o que você sempre fez, foi alimentar aquilo que lhe dava prazer, ou seja, os temas infantis, como fraldas, ser tratado como neném, chupeta...
    Do ponto de vista cronológico, o tempo não parou para você. Mas do ponto de vista do desenvolvimento emocional, você parou, estacionou, puxou o freio de mão e saiu do carro. Até aqui você sempre buscou parceiras que alimentasse o seu lado infantilista, como você até citou, mas está se dando conta que por essa via você não está se desenvolvendo, apenas está mantendo o lado infantilista vivo.
    Carlos, mais uma vez eu o parabenizo por procurar ajuda. Agora é importante que você vá adiante, que procure um psicólogo especializado em sexualidade para juntos trabalharem as pendências que você tem, dessa forma você verá como é melhor e mais gostoso viver de forma mais saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, Doutor! Sou infantilista desde os 9 anos de idade, mais ou menos. Durante a infância, nunca fui muito saudável, por isso era (e ainda sou) muito quietinha no meu canto, a ponto de não gostar de brincar. Não me relaciono bem com as pessoas; prova disso é que eu tenho 17 anos e nunca tive sequer um ficante... Logo, sou bv. Quando criança, usei fralda pra dormir até os 7 anos de idade, e sempre fui bem mimada. Será que o fato de eu ter sido uma criança muito quieta pode ser uma das causas do meu infantilismo? Mais uma coisa: Na adolescência, desenvolvi o infantilismo na forma de fetiche sexual, e agora me tornei uma masturbadora compulsiva! Isso tem volta? Tipo... tem como eu me libertar do infantilismo por completo? Desculpa pelo texto enorme, e obrigado desde já. Que Deus o abençoe.

    Garota Anonima, 35 Anos - Ver Resposta

    Olá Garota Anônima
    Eu imagino que deve ser difícil conviver com essas dificuldades e por se dar conta que está com o desenvolvimento de algumas áreas da sua vida atrasado. Mas eu a parabenizo por estar querendo resolver essas questões e para isso está buscando ajuda.
    Sem dúvidas esses sintomas que você apresenta, como o “infantilismo e a compulsão pela masturbação, são, sem dúvidas formas que mostram que algo não está bem na sua vida.
    Porém, é preciso investigar o seu caso de maneira ampla para entender as origens dessas questões e assim poder ajudá-la.
    Eu gostaria de entender melhor, quais características você apresenta para dizer que é infantilista. Você me dizer?
    Quando você diz que era uma criança quietinha, é importante saber o porquê era quietinha, se era sei jeito mesmo ou se havia sofrimento por não conseguir se expressar como as demais crianças. É provável que nessa fase alguma coisa já não estivesse bem com você, e de lá para cá você desenvolveu essas formas para amenizar (ou se punir) esses sentimentos negativos que você sentia.
    Mas seja lá quais forem as questões, eu proponho que você vá a um psicólogo para ajuda-la a arrumar a sua vida de modo que você deixe de ser bv, que cresças e se torne uma mulher cada vez mais saudável. E saiba que sem solução sim o seu caso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Claudecy, boa noite, tudo bem? Obrigado pela oportunidade sobre minhas duvidas, mas tenho muitos desejos sexuais: sou solteiro, moro sozinho, situação-financeira estável, porem tenho e já tive exp-sexual com homens e mulheres. Sou P com homens e A com mulheres. sou bissexual, com certeza. Tenha prazer e tb com infantilismo. tive algumas experiencia e percebi q tenho lactomania, na qual essa experiencia ocorreu e o prazer de ser amamentado. Me fez e me faz muito bem ser assim. A parceira estava na faze de amamentaçao, nos conhecemos e namoramos e acabei tendo prazer pelo leite-materno. Obrigado pela oportunidade.

    Andre, 36 Anos - Ver Resposta

    Olá André.
    Obrigado pela confiança em compartilhar essas questões tão íntimas comigo.
    Pelo seu relato, tive a sensação de que você está bem confuso e perdido em alguns aspectos da sua vida. Tanto a sua vida social quando a afetiva e sexual, nesse relato da a entender que o caminho que você percorreu não contribuiu para um desenvolvimento saudável.
    Quando converso com pessoas que se dizem bissexuais, em boa parte delas eu percebo que a própria sexualidade está confusa e não que essa pessoa seja bi. No seu caso, essa questão precisaria ser melhor investigada para falarmos com mais propriedade.
    Outra questão que você coloca como grande fonte de prazer é o infantilismo. Eu não tenho dúvidas do seu prazer, deve ser grande mesmo. Porém, tenho a impressão que você ao mesmo tempo também que algo está estranho, que essas formas de obtenção de prazer não sejam tão “normais” e com isso vem provavelmente a culpa ou mesmo desconforto.
    Sempre que atendo casos com queixar assim, percebo que essas vontades, fantasias e desejos são sintomas, que por trás deles está a real questão, que varia de pessoa para pessoa. O que encontramos são questões mal resolvidas, que estão impedindo o desenvolvimento normal, impedindo de se relacionarem e desenvolverem nas diversas áreas da vida como, social, afetivo, sexual, profissional de forma saudável.
    Sei que diante do prazer que você sente com essas práticas, é difícil pensar em viver sem elas. Mas imagino que por você ter escrito essa mensagem para mim, é porque você percebe que está precisando de ajuda. Parabéns por essa iniciativa. Agora você precisa dar mais um passo, que é ir a um profissional para ajudá-lo.
    Coloco-me a disposição para conversarmos e até mesmo para esclarecer algumas questões.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • COMO POSSO AJUDAR UMA PESSOA COM INFANTILISMO

    Vanusa, 44 Anos - Ver Resposta

    Oi Vanusa.
    A melhor ajuda é incentivá-lo a procurar um psicólogo especializado.
    Essa é uma situação delicada que precisa de alguém que entenda do assunto para ajudar.
    Infelizmente as pessoas que praticam o infantilismo têm dificuldades de ver isso como um problema, na verdade é um sintoma de um problema que precisará ser investigado e tratado.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, boa noite. Gostaria de saber se exitem graus de infantilismo. É porque meu marido trata não só a mim , e até a própria mãe como crianças. Ele gosta qdo é correspondido. Sabe, aquele jeito que vc trata cachorrinho novo??? Já tentei conversar com ele sobre isso... E até manifestei, q td bem de vez em quando vc tratar carinhosamente, mas o tempo todo não! Ele nunca PRONUNCIOU meu nome em 6 anos!!!, pra vc ter noção! é só apelidos como: Tutu, docinho, carneirinho ( isso desde o começo viu)... affe.. até na hora do sexo!! isso acaba comigo.. me ajude, por favor doutor! Isso é normal?? Se não, o q faço?? obrigada desde já!

    SS, 36 Anos - Ver Resposta

    Olá SS.
    Penso que o foco deve ser o que o leva a agir assim. Sei que comportamentos assim incomodam muito quem está por perto. Porem, para a pessoa que se comporta assim é uma fonte de prazer, ainda mais quando é correspondido. Sei que não a sua intenção ou das pessoas que lidam com ele, mas a cada interação respondendo a esse modo infantilizado, você acabam reforçando esse comportamento dele.
    Parara de reforçar é uma mudança muito importante. Porém, pessoas assim têm dificuldades para ver que algo não está bem, que existe alguma coisa mal resolvida na vida deles e que precisam de ajuda para resolver. Como eu disse acima, isso se torna mais difícil se o contexto que ele vive é reforçado.
    Conversar com a pessoa e estimulá-la a procura ajuda, é um caminho que pode fazer toda diferença na vida dele.
    Quanto a você, que convive com ele, imagino o quanto isso a incomoda. Porém, sua tolerância com esses comportamentos dele, há 6 anos, dificulta que ele perceba que isso não é saudável. O que percebo quando atendo casos assim, é que as pessoas envolvidas têm dificuldades sobre como deve ser comportar. Quando pessoas assim são orientadas, facilita mui a compreensão, bem como ajuda no processo de mudança da pessoa como essa dificuldade.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Eu sofri abusos quando criança e depois de adulta tive relações com homens mas não senti nada apenas dor e me sinto atraida por mulheres. Eu tenho tendencia a ser lesbica?

    Werica, 21 Anos - Ver Resposta

    Oi Werica.
    Não necessariamente você seja lésbica. É preciso investigar essa questão.
    Pode ser que o abuso tenha influência no que você está sentindo. Mas não é uma verdade que todas as pessoas que sofreram abuso tenham dificuldades sexuais mais tarde.
    Penso que é importante consultar um terapeuta sexual para entender o que está acontecendo com você. Pois desse modo você poderá tirar as dúvidas, se definor enquento orientação sexual e ter uma vida sexual do modo gostoso e saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá. Namorei por 2 anos um rapaz que era até muito mulherengo, um dia eu cheguei em sua casa e o peguei se masturbando com um pênis de borracha . Ele me prometeu que não iria fazer mais isso, mas passado algum tempo encontrei um outro pênis ainda maior em sua gaveta. Terminei com ele e passado uns dias ele já tinha 2 namoradas mas vivia atrás de mim. Como o amo muito resolvi voltar, ele largou os 2 casos e vivemos juntos já a algum tempo. Preciso saber. É normal uma pessoa gostar de mulher e de se masturbar com um penis de borracha sem gostar de homem? Ele pode ser viado também? Como chama isso? Veja bem, pode ser sincero eu também quero ajuda-lo e ser for possível encaminha-lo a um médico, mas preciso de uma opinião.

    Marcia, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Márcia.
    Percebo que essa situação mexeu com você, não é?
    Mas algumas coisas precisam serem esclarecidas tanto para você quanto para ele. Entre elas, seria importante saber como fica essa questão para ele, o que isso representa para ele, se é apenas uma fantasia ou algo da qual ele tem vontade de vivenciar. De nada adiantará fazer promessas. Outra questão é: O que ele pretende com você no que diz respeito a uma vida em comum.
    Imagino que ele também deve ter ficado embaraçada com essa questão, e de algum modo, pode ser que ele também esteja em conflito com essas questões, e isso traga sofrimento.
    Por outro lado, como foi para você se deparar com isso? O que sentiu? É importante você saiber, que não necessariamente ele seja homossexual por causa disso. É natural do ser humano fantasiar, e quando fantasiamos, não significa que iremos realizar ou que temos vontade de viver aquela situação na prática. Fantasiamos coisas às vezes, que só queremos que fique na fantasia. Não há nada de errado nisso. Somos livres para fantasiar, sem precisar pedir a autorização a alguém.
    Pelo que você fala, a questão do interesse sexual dele é bem grande (você disse mulherengo), e muito provavelmente ele busque esse prazer de diversas formas e pessoas. Caberia aqui uma questão para ele: O que de fato ele busca numa relação?
    Você pode sim ajudá-lo. Aliás, não só a ele como a você também. Penso que seria muito importante vocês conversarem bastante abertamente sobre essas questões, com respeito e sem melindres, tentando compreender como o outro pensa e sente. Além disso, vocês se beneficiariam muito, tanto na vida individual como na do casal se procurarem um psicólogo, na qual poderão discutir com mais profundidade essas e outras questões.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, tenho 17 anos, e descobri muito cedo que sou homossexual. Vivo em grande sofrimento por ser assim diferente dos outros. Observo meus amigo e eles são muito diferente de mim. Venho optando a cada dia para o isolamento e tenho sofrido dia a dia, por ser assim. Frequento uma igreja e vejo um tremendo preconceito em relação a homossexuais e lá diz que é um dos maiores pecados etc. Doutor, sinceramente, não sei mais o que fazer. A minha vida está uma bagunça desde que descobri isso.Muitas veses vem pessamentos de morte, ou seja, penso em suicídio. O que eu devo fazer para acabar com esse sofrimento? Me responda, por favor. Obrigado!

    Bruno, 17 Anos - Ver Resposta

    Olá Bruno, que bom que você está buscando ajuda.
    De fato, vivemos uma sociedade muito preconceituosa.
    Compreendo seu sofrimento. Sei que é muito ruim não ser entendido, sentir o preconceito dos amigos e na igreja. É claro que o seu afastamento nada mais é do que um reflexo do modo como o tratam e lidam como assunto da homossexualidade.
    Infelizmente a igreja que tem um discurso que muitas vezes vai para o lado da hipocrisia, pregando igualdade e que "todos somos filhos de Deus e iguais perante ele", acabam pecando gravemente com esse preconceito.
    Bruno, ser homossexual não é crime, não tem nada de errado com você, mas infelizmente tem de errado na cabeça de muitas pessoas ainda ignorantes com relação a esse assunto.
    Á homossexualidade não é esse pecado terrível que eles pregam. Você não vai deixar que ir para o céu ou ser salvo por Jesus por ser homossexual (se é que essa idéia de ser salvo e ir pra o céu tem fundamento).
    Esses sentimentos que você tem não contribuem para o seu bom desenvolvimento. É importante você compartilhar desses sentimentos com pessoas que o aceite como você é, que compreenda de fato o que é a homossexualidade e que respeito você. Por isso, procure lugares e pessoas para isso. Ficar se isolando não é bom, não ajudará em nada, muito pelo contrário, deixará você triste e deprimido.
    Sugiro também que você pesquise leia muito sobre a homossexualidade, não para discutr com as pessoas, mas sim para ajudá-lo a entender que você não é doente por ser homossexual.
    Se possível, vá a um psicólogo. Esse profissional pode ajudá-lo muito a lidar com esses sentimentos e situações.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • doutor sou casada nao sinto tesao pelo meu marido nem nunca tive prazer so que eu adoro me masturbar vendo filmes pornos de lesbicas sozinha tenho desejos mas nunca senti atração por uma mulher mesmo so na hora da masturbação e quando estou com meu marido nunca pensei em mulher me ajude doutor sou bi sou lesbica ????? estou desesperada

    Alexia, 26 Anos - Ver Resposta

    Olá Alexia.
    Essas coisas costumam confundir as pessoas. Será preciso investigar isso na sua vida. Mas há um dado relevante que é você não sentir desejo pelo seu marido. Isso não é bom e precisa de atenção.
    As possibilidades para isso são várias, que podem ter relação com você ser lésbica, como também desejar uma relação sexual como as mulheres costumam ter com, muitos carinhos, toques...
    Perceba que sua carência está inclusive exposta no seu endereço de e-mail, não vejo que isso seja por um acaso.
    Seria muito legal você ir a um psicólogo para discutir essas questões, pois não dá para pensar numa relação saudável se não há desejo sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr, tudo bem? Olha, atualmente ando muito angustiado. Fui casado durante 6 anos e tive uma plena vida heterossexual. Após minha separação comecei a manter muitas relações sexuais com prostitutas e há um ano comecei a sentir fortes desejos homossexuais e perda de atração em mulheres. Não quero isto, me masturbo pensando em homens, coisa que nunca fiz. Desde a adolescência só pensava em mulheres. Isto está me deixando muito angustiado e deprimido, o que faço? Obrigado

    José, 38 Anos - Ver Resposta

    Oi José. Imagino a confusão que deve estar a sua cabeça. E não é para menos.
    É muito difícil falarmos em sexualidade 100% hetero ou 100% homo. Mas existe no decorrer da vida a possibilidade de se experimentar o outro lado. O que não significa, por exemplo, que a pessoa seja homossexual, mas sim, que naquele momento, naquele período, ele sente vontade de se relacionar, mesmo que esporadicamente, de alguma forma com uma pessoa do mesmo sexo, mas que depois voltam a sua orientação sexual anterior. Veja o exemplo de pessoas na prisão, ou mesmo nas Forças Armadas, na qual, lá dentro elas mantém relações homossexuais, mas tão logo vão para o convívio normal elas voltam a se relacionar como sexo oposto.
    Há também aquelas pessoas se enquadram na bissexualidade, que se sentem bem ao se relacionar com homens ou mulheres.
    Porém, penso que seria importante no seu caso, uma análise mais profunda. Entender o porquê da separação, dos muitos relacionamentos com garotas de programas e desde então com homens também.
    Percebo que essa situação tem gerado muitas dúvidas, insatisfação e angústia em você. Continuar dessa maneira não é saudável e pode ser que isso gere outras complicações.
    Penso que conversar pessoalmente com um especialista em sexualidade, para aprofundar nessas questões, pode ajudá-lo a resolver esses conflitos.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Ola!!! sou gay e namoro um rapaz eu tenho feito relaçôes com ele umas 10 vezez nessas relaçôes só fiz o papel de ativo uma vez, porque na hora que vou fazer o ativo eu brocho. Eu falo para ele que nao sou impotente porque já tive relaçoes com mulher eu nunca brochei oque você acha sobre isso, sera que eu tenho a probabilidade de ser só passivo? e se isso acontecer será que nao terei mais eraçao no futuro? como que eu faço pra satifazer melhor meu companheiro???

    Williamns, 21 Anos - Ver Resposta

    Williamns, a dificuldade com a ereção é um sintoma que mostra que algo não está bem. Porém, cada caso precisa ser analisado individualmente. É preciso saber o que, o seu caso, está causando isso. Várias são as possibilidades, desde uma não identificação com o modo como é desempenhado o papel sexual até questões psicológicas.
    Seria prudente você ir a um terapeuta sexual para saber o que está causando essa dificuldade em você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Como pode uma filha unica tratada com todo o amor dos pais e libertade, agora dizer que é gay. Isso para mim foi a mesma coisa que a morte. Quando engravidei o meu desejo era ter uma menina o que foi realizado, porém hoje estou perdida com essa revelação e a agressividade com que sou tratada por ela.

    Ilza, 50 Anos - Ver Resposta

    Ilza, entendo sua frustração e sofrimento. Porém ser gay independe do modo como a pessoa foi tratada.
    Porém, se ela está agressiva com você, muito provavelmente é conseqüência também do modo agressivo e preconceituoso que você a trata. As pessoas que são gays, já sofrem um preconceito na sociedade em que vive, e em casa, com a família, tais pessoas gostariam muito de ser acolhidas, amadas e tratadas com respeito.
    Se você não quer que sua filha se afaste cada vez mais de você, ou mesmo perdê-la, será preciso que você mude seus comportamentos. Ela precisa de apoio, de carinho, pois não é fácil viver numa sociedade que é preconceituosa.
    Sei que é muito difícil para você essa situação, que provavelmente você não saiba como lidar com tudo o que está acontecendo, por isso, seria muito bom que você fosse a um psicólogo para ajudá-la a entender o que é a homossexualidade, e trabalhar esse sofrimento que você está sentindo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • DR. vivo um relacionamento no qual por opçao sou passivo,, e meu parceiro ativo, sei que ele ja viveu uma relação sendo o passivo da historia e de uns tempos atras ele me pediu para ser ativo mas não consigo, ele então disse que era para esquecermos essa historia, apesar de saber que ele esta com muita vontade de ser passivo... gostaria de saber se há possibilidades de ele fazer algo escondido ?, ou se isso e facil simplesmente de esquecer? oque devo fazer?

    Luis, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Luis. Não tenho como responder com um sim ou não.
    Isso depende de cada pessoa, de cada configuração de relação e do quanto é importante para ele essa questão.
    Converse com ele, fale de sua insegurança, penso que é o melhor que pode ser feito, pois, controlá-lo não será possível.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Caro Dr, como faço para saber se meu filho é homossexual ou não? Estou cada vez mais apavorada com o comportamento dele e muito triste com a forma com que ele vem se comportando nos últimos três anos. Busca o isolamento, não se interessa por meninas, não tem um círculo de amigos, vive sempre na internet não gosta de contatos sociais. Ele fez 15 aninhos no dia 3 de março deste ano. Está cursando o 1º ano do ensino médio. Tem uma história de vida complicada, pois quando ele tinha três aninhos de idade eu me separei do pai dele e me casei com outro homem com o qual vivemos até hoje. Este homem nunca o tratou como filho. Alcoólico, sempre nos tratou mal. Separamos várias vezes e meu filho detestava-o até pouco tempo. Sempre estudou em escolas católicas. Neste ano tive de tirá-lo deste colégio porque ele ameaçou até de nunca mais ir para a escola se eu o matriculasse no Dom Bosco novamente. Algum tempo depois descobri que ele não queria mais estudar lá porque foi estigmatizado pelos colegas de homossexual. Desconheço qualquer caso de homossexualismo na família do pai dele e na minha também. Pelo menos, assumidamente, não há nenhum homossexual. Ele foi criado junto com mais dois primos da mesma idade. Há três anos ele começou a se afastar dos primos e este ano praticamente rompeu com um deles. Já desesperada com este comportamento, procurei saber dos coleguinhas de escola e dos primos o motivo desses rompimentos. O meu sobrinho com quem ele rompeu relacionamento disse que não tem paciência para lidar com "bicha". Disse-me que o fato de meu filho ser homossexual o envergonha diante dos colegas de escola. Confesso que levei um choque e até hoje não consigo dormir em paz. Já tentei conversar com meu filho sobre a sexualidade dele, mas ele não quer discussão. Apenas afirma que não é homossexual. No entanto, há cerca de três ou quatro anos, entre os 12 e 13 anos de idade, estávamos assistindo televisão, eu e ele, quando ele me perguntou o que eu achava dos homossexuais. Depois que falei o que eu achava, ele perguntou se eu iria ficar muito triste se tivesse algum homossexual na família. Lembro-me que falei que não ficaria não, pois trabalharia minha cabeça para aceitar cada um do jeito que cada um é. Depois dessa conversa, ele se fechou e nunca mais bateu papo comigo sobre seus sonhos, desejos etc. Nesta semana ele se depilou todinho alegando que se acha muito cabeludo e que os colegas dele não são tão cabeludos assim. Descobri, recentemente, que sou preconceituosa sim. Sou uma pessoa extremamente preconceituosa com homossexuais. Cheguei a descobrir que não só com homossexuais, mas também sou preconceituosa com tantas coisas e tenho tantos medos. Confesso que não queria que meu filho fosse homossexual. Afinal, ele é meu único filho e sempre sonhei com aquela família burguesa, com netos, tudo dentro da normalidade, tudo conforme manda nossa sociedade. Descobri que sou reacionária e tudo que sempre combati está bem vivo dentro de mim. Estou em crise e depois que descobri isso passei a não conseguir conversar com meu filho sobre isso. Sou jornalista e sempre trabalhei em dois, três empregos. Nunca tive muito tempo disponível para meu filho. Sempre me senti culpada de tudo e sei que tenho culpa nisso que acontece hoje. Mas precisava garantir nossa sobrevivência e nunca desisti de trabalhar, trabalhar, trabalhar. Gostaria de saber o que fazer. Tem possibilidade de, em ele sendo homossexual, ser algo determinado pelo estresse que sempre teve dentro desta casa? Tem possibilidade de reverter? Como posso ajudar meu filho? Como posso nos ajudar meu filho a ser feliz independentemente da opção sexual? Obrigada, Cátia.

    Catia, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Cátia, como vai?
    Entendo que toda essa questão esteja deixando você sem saber o que fazer, angustiada e perdida, até mesmo pelas descobertas que estão surgindo em você.
    Porém, que tal, antes - ou ao mesmo tempo - de você querer ajudá-lo, procurar se ajudar?
    Muito provavelmente ele esteja sofrendo também por causa da pressão preconceituosa na escola, dos colegas, sua, da sociedade. Talvez esse seja um dos motivos que está contribuindo para seu isolamento. E não é para menos, afinal, ele parece não se enquadrar ao grupos onde sempre conviveu, onde sempre brincou e era aceito. É como se isso fosse uma doença contagiosa. E agora que existe essa suspeita de homossexualidade, ele não pode mais ser aceito como sempre foi. Como qualquer um de nós se sentiria se tivesse no lugar dele?
    Ninguém escolhe ser homossexual ou heterossexual. Não se trata de uma opção sexual, e sim, uma orientação sexual que cada um de nós temos. E o que há de errado ser homo? Por que alguém não pode manifestar seus desejos e emoções por alguém do mesmo sexo?
    Você já pensou que ao "sonhar com aquela família burguesa, com netos, tudo dentro da normalidade, tudo conforme manda nossa sociedade", é uma expectativa sua e não dele? Já pensou que talvez ele tenha outros planos?
    Cátia, o que você acha de procurar um psicólogo para ajudá-los? A ele para ter um espaço para falar de suas angústias e sofrimento, e a você do mesmo modo, para tentar se conhecer melhor, entender o que está acontecendo, e assim, ter um relacionamento mais saudável ele - o que você sacrificou muito em função do trabalho.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Claudecy. Tenho uma filha saudável, de 12 anos. Fico satisfeita pois ela me conta, demonstrando muita confiança, seus anseios e angústias. Neste momento ela está muito angustiada e assustada pois acha que se sente atraída por suas amigas do mesmo sexo e tem pavor de se tornar lésbica. Em várias ocasiões me contou que estava gostando de um menino da escola, no ano seguinte, demonstrava interesse por outro, mas sempre de forma platônica, a distância. Há um ano, mais ou menos, ela me contou que uma amiguinha convenceu-a a ficarem as duas peladas e fizeram uma investigação de seus corpos. Em outra ocasião, esta mesma amiga, que tem a mesma idade, sugeriu que experimentassem um beijo de língua, ela topou e se sentiu muito arrependida e enojada. Ela me contou também que algumas vezes já se masturbou e, lendo suas respostas no site, acredito que tenha agido corretamente com ela, pois mostrei que a masturbação é algo natural e saudável. Haia uma novela na TV que mostrava um casal de adolescentes lésbicas e a forma como elas eram desprezadas por alguns colegas de escola. Minha filha viu alguns capítulos desta novela e, a partir dai, começou este pavor de vir a ser lésbica. Acredito que o que está acontecendo com ela é natural nesta fase da adolescência, em que há muitas descobertas sendo feitas em um momento em que ainda há a preferência das meninas pelas suas amigas do mesmo sexo do que por meninos e dai a confusão. Minha dúvida é - é isto mesmo que está ocorrendo? Como devemos, eu e meu marido, agir com minha filha de forma a não incentivar estes pensamentos e não confundi-la mais dando, ao mesmo tempo, atenção e apoio na medida certa? Dr, de antemão agradeço sua resposta e parabenizo-o pelo site, tão esclarecedor.

    Vera, 43 Anos - Ver Resposta

    Olá Vera, como vai?
    Posso imaginar o quão confuso está essa situação para vocês.
    Porém, penso que sua filha esteja sofrendo com toda essa turbulência emocional, na qual, de um lado está a moral de uma sociedade na qual julga que sentir atração por outra pessoa não é certo, e do outro lado o sentimento dela.
    Você está agindo de modo correto ao ouvi-la contando suas emoções, falar de
    suas angústias, sem criticá-la, entendendo que isso pode ser um processo de
    transição, de incertezas, muito comum nessa fase.
    Porém, acredito que ela possa se beneficiar de uma ajuda profissional de um
    psicólogo, na qual será possível se aprofundar nessas emoções e a ajudá-la a sofrer menos. Do mesmo modo como também poderá ajudar vocês enquanto pais.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • me chamo roseli,descobri a uma semana q meu filho e homossexual ele tem 17 anos,e é meu unico filho ele disse q é ativo,e que nunca sentiu atraçao ou desejo por mulheres ,tem uma rapaz na vida dele a 9 meses q ele diz amar,dr estou desesperada,pois vinhemos de uma prcedencia evangelica e tbm acredito e sei q é abominavel aos olhos de DEUS,LEVITICO 18.22 E 20 E 13,O QUE FAZER MINHA CABEÇA TA UMA BAGUNÇA JA FUI ATE PARAR NO HOSPITAL OBRIGADA ROSELI

    Roseli, 37 Anos - Ver Resposta

    Oi Roseli.
    Entendo seu sofrimento e sei que a religião é algo importante para você. Porém, sugiro que olhe para seu filho, não para sua religião, nesse caso. A religião tem a forma de ver essa questão, mas seu filho é normal, não há nada de errado em ser homossexual. Ele precisa sim, de você, de seu apoio, compreensão, afeto e carinho. Dessa forma vocês ficarão mais próximos, ele poderá contar com seu apoio e não precisará viver em guetos porque a mão dele não o aceita.
    Deixa Deus e Levíticos fora dessa. Aceite e ame seu filho como ele é.
    Caso esteja muito difícil para você, procure um psicólogo para trabalhar seus sentimentos.
    Caso esteja muito difícil para você, procure um psicólogo para trabalhar seus sentimentos.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Bom dia DR. Sou caasado a tres anos e estou com um problemão. Desde a minha adolescencia sempre senti atração por homens, porem sempre tive uma vida hetero sexual, sempre convivi com amigos heteros, relacionamentos heteros, enfim sempre fui macho. Porem apos dois anos de casado entrei nesses bate papos homosexuais e conheci um caaraq com quem sai. Depois disso sai com mais alguns e agora estou na duvida de como assumir que sou gay. Socorro minha cabeça esta muito confusa. Me ajude por favor.

    Joca Junior, 32 Anos - Ver Resposta

    Oi Joca.
    Isso confunde mesmo. Agora você está vivendo um turbilhão de sentimentos e questionamentos que, sem dúvidas estão te afetando muito.
    Infelizmente na cultura que vivemos o preconceito é muito alto, já melhorou, mas ainda tem muito para mudar. Isso implica em muitas pessoas terem que reprimir sua condição sexual para evitar ser retalhado. Provavelmente foi o que aconteceu com você.Porém, assim como todo ser vivo precisa de espaço para crescer, para se desenvolver, e o mesmo acontece com nosso lado social e profissional, também precisamos desenvolver nossa sexualidade, seja uma orientação homossexual ou heterossexual.
    Seja lá qual for o motivo, você reprimiu sua condição sexual. Agora está percebendo que o que o satisfaz de verdade é o que você está vivenciando na escondido. Vivenciar sua sexualidade assim, não é saudável, você não poderá ser pleno. Mas também sei que em muitos casos é difícil se se assumir, pois implica em ter que enfrentar situações e obstáculos grandes.
    Cada caso precisa ser analisado e individualmente para sabermos como conduzir. Seria importante que você buscasse a ajuda de um psicólogo para a entender melhor essa sua condição e a saber qual melhor caminho a seguir.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, sou casado e há tempo perdi o tesão por minha mulher. Nesse período conheci um homem e estou amando ele e ele a mim. Digo isso porque sinto por ele o que nunca senti por qualquer outra pessoa. Vai além do tesão. Eu nunca tinha tido um sentimento assim. Estou desesperado, já que tenho dois filhos de 11 e 16 anos, que amo demais. Sou um pai super presente. Tenho medo que minha separação vá prejudicá-los e que nos afastemos.Ao mesmo tempo fico com pena de minha mulher. E diante disso tudo vou vivendo infeliz. Não sei que decisão tomar. Não tenho coragem de falar isso com ninguém, apesar da vontade, mas sei que vou ser execrado pela minha familia. Já pensei em me separar e sei que não preciso espalhar pro mundo que sou gay. Por favor dê-me sua opinião.

    Pedro, 43 Anos - Ver Resposta

    Olá Pedro.
    Que bom que você está procurando ajuda.
    Imagino a confusão de sentimentos e dúvidas você deve estar sentindo.
    Sei que você não quer que as pessoas que você ama sofram, mas vamos pensar. Será que se você mantiver essa vida paralela, conseguiria continuar pleno com seus filhos, com sua esposa? Será que ela não perceberia que a sua distância emocional? As desculpas que você daria? Será que essa configuração seria sustentável?
    Eu entendo seu receio, mas o que tenho percebido na prática clínica é que às vezes nós subestimamos a capacidade do outro de elaborar notícias como essas. Os resultados que vejo normalmente são muito melhores que o esperado. Mas cada caso é um.
    Seria o importante pensar por outro anglo, que eles sofrerão sim, mas você dará a oportunidade deles elaborarem esses sentimentos, de entenderem a realidade e assim, todos poderão ser plenos. Alguns podem precisar de um tempo diferem do outro para esse processo. Mas ficar protelando, pode apenas causar mais sofrimento.
    Pode ser que você precise de apoio psicológico, não hesite em procurar um. Será importante nesse processo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá doutor. Sou homossexual, namoro uma garota linda a quase dois anos, mais meus pais nao sabem. comecei a me interessar por garotas com 12 anos e com 15 a ficar. Minha mae tem uma certa desconfiança e ficou sabendo desse meu namoro pela minha irmã que descobriu e contou a ela, mais nao comenta nada pois nao ouviu nada da minha boca. digamos q sou a garota rebelde da familia a que sempre faz as coisas erradas. Eu queria contar a minha familia sobre minha opção sexual e sobre minha namorada mais tenho medo da reação da minha mãe pois desde que começou a desconfia deixou claro que é contra e nao aceita de jeito nenhum, vive pedindo para que nao a decepcione, e eu nao sei o que eu faço doutor, queria muito nao precisar mais mentir pra ir ver minha namorada escondida, que eles pelos menos aceitassem mais nao sei nem como falar com eles. Acabei meus estudos agora e pretendo arrumar um emprego antes de pensar em faculdade, gostaria de fazer psicologia, eles apoiam isso e ate estao pondo pressao pra mim fazer mais nao ajo bem sobre pressao, mais oq eu queria mesmo é me livrar desse encomodo de ter que esta escondendo tudo deles pois muitas vezes fico pra baixo dentro de casa, infeliz porque eles nao aceitam nem demonstram aceitar a minha opão sexual. O que eu faço doutor? conto agora ou espero mais um pouco? Obrigado.

    Jessica, 19 Anos - Ver Resposta

    Oi Jessica.
    Eu entendo como esse situação em que você se encontra é difícil. Ao mesmo tempo eu a parabenizo por procurar ajuda.
    Uma observação importante para você é que quando nos referimos a homossexualidade não dizemos "opção", pois ninguém opta em ser gay ou hétero, mas sim, dizemos "orientação sexual".
    Quando estamos dentro da cada dos nossos pais, dependendo deles ainda, penso que eles tem o direito de colocar as regras que eles acham que são certas, mesmo que não sejam. Mas a casa é deles e isso precisa ser respeitado. Isso se torna pior quando essas regras nos deixam infelizes ou mesmo impedem nosso crescimento.
    Sinto que você gostaria muito de ser aceita em casa na sua condição, mas parece que seus pais deixam claro que isso não será tolerado. Nesse caso é uma situação difícil para ambos os lados. Eles agem assim por falta de conhecimento. Apenas acreditam na forma deles pensarem. Em casos assim, penso que não adianta muito bater de frente, só vai piorar. Espere você ter autonomia, condições de se sustentar só, buscar seu caminho e então viver sua sexualidade do modo como você desejar.
    Quanto a estudar psicologia, que legal. Posso dizer que é uma área fascinante.
    Quanto a sua ideia de trabalhar um tempo para depois fazer a faculdade, só não sei se á a melhor opção. Quanto mais logo você puder começar é melhor, pois vai se formar e adquirir experiência mais cedo. Será que não daria para estudar e trabalhar ao mesmo tempo?
    É isso aí. Depois mande notícias.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Prezado Dr. Claudecy, li diversos depoimentos acerca do Swing. Sou casada há um ano e desde que eu e meu marido nos conhecemos (há 3 anos) ele me dizia que era praticante. Ser Swing faz parte da vida dele e ele não pensa na possibilidade de viver de outra forma. A idéia me instigou principalmente pela essência do Swing onde o casal se torna cada vez mais cúmplice por praticar juntos suas fantasias. Sempre viajávamos e falavámos loucuras na cama o que me excitava absurdamente. Até que praticamos o primeiro menage masculino. Já fizemos algumas vezes e no fundo, me sinto muito agredida, suja, pervertida. Porém quando voltamos para cama e apenas falamos minha excitação voa. O grande "x" da questão. Fui molestada por um tio quando tinha cerca de 5 anos. Há a possibilidade de esse acontecimento do passado me bloquear a ponto de eu sentir tanta aversão a prática? Pode ser um trauma? Ou apenas uma questão de criação, princípios e valores? Eu realmente gostaria de gostar.... Mas por mais que eu tente, acabo me magoando e me sentido agrdeida. Complicado? Me ajude! Abraços!

    Patricia, 27 Anos - Ver Resposta

    Olá Patrícia.
    As fantasias sexuais são muito importantes para o relacionamento sexual. Elas dão cor, brilho, vida... são na verdade o combustível para a vida sexual.
    Existem basicamente dois tipos de fantasias com cunho sexual:as saudáveis e as não saudáveis. Na primeira, são aquelas que promovem nosso crescimento, que contribuem para maior aproximação das pessoas, e normalmente ambos estão em sintonia e de acordo. No segundo caso não é assim que ocorre. Normalmente são fantasias unilaterais, egoístas, que visam unicamente o próprio prazer sem se preocupar com o que aquilo está causando na outra pessoa envolvida, com o sentimento dela e na repercussão que isso poderá ter. Nesse caso, podemos incluir fantasias como pedofilia, torturas, sexo a três, swing... Aqui, muitas pessoas acabam se submetendo a tais fantasias para não desagradar a outra pessoa, por temer a reação dela, por não querer perder a pessoa. Isso é triste. A consequência é muito ruim para os dois lados: para quem cede é uma agressão, e isso pode resultar em problemas. E para outra pessoa, ter alguém que ceda, que é conivente, também não é bom, pois reforça e alimenta um comportamento inadequado, que, apesar de proporcionar prazer, não significa ser saudável. Dizer não a esses apelos pode ser ruim para a pessoa, mas pode também ajudar a ver que esse assunto merece ser tratado de outra maneira.
    Por outro lado, algumas fantasias só são excitantes e gostosas quando fica só na fantasia, ou seja, no imaginário. Perceba que você descreve que “falávamos loucuras na cama o que me excitava absurdamente”. Mas também fala que “Já fizemos algumas vezes e no fundo, me sinto muito agredida, suja, pervertida”. Esses exemplos de sentimentos nos mostram que a realização de algumas fantasias podem não ser tão prazerosas quanto tê-las apenas na numa instância imaginária.
    Quando você descreve que seu parceiro gosta da prática do swing, e que não pretende abandoná-la, cabe então a você verificar o quando essa agressão é suportável por você sem causar consequências maiores a você.
    Ao falar que do seu abuso aos cinco anos de idade, e perguntar se isso tem relação com a aversão que sente ao assunto, pode ser que sim. E é importante que você trate dessa questão comum psicólogo. Porém, se você pratica, pode ser que o seu sentimento aversivo não seja tão intenso, afinal você continua a prática. Há também a possibilidade de que o prazer que você sente durante, bem como não querer perder o seu parceiro sejam maiores que a aversão que você sente. Seja como for, penso que não é saudável se manter num contexto onde você sempre se sente punida. Desse modo não há um crescimento adequado.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Bem, tenho 23 anos e meu namorado 25. Namoramos a cinco anos, sei que ele já me traiu...o perdoei porq o amo demais. Mas só a pouco tempo ele me disse que sente desejo por outras mulheres. Ele disse que não pode ver uma mulher bonita que já acha que "é homem" pra ela, que tem vontade de transar com ela. Perguntei o que ele faz todas as vezes que sente isso...se me trai. Ele disse que não, mas vai se mastubar. Fiquei super chateada com isso, imaginando que todas as vezes que faziamos amor ele estava pensando em outra. Ele disse estar doente e que precisa de tratamento. O que eu faço Dr. Claudecy? A minha vontade foi de terminar tudo qdo fiquei sabendo disso. Me ajude por favor!

    Patricia, 23 Anos - Ver Resposta

    Patrícia sei que isso a magoou muito. Mas é importante você saber que desejar outra pessoa, mesmo estando num relacionamento, é normal e saudável. Não há nada de errado em fantasiar com outra pessoa. Porém quando a fantasia é posta em prática, ou está tomando proporções a ponto de atrapalhar a relação, por exemplo, se masturbar tanto que não sente vontade de ter relação a parceria, então isso passa a ser um problema. Essa fantasia passou do saudável para o não saudável.
    Porém, quando ele fala que está doente e precisa de tratamento, então parece que a situação pode ser mais profunda do que parece. Admitir que precisa de ajuda não é fácil. Por isso, apoiá-lo e incentivá-lo a procurar um especialista é um belo gesto da sua parte.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá! Dr. tenho dúvidas e não sei com quem falar. saio com uma pessoa que gosta de pés e mãos adoratocar estas partes não necessariamente fciar cheirando nem beijando ele olha e depois de algumas vezes passou a morder meu pé com força, a morder outras partes como mão e bumbum, ele tb tem a manian de dizer que quer me pisar todinha, e eu levei ate o final apra ver no que dava...ele subui em mim e pidsou um pouco dizendo que todo peso estava em cima de mim...algumas vezes me disse que gostaria de me mijar todinha...eu falei que queria so apra ver o que ele fazia mas ele não conseguiu, algumas vezes me bate no rosto e no bumbum, segura minha boca. Isso e um trastorno? o que vc poderia me dizer desta pessoa? o que pode levalo a ser asism. agradeço

    Vivian, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Vivian.
    Falar de causa sem conhecer a pessoa não dá. Pessoas diferentes podem ter essas mesmas vontades e as causas serem diferentes.
    Algumas pessoas tem desejos "diferentes", no entanto são apenas formas não tão comuns para se sentir prazer, mas pelas vias normais também sentem prazer.
    Porém há pessoas que encontram nessas vias "diferentes" a única forma de prazer. Nesse caso, tais pessoas precisariam de atenção de um profissional especialista.
    Em ambos os casos o importante é saber como a parceria se sente.
    Em alguns casos há a adaptação por parte da parceria, o que nem sempre é bom, pois pode estar camuflando alguma patologia.
    Em outros casos a parceria não se adapta.
    Como você está se sentindo?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sinto prazer em ver minha mulher andando com roupas curtas, saias, decotes e homens a olhando e desejando... isto me consome, me deixa extremamente ecitado. Somente consigo ejacular quando penso que ela está com outro homem... Isto está me fazendo mal, não quero uma vida assim, o que devo fazer para parar com estes pensamentos? Preciso de sua ajuda, Muito obrigado.

    Anonimo, 23 Anos - Ver Resposta

    Olá.
    Qualquer coisa boa, em excesso, pode ser ruim. E me perece ser o seu caso. Pois o que era para ser apenas uma fantasia prazerosa está se transformando em algo pesado e problemático para você.
    Por você não estar conseguindo sair dessa situação sozinho, é importante que você paça ajuda, que é o que você já está fazendo, mandando essa mensagem para mim. Porém, é preciso conhecer você de modo mais amplo para ajudá-lo de modo mais eficiente, por isso é preciso que você vá a um psicólogo, de preferência que seja especialista em sexualidade para dar melhores condições para você sair dessa.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Meu namorado me convidou para realizar uma fantasia de transar a tres, eu, ele e outra mulher, sendo que teriamos que nos tocar pra ele ver e depois ele comeria as duas. Ele me disse que tem muito tesão fazendo isso, e que sempre faz. Até que ponto esse tipo de fantasia é normal? Uma fantasia pode se tornar um hábito e ainda ser considerada fantasia?

    Ana, 48 Anos - Ver Resposta

    Olá Ana Maria.
    Uma fantasia só é fantasia enquanto não colocada em prática, quando então, dizemos que realizamos uma fantasia. Quando essa realização é prazerosa e a repetimos, damos mais vida a ela, e a materializamos cada vez que a praticamos. É então que dizemos que tal coisa ou prática é um estímulo para nós, e tenderemos repetir enquanto tivemos prazer dessa fonte.
    Algumas fantasias são muito saudáveis e importantes para nossa vida, seja em questões sociais, trabalho, estudos e, claro, a sexual. Porém, há fantasias que não são saudáveis, como fantasias envolvendo pedofilia, ou mesmo aquelas que envolvem unicamente o próprio prazer, de modo muito egoísta, não se importando se vai fazer mal a outra pessoa, se vão ferir os limites dela, os valores e sentimentos.
    Quando uma fantasia vai nessa direção devemos questionar esse relacionamento. Muitas vezes na prática clínica, percebo que a conivência com algumas dessas fantasias, acabam contribuindo para o desencadeamento de comportamentos muito inadequados e até mesmo doentios. Em consequência dessa aceitação, o relacionamento pode ser construído em cima de uma configuração doentia, na qual sempre precisarão se alimentar desses mesmos estímulos para a relação sexual funcionar. Isso não é bom. Pessoas assim costumam romper o relacionamento se seus “desejos” não forem realizados. Assim, eles ficam pulando de relacionamento até encontrar aquela pessoa para compartilhar do seu desejo doentio.
    Pelo que seu parceiro diz, tenho a impressão que para ele, essa prática é muito importante, quem sabe, necessária, para a realização dele. Isso precisa ser muito pensado e investigado por você. Se essa prática é mais importante a ponto de ele não abrir mão, mesmo que isso a agrida. Também é preciso saber se isso é agressivo para você ou se é também um desejo seu. Se você vai aceitar essa prática ao longo do relacionamento. Ou seja, é preciso investigar e pensar sobre que configuração vocês estão construindo nessa relação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde eu só consigo chegar orgasmo se eu pensa em outro homem,quando estou transando com meu marido isto é normal.

    Elaine, 39 Anos - Ver Resposta

    Olá Elaine.
    Existem diversas possibilidades para isso. Dentre elas, pode ser que o modo como seu marido faz não seja bom para você, por isso precisa pensar em outro. Pode ser que você tenha aprendido e ficou condicionada a fazer sexo dessa maneira, por isso, todas as vezes você faz assim.
    É muito comum as pessoas pensarem em outra durante a transa, o que não significa problema ou que não goste da pessoa que está ali com ela. Mas sim, que lembrou de alguém que por algum motivo chamou a atenção. O problema passa a existir quando a pessoa precisa sempre desse recurso. Nesse casa é importante investigar o motivo. Em muitos casos assim, o que percebo pela minha vivência clínica, é que existe alguma insatisfação, alguma coisa não está bem na relação.
    Se isso te incomoda, sugiro que vá atrás para ver o que está acontecendo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sr Claudecy, Gostaria que me ajudade a me entender. Eu sou hetero convicto, mas ultimamente tenho sentido voltade de transar com casais, inclusive de tocar o outro homem. Será que estou mudando minha opção sexual depois de velho?

    Marcos, 39 Anos - Ver Resposta

    Olá Marcos.
    Não se trata de mudar a orientação sexual. Muitas vezes isso é apenas uma fantasia, uma vontade pode ou não continuar.
    Em nossa vida, sempre estamos mudando, e mudaremos até a morrer. É provável que essa vontade possa ter surgido após você ter recebido alguns estímulos, que podem ser visuais, sua imaginação, conversas... ou mesmo essa vontade sempre existiu, mas somente agora você está dando abertura para pensar nisso.
    Não se desespere, apenas viva o que seus sentimentos pedem (mas com moderação rsrsr).

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • DR. CLAUDECY, Li outras respostas sobre fantasias, mas porém o sr. não explicou do que decorrem estas fantasias, falo principalmente daquelas que são muito comuns, como a fantasia que quase todo homem tem, que é a de transar com duas mulheres que transem entre si. Qual a explicação para tantos homens terem a mesma fantasia? Também li resposta sobre a fantasia de ver a esposa transando com outro homem, confesso que fico excitado quando penso que minha mulher estaria transando com outro homem e eu assistindo, disse isto a ela, com muito receio claro, mas também lhe disse que não sei explicar o porquê de ficar excitado com esta situação. Nas respostas a idêntica pergunta, e agora mais tranquilo pois percebi que esta fantasia é mais comum do que eu imaginava, também não houve uma explicação para este desejo. Existe explicação pela psicologia quanto as fantasias comuns, como as citadas acima? Forte abraço! Parabéns por este maravilhoso site e pelo seu trabalho voluntário aqui ajudando as pessoas. RMS - 41a

    RMS, 41 Anos - Ver Resposta

    Olá RMS, obrigado por visitar o meu site e pelos elogios.
    Na psicologia existe sempre uma teoria por trás que nos baseamos para explicar os comportamentos. Porém nessa Ciência sempre naquilo que a pessoa nos traz. Isso significa que por mais que duas ou mais pessoas recebam a mesma criação, elas interpretarão e sentirão os fatos de modo diferente. Ou seja, sempre que estamos com uma pessoa na nossa frente, com base no que ela traz da vida dela que podemos nos basear para explicar o por que desse ou daquele comportamento. Assim, não tem como usarmos um padrão de resposta para todos, sempre precisaremos analisar casa caso separadamente.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada há 10 anos. Meu marido sempre gostou demais de sexo, eu também, nós transamos todos os dias. mas ele vive reclamando sempre é pouco, nunca está bom. Ele insiste que façamos sexo anal e eu faço (gosto um pouco). Depois começou a querer ir em casas de swing (eu fui). Mesmo assim ele sempre quer mais, diz que não combinados sexualmente falando, não sei o que fazer. Agora os interesses dele são zoofilia, quer que eu urine nele e até defeque. Sou uma pessoa liberal, e não o reprimo, mas acho que ele não tem limites e mesmo com tudo isso ainda se sente insatisfeito. Me ajude! O que devo fazer? Estou errada? Acha que sou moralista? O que sei é que quanto mais eu ceder, mais ele vai querer, é uma coisa que parece não ter fim. Eu penso que um bom relacionamento não precisa desse tipo de coisas. Ele fica o tempo todo na internet em sites pornográficos, falando no msn (só pornografia) e acha que sou chata por não gostar. Quando transamos quer ficar tirando fotos minhas pra colocar na internet, não acho isso legal nem saudável. Me dê uma luz.

    Angela, 26 Anos - Ver Resposta

    Oi Angela. Obrigado por visitar meu site e por procurar ajuda.
    Algumas pessoas utilizam o sexo com outra finalidade que não a sexual. Isso é muito comum entre as pessoas, por exemplo, fazerem sexo quando estão ansiosos, e nesse caso o sexo ou a masturbação tem o intuito (consciente ou não) de alívio, mesmo que temporário, dessa sensação de ansiedade. Usar o sexo com essa finalidade, não necessariamente é um problema, mas, a frequência e intensidade é que vão mostrar se se caracteriza um problema.
    Angela, pelo seu relato parece que seu marido tem usado o sexo e você para outra finalidade, que precisará de um diálogo amplo com um psicólogo para saber qual é a questão que está por trás.
    Perceba que a mudança é constante, tão logo ele atinge a realização da fantasia e a saciação daquele desejo, ele procura outros meios para a "satisfação". Não há nada de errado em querer conhecer novas sensações, porém, com os focos, frequências e os métodos utilizados para essa realização dele, mostra que há algo que não está bem, e o ele busca não será encontrado utilizando essas vias.
    Por outro lado, observe você, perceba que seus comportamentos como, os de compartilhar de tudo isso, de ajudar a realizar tais vontades, contribuem para ele continuar usando você como parceira/facilitadora para a realização desses desejos.
    Sei que essas atividades proporcionam muito prazer a ele, e que algumas dessas atividades também causam prazer a você. Porém, com a sua contribuição e sem ajuda de um profissional, isso se tornará cada vez maior, tomando verdadeiras proporções doentias e comprometendo aspectos importantes da vida dele.
    No seu caso, você já está percebendo que isso está num nível que não está mais interessante para você, não está ficando ruim conviver dessa maneira, e quem sabe até com a sensação de estar sendo usada.
    Você não está errada em querer parar, querer não participar de algo que não está bem para você. Para que exista uma relação saudável é muito importante que haja o respeito ao limite de cada um.
    Continuar assim não é saudável. Ele precisa de ajuda, e provavelmente seria importante você também ser ouvida por um psicólogo.
    Coloco-me à disposição para quaisquer outras questões que vocês tenham ou mesmo para conversamos pessoalmente.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, Boa Tarde. Meu casamento é constituído entre outras coisas, de muito amor, confiança e sinceridade. Somos casados a 8 anos, e como nosso relacionamento foi ficando mais maduro, tivemos a coragem de falar abertamente sobre nossas fantasias sexuais sem constrangimento. A minha maior fantasia é de ver minha esposa transando com outro homem. Isso me excita muito. E quando transamos fantasiando esta situação ela se solta muito e senti prazer também. Só que depois de chegar ao orgasmo, fico um tanto desmotivado a realizar a fantasia, e logo em seguida ao me excitar novamente, o desejo também retorna. Quando estamos fora da cama, batendo papo, ela diz que até teria coragem de sair com outro homem, porém não tem coragem de fazer isso na minha frente. De tanto eu insistir, ela esta dando bola pra um rapaz vizinho de uma amiga nossa, que não sabe de minha fantasia, más esta incentivado minha esposa a sair com este rapaz. Minha esposa tem 41 anos, é muito bonita, tem um corpo lindo. Qualquer homem que ela der bola, ficaria louco de tesão. Antes de nos conhecermos, ela tinha uma vida sexual bem ativa. E foi isso, o que mais me exitou nesta fantasia, de saber que ela não passava vontade na hora de ir para cama com alguém. Pergunta: 1) Fantasiar a esposa transando com outro homem pode ser considerado normal? 2) Deixar que esta fantasia se torne realidade, pode acabar com um casamento "perfeito", como o nosso? 3) O fato de que eu, após chegar ao orgasmo repudiar a realização da fantasia, e 5 min. após, ao me excitar novamente, a vontade de realizar fantasia volta com muito mais intensidade, siguinifica alguma coisa? Ter este e-mail respondido é muito importante para mim, de antemão faço meu agradecimento.

    PAJ, 38 Anos - Ver Resposta

    PAJ.
    Será preciso entender mais detalhadamente sua fantasia. O que gerou, o que está motivando e também quais as possíveis consequências que isso pode trazer.
    Pelo que você descreve, o seu prazer é muito grande, porém, é preciso ver se a realização dessa fantasia não deixaria a relação que é “perfeita”, instável, e quais repercussões isso traria para sua esposa e para a relação.
    Isso pode ser muito bom e ambos curtirem, mas não podemos descartar a possibilidade de acontecer o contrário.
    Já atendi vários casos de pessoas que me procuram com essa questão. Por isso, posso falar dos dois lados: do prazer e do rompimento da relação.
    Mas cada caso precisa ser analisado individualmente.
    Você fala de uma espécie de "arrependimento" que sente após atingir o orgasmo. Isso é muito comum, porém o desejo fala mais alto, e lá está você novamente desejando.
    Dificilmente, sozinho, você mudará essa situação (da sua fantasia). E também não sabemos se você tem essa vontade, apesar de você me questionar sobre isso.
    Penso que essa questão seja mais ampla do que simplesmente dizer se deve realizar ou não. Será preciso analisar mais profundamente essa sua vontade.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. tudo bem? Ultimamente estou sonhando em realizar minha grande fantasia que é ver minha mulher com outro e participar da transa. Desde que comecei a ver relatos nas revistas sobre isso, me deu vontade e alimento essa fantasia junto com ela. Só que nunca conversamos em pô-la em prática. E chego ao prazer mais rápido quando ela me chama de corno. O Sr. acha que devo pôr em prática tal fantasia.

    Adriano, 32 Anos - Ver Resposta

    Oi Adriano.
    Eu não tenho como dizer se você deve ou não por em prática essa fantasia. Mas posso dizer que seria muito interessante investigar o por que desse desejo tão grande, já que você diz ser o seu maior sonho.
    Essa é uma aventura que excita muitas pessoas, porém, poucas estão preparadas ou apresentam condições para colocar em prática.
    Conversar sobre esse assunto com a esposa é necessário, pois pode ser difícil para ele entender o que está acontecendo.
    É muito delicado responder sua pergunta com um deve ou não deve. É preciso entender mais amplamente o que isso significa para você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • ola doutor! sou casado com uma mulher maravilhosa em todos os sentidos...mais tenho muita vontade de ver ela com outro homem;nao sei por que tenho essa vontade mais isso esta se tornando um problema ja que nao tenho coragem de pedir isso a ela;tenho receios dela achar que nao amo mais ela..fantasio isso a todo momento e sinto muito prazer quando outros homens olham para ela na rua...o sr acha que devo falar isso a ela?

    Alex, 32 Anos - Ver Resposta

    Olá Alex.
    Imagino que isso esteja te perturbando.
    Mas é importante separar o que é fantasia de realidade e o que está motivando essa vontade.
    Várias coisas podem estar motivando você a ter essa vontade, e isso é o que precisa ser investigado.
    Como as possibilidades são muitas, seria bom você conversar com um psicólogo para analisar de modo individual seu caso.
    Quando uma fantasia chega a incomodar ou se tornar a única forma de prazer, é bom procurar ajuda.
    Quanto ao medo de sua esposa achar que você não a ama mais, é possível que isso ocorra, como pode ser que não, existe até a possibilidade dela gostar dessa fantasia. Mas é bom que vocês saibam que não necessariamente essa fantasia significa que você não a ama, mas sim, que apenas tem essa fantasia.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde! Tive um relacionamento de 11 meses com um homem, que dizia me amar, mas que tinha fixação eu me ver transando com outra mulher, realizei algumas vezes, mas com o passar do tempo, se tornou um obsessão, ele só pensava nisso, toda mulher ou amiga ele achava que tinha potencial para transar comigo, me sugeriu que eu arrumasse uma namorada fixa. Minha duvida é: um homem é capaz de amar sua parceira, mesmo que ele fique o tempo todo imaginando ela com outra? Como explicar a mente de um homem assim? O homem precisa ter sua fantasia sexual constantemente sendo realizada? Ou ele tem distúrbios, disfunções sexuais. Por favor, me responda. Obrigada.

    SGSC, 35 Anos - Ver Resposta

    Olá SGSC.
    Sua pergunta é um exemplo bom para mostrar o quanto uma fantasia pode se tornar um problema ou esconder um problema, que ao encontrar alguém que a ajuda alimentar isso toma proporções maiores.
    Parece que o prazer dele está relacionado exclusivamente a essa via para se obter o prazer, seja pela fantasia ou a prática desta.
    Pelo que percebi no seu relato, você acabou contribuindo para isso, não que você causou isso. Desse modo, a relação foi construída em cima de valores fantasiosos e, parece que vocês esqueceram de olhar para os comportamentos que contribuiriam para o crescimento da relação.
    Quando você me pergunta se é preciso realizar constantemente as fantasias do homem, é preciso cautela, pois você viu que na proporção e do modo e intuito que foi feito no caso de vocês, não só não estava saudável, como a conseqüência foi o rompimento.
    É importante, que na medida do possível, as fantasias sejam realizadas, desde que sejam respeitados os limites de cada um e que não seja uma de maneira alimentar um comportamento doente da pessoa.
    Quem sabe, ficar atenta a esses aspectos possam ajudar na próxima relação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tenho um porte físico grande 1,83 92Kg Tenho um pênis normal 16 X 4 Porem sonho em ter um bem maior e grosso. Essa vontade me consome e acabei por transformando ela no desejo de ver minha mulher transando com um homem bem dotado, temos fantasiado bastante a esse respeito. Eu fico muito excitado com a idéia e o desejo ficou maior ainda a partir do momento em que ela contou que um de seus antigos namorados tinha um pênis mais grosso que o meu. Pergunto: Como faço para controlar ou até me livrar desse desejo, sinto que já está virando uma obsessão. O Melhor seria procurar esquecer, não tocar mais no assunto, ou o melhor seria realizar a fantasia para que a vontade passa-se.

    Adriano, 35 Anos - Ver Resposta

    Oi Adriano.
    Toda fantasia só é válida quando além de proporcionar prazer não gera culpa e não atrapalha quem a fantasia ou as pessoas envolvidas.
    Pelo seu relato, essa questão está se tornando um problema. Tentar esquecer, como é que você propõe, é muito difícil, e provavelmente você não conseguirá. Caso não consiga, seria bom conversar com um psicólogo para se aprofundar nessa questão e então poder ajudá-lo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • OLÁ SOU ESTUDANTE DE PSICOLÓGIA E TENHO ALGUMAS DÚVIDAS PESSOAIS. É NORMAL ESSA FANTASIA SEXUAL ONDE A MAIORIA DOS HOMENS DESEJAM PARTICIPAR DE SUWINGS? E ATÉ QUE PONTO ESSE TIPO DE FANTASIA PODE DESTRUIR A RELAÇÃO?

    Fabiana, 32 Anos - Ver Resposta

    Fabiana, fantasiar não é o problema. Podemos fantasiar e sermos ou fazermos o que desejarmos.
    A questão está na execução e algumas fantasias. Para algumas pessoas a fantasia é apenas uma via para se excitar e colocar em prática pode ser até saudável. Para outras pessoas, algumas práticas como a do swing, podem esconder algum problema na relação. Nesse caso é preciso tratar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi Dr. Boa Noite!!! Sempre me masturbei muito, desde pequena até hoje. Quando bati a vontade o que mais me alucina são vídeos de sexo grupal, homo e até zoofilia, porém quando termino de gozar, tenho um certo nojo desse tipo de vídeo. Perdi minha virgindade com 14 anos, porém só tive dois parceiros sexuais e o 2.º é meu marido há 6 anos. Nunca tive nenhum relação sexual fora do convencional. Não sei o que acontece comigo quando fico com desejo sexual, viro uma espécie de maníaca. É normal????

    J., 26 Anos - Ver Resposta

    J. Carvalho. Obrigado por visitar o site.
    Existem diversas maneiras de excitação. Das convencionais as tidas como diferentes. Na fantasia podemos tudo, mas é preciso cautela caso a pessoa resolva colocar em prática.
    O que precisa ser investigado é o porquê de tais vontades e práticas, e que tipo de sentimento se sente após. Dependendo do sentimento, não é saudável.
    Muitas pessoas têm vontade de fazer algo "diferente", e em boa parte dos casos que analisamos, há uma vontade reprimida de sair do convencional, de experimentar coisas diferentes que, por causa da repressão ou crenças as pessoas não fazem. Mas é na fantasia que tais pessoas se soltam, já que não há punição e não fará mal a ninguém.
    Seria bom entender mais o que o sexo representa para você, pois parece que você se espanta com suas reações quando está com desejo sexual (“viro uma espécie de maníaca”). Há também a possibilidade de que isso seja uma maneira que você encontrou para se soltar, se expressar, e como você não costuma ouvir relatos semelhantes de outras pessoas, pode ser que isso a preocupe.
    Porém o ideal é conversar com um terapeuta sexual para uma compreensão mais profunda do que está acontecendo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • quero saber se é normal a mulher mesmo casada e que tem uma vida ativa com seu marido ter a fantasia de ter relações sexuais com dois homens

    Sonia, 29 Anos - Ver Resposta

    Oi Sonia.
    Sim, isso é muito normal e saudável. Afinal você está viva.
    Ser casada não significa que você não possa desejar outra pessoa sexualmente. O que você está fazendo é uma fantasia, é muito diferente de realizar, o que deixaria de ser fantasia. Em muitos casos o prazer está só na fantasia, e nem sempre se deseja colocar em prática.
    Você diz que tem uma vida sexual ativa, mas isso não a impede de ter fantasias, de desejar outra pessoa.
    Caso essa fantasia esteja atrapalhando sua relação, então é algo para se pensar, porém, se ela serve para excitá-la mais, parabéns.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Meu parceiro é muito aberto comigo e "acho" que me conta todas as suas fantasias, mesmo no começo, um pouco assustada, nunca deixei de ouvi-lo, e até já realizamos várias delas, frequentamos casa de swing por algum tempo, já me diverti em várias situações, mas o que me incomoda é a frequência que ele quer e situações arriscadas demais, como sair com um estranho (prefiro as casas pq me sinto mais segura) ou deixar alguém chegar perto qdo estamos transando em lugares abertos (tipo praia...), tbém detesto ser fotografada e ele adora ...e tem outro detalhe ele é muiiito visual e fica excitado rápido com várias pessoas e situações e eu não sou assim preciso ir com a cara do sujeito, analiso roupa,cheiro, toque e assim por diante...e ele se torna invasivo, tenta de tudo para eu ceder, depois fica brabo falando que não vai me convidar para nada...e não é isso que eu quero, precisamos de equilibrio, pois nem fantasiar mais eu consigo...

    Chariene, 35 Anos - Ver Resposta

    Oi Charlene.
    O que eu acho preocupante dessas brincadeiras, é que em muitos casos, há um problema atrás disso, e a prática, mesmo que por "brincadeira" acaba alimentando esse problema.
    Vejo muitos casais que vão nessa direção e percebo que os interesses de ambos , são diferentes. Um se doa com a intenção de estar contribuindo com o crescimento da relação, e o outro, muitas vezes sem se dar conta, está alimentando um lado patológico.
    Não sei como é sua relação, mas parece que ele tem dificuldades de respeitar os seus limites. Será que uma relação assim podemos pensar que seja saudável?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor! Sempre quando me masturbo, imagino meu namorado, transando com outra, e eu também participando, quase sempre durante a relação sexual também imagino parece que condicionei para gozar desta forma , eu conto para ele , ele fica bem excitado, mas depois que chego orgasmo me sinto culpada e morrendo de ciúmes do meu namorado, eu cheguei a um dia querer propor isso, mas depois me arrependi amargamente, ele já fez com a ex esposa e disse que hoje não tem mais vontade, ele se excita com a fantasia, que pode até um dia chegar ter vontade mas nunca vai me propor. Eu nunca vou fazer, pois tenho muito ciúmes dele, mas quando estou excitada dá vontade de procurar uma mulher para sair com nós. Proibi todo tipo de fantasia resultado disso foi que ele não tá tendo mais vontade de transar e sou muito fogosa.. Minha dúvida é o que faço para meu namorado voltar a ter mais vontade de transar ? Já falei que poderemos voltar a fantasiar, mas ele esta muito frio e desconfiado. Outra coisa...É normal esta minha fantasia? Sinto-me muito culpada, entretanto morro de ciúmes do meu namorado amo –o demais e jamais vou querer outra mulher entre a gente. Obrigada por me ajudar Doutor!

    Morena, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Morena.
    A fantasia é algo muito importante na nossa vida. A fantasia sexual, em especial é o que dá o colorido ao sexo.
    Algumas fantasias, são bem vindas, outras não prejudiciais. Existem fantasias que só são legais enquanto fantasia, pois na verdade nem queremos que se torne realidade.
    No seu caso, é importante entender o porque dessa vontade tão grande de ver seu parceiro com outra. Parece que vocês dois se condicionaram a se excitar dessa forma. Se for só isso, pode ser fácil mudar. Porém, pode ter outras questões por trás que precisaram ser investigadas. Não tenho como afirmar nada sem conhecer o caso. Seria interessante que você fosse a um psicólogo para ajudar a entender o porque dessa vontade tão grande.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, gostaria que meu namorado falasse frases pícantes e tivesse mais atitude no momento do sexo, a famosa "pegada"!!! Quero que ele fale fantasias como que deseja outra mulher na cama, que quer fazer sexo anal, etc. Namoramos há pouco tempo e não sei como abordar o assunto com ele. Acho que ele não teve muitas experiencias sexuais. Ele é 4 anos mais novo que eu. As vezes para mudar de posição ele me pergunta: você quer ficar por cima agora? Nossa! quebra o clima! E as vezes eu falo na hora do sexo: não precisa perguntar, você manda agora..., faça o que quiser... e nem assim ele se solta. Será que é insegurança por eu ser um pouco mais velha? Como abro este canal de diálogo com ele??? Obrigada

    Carioca, 32 Anos - Ver Resposta

    Olá Carioca, como vai?
    Que bom que você está procurando meios para melhorar a sua relação ou mesmo para se satisfazer.
    Eu sei que essa famosa “pegada” que as mulheres tanto se referem, vai muito mais além de da pegada física firme. É também ter comportamentos que mostrem segurança para a mulher, é a forma de pensar, de conduzir a relação, é fazer a mulher sentir firmeza a ponto dela se entregar e saber se estará em boas mãos. Podemos também dizer que para algumas mulheres, é muito bem vindo ouvir do parceiro nos momentos das transas também, palavras e frases picantes, que as excitem, que as faça se sentirem “dominadas”. Isso excita. Isso é também uma ótima “pegada”.
    Porém, não nascendo sabendo ter essa tal “pegada”, mas sim, precisamos desenvolvê-la. Mas, como nem todo processo de aprendizagem é fácil, parece ser esse o caso do seu namorado. Deve parecer muito estranho para alguns homens serem ensinado por uma mulher a como ter a “pegada”. Para os dois lados fica estranho. Mas, se é uma relação e vocês pretendem continuar juntos, o que fazer, se não ajudá-lo a entender como você gosta? Mas lembre-se que todos temos limites, e pode ser que isso não é o que excita seu parceiro.Isso precisa ser investigado.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Como eu posso me expressar melhor quando eu gozar? Meu namorado sempre me cobrar isso, mesmo que eu grite um pouco, ainda não é o suficiente, espero contar com sua ajuda.

    Gilmara, 21 Anos - Ver Resposta

    Gilmara, os gemidos, gritos sussurros são maniras de expressar o que estamos sentindo naquele momento. Algumas pessoas aprendem a se expressar e se sentem bem ao fazer isso. Outras pessoas tem dificuldades para isso ou não aprenderam a demonstrar dessa maneira o que sentem.
    Ao ouvir a pessoa demonstrar a emoção daquele momento, o parceiro (a) tem um retorno de que está ou não agradando, se continua ou não o que está fazendo. Sem contar que os gemidos são, para a maioria das pessoas, um estímulo, é excitante.
    Algumas pessoas têm dificuldades de de colocar para fora o que sentem, pois quem sabe, nunca puderam se expressar, ou não foram estimuladas o suficientes para perceber quão bom, importante e saudável é.
    Fazer teatro nessa hora, fingindo que está sentindo isso ou aquilo e por isso gemem ou gritam como se estivessem num trabalho de parto, não é bom, soa muito como artificial, e a outra pessoa perceberá e se sentirá mal.
    No seu caso, parece que você está sendo cobrada para se expressar de uma maneira que eu não sei se você não não sabe se expressar ou se não sente o suficiente para se expressar dessa maneira.
    É muito comum nos filmes pornôs as mulheres fazerem caras e bocas, gritos e gemidos se estarem sentindo. Aquilo é uma interpretação. Elas estão representando um papel. Algumas pessoas ao verem aquilo querem que o memso aconteça em casa. Não é bem assim.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, Li seu artigo sobre exibicionismo quando eu procurava explicação para uma vontade que anda me abalando muito. Antes de tudo, não sou o tipo que procura impor nada a quem não quer, muito menos a pessoas não responsáveis (crianças, etc). Sou jovem, tenho 22 anos, sou um cara com uma boa aparência (pelo menos é o que eu escuto das mulheres) e freqüento uma psicóloga para conversar sobre assuntos diversos, mas nunca falei sobre isso (ainda não tive coragem, embora eu saiba que é preciso). Bom, eu passo muitas horas no computador adicionando mulheres estupidamente lindas no msn, fingindo ser outra pessoa e inventando uma história para que elas aceitem uma foto minha sem roupa. O impressionante é que, 80% delas, casadas, solteiras, o que for, aceitam. E a sensação de uma mulher muito bonita estar me vendo nu e comentando sobre a foto é algo que me deixou extremamente viciado. Já perdi manhãs fazendo isso, já cheguei atrasado em compromissos, perdi alguns finais de semana fazendo isso e, neste exato momento, também estou fazendo isso. O mais interessante é que durante a conversa, eu a conduzo para que ela me peça a foto. Quase nunca eu peço para ela ver. Isso me deixa menos culpado. Nunca conversei com menores de 18 anos. Eu crio uma conta, adiciono centenas de mulheres e sempre que "termino" eu sinto uma culpa enorme e apago a conta. Depois, a vontade bate e eu a crio novamente. Eu já devo ter feito isso no mínimo umas 50 vezes (por baixo). Estou me sentindo um lixo, mas não consigo parar de fazer isso. O que você, como um médico renomado, poderia me dizer? Muito obrigado.

    Pedro, 22 Anos - Ver Resposta

    Olá Pedro.
    É muito bom saber que você está reconhecendo que precisa de ajuda e procurando por isso.
    Em algumas situações de conflito, angústia, de ansiedade, nós aprendemos as mais variadas maneiras de amenizar esses sentimentos que incomodam. Na maioria das vezes as pessoas não reconhecem esses mecanismos. Porém é importante dizer que isso é normal, afinal nós seres vivos sempre procuramos situações que por proporcione bem estar. O problema Pedro, está na quantidade que são usados esses mecanismos.
    Do modo como você descreve o seu contexto, fica muito claro que já deixou de ser uma brincadeira saudável, uma maneira de obter prazer, se configurando assim um mecanismo doentio, que faz você se esconder atrás da tela de um computador, evitando interações sociais (no real), que faz você perder muito tempo útil do seu dia, e que além disse te causa um sentimento muito ruim, como você disse "estou me sentindo um lixo.
    Você também fala que não consegue parar, ou seja, há um arrependimento, pára, mas logo volta a fazer tudo novamente.
    Todos esses mecanismos têm nome, diagnóstico e tratamento. Você precisa sim de ajuda, por isso, seria muito importante você compartilhar esse assunto com sua psicóloga, assim ela terá condições com ajudá-lo. Caso você não se sinta à vontade para falar disso com ela ou não confia nela, então reveja essa relação terapêutica. Pois é necessário confiarmos para que o profissional tenha melhores condições de ajudar.
    Você é uma pessoa jovem, com muito tempo pela frente, que sabe escrever muito bem, que deve ter outras habilidades bem desenvolvidas, na qual podem ser usadas de modo saudável nas interações sociais (reais) e se beneficiar com isso.
    Ficar como você está hoje é que não é saudável. Tenha certeza que existe meios para resolver tudo isso, mas você precisará levar adiante o comportamento de buscar ajuda. Agora é com você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Saio várias vezes à noite com calças apertadas ou de moleton para exibir meu orgão sexual, geralmente para homens, não chego a tirá-lo da calça. Gosto que estranhos vejam o volume. Sinto um enorme prazer quando algum homem o percebe e fica curioso com o tamanho. Não consigo parar. O que provocou isso? Porque me tornei assim? Agradeço a qualquer conselho. Obrigado.

    R, 29 Anos - Ver Resposta

    Olá.
    Percebe como esta questão está atrapalhando você? Também parece que você quer parar mas não está conseguindo.
    Para responder o por que disso, por que você está assim, é preciso entender várias questões. Por isso sugiro que procure um terapeuta sexual para ajudá-lo aí na sua cidade.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy, O que o Dr.tem a dizer sobre homens que gostam que as suas namoradas saiam de mini-saias? Isto é uma forma de exibicionismo? Muito obrigado

    Ailton, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Ailton, como vai?
    Gostar que as namoradas saiam de mini saia, é algo muito normal, muitos inclusive, gostam porque isso os excita. Porém a questão merecerá atenção, se essa for a única forma de prazer, de excitação, ou mesmo, a única via para a pessoa sentir o desejo, ou se isso for imposto pelo parceiro, mesmo ela não querendo.
    Caso seja esse o caso, e isso esteja atrapalhando a relação, é importante buscar a ajuda de um psicoterapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Gostari que vc me ajudasse pois estou com problema na ejaculção to achando que estou indo rapido demais e não estou satisfazendo minha parceira, n tenho problema piscologicos, com outras mulher n tinha esse problema mas com ela estou tendo estou pensado em ir num urologista gostaria de uma ajuda sobre isso e saber se essa tal pomada e spray adianta para retardar a ejaculação. Obirgado pela ajuda

    Marcos, 28 Anos - Ver Resposta

    Oi Marcos.
    Quando as pessoas não encontram nada organicamente para uma questão como essa, fica muito difícil entender ou mesmo aceitar que seja de origem psicológica. Sei que isso assusta algumas pessoas, mas não é para se preocupar, pois isso não significa que você está louco ou coisas do gênero. Na verdade, a pessoa não consegue ver o que está acontecendo (psicológico), o que ele está fazendo ou a que está se submetendo, e então vem o sintoma, no seu caso, sua sexualidade está alertando.
    Será preciso que um psicólogo especializado em teraparia sexual entenda profundamente sue caso para então ajudá-lo a resolver essa questão.
    Eu desconheço trabalhos científicos sérios falando da real eficácia desses produtos que você citou.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Eu tenho dúvidas em saber qual tipo de profissional procurar. Tenho ejaculação precoce. Já tentei muitos tratamentos, sem resultado. Recentemente, meu problema teve uma agravante. Consigo ter ereção normal, mas não consigo mantê-la por muito tempo. Estou chegando ao ponto de ter medo de procurar minha esposa para ter relação, com medo de não conseguir completar o ato sexual. Ultimamente, tenho encurtado as preliminares para acabar logo. O que faço? Agradeço, desde já. Marcelo

    Marcelo, 29 Anos - Ver Resposta

    Oi Marcelo.
    É muito desagradável essa situação. Eu entendo.
    De fato, é preciso procurar um profissional especializado, nesse caso, um terapeuta sexual. É preciso que o psicólogo ou médico sejam especializados em sexualidade.
    Será importante que sua esposa também se envolva nesse tratamento, você vai precisar muito do apoio e ajuda dela.
    Fale com ela dessa sua dificuldade de angústia.
    Parabéns por você estar procurando ajuda.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi Doutor,
    Minha dúvida é a seguinte, tenho 32 anos sou casado a 8 anos, minha esposa não gosta muito de sexo, só faz com a luz apagada e sepre na mesma posição. Por outro lado eu adoro sexo, saio com outras garotas (não com tanta frequencia, mas vou em busca), me masturbo constantemente, não consigo ficar sem ver filme e sites pornografico, e o que mais me deixa angustiado é gozar rapido, então com as garotas com quem saio eu dou uma logo no começo e continua ate dar a segunda isso faz com que elas não percebam que gozei rapido, eu já procurei ajuda com uma terapeuta sexual, ela me ajudou no começo e me liberou da terapia, o que posso fazer?

    Carlos, 21 Anos - Ver Resposta

    É muito desagradável viver essa situação que você está passando. Isso deve acarretar sofrimento a você.
    Pare que existem muito mais questões para ser trabalhada no casal além do aspecto sexual.
    A sua esposa "não gostar" se sexo, como você fala, é um indício de que algo não está bem, nesse caso. Será que ela não gosta de sexo ou será o que o modo como ela é estimulada é que não está suficientemente bom para ela?
    Por outro lado, a relação sexual na qual a pessoa apresenta ejaculação precoce, acaba se tornando ruim para o casal. Isso meche em diversos aspectos da vida das pessoas, por exemplo, a auto-estima, a confiança em si...
    Acho estranho você ter recebido alta do terapeuta sexual se o problema ainda está presente. Muito estranho!
    Minha sugestão é que você procure outro terapeuta sexual para resolver essas questões.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. estou com algumas dúvidas e gostaria de que o Sr.me auxiliasse nelas, há +/- 01 ano venho tendo problemas em conter a ejaculação sendo que desde que me casei este não era um problema que me preoucupava, pois já sou casado a 06 anos,durante este período em que eu não conseguia conter a ejaculação afirmava categoricamente a minha esposa de que eu não tinha nemhum problema, daí em diante se instalou um problema em meu casamento pois a falta de relações começou a ficar em alta e eu sempre me escondendo atrás de algo que não sei saber explicar, foi então que a +/- 02 meses conversei com uma psicologa conhecida e expliquei a condição em que eu encontrava e esta me indicou que eu então passasse a tomar glôbulos de coniun maculatum e onosmodiun virginicum, para minha surpresa hoje além de não ter mais a mesma ereção que eu tinha ,mesmo quando ejaculava rapidamente também estou com uma falta de desejo completa, em tudo isto eu não acho justo que me esposa passe,sendo que eu não tenho nenhum tipo de vício,a única bebida que tomo com certo exagero é café,vale ressaltar Dr.que quase um ano depois que eu me casei descobri ter varicocele dupla, daí então fiz a cirurgia,pois quem a descobriu foi o médico da empresa em que trabalhei na época de 1999. Por gentileza Dr. me auxilie no é que posso fazer e o que é que está acontecendo comigo!!!Será que os tais glôbulos que eu tomei me causaram uma reação contrária???

    G, 38 Anos - Ver Resposta

    Olá G.
    Entanto seu sofrimento, e não é para menos que durante muito tempo você o escondeu da sua esposa. É muito desagradável mesmo, ver que a relação está cada vez pior, e, você sem saber o que fazer.
    No entanto, é bom você saber que não existe nenhum medicamento, seja alopático ou homeopático, que tenha eficácia científica comprovada para ejaculação precoce.
    A maneira de se tratar a ejaculação precoce é com a terapia sexual. Ou seja, é o profissional da psicologia que se especializou nas questões da sexualidade.
    É importante dizer que a ejaculação precoce é apenas um sintoma que você está percebendo, mas por trás disso está algumas questões que estão desencadeando esse sintoma, e, na psicoterapia será possível descobrir essas causas e tratá-las.
    Sendo assim, sugiro que você procure um profissional com essa qualificação, para que dessa maneira, não só sua sexualidade fique boa, mas também você e sua relação melhorem.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy. Meu nome é Marcio, e de algum tempo para cá não estou conseguindo segurar minha ejaculação, estou ejaculando muito rápido e gostaria de saber se há algum tratamento e onde posso estar me tratando.

    Marcio, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Marcio, como vai?
    A ejaculação precoce tem solução sim.
    Infelizmente muitas pessoas sofrem desse problema e não vão procurar ajuda
    por não saberem que tem tratamento ou mesmo por não saberem onde ir.
    Com isso, em muitos casos, relacionamentos são rompidos por causa dessa
    dificuldade. Pois a qualidade da relação sexual é um componente fundamental
    para a saúde do casal.
    É bom lembrar que isso também acontece com os solteiros. Na qual muitos evitam se relacionar com medo de fracassarem. Isso acaba afetando outros aspectos na vida pessoal, como por exemplo, na auto-estima.
    Marcio, a ejaculação precoce é tratada por um psicoterapeuta sexual. Sendo
    assim, sugiro que você procure um para ajudá-lo a descobrir que você pode
    desfrutar de uma vida sexual saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Caro Dr, estou com um problema e busco por soluções. Tenho 21 anos e tenho ejaculação precoce, acho que é devido a ter a cabeça do pênis muito sensível. Vocês podem me ajudar, estou até com um certo trauma em transar e gozar rapidamente. Será que devo procurar por um especialista? Qual? Agradeço pelo espaço e aguardo um contato.

    Anonimo, 21 Anos - Ver Resposta

    Olá jovem.
    A ejaculação precoce atinge muitas pessoas, e sei como isso é ruim.
    Atrapalha as relações, deixa a pessoa insegura....
    Porém é muito importante você saber que isso tem tratamento. E esse
    tratamento é feito por um especialista, psicoterapeuta sexual, que tem
    conhecimentos para tratar essa questão.
    Outra coisa importante, é que a ejaculação precoce é um sintoma que está
    sinalizando que outras coisa também não estão bem.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Convivo com este cenário de ejaculação precoce a muito tempo. Já procurei diversos médicos, porém nunca um terapeuta sexual. Já tomei antidepressivos, cujo efeito colateral era do retardamento da ejaculação, mas também não deu muito certo. Há 2 anos venho tomando Fluoxetina por motivos de ansiedade. Tenho ciência que a ansiedade é um dos motivos da precocidade, mas acho que no meu caso vai mais além. Fico muito frustrado. Procuro investir nas preliminares com minha esposa, para que na penetração ela goze o quanto antes, pois se depender de mais de 1 minuto eu acabo gozando bem antes dela.

    Valdir, 39 Anos - Ver Resposta

    Oi Valdir.
    Parabéns pela abertura que você está se dando para procurar um terapeuta sexual. Esse é o profissional especializado nessas questões sexuais. Dessa forma você vai resolver seu problema.
    Eu seu que é muito ruim quem tem ejaculação precoce. É frustrante. Mas tem solução.
    Você verá durante o tratamento que, provavelmente, existem algumas coisas na sua vida que precisarão ser arrumadas, e que podem estar influenciando nessa dificuldade sexual, como por exemplo, essa ansiedade. Tratar essas questões será importante para resolver a ejaculação precoce.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • me chamo carlos tenho 27 anos e tenho ejaculação precoce ha 18 anos eu procurei um urologista então passei a fazer um tratamento com ele ja tem 8 anos que eu tomo remedios muitos fortes e nao resolveu nada o q eu posso fazer espero sua resposta

    Carlos, 27 Anos - Ver Resposta

    Oi Carlos.
    Se há 8 anos você toma esses medicamentos e não resolveu seu problema, pode ser que seja necessário revisar o tratamento.
    Quando a questão é de fundo psicológico, o medicamento pode auxiliar em alguns casos, mas não vai resolver.
    Pense na possibilidade de ir a um psicólogo especializado em sexualidade para ajudá-lo a resolver esse problema.
    Em muitos casos há fatores como ansiedade ou mesmo a pessoa não aprendeu a se controlar quando percebe a vontade de gozar. Numa terapia focada na sexualidade, questões como essas serão cuidadas.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • oi dr td bem? agradeço por este espaço, sou recém casada, no começo do namoro no ato da relação sentia dores, ficava enchada durante 2 dias, pq o penis dele é muito grande. Mas logo eu fui me acostumando, me adaptando a ele, mas agora as dores voltaram, e muto pior, não fico enchada, mas é uma dor insuportável, E o problema é que ele não me intende, como se eu não tivesse interece nenhum por ele, mito pelo contrario, as vezes eu seguro a dor o máximo que posso só para satisfaze-lo, é claro que ele tambem me satisfaz, mas com esta dor é impusível. vou marcar um consulta com o ginecologista, mas antes eu queria saberde vc! Sinto um enorme desejo por ele! por favor, me ajude, o que eu faso, como satisfaze-lo sem me machucar? Obrigado!

    Vivi, 21 Anos - Ver Resposta

    Oi Vivi. Que bom que vc vai ao ginecologista.
    O seu desejo por ele, pode diminuir se nas relções você continuar sentindo
    dor.
    Se ele não a entende, talvez ele não saiba realmente o quanto que do modo como ele faz a machuca, pois se você às vezes ssuporta queta essa dor, para ele está tudo bem.
    É preciso uma conversa muito sincera com ele mostrando seus limites. Que ele precisa respeitar.
    Fique atenta, pois você demonstra muita preocupação com ele, e parece que às vezes você esquece de você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Meu nome Vanessa sou casada ha 1 ano, nuca fui de ter muita lubrificação ja sentia algumas dores por fora .....,mas de um tempo venho sentindo dores mas fortes onde não consigo que meu marido termine e penetração ......Drº estou muito preocupada com isso sempre estamos bem mas quando isso acontece nao consigo sentir prazer algum.
    Há algum lubrificante que possa usar ?
    Agradeço a resposta

    Vanessa, 26 Anos - Ver Resposta

    Oi Vanessa, é importante investigar a origem disso. Primeiramente vá ao ginecologista para ver se existe alguma questão orgânica envolvida. Caso não haja, tente se envolver mais nas preliminares, pois assim seu corpo responderá melhor aos estímulos e você terá lubrificação.
    Caso essa dificuldade continue, procure um terapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • tenho muita dores quando tenho relacao com meu marido, e agora nao tenho nem vontade de fazer sexo com ele. o senhor pode me ajudar eu estou desesperado com essa situacao?

    Ellen, 19 Anos - Ver Resposta

    Ellen, é preciso saber o que está causando essa dor, pois ela pode ter vários motivos. Por isso procure um ginecologista, caso não seja algo de origem orgânica, procure um terapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Gostaria que me ajudasse a entender uma questão. Tenho 38 anos, solteira e jornalista. Sou atraente, inteligente e meu conjunto costuma agradar, não sou do tipo fútil, pelo contrário, porém nunca consigo manter um relacionamento, aliás nunca namorei. Eles chegam, me conquistam, querem intimidade e depois vão embora. Minha irmã diz que sempre escolho o mesmo tipo de homem e cometo os mesmos erros. Além de tudo, estou com um probleminha que até consultei meu ginecologista. Os três últimos homens com quem me relacionei (rapidamente) toda vez que estávamos na ardência do desejo, ambos querendo um ao outro, sinto muita dor na penetração. Às vezes não conseguem nem penetrar, outras vezes peço para pararem porque dói e estou achando que isto está afastando os homens de mim. O último me disse que sou bem estreita, será falta de prática?? Meu ginecologista disse que estou normal (tive uma candidíase, mas mesmo depois de curada a dor continuou). Meus exames derem ok e ele disse que isto ocorre porque não consigo relaxar, acho que sempre vão me deixar e isto acaba me bloqueando e impedindo uma penetração normal e que o dia que encontrar uma pessoa legal, vou me entregar por inteiro e isto vai se normalizar. Mas o que ocorre? É normal uma mulher sentir dor como estou sentido agora e nunca conseguir namorar alguém?

    Sabrina, 38 Anos - Ver Resposta

    Olá Sabrina.
    Parabéns por pela iniciativa de procurar ajuda especializada para cuidar dessa questão que deve te atrapalhar muito.
    Pelo que você descreve, a sexualidade não estão bem, porém, será necessário ouvir você para entender o que está acontecendo a ponto de você ter dificuldades para se relacionar, se envolver e também vivenciar sua sexualidade de modo saudável.
    Sem dúvidas existem questões na sua vida que estão motivando tais comportamentos, é isso que precisaremos investigar e tratar.
    Sei que é muito difícil levar a vida nessas condições, mas é importante que você saiba que existe como tratar isso. Eu recebo com freqüência no meu consultório mulheres com queixas semelhantes, por isso compreendo bem o sofrimento que você deve sentir.
    Algumas dores na hora da transa podem ocorrer por diversos fatores orgânicos, no entanto, quando os ginecologistas examinam e não encontram nada que justifique essa dor, então, estamos diante de um fator psicológico.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi Dr Claudecy, desde quando comecei a ter relações com meu noivo, há três anos atrás, sinto muitas dores. No começo, fui a uma ginecologista e ela disse que estava tudo bem e que era normal sentir aquelas dores. Não satisfeita, procurei outro médico. Ao me examinar, ele disse que eu estava com uma ferida de colo de útero. Ele me receitou uns óvulos, à base de azitromicina e calêndula, feitos em farmácia de manipulação para que eu usasse durante 10 dias. Fiz o tratamento e nada adiantou. Procurei outra médica e ela fez a cauterização no dia 06/09/05. Segui à risca os 40 dias de abstinência. No retorno, ela disse que a ferida havia diminuído bastante, porém levaria cerca de 6 meses para cicatrizar completamente e, durante esse período, eu poderia ter relações normalmente. Ela me receitou o Intragel para ajudar na lubrificação. Mas as dores persistem e têm me tirado a vontade de ter relações. Fico muito nervosa durante a penetração por causa da dor e sinto como se algo estivesse queimando por dentro e, às vezes, sinto uma beliscada. Meu noivo é bastante paciente e compreensivo. Dependendo da posição, a dor é até suportável. Mas me sinto muito mal com essa situação pois eu gostaria de ter uma vida sexual normal. Perquisei bastante na internet sobre vaginismo, desejo sexual hipoativo, frigidez, etc, para tentar entender o que está acontecendo. O que devo fazer?

    Patricia, 31 Anos - Ver Resposta

    Olá Patrícia.
    Penso que essa situação é no mínimo desagradável, não é? Afinal, não poder desfrutar da sexualidade de modo gostoso e saudável, é muito ruim.
    É bom observar que possivelmente outros aspectos na sua vida também estão precisando de atenção, de modo que a sexualidade é que está denunciando que você, como um todo pode estar precisando de ajuda.
    É importante que você procure ajuda, e já é o que está fazendo me enviando essa mensagem. Porém sugiro que você procure um terapeuta sexual, para juntos, resolverem essas questões.
    Infelizmente alguns profissionais de saúde acabam tento alguns procedimentos equivocados, e com isso causando mais sofrimento a pessoa que já vai com uma expectativa de resolver o problema.
    Por e-mail, fica difícil fazer um diagnóstico, por isso a importância de ir a um especialista. Pelo que você fala, tudo me leva a crer que se trata de uma questão psicológica, mas eu precisaria saber mais de você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi..meu nome é Elena, sempre tive relações normal e prazeroza,mas há mais de 10 anos que eu não tenho relação sexual constantes, mas tipo, uma vez a cada em 3 anos, mantive relações sexual..e a última vez que eu mantive relações normal sem dores, foi cerca de uns 03 anos,e sempre foi normal, mas esses nesses dias ultimos(em setembro de 2004) mantive relações, sempre excitada e com orgasmos multiplos, mas antes sinto dores acompanhado de sangramentos, agora em abril , senti o mesmo, seria o fato de eu estar muito tempo sem relações sexuais?....por favor, me ajude!!!

    Helena, 50 Anos - Ver Resposta

    Oi Helena.
    Algumas coisas precisam ser investigadas:
    Você estava bem lubrificada? Essa é uma das causas das dores, com sua a idade é muito freqüente algumas mulheres terem dificuldades para lubrificar.
    Será que existe alguma questão orgânica que esteja causando essa dor, como por exemplo alguma infecção?
    Quanto ao espaço de tempo entre uma relação e outra, se você tiver bem lubrificada e o parceiro for cuidadoso na hora da penetração, não há motivos para essa dor nem para o sangramento. Lembrando que a vagina é um músculo flexível que se adapta ao ser penetrada e depois volta ao estado normal.
    Tanto para primeira situação como na segunda, é muito importante que você vá ao ginecologista para ver se existe alguma complicação orgânica.
    Caso não exista problemas de ordem orgânica, pode ser, quem sabe, algum fator psicológico, e para isso você precisa buscar um terapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tenho 19 anos e sou casada a 5 meses, estou tendo problemas com o relacionamento sexual com o meu marido isso nunca aconteceu comigo, pois agora estou com esse problema, na hora do sexo eu sinto dor e tenho muito encômodo, com isso to deixando o meu marido muito preoculpado, e ele ta achando que a culpa é dele, mas eu ando muito cansada, deve ser isso muita conta para pagar e o meu serviço. E eu tenho pouca lubrificação, por favor me ajuda, algum remedio auxiliar algum floral, pois eu nao quero mais passar por isso, estou me sentindo muito triste porque não consigo satisfazer o meu marido. Obrigada.

    Ana, 19 Anos - Ver Resposta

    Olá Ana, antes de você se preocupar em satisfazer seu marido, procure se satisfazer.
    Será necessário investigar o que está acontecendo que você está com dificuldades para sentir desejo, para isso, é importante que procure um psicoterapeuta sexual.
    Uma das causas da dor na hora da penetração, é devido a pouca lubrificação que você está apresentando.
    É certo que as contas para pagar nos preocupam, mas não é por causa disso que você está com essa dificuldades.
    Procure descobrir coisas que te dão prazer, que te excitam, que faça seu corpo reagir aos estímulos que você fará. Outra sugestão é o diálogo. Procure conversar com seu marido, diga a ele as coisas que você gosta, como ele deve tocar você, acariciar, dizer coisas que te excitam. Assim você se sentirá mais estimulada e aumentará sua lubrificação.
    Vocês já tentaram conversar sobe as fantasias de cada um? Claro que é importante respeitar os limites do outro.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Preciso de ajuda. Tenho 25 anos e sinto muitas dores nas relações sexuais. Na verdade sempre foi assim desde a minha primeira relação. Além disso, como sempre senti dores, também nunca tive prazer. Já consultei uma ginecologista e ela me disse que fisicamente estou ótima. Diante disso, eu fico muito nervosa porque sexo para mim é realmente muito doloroso e eu já tentei várias posições, mas as dores nunca somem. Isso é normal?? Qual é o meu problema?? O que está acontecendo comigo?? Me ajude.

    Lucia, 25 Anos - Ver Resposta

    Oi Lucia, como vai?
    Se já foi descartado pela ginecologista ser uma questão física, então só resta a psicológica.
    De fato é muito ruim ir para uma relação sofrendo assim com essas dores. Sugiro que procure um psicoterapeuta sexual para ajudá-la a aproveitar sua sexualidade de modo mais saudável e prazeroso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, meu nome é Marcelo, e tenho algumas duvidas; espero q vcs poção me ajudar... Minha noiva sente dor nas nossas relações sexuais; sinto seu desconforto, por isso tem q acontecer bem devagar. O problema é q desta forma não consigo chegar ao final, e em pouquíssimo tempo de relação ela me pede para parar. Percebo q ela sente desejo antes, e procuro esquentar bem as coisas nas preliminares; mesmo assim o resultado é muito frustrante. Não conversamos muito sobre o assunto, mas quando eu pergunto se ela tem orgasmos, ela me responde q não sabe. Sinto ela fria nas relações sexuais e sinto q ela tenta se esforçar para me satisfazer. Gostaria muito de umas respostas sobre esse meu problema. Obrigado pela atenção prestada.

    Marcelo, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Marcelo, como vai?
    Será preciso entender o que está causando essas dores nela. Num primeiro passo, seria muito importante ela ir ao ginecologista para ser examinada e ver se essa dor tem relação com alguma questão orgânica. Depois, independente de ter ou não alguma questão orgânica envolvida, é importante que ela procure um psicoterapeuta sexual para entender os aspectos emocionais que podem estar envolvidos nessas questão. Por outro lado, ela também não sabe sentir o orgasmo, o que já seria uma outra questão bastante importante para ser trabalha, pois, não conseguir usufruir de uma sexualidade saudável, prazerosa e mais ampla, podem levar a pessoa a um descontentamento e isso se ampliar a outros aspectos da vida dela.
    Não podemos esquecer o lado do parceiro, na qual, é importante que ele perceba, a satisfação da parceira, que ele contribuiu nesse processo. Por isso a pergunta que muitos homens fazem: "você conseguiu atingir o orgasmo?" Isso é importante para ele.
    Existe outra questão que precisa muito ser trabalhada e desenvolvida entre vocês, que é a comunicação. Não conversar sobre essas questões em nada ajuda, pelo contrário, só dificulta. Ter um diálogo com base no respeito, confiança, e com o intuito de crescimento pessoal e do casal, já é um grande passo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Me ajuda...namoro a 8 meses, ja tentamos várias. Vezes ter relação. Sexual, mais o meu pavor maior é a penetração. Fui no ginecologista, ela fez papanicolau e disse que meu homem ja estava rompido. Eu não sei o que faço mais, pois o desejo é muito grande. Eu não sei com quem me tratar. Minha pressão. Abaixa só de pensar, até. Pra fazer um tratamento. Com gynax eu me desespero, consegui uma vez. Me ajudaaaaa...obrigada desde ja...

    Camila Mendez, 27 Anos - Ver Resposta

    Olá Camila. Que bom que você resolver procurar ajuda especializada.
    Eu entendo que essa dificuldade com a penetração é muito ruim e atrapalha seu desenvolvimento.
    É preciso investigar o motivo para esse medo de ser penetrada. Esse é o primeiro passo. Os motivos para esse medo são vários, que pode ter origem orgânica ou emocional. Como a orgânica já foi descartada pelo ginecologista, então é preciso investigar a psicológica. Por isso, ir a um psicólogo especializado em sexualidade, vai ajudar muito.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde Dr. Gostaria de tirar umas duvidas, sou casada ha 3anos, tenho 26anos e meu marido tem 33. Eu casei virgem e ele não. Ele teve um caso aos 18anos com uma mulher casada, onde só tiveram relações 3vezes(assim ele me afirma). Já aos 25 ele começou um namoro onde durou 4anos e onde eles tinham relações sexuais as escondidas e rapidinho. Depois do término desse relacionamento foi que começamos a namorar e casamos. Logo na viagem de lua-de-mel ele perdeu a ereção a primeira vez, depois que eu fiz um desfile com varias lingerie para ele, quando acabei que parti pro vamos vê, ele já tinha perdido a ereção e ficou muito desapontado me falando que aquilo nunca tinha acontecido com ele. Eu sou uma pessoa muito impaciente e não sei bem disfarçar minha insatisfação e ele fala que isso o atrapalha muito.Depois desse episódio isso aconteceu varias vezes com ele. E eu sou do tipo que quero atingir o orgasmo todas as vezes que tenho relação. Isso é normal? Ele está com uns 115k, sempre falo que acho que o problema da ereção é devido ao excesso de peso, mas ele sempre fala que são os problemas da falta de dinheiro, e que ele vai emagrecer. Sendo que nunca tivemos uma condição financeira muito boa e ele não se esforça nem um pouco para emagrecer. Eu sou uma pessoa muito fogosa e tenho medo desse problema esfriar nossa relação. O que devemos fazer?

    Suelen, 26 Anos - Ver Resposta

    Olá Suelen.
    Eu entendo que essa situação é muito ruim para os dois. Para ele, por estar com sobrepeso, ganhando mal, sem forças para reagir, com problemas na ereção, com a esposa fogosa que quer sempre gozar nas transas (o que está certo) e tudo isso o faz sentir-se pressionado, porque além de tudo não consegue manter a ereção. Por outro lado, não é bom para você, pois acaba se sentindo não realizada, infeliz, sem admiração pelo marido... Bom, fica difícil pensar numa relação saudável com esse cenário.
    Suelen, seria muito importante que ele procurasse ajuda, que fosse atrás de um psicólogo, especializado em sexualidade para ajudá-lo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor!!!! É um prazer em conhece-lo, e parabens pelo site, pois acredito que além de ajudar outras pessoas talvez possa me ajudar também, pois confesso que nessa área (sexual) sou péssimo!! Mas Vamos a Questão!!! Apesar de ter 25 anos de idade sou virgem e arranjei a primeira namorada agora!!!!! Há quatro meses atrás fui pra cama com ela, e o resultado desta transa foi um desastre (meu pênis só se moveu na hora em que estava fazendo sexo oral nela e nada mais). Passado algum tempo fui mais uma vez pra cama com ela e embora um pouco mais confiante o resultado foi outra falha. Apesar do meu pênis ter ficado ereto, mas na hora da penetração parece que o membro só faltou se esconder dentro do meu corpo. Em contrapartida posso dizer quando estou sozinho me excito e me masturbo feito um doido, o qual me satisfaz completamente, mas tem um detalhe, sou um cara PERVERTIDO no sentido do sexo (não penso em penetração vaginal e as coisas comuns do sexo). Doutor isso me deixou muito confuso, pois como já disse tenho namorada mas não sei se sou capaz de transar com ela, já cheguei a pensar que não gosto de sexo, mas as vezes penso que essa possibilidade não existe, pois quase todo dia penso nas minhas perversões e maluquices, as quais acabam me excitando. Já pensei em tomar remédios (Viagra) antes de transar com ela, mas acho que seria o mesmo de estar enganando a mim mesmo e a ela. E por causa dessa dificuldade toda eu me coloquei um prazo se eu não conseguir melhorar nessa área, desisto de ter relacionamentos amorosos pro resto da vida. Só sei que estou perdido e confuso com esta questão e em nome disso eu lhe pergunto Doutor "Existe Solução para o meu Problema? Desculpe pelo desabafo e obrigado pela atenção doutor!! Um abraço e felicidades!

    Fabio, 25 Anos - Ver Resposta

    Olá Fábio.
    Vamos com calma. Seu problema tem solução sim.
    É bom observar que possivelmente outros aspectos na sua vida também estão precisando de atenção, de modo que a sexualidade é que está denunciando que você, como um todo pode estar precisando de ajuda.
    Quando você fala da sua dificuldade com a ereção e se dá um prazo para resolver, isso não vai te ajudar, pois além de você não saber o que fazer para resolver, só irá aumentar sua ansiedade e com isso piorar.
    Quanto ao uso do medicamento, penso que na sua situação não é bom, pois tudo indica que seu problema não é orgânico, por isso o remédio não resolverá o problema, no máximo poderá mascarar o problema.
    É importante que você procure ajuda, e já é o que está fazendo me enviando essa mensagem. Porém sugiro que você procure um terapeuta sexual, para juntos, resolverem essas questões.
    Muito provavelmente essa sua ansiedade em relação ao sexo está ligada a outros fatores da sua vida que também devem estar precisando de atenção.
    Caso queira mais alguma informação, ou mesmo para marcar uma consulta, poderá também ligar para mim 11 5092-3898.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, Dr Claudecy desculpe o incômodo mas é que, através da Internet, verifiquei que você possui conhecimentos de sexualidade, área que preciso de ajuda.Tenho 26 anos mas nunca consegui manter ereção numa relação sexual, apenas consigo mantê-la através da masturbação.Já descartei a possibilidade de ser homossexual, já passei por psiquiatras gerais que não ajudaram em nada, e, também, já realizei exames de sangue para confirmar que os níveis de testosterona se encontram de acordos. Estou desesperado; há alguma solução para meu caso? se sim qual tipo de tratamento (medicamento, terapia) seria preciso? Muito obrigado.

    Thiago, 26 Anos - Ver Resposta

    Olá Thiago, muito obrigado pelo contato e parabéns por você estar procurando ajuda.
    Que bom que você já passou por médicos e fez exames e tudo está ok.
    Nesses casos,quando é descartado a possibilidade de ser algo orgânico, então o que resta é o aspecto psicológico, que por sinal, é o grande real motivo das causas de problemas com a ereção.
    É exatamente esse o motivo que muitas pessoas demoram a procurar ajuda, afinal não conseguem perceber a causa do problema, e quanto mais demoram, mais grave vai ficando o problema e comprometendo outras áreas da vida da pessoa. Veja que você mesmo disse “estou desesperado”, e isso é muito ruim.
    Por isso, eu recomendo que você procure um terapeuta sexual (psicólogo especializado em sexualidade) para ajudá-lo. E quanto a sua pergunta sobre se tem solução, sim, claro que tem solução.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Estou aflito com a minha situação, tenho 42 anos e tenho uma namorada de 19 anos, não sei pq com ela tenho dificuldade de ereção...e as vezes quando tenho perdo rápido...ou ejaculo rapido....nunca conseguir fazer com ela tivesse orgamo...Ja tomei alguns medicamentos vasodilatador e não resolvir o plroblema.....ou seja tenho vontade e na hora H eu broxo...por vafor mim ajudem a resolver tal situação.. Eu sempre fui uma pessoa franco no sexo....ou seja o meu desejo sexual e muito pouco....o que ta acontecendo....

    Ednaldo, 42 Anos - Ver Resposta

    Ednaldo, de nada vai adiantar esses medicamentos no seu caso.
    O medo de falhar causa ansiedade e essa ansiedade te atrapalha no desejo, ereção e controle da ejaculação.
    Sugiro que você procure um terapeuta sexual para ajudá-lo a resolver essa questão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi Dr. Tire-me uma dúvida por favor: o fato de um homem estar obeso pode acarretar em disfunção erétil? Mesmo que este homem tenha apenas 25 anos de idade? Este homem é fumante desde os 15 anos. Hoje ele tem 43 anos e o problema persiste. na hora do sexo fazemos todas as preliminares e quando ele obtém ereção é o maior sucesso. Querendo ajudá-lo fiz algumas perguntas e ele me disse que isto acontece desde seus 25 anos como já lhe disse acima.Propusa a ele procurar um urologista.As vezes ele tenta me evitar por medo de falhar na hora H e me deixar frustrada. quero muito ajudá-lo pois o amo. Ajude-me um abraço e aguardo sua resposta ansiosamente.bjs gdes no coração

    Andrea, 25 Anos - Ver Resposta

    Andrea, tanto a obesidade como o fumo, já é sabido pelos estudos, que fazem mal a saúde e podem afetar a ereção.
    Se isso ocorre com frequência, é importante que ele vá ao urologista verificar se existe alguma questão orgânica envolvida. Caso não exista, então procurem um psicólogo que seja terapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr Claudecy,tenho uma duvida que anda me atormentando muito.Meu marido fica a semana fora,e só vem na sexta e retorna na terça para o trabalho.Ele tem 43 anos e eu 34.Como todo casal claro que ja tivemos nossas crises,mas ele nunca broxou.E isto esta se tornando constante.Da primeira tentativa ele broxa,e depois consegue.Fiquei achando que ele tinha outra,conversamos,tento ajuda-lo sou muito fogosa,então faço todos os tipos de preliminares.A mãe dele faleceu a pouco e depois disso que começou a ocorrer o fato.Mas como fico a semana sozinha,seria normal ele chegar e nao broxar...Ele irá ao medico,está um pouco acima do peso,e claro estressado tb.O que o senhor sugere?que eu continue o ajudando,pq qdo ele consegue,é muito bom.Mas qdo nao eu quem fico frustrada achando que é comigo,e ele diz que não.Nos damos muito bem dentro e fora da cama.Não sei mais que faço!

    Elizangela, 34 Anos - Ver Resposta

    Oi Elizangela, obrigado por visitar meu site e por procurar ajuda.
    Na verdade você já está fazendo duas coisas muito importantes para ele: procurando ajuda e tentando deixá-lo tranqüilo.
    Porém será necessário entender o que está causando isso. Você falou que está acima do peso, estressado e teve o episódio da mãe. Todos esses fatores podem contribuir para essa dificuldade, mas será preciso ele ir a profissionais qualificados para ajudá-lo. Ir a um urologista será bom, pois verá se existe alguma questão orgânica envolvida desse problema. Caso não haja (o que, pelo seu relato, provavelmente não há), sugiro que ele vá a um psicólogo que seja terapeuta sexual. A sua participação no processo com esse segundo profissional será muito importante.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde Dr Claudecy de Souza, sou Diego, tenho 22 anos, resido em Salvador Ba. Sou uma pessoa feliz, pratico hábitos saudáveis, já tive relação sexual normalmente com outras mulheres, mas com a minha atual namorada, pala segunda vez deu errado da minha parte. Nos nossos encontros (praia, cine) tenho ereção com ela normalmente, mas quando vamos ao motel onde é o único local que podemos ficar a sós no momento, não consigo, fico ansioso, minha temperatura corpórea aumenta. Gosto muito dela e ela de mim. Preciso de uma orientação. Desde já muito obrigado.

    Diego, 22 Anos - Ver Resposta

    Diego, o que está te atrapalhando é a ansiedade causada pelo medo de falhar. Perceba que quando vocês estão em locais que não dá para transar, você fica muito excitado e com ereção, é como se você se sentisse seguro, já que não vai poder transar mesmo. Mas quando o local permite transar, logo vem o medo de falhar.
    Será preciso você ficar presente na hora da transa, ou seja, prestar atenção no momento, nas sensações que as carícias do momento proporcionam.
    Sei que para algumas pessoas isso não é fácil, mas caso você não consiga, procure um terapeuta sexual que vai ajudá-lo a aprender fazer isso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Preciso de sua ajuda!!!! Eu namoro a 3 meses, e sempre que tive relações sexuais com meu namorado correu tudo muito bem. Mais das ultimais vezes em que tivemos relações sexuais ele perde a ereção na hora da penetração... Fazemos as preliminares e ele tem ereção normal, fica muito exitado, sinto que ele realmente gosta de mim, o unico problema realmente é na hora da penetração que ele perde a ereção completamente.. e issu esta prejudicando nosso namoro, pq é muito bom as outras coisas que nos dão prazer na hora da relação, mais a melhor forma de eu sentir prazer é no ato sexual, e sem ereção é impossivel termos uma boa relação. Tenho muita paciencia com ele pra não deixa-lo contrangido, sempre falo p/ ele ficar calmo e não ficar ansioso que uma hora a gente consegue, tento passar p/ ele segurança e tranquilidade, mais não esta dando certo. Eu ja perguntei p/ ele se alguma coisa esta atrapalhando ou encomodando ele na hora da relação e ele diz que não... Por favor Dr. me ajuda a solucionar o nosso problema. Sendo que ele tem ereção e ejaculação normal quando eu faço sexo oral nele ou quando o masturbo, o unico problema é na hora da penetração... Vou ficar aguardando contato. Bjokas muito Obrigada.

    Alanis, 22 Anos - Ver Resposta

    Olá Alanis.
    Penso que essa situação é no mínimo desagradável, não é? Afinal, não poder desfrutar da sexualidade de modo gostoso e saudável, é muito ruim.
    É bom observar que possivelmente outros aspectos na vida dele também estão precisando de atenção, de modo que a sexualidade é que está denunciando que ele, como um todo pode estar precisando de ajuda.
    É importante que vocês procurem ajuda, e já é o que está fazendo me enviando essa mensagem. Porém sugiro que vocês procurem um terapeuta sexual, para juntos, resolverem essas questões.
    Apesar dele dizer que não está com algum problema, você é a testemunha de que algo não está bem.
    Alanis, para um homem é muito difícil essa situação, é doloroso, mexe diretamente com a masculinidade dele. Por isso, num primeiro momento é normal não assumir que não está acontecendo nada, mesmo porque muitos não sabem o porquê do problema. Mas você está de parabéns, pois não pressiona e ainda está procurando ajuda de um especialista para ajudá-lo, parabéns por isso.
    É claro que essa situação a incomoda muito também, e como você disse desse modo, apesar de amá-lo, ficará difícil continuar a relação se isso não mudar. Você está certa, pois pela minha experiência no atendimento dessas questões já ouvi muito sobre términos de relacionamentos porque a outra pessoa não suportou essa situação. O problema maior é quando se demora para iniciar um tratamento. Como com qualquer problema, quanto mais cedo tratar, mais fácil fica.
    Caso queira mais informações ou mesmo marcar uma consulta, pode ligar para mim 11 5092-3898.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. claudecy, tenho 22 anos, trabalho muito e estudo, tenho uma namorada de 28 anos, temos uma vida sexual ativa, acontece que de uma semana pra cá tive problemas tres vezes consecutivas para manter a ereção, oque pode ser dr. ? isso me preocupa muito pois a primeira vez ela ficou nervosa, agora tenho medo de falhar e não dar outra! por favor me ajude!

    Roberto, 22 Anos - Ver Resposta

    Roberto, nosso corpo é uma máquina perfeita, porém tem limites. Essas dificuldades que você se refere, são sintomas que estão mostrando que você está passando do limite. Será preciso você rever seu tempo, administrar de modo que tenha mais tempo para descansar, para lazer, para você.
    Claro que esse medo de falhar só vai te atrapalhar mais, pois a ansiedade é inimiga da ereção.
    Após mudar seus comportamentos, se o problema persistir, procure um terapeuta sexual próximo a você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Gostaria de resolver essa situação que já vem se arrastando por 1 ano, meu marido nao consegue mais ter ereçao, já procuramos o urologista, fez exames tomou calmantes e até viagra, mas nada adiantou, ele fica muito aflito, porque sempre tivemos uma ótima realção, nossa convivência é muito boa, estamos juntos a 26 anos, eu já estou perdendo a vontade de transar, já que está cada vez mais difícil para ele, fica muito constrangido e chora muito, o que devemos fazer?

    Ivone, 48 Anos - Ver Resposta

    Olá Ivone, obrigado por visitar meu site e parabéns por estar procurando ajuda.
    Existem duas causas para disfunção erétil: a orgânica e a psicológica.
    Ter ido ao médico foi muito bom, pois pelo seu e-mail parece que a possibilidade de ser algo de fundo orgânico já está descartada, pois mesmo com as orientações médicas e uso de medicamentos não foi resolvido.
    Então só resta o fator psicológico, que na grande maioria (aproximadamente 70 a 80%, dependendo da faixa etária) das pessoas com disfunção erétil a origem é psicológica.
    Entendo o que você está sentindo, pois atendo com muita freqüência essa queixa e tenho contato com as parceiras e sei do sofrimento.
    Quanto ao seu desejo, a vontade de transar, sem dúvidas fica abalado, afinal, depois de muitas tentativas frustradas é esperado essa não vontade.
    Essa situação é ruim para os dois. Ele também sofre muito com isso. Porém, essa sua ação de estar procurando um especialista em sexualidade, sem dúvidas é o caminho para ajudá-los a resolver o problema da ereção bem como a questão do seu desejo e a também ajudar essa relação que imagino estar machucada.
    Parabéns mais uma vez por você estar procurando ajuda.
    Caso queira mais alguma informação ou mesmo marcar uma consulta pode ligar para 5092-3898.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy eu sempre fui muito ativo sexualmente porém, de uns dias para cá eu estou com dificuldade de ereção tenho passado por alguns problemas no trabalho que tem me tirado muito do sério. Tenho tido dificuldade de ereção tanto com minha esposa como com outras mulheres.Tenho um relacionamento extra de mais ou menos 2 meses que no começo era excepcional agora eu não consigo ter relações com ela o pênis até fica rígido porém ele vai embora rapidinho as vezes dá aquele suor frio e eu tenho me cobrado muito neste sentido sinto que estou psicologicamente afetado com este problema. Como resolver isto? me ajude Dr. Obrigado.

    Ricardo, 35 Anos - Ver Resposta

    Olá Ricardo.
    Sei o quanto essa situação é desagradável. Porém, essa dificuldade com a ereção é um sintoma que está demonstrando que algo não está bem. Nosso organismo encontra diferentes maneiras para nos mostrar que precisamos mudar o modo de nos relacionarmos com o meio.
    Você fala que está com problemas no trabalho, pois então saiba que isso afeta diretamente a vida sexual das pessoas. Também comenta que tem um relacionamento extra, o que pode demonstrar que você não está tão satisfeito com sua esposa.
    Essas dificuldades de fato podem tirar sua atenção do sexo. Fica muito difícil querer ter uma boa relação sexual se você está ansioso na hora do sexo, pensando em outras coisas, pensando nos problemas do trabalho, se sua esposa vai descobrir a outra...
    Está na hora de você parar para cuidar de você, caso contrário isso tende a aumentar e vai comprometer outras áreas da sua vida.
    É importante que você procure um psicólogo, de preferência que seja um terapeuta sexual para ajudá-lo.
    Durante o processo terapêutico você descobrirá que tem várias coisas na sua vida que precisarão ser mudadas. Nem sempre é fácil esse processo, mas não há crescimento sem dor. Será preciso você colocar sua vida como prioridade para poder resolver o que está te atrapalhando e impedindo que você se desenvolva mais.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. tenho 20 anos e namoro a 6 meses. Minha namorada tem 21 anos e jah tinha tido experiencia sexuais antes de mim.. eu era virgem qdo comecei a namorar com ela. Desde quando começamos a ter relações sexuais eu tenho ereção normalmente, mas eu a perco durante a penetração e depois volta, e tambem a perco quando vo por preservativo, nesse caso nao voltando. Nao sei o que fazer, esse problema eh psicologico certo? Poderia tentar tomar um comprimido estimulante como o cialis? para recuperar a confiança em mim e assim ir acertando meu lado psicologico. Por favor aguardo sua resposta. Abraço

    Victor, 20 Anos - Ver Resposta

    Oi Victor, seu problema é psicológico. Por isso não faz sentido o uso de medicamento.
    É preciso que vc procure um psicólogo qu eseja terapeuta sexual para ajudá-lo a resolver essa questão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Bom dia!!! Gostaria de tirar uma dúvida na qual esta pairando em minha cabeça. Tenho uma namorada a três meses, temos uma ótima relação, dormimos juntos, etc. O que acontece é que esses dias atrás, quando iamos começar a fazer amor, tive uma reação estranha, na hora em que ia começar a penetração, veio na minha cabeça que eu não ia conseguir manter minha ereção, derepente, fui ficando aflito, ancioso, e com isso rapidamente fui perdendo a ereção. Parecia um trauma, do nada aconteceu isso. Desde o começo do nosso namoro nunca tinha acontecido isso, sempre tivemos um ótimo desenvolvimento sexual, sempre fizemos amor da melhor forma possível. O problema é que a 11 anos atras, eu tinha uma outra namorada, e quando fomos transar pela primeira vez, eu estava meio alterado com vinho, ai não foi legal, só depois que eu me curei do porre é que tiveos uma relação legal. Isso ficou na minha cabeça por todos esses anos, e agora, quando me apaixono por alguem, me cobro que tenho que ter um desempenho ótimo, e com isso, surge essas coisas nas quais, vem esses pensamentos e com isso fico aflito e perco a ereção, sinto que é psicológico, pois se for com alguma mulher em que eu não sinta nenhum sentimento, as coisas correm muito bem, isso nem passa pela minha cabeça, agora se for cm a namorada na qual gosto dela, vem essa cobrança e esse sentimento horrível. Como posso me livra disso?

    Carlos, 32 Anos - Ver Resposta

    Carlos, entendo sua preocupação.
    No entento o problema não é seu pênis. Ele apenas está demonstrando que que algo não está bem com você.
    Qual a necessidade de sempre estar saíndo com outras mulheres? Por que a necessidade sempre estar conquistando? Seu relacionamento realmente está satistisfatório para você?
    É muito comum a perda da ereção quando existe relevantess aspectos ansiosos no momento da relação ou mesmo um desvio do foco da atenção.
    É provavel que ao transar com as outras mulheres você se preocupe mais com o desempenho, em querer mostrar para elas que você é o bom, de causar uma ótima impressão e abaca esquecendo de manter o foco nas emoções que esse momento pode causar.
    Você precisa de ajuda de um profissional. Procure um terapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Ola Dr. primeiramente queria parabeniza-lo pelo site.. Tenho 21 anos e esotu com probelmas.. Namoro ha 6 meses e tenho votande sexual, fico com a ereçao normal, mas o problema eh q na maioria das vezes que vou ter relaçoes com minha namorada meu penis perde a ereçao na hora da penetraçao.. O que pode estar havendo comigo? Se possivel me indique o que fazer.. Desde jah obrigado

    Anonimo, 21 Anos - Ver Resposta

    Olá. No momento da penetração você fica preocupado com seu desempenho, querer mostrar que é bom, fica pensado que não pode decepcioná-la... e tudo isso faz seu pensamento mudar de foco. Ou seja, ao invés de ficar pensando nas coisas que fariam você manter a ereção - no clima, nela, nos carinhos... - você pensa em outras coisas que geram ansiedade e por isso você perde a ereção.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Eu já tive algumas relações sexuais com homens e mulheres mas nunca consegui chegar a um orgasmo queria saber o que devo fazer sendo que sozinho eu tenho prazer normal.
    e outra coisa eu não consigo ter uma ereção normal sempre tenho uma baixa quando estou com a pessoa. O que devo fazer?

    Alexandre, 23 Anos - Ver Resposta

    Olá Alexandre, como vai?
    Será necessário entender, com maior profundidade, o que está acontecendo com você, quais aspectos emocionais estão envolvidos, nessa dificuldade sexual.
    É importante ressaltar sua fala, que você nunca conseguiu chegar ao orgasmo na relação com outra pessoa, mas somente sozinho. Essa já é uma dica do quanto você tem de dificuldade de se entregar a uma relação. Provavelmente você também tenha dificuldade em sentir as emoções que a relação pode proporcionar.
    No entanto, muitas coisas estão por trás dessas queixas, será necessário você buscar ajuda de um psicoterapeuta sexual, para assim, você poder descobrir o que está te atrapalhando e, assim poder desfrutar de uma sexualidade mais saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • De um ano para cá percebo que meu tesao anda miando, me masturbo todo dia, mais por necessidade do que por vontade, o "meninão" chega a ficar duro, mais to percebendo que anda dificil fazer ele ficar assim por muito tempo, tipo, se eu nao por a mão nele, mesmo na hora da relação, ele nao dura 30 seg. desse jeito e perco o tesão completamente.... ai ele só fica bom se começar tudo de novo. alguma vezes durante a relação com minha namorada, que ja dura a 5 anos, perco completamente o tesão, ai só gozo se for no oral. Resumindo, to perdendo a vontade por sexo, não to vendo mais tanta graça nisso, o que ta acontecendo? E nao me mandem procurar um psicologo ou um urologista que eu nao vou se nao tiver uma boa resposta. Obs.: fumo um maço de cigarro por dia e nao tenho mais folego para correr um quarterão, seria por isso?

    Guilherme, 24 Anos - Ver Resposta

    Olá Guilherme, como vai?
    Fica difícil falar qualquer coisa para você. Afinal, você deixa bem claro no seu e-mail que não vai procurar os profissionais.
    Mas como você pretende resolver essa questão? Muito interessante que você mandou um e-mail justamente para um psicólogo.
    Gostaria entender o motivo de não querer se tratar com esses profissionais.
    Guilherme, quando temos algum problema no dente por exemplo, não tem como resolver se não formos ao dentista, que é o especialista nesse assunto.
    Quando o problema é sexual, é necessário buscar um psicoterapeuta sexual, que é o especialista nesse assunto. Não adianta tentar outras vias, você provavelmente irá apenas prolongar o sofrimento que isso lhe causa.
    Agora fica para você escolher o que deseja fazer: Continuar como está ou resolver essa questão e assim poder desfrutar de sua sexualidade de modo natural e saudável.
    Caso queira conversar, estou aberto para qualquer esclarecimento.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, tenho 19 anos, pratico esportes, faco musculacao. Namorei quase ano com uma garota. Tive a possibilidade transar com ela umas 40 vezes, destas nao conseguir penetra-la em 38 mais ou menos. O que eu notava é que antes eu ficava excitado(nas preliminares)e na hora H eu perdia a ereção em fração de segundos. Hoje so na maioria das vezes so me excito com a masturbacao. Sou uma pessoa sismatica, tenho medo, angustia, medo que aconteca de novo, medo que eu queime me filme com outras garotas, medo que se torne algo público, por isso andei me afastando uma pouco da vida do que deveria ser de um jovem da minha idade.Desde pequeno sou uma pessoa nervosa, fala rapido, sou grosso(estupido) nao tenho paciencia nem pra me alimentar direito. Hoje minha vida é uma porcaria vivo cheio de manias, medos, traumas. Nao consigo transar, nao consigo ficar excitado na hora H, me afasteu das garotas. nao vivo mais direito.

    Guilherme, 19 Anos - Ver Resposta

    Olá Guilherme.
    Deve ser muito difícil viver desse modo. Tenho a impressão que tudo isso que você contou, não te dá condições para interagir com as pessoas de modo a promover seu crescimento saudavelmente. Com isso, outros aspectos como estudos, trabalho, relacionamento afetivo, também ficam prejudicados. Isso não é bom, isso não contribuiu para seu desenvolvimento.
    Você comenta de aspectos como rigidez, manias, ansiedade, ser grosso, impaciente, além da dificuldade sexual, que sem dúvida precisam de ajuda profissional. Continuar assim, além de não ser adequado, a probabilidade é que isso se agrave.
    Será necessário entender com mais profundidade tudo isso que você relata para ajudá-lo a sair dessa. Por isso, sugiro que você procure um psicólogo para juntos entender o que leva você a se comportar assim.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá dr. Claudecy, considerando minha idade deveria ter ido direto ao seu consultório e não ficar fazendo perguntas por e-mail, mas quem sabe tirando essa dúvida, e se for necessário, faça o tratamento com você. Fui sempre presente nas minhas relações, verdade que com algumas mulheres desenvolvi melhor do que com outras, mas há alguns anos não consigo mais ter ereção na presença de outra pessoa. Se me masturbar chego a ficar com medo "dele" de tão forte e saudável que fica. Imagino o prazer que daria à minha parceira; já cheguei a gozar sete vezes em questão de poucas horas. Portanto acho que não tenho nenhum problema neurológico. O problema é quando estou junto de uma parceira, não há milagre que faça este "cara" comparecer. Cheguei a pensar que era algum problema de química com minha última companheira e que tudo se resolveria assim que saísse com outra mulher, mas infelizmente não foi assim. Existe algum relato sobre este meu problema? Sou tecnicamente impotente já que não consigo penetração, mas ao mesmo tempo viril quando na masturbação. Confesso que me satisfaço quase que plenamente sozinho, mas gostaria muito de voltar a ver uma mulher enlouquecida por mim. Pra completar, minhas fantasias são geralmente com mulheres mais jovens, mas mesmo saindo com elas, o problema persiste. Agradeço sua atenção e resposta. Abraço. Santos

    Santos, 55 Anos - Ver Resposta

    Olá Santos.
    Obrigado pelo contato e confiança.
    O fato de você conseguir uma boa ereção ao se masturbar, nos dá condições de imaginar que não se trata de um problema de fundo orgânico. O que nos sugere ser algo na linha do psicológico. As possibilidades para esse sintoma, num contexto psicológico, são várias. Vale a pena investigar e entender o que está acontecendo.
    Em muitos casos, o que observamos é a presença excessiva da ansiedade. Não estou afirmando que seja o seu caso. Mas o adequado é entender o que está acontecendo com você.
    Você fala do seu ótimo desempenho sexual até a pouco tempo, por isso imagino o quanto deve ser frustrante para você não conseguir o mesmo desempenho agora. Mas nossa vida é dinâmica, por isso muitos eventos causados pela nossa relação com o meio que vivemos ou mesmo mudanças físicas, alteram nossos comportamentos.
    Pense na possibilidade de ir atrás de uma investigação para resolver essa dificuldade.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor, Não tenho nem 1 ano de casada e meu marido fica brocha sempre que o procuro. Ele está vivendo um problema no trabalho mas desde que o conheci que não o achei muito carnal, mas rolava quase sempre... rs Já tive diversos namorados e isso nunca aconteceu comigo. Não adianta fantasia, filmes, etc. Conversamos na possibilidade dele procurar ajuda médica mas vejo que tem vergonha. Não sei mais o que fazer. Agradeço se puder nos orientar. Abraços. MCristina

    Maria Cristina, 32 Anos - Ver Resposta

    Olá Maria.
    Parabéns por estar procurando ajuda especializada.
    Algumas pessoas apresentam alguma dificuldade no tema sexualidade e não saber direito o que fazer. Boa parte dos caso se dividem em problemas orgânicos, que a menor parte, e nesse caso é importante consultar um ginecologista ou urologista. Outra parte diz respeito ao aprendizado, a relação como tema na vida da pessoa. E a outra parte diz respeito a questões psicológicas/emocionais. Fatores como stress, problemas em casa, trabalho, filhos, financeiro... são comuns encontrarmos como causas para a dificuldade. Para esses casos é importante consultar um psicólogo especializado em sexualidade.
    Em muito casos, pode ocorrer a combinação do histórico na vida da pessoa de relação com a sexualidade (de ser pobre, reprimido...) e os fatores psicológicos. Pelo seu relato, fiquei com essa impressão, já que desde o começo você o via o desempenho dele de forma tímida.
    Infelizmente ele não terá alternativa, ele terá que romper essa timidez e ir a um especialista ou ficará com o problema. Vale muito a pena estimulá-lo a procurar ajuda.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa noite. Gostaria de saber se vc pode me ajudar. Estou aqui indicada por uma grande amiga, que tem um problema exatamente oposto ao meu. Mas penso que vc possa me ajudar.
    Ando completamente sem desejo sexual pelo meu marido. Algumas coisas aconteceram, algumas mágoas, mas nao gostaria que isso afetasse o meu físico. Por isso gostaria de saber se existe algum medicamento que pode aumentar minha libido, mas aumentar MESMO...
    Por enquanto, agradeço e aguardo sua resposta o mais rápido possivel.

    Marcia, 41 Anos - Ver Resposta

    Olá Marcia.
    A inibição do desejo sexual traz muitas pessoas aos nossos consultórios. Sei como é ruim estar ao lado de alguém e não sentir vontade de transar, não sentir desejo sexual. Chega uma hora quer as desculpas não adiantam mais.
    Cada caso é um caso e precisa ser investigado separadamente. Você falou que algumas coisas aconteceram no relacionamento, que existe mágoa. Isso precisa ser investigado. Sempre há um ou alguns motivos para o desejo sexual diminuir ou acabar. Quando você fala que não gostaria que esses fatores não afastasse o seu físico, lamento, mas não temos controle sobre isso; pelo contrário, entenda isso como sintomas, é uma clara manifestação de que algo não está bom, que precisa ser arrumado. Os fatores emocionais (psicológicos) estão totalmente ligados ao nosso físico, um afeta o outro. Enquanto isso não for encarado pelo CASAL de maneira séria e realista, o problema continuará e aumentará, atrapalhando outras áreas da sua vida. É então que, para satisfazer as necessidades de sexo, carinho, atenção, as pessoas começam a procurar pessoas fora da relação. Essas são necessidade de todos nós, é saudável vivenciá-las, mantê-la em dia.
    Quanto ao uso de medicamentos para isso, não é bem assim. O medicamento só deve ser usado quando a origem do problema é orgânico, como por exemplo, uma deficiência hormonal. Por isso uma avaliação médica em muitos casos é necessária. No seu caso, seria muito importante que você e/ou seu marido fossem a um psicólogo para analisar o caso e, se vocês desejarem, se submeterem a uma terapia individual ou casal. Isso é o profissional que avaliará após ouvir vocês.
    Eu parabenizo você por estar procurando ajuda profissional. Será assim que você encontrará uma solução para essa dificuldade que está passando.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor! Preciso da sua ajuda. Namoro faz 5 anos e tenho uma filha de 5 meses. Eu tenho 27 anos. Meu "namorido" tem 25 anos. No começo do nosso relacionamento fazíamos sexo toda hora, quase todos os dias. Depois de 4 anos a frequência foi diminuindo. Na gravidez transamos apenas umas 3 ou 4 vezes e depois que minha filha nasceu transamos apenas 1 vez, ou seja, faz 4 meses que não transamos. Sou bonita e atraente, muitos homens dão em cima de mim, meu corpo voltou ao normal rápido após a gravidez mas mesmo assim ele não me procura pro sexo, pelo contrário, sou eu quem o procura e ele não corresponde. Da última vez comecei a tocá-lo no orgão sexual e ele ficou simplesmente parado, nem se excitou. Depois disso tb não o encostei mais, e estamos assim, vivendo como irmãos praticamente. Ele diz que me ama muito, que quer continuar comigo mas não sei o que fazer. Qd tentei conversar sobre o assunto sugerindo até q ele estaria me traindo ele disse que não tem tempo pra pensar em sexo, que está preocupado em trabalhar e pagar suas contas... Não sei o que está acontecendo doutor. Meu desejo sexual continua como sempre, tenho muita vontade de transar e venho me masturbando, estou muito infeliz com essa situação... O que o doutor acha?

    Carina, 27 Anos - Ver Resposta

    Olá Carina.
    Eu entendo sua situação, sei que ficar numa relação assim é ruim.
    No decorrer do tempo a relação sexual tende a diminuir um pouco, o que é normal, pois o casal passar a dividir mais o tempo para o desenvolvimento de outras áreas da vida. Porém, pelo seu relato, a sua situação é bem diferente. O que precisa ser feito é entender o que está levando seu “namorido” a se comportar assim. Como ele mesmo disse, "não tem tempo de pensar em sexo, que está preocupado com em pagar as contas...". Isso pode ser um dos motivos para o desinteresse dele, afinal, se ele está com a cabeça em outro lugar, não vai ter desejo sexual mesmo.
    Mas há outras possibilidades que também contribuem para isso, e nesse caso é preciso investigar.
    Quando você fala que é bonita e atraente, isso num primeiro momento da relação pode ser é muito importante, porém, no decorrer do tempo essas características vão se tornando secundárias e dando lugar aos comportamentos. Ou seja, o modo como você fala, pensa, age... tem mais peso. Isso significa que estamos diante de outra hipótese: será que há algo nos seus comportamentos que contribui para o desinteresse dele? Em muitos casos a pessoa não consegue perceber o que e porque sente, por isso não consegue falar o que é.
    Há uma questão que precisa ser muito bem observada por você. Ninguém é obrigado a ficar com ninguém. Com isso, estou dizendo que se ele não pode ou não se sente com vontade de dar a você o que é importante e necessário na relação, isso deve ser respeitado e você não precisa se manter numa relação se não estiver satisfeita.
    Eu entendo que há um sentimento entre vocês, e isso dificulta a tomada de algumas decisões, inclusive por ele. Ele deve estar confuso, pois diz que a ama, mas não sente desejo por você. É difícil uma relação se manter saudável assim.
    Caso vocês queiram continuar juntos, seria muito importante descobrir o que está acontecendo. Como nem sempre essa é uma tarefa fácil, vocês podem ir a um psicólogo para ajudar nessa questão tão delicada do casal.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor , fiquei muito impresionada com seu site muito bom mesmo,parabéns! A minha pergunta é a seguinte: eu sou casada a 5 anos eu tenho 25 anos e meu marido tem 48 mas depois que minha filha nasceu eu fui perdendo o desejo sexual ñ propiamente pelo meu marido mas pelo sexo, eu ñ consigo me concentrar p ter vontade de geito nenhum isso já tem 3 anos e parece que cada dia que passa eu vou perdendo mais a vontade des de já eu gostaria de diser que o fato dele ser mais velho que eu ñ é o problema, eu acho que o problema é comigo mesma. Acho que você ira pensar que eu estou dando muita atenção para minha filha e pouca p ele,como na maioria dos casos mas eu acho que ñ bom isso é o que eu acho nem eu mesma tenho certeza mas o que eu sei é que a minha vida rotineira tem ajudado muito a ficar assim. Tenho uma rotina muito cerrada as veses parece que eu acabei de acordar e ja estou indo dormir no mesmo instante, mas eu ñ sei ao serto o que esta acontecendo eu acho que ele ñ merece isso. Eu gostaria muito da sua opinião proficional mas des de ja gostaria de diser tmb que aqui onde eu moro ñ tem um tratamento p esses casos que seria a terapia de casal. Eu sei que vc tem muitas pessoas p responder, mas vou esperar ansiosa sua resposta. muito grata!

    Cristina, 25 Anos - Ver Resposta

    Oi Cristina. Muito obrigado pelos elogios.
    É preciso investigar mais a fundo para entender melhor o seu caso. Porém, você diz que tem uma rotina diária tão intensa que nem percebe o dia passar. Isso significa que você também não tem tempo para se perceber, para se sentir, para ver, ler, ouvir coisas que possam estimulá-la não só sexualmente mas também para a vida. O tempo está passando e você nem se quer está se dando conta de que sua vida está "atrofiando", "enferrujando", "mofando"...
    É muito provável que você precise mudar sua rotina. O ideal é que você procure um psicólogo para você primeiramente, e se for necessário, esse profissional indicará o que deverá ser feito.
    Mude, leia sobre coisas que você gosta, que a estimule sexualmente, que a faça sentir mais mulher, mais atraente, sedutora... Cuide de você!

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Namorei cerca de 7 anos e nos casamos recentemente. Não tenho dúvidas quanto ao meu amor por ele, mas sei que desde o início de nosso relacionamento, o apetite sexual dele sempre foi menor do que o meu, sempre pensei que homem tem uma vontade bem maior do que a mulher, chegamos por várias vezes à conversar sobre, mas ele sempre disse que era diferente de outros homens e que achava que isto não era principal em um relacionamento. Tivemos uma crise a uns dois anos atrás, onde achei que ele estaria envolvido com outra pessoa, mas acabamos conversando e por ele ficou provado que não, mas pra mim, fiquei com um ?? Agora cerca de um mês casada, não sei o que aconteceu...perdi meu apetite sexual, que antes era intenso, tenho certeza que o amo, mas não tenho vontade e por mais que eu me esforce em ter relacionamento com ele é difícil pra mim, chega a doer porque não tenho vontade. Até conversamos, e disse que iria conversar com minha médica, gostaria de saber se o anticoncepcional pode tirar o apetite sexual, se eu posso ter ficado bloqueada pelo fato de achar que eu não poderia ter mais vontade do que meu parceiro, se minha decepção pela situação ocorrida e não tendo certeza ajudou, estou desesperada, sou nova ainda, tenho 29 anos e não sei o que fazer?

    Priscila, 29 Anos - Ver Resposta

    Olá Priscila.
    O seu caso ilustra bem esse mito tão difundido de que o homem gosta mais de sexo que a mulher. Não dá para generalizar, pois cada caso é único. Mas é possível afirmar que por sermos diferentes, temos criações, valores, vontades e gostos diferentes também. O mesmo acontece com o sexo. Quando você diz que tinha mais vontade do que ele, não podemos afirmar que ele tenha problemas ou que isso não significa que ele tem outra mulher, mas isso pode significar que ele tem um ritmo ou vontade diferente de você.
    Existe uma infinidade de coisas que excitam uma mulher. Dentre elas, saber que é desejada pelo parceiro e fundamental. Pelo seu relato, parece que não se sentir desejada pelo seu parceiro durante tanto tempo, pode ter causando essa diminuição do seu desejo sexual.
    Com a atual situação, a relação sexual entre vocês é muito ruim, chegando ser dolorosa para você. O que significa que não dá para pensar numa relação sexual saudável e prazerosa. É pouco provável que a pílula esteja causando isso, mas vá ao médico para descartar essa possibilidade.
    Seria muito importante que você juntos procurassem um psicólogo especializado em sexualidade para ajudá-los a resolver essa situação, que se não for feito nada, tenderá a piorar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor, Tenho uma dúvida e gostaria de uma ajuda sua. Namoro há 2 anos. No começo o interesse sexual, de ambas as partes, era gigantesco. Para mim, essa relação me mostrou o que era voltar a viver, pois há tempos acreditava que eu não tinha libido. Ele nunca havia namorado sério e quando o conhecí era bem independente, do tipo "garanhão", enfim, popular, etc...Diz ele nunca ter encontrado alguém inteligente e com o famoso "pulço firme". Ele diz também que eu fui a primeira que ele se apaixonou de verdade. E por essas e outras verdades, foi que, pela primeira vez na vida dele, ele cedeu a todos os meus caprichos, dentre eles a perda da vida social (devido ao meu ciúmes). Com o tempo, o desejo sexual dele por mim foi diminuindo, lembrando que, ele nunca conseguiu me fazer atingir orgasmo, e eu comecei a me mostrar mais interessada por ele do que ele por mim. Ele diz que eu o abafei muito... Você acha, que por ele ser do estilo dominante, eu com meu ciúmes e ele por achar que não consegue me satisfazer conseguí bloquear o desejo dele por mim? As vezes sinto que não vou aguentar! Minha auto-estima está no sapato! Não sei mais como posso chamar a atenção dele...Me arrumo, fico magra, bonita..etc! Outra coisa que notei é que ele está MTO sem peciência cmgo...Todas as coisas repetitivas ele nem se quer ouvir.. Doutor, você acha possível reverter este quadro? Eu o amo, quero demonstrar isso para ele, mas anda impossível... Estou dando mais espaço para ele e tentando ser mais independente dele.. Será que consigo? Me ajuda...não quero que um namoro perfeito acabe por isso...ME AJUDA! Grata

    Marisa, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Marisa.
    Imagine uma flor linda e delicada, com um perfume delicioso que por você estar tão encantada com a beleza e o perfume, você a segura com muita força para cheirá-la com todo ar do seu pulmão de uma só vez. O que acontecerá? Você a sufocará, a amassará, e ela perderá a beleza, o perfume e morrerá.
    É isso o que está acontece nessa relação. Você está sendo pesada, não deixando espaço para ele respirar, mostrar aquilo que tanto a encantou no começo. Em resposta a isso, ele a evita, ele não tem mais interesse por você do modo como você quer.
    Em consequência disso você tem percebido a diminuição do desejo sexual dele por você, desinteresse em estar com você.
    Saber dessas coisas, que provavelmente seus comportamentos estão causando essas reações nele, é parte do processo. Agora, é preciso mudar. No entanto, não é uma tarefa fácil, pois se você age assim é porque há motivos para tal, porém, o motivo pode não ser seu parceiro, mas sim, questões suas, como inseguranças, medos... Ou seja, será preciso entender o real motivo para uma mudança adequada.
    Se nessa tentativa de mudança você sentir que está muito difícil para conseguir sozinha, seria importante contar com a ajuda de um psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tenho 25 anos, casada há 2 e não sinto desejo pelo meu marido,ele não me disperta nenhuma vontade,muitas veses disfarço figindo que estou dormindo para não ter que beija-lo,isso esta me encomodando pois ele fica chateado e chegou a falar que tenho outra pessoa,confesso que gosto muito dele,não sei o que está acontecendo. bjs desde já agradeço.

    Marina, 25 Anos - Ver Resposta

    Olá Marina.
    A inibição do desejo sexual infelizmente atinge um número significativo de pessoas. As causas são as mais variadas. No entanto, nos casos onde não existe problemas orgânicos, como os hormonais, normalmente observamos algo muito comum nos casais com essa queixa: os comportamentos da outra pessoa. Isso significa que nós gostamos ou não do modo como a outra pessoa se comporta. Se eu vejo a pessoa se comportado de modo que me agrada, de modo que desperta em mim admiração, se ela tem valores que para mim são importantes, enfim... se seu parceiro apresenta um conjunto de comportamentos que casam com seus com o que você busca, esse sentimento vai adiante. O contrário também é verdadeiro.
    Porém, quando você diz que gosta muito dele, eu sei que isso deixa você muito confusa. Mas o que você sente é um carinho, pois parece haver respeito e cuidados nessa relação. Mas esse sentimento é diferente de desejo sexual pela parceria. Eles podem caminhar juntos, mas não necessariamente estão sempre juntos. Há casais que são ótimo quando o assunto é sexual, mas a convivência diária é terrível, assim como o contrário, que parece ser seu caso.
    Será preciso entender em que momento essa relação começou a se perder, o que cada um espera do outro, se o outro está afim de mudar, se os valores de vocês são compatíveis... algumas questões serão necessárias serem verificadas para tentar resgatar essas relação. Do modo como está, se nada for feito, tenderá a piorar e será ruim para ambos.
    Em alguns casos o casal conversando de modo bem franco, poderão encontrar soluções para essa questão. Porém há casos em que a ajuda de um psicólogo pode ser muito importante nesse momento delicado da relação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • ESTOU CASADA HÁ 4 ANOS, TENHO 37 ANOS, SOU ATRAENTE, MAGRA E MALHADA, E ELE TEM 56 ANOS E CORRE DIARIAMENTE. NO PRIMEIRO ANO O SEXO ERA MARAVILHOSO E QUASE DIÁRIO, MAS DEPOIS TUDO MUDOU E. HÁ TRÊS ANOS. NÃO FAZEMOS SEXO. ELE É UM HOMEM MARAVILHOSO, GENTIL, DECENTE, COMPANHEIRO E EU O AMO, MAS ELE DIZ QUE, APESAR DE ME AMAR MUITO, SE DESINTERESSOU COMPLETAMENTE POR SEXO, QUE NÃO SENTE VONTADE NEM COMIGO NEM COM NINGUÉM, E EVITA ATÉ ME ABRAÇAR E BEIJAR PARA NÃO ME EXCITAR. ELE DIZ QUE PERDEU TOTALMENTE A VONTADE, DIZ QUE ESTÁ VELHO, QUE NÃO SENTE FALTA NENHUMA DE SEXO E QUE SE SENTE MUITO BEM ASSIM, MAS QUE SOFRE MUITO POR NÃO PODER CORRESPONDER AO QUE EU PRECISO E PROPÕS ATÉ QUE NOS SEPARÁSSEMOS, POIS NÃO É JUSTO PARA MIM VIVER PRIVADA DE SEXO. CHEGAMOS A NOS SEPARAR POR UM MÊS, NOS FALÁVAMOS TODOS OS DIAS, POR TELEFONE OU PESSOALMENTE, MAS A DOR DA SAUDADE FOI TANTA QUE VOLTAMOS. EU NÃO QUERO ME SEPARAR PORQUE EU O AMO, MAS ELE TEM PAVOR A MÉDICOS, HOSPITAIS, TERAPEUTAS E REMÉDIOS, POIS ELE FOI OPERADO, HÁ 12 ANOS, DE UM ANEURISMA CEREBRAL GRAVE, FICOU UM BOM TEMPO EM COMA E SOBREVIVEU COM A COLOCAÇÃO DE UMA PINÇA METÁLICA PERMANENTE EM SEU CERÉBRO E FICOU SEM SEQUELAS APARENTES. ELE FOGE DE QUALQUER TRATAMENTO PSICOLOGICO OU DE TOMAR ESTIMULANTES, SENDO QUE O CHECK-UP MOSTROU QUE ELE ESTÁ BEM FISICAMENTE, SÓ TEM UMA TIREIODITE E O PSA UM POUCO ELEVADO, MAS O MÉDICO DISSE, APÓS A BIÓPSIA, QUE É UMA PROSTATITE CRÔNICA BENIGNA. ESTOU DESESPERADA PORQUE NÃO QUERO ME SEPARAR DELE. EÇO AJUDA! GRATA.

    Vitoria, 37 Anos - Ver Resposta

    Olá Vitória.
    É comum que muitas mulheres atribuam a diminuição do desejo sexual ao aspecto físico da parceira. Se ela está com um corpo legal, então necessariamente o desejo dele estará em alta. Isso não é verdadeiro para todos os casos. Além disso, essa maneira de pensar torna as mulheres escravas dos padrões de beleza estabelecidos na nossa sociedade: tem que ser malhada, com peitões siliconados, sempre durinha e dedicar horas e horas na academia.
    Pois é, a prova de que isso não funciona para um prazo de validade longa, é provavelmente o que você está vivendo.
    Vitória, sem dúvidas não é por causa da sua aparência que ele teve uma diminuição do desejo sexual. No entanto, sem conhecer o caso, não temos como afirmar o que causou isso.
    Entendo que você está sofrendo, e não tenha dúvidas que ele também. No entanto eu a parabenizo por estar procurando ajuda, pois será assim que você conseguirá resolver essa questão.
    No seu relato você diz que ele se recusa a fazer qualquer tratamento para resolver essa questão. Isso não é bom, pois dessa maneira, parece que ele acaba tendo ganhos com essa situação (sem desejo sexual) e/ou parece não se importar com o que você está sentindo.
    Ele tem o direito de não querer se tratar. A vida é dele. Mas a sua vida é sua e por isso precisa cuidar dela, se valorizar e fazer o que for preciso para se sentir bem e viver de modo feliz e saudável.
    Sei que você deve estar muito confusa, por isso, seria muito importante que você conversasse com um psicólogo que seja terapeuta sexual para entender com mais detalhes o que está acontecendo para assim ter mais dados para ajudar a resolver essa questão.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Sou casada a 7 anos depois que engravidadei da minha 1ºfilha, meu casamento mudou muito, tive muitos problemas na gravidez que resultou no esfriamento do casamento, logo depois engravidei da minha 2º filha, já foi mais tranquilo pois já tinha experiencia da primeira filha, nossa vida sexual já nao era mais tão ativa, mas era normal ( regular ), de alguns meses pra cá tenho notado a dificuldade dele ejacular, pois sempre está cansado pois temos uma rotina bem louca, ele trabalha em dois empregos inclusive na madrugada, o meu trabalho tbm é puxado, quase não nos vemos. Descobri que ele anda bucando materiais pornograficos para tentar se ecitar. Fui ao sexshop comprei oleos, pomadas, etc... pra tentar esquentar nosso relacionamento, não sei o que fazer, fiquei muito chateada pois ele não se abre comigo, pequei ele na net vendo paginas de sexo, o que devo fazer????? Me ajude

    Patricia, 27 Anos - Ver Resposta

    Olá Patricia, pelo que você descreve, vocês não têm tempo para a relação. Aconteceu as dificuldades na primeira gestação e parece que até hoje vocês não estão conseguindo lidar com crise que cada vez se intensifica.
    Esses recursos como pomadas e óleos são apenas paliativos, não vão resolver a questão que está causando a crise. Mas será preciso entender que algo nao está bem e que vocês não estão sabendo administrar, estão con dificuldades para ter um diálogo aberto, dizer para o outro o que sentimos é necessário para o casal crescer, sem isso, as pessoas ficam atirando para todos os lados, e o resultado é cada vez pior.
    Quando você se silencia diante do silêncio dele, isso não é bom e precisa mudar. O mesmo serve para ele.
    É provável que vocês precisem de uma ajuda profissional.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Tenho um pequeno grande problema,espero pelo menos uma luz,estou a pouco mais de 10 meses casada, no início ele sempre me procurava para termos relação sexual,sendo que após 4 meses este ato só ocorre se eu o procurar e já passamos mais de 30 dias sem fazer...,em relação a isso ele fala gostar muito de mim,sentir muito tesão e que esse ato é a parte mais fácil do relacionamento,que o dificil é a compreenção,respeito,entre outros e alega não dar tanta importancia assim ao sexo,o que me deixa muito confusa,magoada,sem respostas,é quando percebo ou vejo ele se masturbando,isto ocorre na hora que estou dormindo,acordo com ele se mexendo e ele acaba disfarçando;antes de dormir,quando estou no banho olho pela fechadura e o vejo masturbando,mas quando saio do banheiro que me deito e o atiço,ele queixa-se de cansaço e que quer dormir,sendo que um dia peguei no flagra se masturbando e perguntei a ele porque fazia aquilo se eu estava ao lado dele,ele negou,não assumiu que se masturba e que não faz isso porque me tem,sendo que isso é mentira,pois já o peguei algumas vezes,penso até que ele faça isso todos os dias e não sei mais o que fazer,ele não se abre comigo,pedi que procurassemos algum especialista,ele não aceita,diz que não acontece nada disso e que não se masturba... É isso e mais um pouco Dr.,estamos no inicio do nosso casamento e não estou gostando dele me esconder isso,fica mentindo,negando que faz,assim me faz algumas vezes desconfiar dele.O que fazer nessa situação,já que ele não quer diálogo?Isso me doi, me incomoda,me sinto traida,pois já que estou em casa na hora do ato,não teria p que ele se masturbar,era só me chamar,é normal ele sendo fiel,me amar e se masturbar eu estando em casa?porque não me procura,só eu tenho que procurá-lo?

    Claudia, 25 Anos - Ver Resposta

    Olá Cláudia.
    Necessariamente há alguma questão que não está bem para ele. Sei que muitas coisas passam pela sua cabeça, inclusive sobre seu corpo. Mas nem sempre a questão envolve o corpo. No entanto o leque de possibilidades de causas para esse comportamento dele, é enorme, por isso, o melhor é entender diretamente dele o motivo disso. É muito provável que ele não dirá, pois teme magoá-la. E como ele gosta de você, prefere guardar para ele o não está bem para ele. Por isso, seria muito interessante que um psicólogo pudesse ouvir vocês dois para entender o que está acontecendo.
    Em muitos casos como o de vocês, quando seu parceiro diz que a ama, é verdade. Porém amor e desejo sexual são coisas distintas, mas que podem ocorrer juntas ou não. Por isso, é provável que algo na relação não está bem para ele, o que pode ser alguma questão com você ou mesmo com ele, que diz respeito a vida dele.
    A coisas é complexa, mas não desista de tentar ver o que está acontecendo. Você já deu o primeiro passo, mandando esse e-mail, agora você precisa continuar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi Dr. Agradeço desde já pela atenção! Namoro há 8 meses, mas já me relaciono com meu namorado há 2 anos, quando o conheci ele era o fogo em pessoa, não nos viamos sempre. Até que começamos a namorar, foi nesse exato instante que nossa relação sexual começou a esfriar. Eu entendo que ele tenha que cuidar da empresa dele e que ele tenha muitas responsabilidades, mas não há o que eu faça que consiga deixá-lo motivado realmente, ele tem 33 e eu tenho 22, e me considero muito bonita. Ontem dancei para ele ... fiz carícias, massagem e nada... fomos deitar e ele veio com a pior conversa que eu poderia ter escutado naquela hora; ele citou um texto do Arnaldo Jabor que dizia que um homem quando perde o interesse sexual precisa transar com uma mulher fora do relacionamento "... mas é só sexo mesmo... " para voltar a vida ativa com a namorada, senti tanta raiva que acabei com ele, usei termos muito afencivos e posso dizer que até agora estou muito nervosa, não entendi o que ele queria quando disse isso e também não sei como agradá-lo, já tive vários indícios de que ele me trai, mas ele jura que nunca o fez... não sei o que fazer.... será que se eu der um gelo nele ele volta a se interassar por mim?!

    Carol, 25 Anos - Ver Resposta

    Carol, essa baixa no desejo sexual dela, necessariamente está mostrando que algo não está bem para ele. Isso pode ser em alguma questão pessoal ou mesmo com você.
    É muito comum as pessoas (homens e mulheres) imaginarem que basta ter um corpo bonito ou um rosto lindo que está garantido o desejo. Isso pode ser no começo do relacionamento. Porém, com o decorrer do tempo, o que contará mais são os comportamentos da pessoa. O corpo é importante, mas a longo prazo, são os comportamentos de pesam mais.
    Ele deve estar com dificuldades para falar sobre os próprios sentimentos, por isso é comum esses comportamentos de esquiva.
    Independente do que ele sente ou quer com você é importante que você se valorize.
    Ter uma conversa franca com ele será muito importante.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Gostaria de saber se existe algum remédio para falta de líbido.

    Fefe, 30 Anos - Ver Resposta

    Fefe, a falta do desejo sexual é um sintoma que mostra que alguma coisa não está bem. E é isso que precisa ser investigado para poder tratar.
    Os motivos podem ser dois: orgânico ou aspectos psicológicos. No primeiro é preciso ir ao médico para fazer exames para verificar alguns hormônios e se for contatado algo, o médico irá orientar. Quanto ao segundo, é preciso descobrir o que está causando esse sintoma. Aqui as possibilidades são várias, que pode ser algo relacionado a depressão, o estilo de vida, trabalho ou mesmo algo relacionado a pessoa que está com você. Nesse caso é necessário que você procure um psicólogo, de preferência especializado em sexualidade para ajudá-la a resolver esse problema.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Doutor, estou com um grande problema, tenho medo dos meus pensamentos, pode parecer uma coisa louca, mas é que eu tenho 20 anos e tenho um namorado que eu sei que ele gosta de mim e eu tambem gosto dele, e ele sente um desejo sexual enorme por mim, mas eu nao sinto o mesmo por ele, e tem outro detalhe, eu me sinto muito atraida pelo meu vizinho, e sei que ele me dá bola, sinto uma vontade enorme de ter relacao com ele, mas com o meu namorado eu nao sinto isso. O que acontece comigo doutor, eu queria sentir o mesmo interesse que eu sinto por este vizinho pelo meu namorado, mas nao consigo e o pior é que o meu vizinho é casado e tem filho, mas eu sei que ele tambem quer, só que não quero terminar meu relacionamento por causa disso, mas estou me sentindo muito mal, pois acho que estou traindo o meu namorado, e ele nao merece isso..Por Favor , me ajude!

    Lais, 20 Anos - Ver Resposta

    Oi Lais. Nem sempre a pessoa que está ao nosso lado, apesar de ser muito boa, necessariamente é por quem sentimos desejo. Normalmente isso gera muita culpa, pois "é uma pessoa boa, responsável, os pais gostam dela..."
    Sempre que casos como esse chega ao nosso consultório, ao investigarmos, encontramos questões mal resolvidas, comportamentos inadequados, coisas que a outra pessoa faz que não gostamos mas às vezes não conseguimos ver com clareza... Com o tempo, essa situação gera um aumento na vontade de conhecer outras pessoas.
    Muitas vezes quando o casal conversa, e é exposto o que não está bem, já é o suficiente para a pessoa mudar. Outras vezes não é tão simples, e se a idéia manter o relacionamento, então sugiro que procurem um psicólogo para ajudá-los.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • olá dr, tenho 45 anostive um relacionamento de 20anos, desse nasceram dois filhos.Hoje sou casado com outra pessoa mais nova que eu 15 anos, porém no inicio do relacionamento brigavamos muito e até hoje continua. ela insiste em trazer para dentro do nossa relação meu relacionamento anterior. com relação a nossa vida sexual era uma maravilha me sentia um verdadeiro garanhão, com relações bastante frequentes, chegando a fazer amor 3 vezes ao dia.hoje se resume a 1 vez em cada 15 dias dai cobro com muita insistencia a frequencia de antigamente.Dai eu pergunto è normal esse comportamento de um casal que se amam?
    por favor.

    Julio, 45 Anos - Ver Resposta

    Oi Julio.
    Amor e sexo são coisas diferentes e não necessariamente precisam estar juntas. Usar o termo “amor” como referencial para a freqüência sexual não é bom nem correto. Duas pessoas podem se amar muito e não fazerem sexo na mesma proporção (se é que dá para medir isso).
    A freqüência sexual reduz com o tempo da relação, o que é normal, já que outros valores e contingências vão surgindo no relacionamento no decorrer do tempo.
    Não podemos esquecer que o tempo e as necessidades de cada pessoa podem ser diferentes do tempo da outra pessoa. Para alguns, fazer sexo uma ou duas vezes por semana está muito bom, para outros, uma ou duas por mês está bom. Somos diferentes e isso precisa ser respeitado.
    Mas (há sempre um, mas), é preciso analisar cada situação: você descreve que existe um conflito na relação de vocês, e isso pode estar contribuindo para o desejo sexual dela estar menor. Provavelmente o desejo sexual dela está ligado a esse conflito e, mudará quando essas questões conflitantes (para ela) forem resolvidas.
    Caso isso não seja resolvido, terá o efeito "dominó", afetando, como o tempo, o seu desejo, pois assim como está, você não se sente o "garanhão", o que é muito importante para você.
    Antes que isso tome proporções maiores, seria importante que vocês procurassem a ajuda de um psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Conheco meu marido a 1 ano e nós estamos casados a 6 meses. O problema é que ele nao quer mais fazer sexo comigo. Dois meses depois do casamento ele ja comecou a diminuir a frequencia. A última vez foi a 4 meses. O que nao entendo é que ele se masturba todos os dias escondido. Mas se eu o tocar ele fica nervoso, nao quer de jeito nenhum. Ele tem 50 anos,e tem um apetite sexual normal. A questao é que ele nao quer fazer comigo. Prefere se mastubar todos os dias a ter relacoes sexuais comigo. Isso me frustra totalmente. Me sinto um lixo e eu nunca tive problemas com sexo. Qualquer coisa ja fico lubrificada e sempre chego ao orgasmo. Ele diz que me ama tanto e que é esse amor que está atrapalhando. Nao entendo nada.

    Luciane, 29 Anos - Ver Resposta

    Luciane, por mais estranho que possa parecer isso é mais freqüente que se imagina. É muito comum aparecer essa queixa no meu consultório.
    Mas será preciso entender o que está causando isso, e para tanto será necessário entender o que acontece nessa relação, como ela está configurada, qual a participação de cada um nesse caso para então ajudá-los a resolver.
    Entendo como isso é desagradável e até humilhante para você, afinal, parece que sua sexualidade é muito boa. Nessas condições será muito difícil levar essa relação adiante por muito tempo de modo saudável onde ambos cresçam.
    Sugiro que vocês procurem um terapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa noite doutor.Bem não sei muito bem como começar,mas vou tentar.Sou casada há 12 anos,com meu primeiro namorado,sempre tivemos uma relação gostosa,e de 1 ano e meio pra ca,não tenho vontade nenhuma de fazer amor,nem com ele e nem com ninguem.Sempre fui carinhosa,atenciosa e sempre dei o meu melhor,e tambem sempre cobrei atenção e carinho dele,pois até o simples selinho que sempre cobrei,não tenho.Mas como ele trabalha demais,acha que eu tenho que entender,e aceitar pois alem de ts isso,diz que é o jeito dele.Temos 2 filhos,engordei um pouquinho,quer dizer,para quem tem 2 filhos,me considero bem.Mas ele resolveu pegar no meu "pé" e até chegou a dizer que se daqui alguns anos eu estiver assim,vai me deixar.Devido a tudo isso cheguei a pensar que eu deveria me dar o valor,e me separar,mas não me vejo sem ele,na verdade tenho acho que mistura um pouco de dó,que ele fique sozinho,mas qdo penso que ja passaram alguns anos e realmente ele não mudou..ah não sei,gostaria da sua ajuda.POR FAVOR!!!

    Amanda, 29 Anos - Ver Resposta

    Olá Amanda, parabéns por você procurar ajuda para resolver o que não está bem.
    Com base seu breve relato, parece que a questão do desejo sexual, o "não se valorizar", o excesso de trabalho dele e a questão do sobrepeso, são sintomas, que estão mostrando que a relação de vocês não está bem.
    Tais sintomas não aparecem de um dia para o outro. Ao longo do tempo, algumas insatisfações, problemas e inadequações ocorreram e vocês não deram a devida atenção para solucionar. Porém isso gerou conseqüências que hoje se encontra numa proporção que é visível e incômoda a vocês (que são o que chamei de sintomas), para então você procurar ajuda.
    Muito provavelmente vocês precisarão da ajuda de um profissional, pois, mexer nessa estrutura que foi construída ao longo de 12 anos, não será fácil. Nesse processo cada um tem responsabilidade para a melhoria, o que significa que será necessário entender os mecanismos dessa relação e os comportamentos de cada um dos de vocês dois.
    Você falou em separação como uma possibilidade de resolver o problema. De fato não sei se essa é a melhor alternativa, pois se seus comportamentos - que também contribuíram para a relação chegar aonde chegou - não forem mudados, muito provavelmente você vai repeti-lo na próxima relação.
    Como sugeri acima, penso que você vai se beneficiar muito da ajuda de um psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada a um ano e meio com meu segundo marido... estamos juntos a 3 anos ao todo.
    Estou enfrentando uma fase muito dificil, pois ele nao sente desejo por mim, nao me procura para fazer amor, seu " selinho" ja nem sentimento tem mais e os beijos quentes ja a muito tempo nao temos.
    Fazemos sexo uma vez por mes apos muita conversa com ele dizendo sobre minha necessidade.Oque acaba sendo sempre apenas a satisfaçao dele.
    Ele diz que meu jeito de ser no dia a dia afasta ele e que meu corpo nao o atrai, pois sou gordinha e ele me quer magrinha.
    Ja nao sei o que fazer...Me ajude por favor..!!!

    Adriana, 29 Anos - Ver Resposta

    Adriana, de fato, em muitos casos de inibição do desejo, quando não existem questões orgânicas, ao analisarmos vamos encontrar causas no comportamento da outra pessoa que pode estar influenciando no desejo da parceria.
    É cômodo apenas dizer que o problema está em você, que está acima do peso e outros comportamentos que ele não gosta. Pode ser isso, mas se a o desejo não se separar, é preciso encarar a situação de maneira séria e juntos procurarem soluções para isso.
    O sintoma, inibição do desejo sexual, normalmente não vem sozinho, sempre vamos encontrar outros aspectos que também precisam de atenção.
    Por isso, sugiro que vocês procurem um terapeuta sexual para investigar o que de fato está acontecendo e quais as participações de cada um dos dois nesse caso.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Gostaria de uma orientação ... Mesmo gostando muito do meu ex-namorado por diversas vezes eu não tinha lubrificação vaginal, o q dificultava bastante na hora da relação. Achava q poderia ser pq ele não fazia mais sexo oral e ate começei acreditar q não o desejava mais. Porém, passado um tempo nós terminamos e voltei com meu ex-noivo e agora qnd temos relação as vezes tb não tenho lubrificação, mesmo com sexo oral. O q pode ta ocorrendo? Como resolver? Obrigada!

    Eduarda, 26 Anos - Ver Resposta

    Eduarda, é muito comum as pessoas acharem que amor e desejo sexual andam juntos. Não é verdade. São duas coisas diferentes que tem suas funções bem definidas. Elas podem estar juntas na relação, mas não é condição obrigatória.
    Pelo que você descreve, parece que apesar de você achar que o "amava" não existia desejo sexual. A questão do sexo oral é apenas um detalhe que já se confirmou que não tem sustentação, pois na relação com o atual parceiro, mesmo recebendo o sexo oral o problema continua.
    Será preciso que um psicólogo (de preferência um que seja terapeuta sexual) investigue o que está acontecendo com você para estar apresentando essa dificuldade como desejo sexual. Sem desejo não há excitação. Sem excitação não há lubrificação (nos homens não há ereção).
    O que está acontecendo com você precisa ser analisado, pois sem dúvidas esse sintoma está mostrando que há questões na sua vida que precisam de cuidados.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá dr. claudecy. Estou passando por um problema muito difícil, tenho 29 anos, e minha esposa também, e estamos juntos há 12 anos, e faz 05 meses que não temos relações sexuais, ela diz que não sente vontade, perdeu o desejo, ela fala que não me vê como marido, devido a coisas que passaram de infantilidades minha. Parece que ela ainda gosta de mim, mais sem o sexo não há casamento. Ela me trata muito bem, mas como amigo, e fala para eu não pressioná-la, mas eu não suporto mais. Estou desesperado. E o pior é que estou vivendo na Espanha, e aqui não sei se vou ter ajuda. Se puder me diz o que fazer. obrigado!

    Augusto, 29 Anos - Ver Resposta

    Oi Augusto. Muito boa a sua questão.
    É desagradável estar numa relação e saber que a outra pessoa não tem desejo por você.
    Porém, é importante saber que se isso acontece é porque algo desencadeou isso, ou seja, existe uma causa. Você comenta que ela disse que isso é devido aos comportamentos infantis da sua parte. Isso é muito possível.
    Você diz que parece que ela ainda gosta de você e o trata bem, mas não tem vontade de fazer sexo. É importante entender que sentimento de amor, de gostar, de ter respeito são coisas separadas de sexo, são sentimentos diferentes, que podem ocorrer juntos ou não.
    Eu escrevi um texto com o título: Por que o desejo sexual acaba. Se desejar ler vá em http://www.claudecy.com.br/site/saiba_mais_interna.php?i=39 que fala disso dessa sua situação.
    De fato, estar numa relação de dessa maneira não é saudável para os dois.
    Mudanças comportamentais precisarão existir. Pois se foram alguns de seus comportamentos que gerou o desinteresse sexual dela, isso significa que tais comportamentos precisarão ser mudados, porém não existe a garantia que ela volte a desejá-lo, não sabemos o quanto de “estrago” seus comportamentos pode ter causando. Há um filme que mostra muito bem esse caso: Separados pelo casamento.
    Há um outro lado também muito importante, que por mais que você queira mudar, pode ser que não consiga ver quais comportamentos precisam ser mudados e como mudar. Por isso, penso que ter a ajuda de um psicólogo possa ser muito útil.
    Existe o outro lado que é o dela, que também precisa ser ouvido e entendido para ajudar nesse processo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Namorei 9 anos e sou casada há 6 anos. Durante o namoro tivemos uma otima relação sexual. Logo que casamos, durante a lua de mel, não tivemos relação sexual e daí em diante foram pouquissimas vezes que transamos. Há 01 ano descobri que estava com outra mulher e tendo ,com certeza ,uma vida sexual intensa. Qual é o problema dele? Acabou o amor e a atração por mim? Porque ele não consegue transar comigo ou terminar o nosso casamento? Ele disse que ama-me muito e tem dificuldade de transar comigo, pois tem medo de "quebrar-me". Além disso tem extrema dificuldade de conversar sobre isso. Favor dê-me uma opinião.

    Patricia, 40 Anos - Ver Resposta

    Olá Patrícia. É muito desagradável viver dessa maneira. Mas pelo seu relato parece que a relação já há algum tempo não está boa, pelo menos desde a lua de mel.
    Você diz que descobriu que ele tem outra, e me questiona: "Qual é o problema dele? Acabou o amor e a atração por mim? Porque ele não consegue transar comigo ou terminar o nosso casamento?" Perceba que você está atribuindo a ele determinadas funções/atitudes e está esquecendo de você, esquecendo de seus sentimentos de sua satisfação na relação, esperando que ele decida. Com isso você está se colocando em segundo plano.
    Ele tem o direito de ter uma amante, mas cabe você decidir se aceita ou não essa condição. Muito provavelmente por causa da sua passividade ele continua a se comportar dessa maneira com você. Sei que minhas palavras podem estar causando dor e mal estar em você, mas é preciso que você mude seus comportamentos.
    Eu confesso que fiquei com dúvidas quando você diz, que de acordo com ele, ele não transa porque tem medo de “quebrar você”. Você pode me explicar o que isso significa?
    Independente da idéia dele, o que isso me sugere, é uma tentativa de argumento bastante infeliz.
    Penso que você começar se valorizar seja o primeiro passo. Tomar as decisões necessárias sem esperar (mais do que você já esperou) que ele um dia resolva fazer algo, também será importante.
    Por outro lado, é importante investigar se existem comportamentos em você que possam ter desencadeado essa situação. Caso você não consiga fazer essa análise sozinha, procure um psicólogo para ajudá-la.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • dr. tenho 53anos sou casado com uma mulher de 27anos a 4anos no principio faziamos sexo todo dia eu sempre gostei de fazre sexo faz coisa de 6meses que minha mulher não sente mais vontade de fazer sexo segundo ele não sente vontade de fazer com minguem eu tento por mais que eu fassa não adianta ela não fica ecitada esta sempre seca pode uma mulher de 27 anos não gostar de sexo. sou carinhoso faço preliminar o tempo que ela quer como posso fazer

    Antonio, 53 Anos - Ver Resposta

    Oi Antonio.
    Vamos partir do princípio que não é normal. Porém, todo resultado (sintoma) tem sua causa. O que precisa ser feito é investigar o que está acontecendo. Pois se ela está manifestando essa dificuldade, com certeza existe um por que.
    Sugiro que ela vá há um terapeuta sexual para ver o que está acontecendo.
    Muitas coisas podem estar causando isso, como problemas particulares, preocupações, cansaço, seus comportamentos que ao seus olhos podem esta bem mas para ela não... na conversar com profissional isso poderá ser investigado e solucionado.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy, Meu marido e super ativo ele tem 33 anos e eu 32 somos casados à quase 3 anos e um filho de 2 anos. Resumindo não tenho vontade de fazer sexo, porque me sinto muito cansada, trabalho, chego pego meu filho e depois vou fazer meus trabalhos domesticos e fico cansada e somente penso em cair na cama...e com muito cansaço começo não sentir desejo e isso está acabando com meu casamento gostaria que me desse uma ajuda, por que amo muito meu marido e não queria que acaba-se o meu casamento por isso.

    Edna, 32 Anos - Ver Resposta

    Oi Edna.
    Todos nós temos nossos limites físicos. Quando nós desrespeitamos tais limites, nosso organismo demonstra isso das mais variadas formas.
    No seu caso, uma dessas manifestações é na sexualidade. Mas com certeza tem mais coisas aí.
    Não existe mágica. Será preciso você rever seu estilo de vida, sua agenda, dividir melhor os afazeres e procurar um tempo para você fazer algo para você, se cuidar, se arrumar para você e para seu marido.
    A participação dele será muito importante nesse processo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. Claudecy, bom o meu marido é super ativo também ele tem 21 anos e eu tenho 20 anos somos casados a 3 anos e temos uma filha de 1 ano e 4 meses!!! Bom resumindo, por ele faríamos sexo todos os dias da semana!!! mais eu não sei o que acontece comigo eu não tenho vontade!!! Sinto muito cansaço devido ao emprego estressante que tenho!! E quando chego em casa, vou para o fogão depois fazer alguns afazeres domésticos, e quando termino a única coisa que quero é cama!! Por que sinto muito sono!!! Ele reclama muito porque não o procuro, e a gente acaba brigando, já terminamos algumas vezes devido a esse problema!! Eu queria saber o que fazer para resolver o meu problema!!

    Aline, 20 Anos - Ver Resposta

    Olá Aline. Que situação desagradável.
    Será que alguém conseguiria ter desejo sexual e ter sexo com prazer na sua situação? Acredito que não.
    Você está gastando toda sua energia com o estresse e cansaço do serviço, além disso afazeres de casa, cozinhar, lavar, arrumar e ainda precisa estar em forma para dar atenção ao marido, que pelo que você descreve pouco ajuda em casa com os afazeres além de parecer sempre estar pensando só nele, só no prazer dele, esquecendo totalmente de você.
    Para você ter desejo sexual, ter prazer na relação será preciso mudar essa estrutura que vocês construíram. Você precisará de tempo para você, para se cuidar, para ser vaidosa, para se produzir. Tempo para descansar. Com isso, necessariamente seu marido precisará mudar também, precisará respeitar seu espaço e limite, precisará ajudá-la nos afazeres da casa.
    Claro que essa mudança não é fácil, vocês precisarão ter um diálogo franco e bem aberto, estabelecendo regras, dividir as atividades de casa e se respeitarem, caso contrário, ficará difícil pensar que essa relação irá durar.
    Uma terapia pode ajudar vocês nessa tarefa difícil e delicada.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Dr. namoro a 2 anos durmo na casa dele +ou_ 3 vezes por semana nao sou feia me sinto atraente e nunca tive problemas com outros relalionamentos ,ele nunca foi de muito sexo nunca fizemos mais de uma vez ao dia e no maximo 3 vezes na semana,mas o problema se agravou pois estamos passando messes sem tranzar,eu procuro e ele sempre arranja uma desculpa ...eu ja tentei conversar e ate sugeri um medico mas ele se recusa e eu estou em uma situacao dificil pois ja nao o amo ,mas tenho respeito por ele e nao o traio.....nao consigo entender as vezes acho que ele me trai ou e gay.....obrigada

    Helena, 24 Anos - Ver Resposta

    Oi Helena. Obrigado por visitar o site.
    Muitos fatores podem estar envolvidos nessa situação. Você falou da sua aparência e diz que nunca teve problemas com isso. Que bom. Porém, é importante que você saiba que a aparência conta pontos sim para atraiar a outra pessoa, mas isso tem um efeito maior no começo da relação na qual estão sendo feitos os jogos de sedução. O que vai ter um peso maior serão os comportamentos da pessoa, que podem aproximar mais ou afastar. Veja seu exemplo: você diz que não o ama mais, que não o trai (ainda) por respeito. Por que isso aconteceu? Muito provavelmente por causa dos comportamentos dele. Você insistiu muitas vezes, se ensinuou, tentou seduzir, como não teve respostas favoráveis, com o tempo resultou no que você está sentindo agora. Causa e efeito.
    Há também o lado dele. Às vezes a pessoa está muito envolvida com o trabalho, estudo ou qualquer outra atividade que o faz se sentir muito cansado, estressado e o tempo e disposição física não o permite se dedicar ao relacionamento como deveria. Nesse caso há a necessidade de uma revisão nas prioridades da pessoa.
    Você levantou a possibilidade dele ser gay. Também não podemos descartar. Se essa for a situação, o que resta a você é apoiá-lo e você seguir seu caminho. Essa é uma situação muito difícil para o homem, pois vivemos numa sociedade preconceituosa e admitir ser gay é muito delicado.
    É importante também entender qual é o modelo de relacionamento para ele. Pode ser que fazer sexo três vezes por semana seja até muito. Se assim for, esse é o referencial dele. Para você é outro referencial. Não tem certo nem errado, não tem um modelo padrão.
    Há muitas possibilidades, mas o importante nesse momento é cada um respeitar o próprio sentimento. Se ele não está "priorisando" a relação como seria importante para você, mas está bom assim para ele, respeite-o. Do mesmo modo você deve respeitar seu sentimento, se assim não está bom, então reveja se vale a pena continuar nessa relação.
    É saudável que não se tome nenhuma decisão antes de um diálogo sincero.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • por favor me ajude!!!!! estou casada há 4 meses, e meu marido só me procura na média de 15 dias, as vz ficamos até mais....reclamo para ele e ele diz q é cansaço. namoramos 5 anos e ele sempre foi devagar,mas com a nossa casa achei q as coisas iam melhorar e até pioraram. ele é muito os amigos, sempre quer a companhia de algum , fica preocupado com eles e já cheguei a desconfiar q ele é gay. hj faz 16 dias q estamos se sexo e ele apareceu com uma raladinha na ponta do penis, estou muito desconfiada. é normal um homem de 30 anos agir assim?vejo q ele nunca me olha com desjo, posso compar a lingerie mais linda.e outra coisa q percebo, ele gosta de me mostrar e não tem um pingo de ciumes,nunca pergunta o q eu fiz,fala q tenho q malhar mais...e olha q todo mundo fala que sou bem bonita,e ele fala q estou gorda com celulite,por favor me ajude, estou desesperada, acho até q estou com depressão, pois não paro de chorar

    Fernanda, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Fernanda, entendo sua situação.
    Porém se essa situação está te atrapalhando, ou mesmo tornando sua relação insatisfatória, é preciso conversar com ele mostrando que desse modo você não está feliz.
    Sei que deve passar muitas coisas pela sua cabeça como, se ele é gay ou mesmo se você não é mais atraente para ele. Essas questões são muito amplas e precisam ser discutidas.
    A questão do desejo é muito particular, não basta ser bonita(o), mas sim um conjunto de comportamentos que faz a outra pessoa, que convive dia a dia, ser atraída ou não.
    Penso que ele também não está se sentindo bem nessa situação. Seria interessante se vocês puderem conversar com um psicólogo para entender a dinânica do casal e poder ajudá-los.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Sou casada a 3 anos, tenho 25 anos e meu marido tem 24. Nos damos bem na cama, o problema é que não tenho vontade de sexo, não o procuro, e ele reclama muito disso. Para mim, se não tiver sexo, tudo bem. Eu quero resolver isto, quero ter mais desejo, ter vontades fora de horários 'padrões', quero surpreênde-lo. Preciso de ajuda, já li várias matérias sobre o assunto. Não sei se estou errada, mas acredito que preciso da ajuda de um especialista, senão sinto que meu casamento pode acabar. Gostaria que me indicasse algum especialista que faça parte do CEPCoS.

    Anonimo, 25 Anos - Ver Resposta

    Olá. De fato, esse comportamento mostra que algo não está bem com você. Desse modo, dificilmente sua relação irá adiante. Sugiro que vá em frente com sua idéia de procurar um especialista em sexualidade. Pois há muito que ser investigado para descobrir a causa dessa sua dificuldade.
    Quanto a ser alguém do CEPCoS, nós não temos membros em SC. Por que vc faz questão de seja alguém do CEPCoS?

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá doutor Claudecy, quero primeiramente parabeniza-lo por este importante trabalho que ajuda muitas pessoas a esclarecer duvidas e até em momentos de crise; O homem pode perder o dejeso pela esposa por ela estar um pouco acima do peso?

    Cris, 24 Anos - Ver Resposta

    Oi Cris. Ele pode sim perder o desejo. Porém, há vários outros fatores que contribuem para isso. Normalmente não é um comportamento isolado que leva a pessoa a perder o desejo, mas sim um conjunto de comportamentos, que juntos, causam o desinteresse.
    Conversar e procurar saber o que de fato está acontecendo eé um grande passo. Se sozinhos vocês não conseguirem resolver essa questão, procurem um psicólogo.
    Por outro lado, uma pessoa quando começa a ganhar muito peso, é sinal de que algo não está bem e também precisa de atenção.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tenho 28 anos e sou casada ha 6 meses com um americano de 24 anos. Nos estamos ainda naquele periodo em que temos briguinhas bestas por qualquer motivo, mas eu o amo muito e ele sempre diz que sente o mesmo por mim e que a gente vai se adaptar e tudo... So que o problema e que o acho pouquissimo ativo sexualmente e isso me incomoda muito! Tem horas que eu acho que ele tem muito menos maturidade sexual que eu, pois faz umas brincadeiras que eu nao gosto na hora do sexo. Tem um jeito meio infantil demais... Entao eu nao sinto vontade de seduzi-lo e ele tambem nao me procura... Estamos ha 1 mes sem ter relacoes e hoje conversei com ele e ele diz que essas briguinhas, o cansaco e tudo o mais o fazem perder o desejo... Mas poxa, ele so tem 24 anos! Sou bem realista e afirmo com o maximo de seguranca de que o problema nao e outra mulher, porque sei exatamente dos passos dele. Mas tudo isso me faz sentir carente e nao sei o que fazer... O que poderia causar baixa libido num homem tao jovem? Obrigada!

    Priscila, 28 Anos - Ver Resposta

    Olá Priscila.
    Você usou o termo adequado: imaturidade. Pelo que você decreve parece que no aspecto emocional/sexual, ele ainda precisa se desenvolver mais.
    De fato isso faz você ficar com seu desejo inibido. Por outro lado, esses conflitos, as cobranças, o clima ruim que se forma, acabam comprometendo a relação e consequentemente o desejo.
    Ele comentou com você que anda cansado, isso é motivo para em muitos relacionamento a o sexo seja colocado de lado. O motivo é simples: falta de tempo para pensar em sexo, para se dedicar a esse assunto, e claro que a consequência é um desencontro entre o casal na questão sexual.
    É bom observar que para algumas pessoas o "estar cansando (a)" pode ser um argumento forte para não fazer sexo (mesmo acontece com a dor de cabeça, precisar ficar até mais tarde no serviço...). Na verdade esses recursos para evitar o que não se quer. E aí então nos deparamos com um problema. Mas isso é um sintoma, é uma maneira de mostrar que algo não está bem. Pode ser simplesmente porque a pessoa não encontra tempo apra se dedicar ao assunto sexo, como pode ser que alguns comportamentos da outra pessoa, nesse caso você, que o desestimula a querer sexo.
    Priscila, será preciso muito diálogo aberto e sincero entre vocês, na qual cada um colocará as coisas que gosta e não gosta no outro, e o que é preciso para ser escitado (o). Somente assim será possível o amadurecimento da relação.
    Porém como essa não é uma atividade fácil, caso não consigamo resultado desejado, procure ajuda de um psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Por favor preciso tanto de sua ajuda, sou casada a quase sete anos,e durante esse periodo o sexo sempre foi maravilhoso entre eu e meu esposo, ando muito preocupada, acho que ele não sente mais desejo por mim, pois quase nunca me procura,chegamas a ficar tres meses sem fazer amor, nas tres ultimas vezes que tentamos ele munca chega ao fim, não ejacula, e perde a erreção. Isso é terrivel, porque antes era perfeito. Será que ele não me ama mais? Será que tem outra? sSerá que sente repulsa por mim? Ele foge do assunto quando tento conversar. por favor me ajude , me dê um conselho, será que meu casamento está acabando?

    Cris, 24 Anos - Ver Resposta

    Olá Cris.
    Eu imagino que você deve estar muito mal por causa disso. E não é para menos, pois isso deve mexer direto com sua auto-estima.
    Esses comportamentos do seu marido, são na verdade sintomas, que etão mostrando que algo não está bem. O que está causando isso, não temos como dizer sem conversar com ele. Todas essas possibilidades que você levantou como causa, não podemos discartar, mas também não temos como afirma.
    Por mais que ele fuja desses assunto, será necessário muito diálogo aberto para entender o que está acontecendo. Brigar com ele, colocá-lo contra parede, ficar com melndres, não ajudará em nada para ele se soltar e expor o que está acontecendo.
    É comum que pessoas muito cansadas, estressadas, preocupadas tenham dificuldades em relação ao desejo e/ou ereção. Afinal, elas não têm tempo para pensarem em sexo, para se dedicarem a assunto.
    Por outro lado, também precisa ser investigado se existe alguma coisa em casa, na relação com você, que talvez esteja contribuindo para essa questão. Muitas vezes não percebemos que nossos comportamentos geram consequências no outro, como por exemplo a perda do interesse sexual.
    Ficar como está é que não pode. Por isso, mesmo que ele se recuse de todas as maneiras resolver essa questão, é importante que você olhe para você, que cuide do seu bem estar.
    Caso vocês não consigam resolver isso sozinhos, procurem ajuda de psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tinha um enorme desejo pelo meu noivo, queria estar o tempo todo ao lado dele e fazer amor varias vezes.De uns dias pra cá, meu desejo diminuiu e não faz diferença se eu ver ele ou não!Estou sofrendo, porq ele faz de tudo pra me agradar e me estimular, tenho medo de não ser um sentimento passageiro, pois ja está tudo pronto pra casarmos!Tomara que seja tpm ou algo assim, porq não tenho motivos de jogar tudo pro alto!

    Liliane, 21 Anos - Ver Resposta

    Liliane, é muito importante ficarmos atentos a alguns sintomas, pois eles mostram para nós que algo não está bem.
    Sei que te assusta a idéia de terminar, mas se sua intuição tiver certa, você vai preferir viver infeliz ao lado de uma pessoa que não deseja sexualmente?
    Não estou afirmando ser esse o caso, mas investigar isso juntamente com um psicólogo pode ajudar muito.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • nao sinto mais vontade de manter ralação com meu marido. e quendo tenho que manter minha vagina fica dolorida. e durante o ato eu sinto vontade de tira lo de cima de mim. ultimamente ando muito deperssiva, e também tenho com frequencia candidiase. por favor me ajude. o que preciso fazer eu gosto do meu marido, mas nao sinto nenhuma vontade. nao sei qual é o problema, nao sei se sou eu ou ele, nao sei se preciso procurar um psicologo.. por favor me ajude pois minha vida nao esta muito boa, poi, meu marido reclama muito. obrigada

    Fatima, 26 Anos - Ver Resposta

    Oi Fátima.
    Pelo seu relato temos duas questões para ser tratadas separadamente: a candidíase e o desejose sexual.
    Quanto a candidíase procure um ginecologista, é fácil tratar. Conte que você tem com frequência, provavemente sua imunidade deve estar baixa.
    No que diz respeito a sexo, muitas vezes não respeitamos alguns limites que nosso organismo nos mostra. Ter que fazer sexo apenas por fazer, para cumprir o papel de esposa ou marido, é muito desagradável. Se não há desejo não há vontade de fazer sexo muito menos prazer.
    É preciso investigar o que está acontecendo com você no aspecto psicológico, pois também existe a depressão envolvida. Continuar a relação com seu marido, do modo como está, só piorará a situação.
    Procurar um psicólogo vai ajudá-la a descobrir as coisas que estão desencadeando tudo isso, e desse modo será possível cuidar de você para que viva de modo saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Claudecy! Sou casada há quase 6 anos. Eu e meu marido mantinhamos relações sexuais uma ou duas vezes por semana, só que a mais de um ano eu que tenho de está sempre procurando-o na cama. Há mais de um mês que ele deita na cama e dorme, quando tento fazer carinho não aceita, me trata com grosseria. Já tentei conversar para saber o que está acontecendo, mas ñ se abre para mim. Ele frequenta muito essas salas de bate papo, depois vai dormir. Acho que não sente mais desejo por mim. Gostaria de saber se tem como reverte essa situação, ou não.

    Josilene, 28 Anos - Ver Resposta

    Josilene, entendo que essa situação está deixando você muito triste.
    No entanto, é preciso que vocês conversem sobre o que está acontecendo. Pois a cada vez que você tenta o diálogo e não consegue, e depois deixa pra lá, ele está aprendendo que é assim mesmo, que não precisa mudar.
    Você é quem precisa mudar seus comportamentos diante dessa situação, pois dessa maneira, você não está priorizando você.
    Por outro lado, é importante investigar, e provavelmente você precisará da ajuda de um psicólogo, para saber se existe alguma coisa em você - que ele não fala - mas que esteja contribuindo para ele não desejar ter relações com você.
    Há também a possibilidade de ser algo com ele.
    Mas é importante que você saiba que tem como resolver isso, basta procurarem um especialista para ajudá-los.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Estou precisando de ajuda... Não sei o está acontecendo comigo, tenho um namorado q amo muito e estamos a 7 meses.... Só q eu não sei o q acontece comigo, q não sinto prazer... e por não sentir eu não o procuro e ele reclama disso, faço sexo pq ele me preocura, mas não sinto quase prazer... Fico me perguntado o q acontece, ser q é um trauma, pois antes dele eu fiquei mais de um ano sem me relacionar com ninguém... como eu queria resolver esse problema e me sentir melhor.

    Marcia, 27 Anos - Ver Resposta

    Oi Marcia.
    Gostar da pessoa é diferende de desejar sexualmente a pessoa. A maioria das pessoas não sabem disso, e por isso que se angustiam numa relação que a outra pessoa é boa, amiga, tem ótimas qualidades porém não se sente desejo sexual por ela. Falta admiração sexual.
    É preciso entender quais comportamentos estão inadequados. Do mesmo modo como é importante respeitar esses sentimentos, pois ignorá-los pode trazer consequências ruins, como brigas, perda do respeito, agreções e até mesmo dor na relação sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde dr! sou homem sou bonito jovem 34 anos e minha mulher exelente pessoa tem 50 anos. De uns meses para cá não sinto mais desejo por ela, fazemos sexo só quando não tem mais jeito, digo que estou com dor, cansado sempre me esquivo, o que pode estar acontecendo? Mas sinto muita vontade de me masturbar, a pressão é demais o que faço?

    Edson, 34 Anos - Ver Resposta

    Oi Edson.
    É preciso entender o que está acontecendo. Muitas vezes o desinteresse sexual ocorre em função do cansaço físico. Mas pode surgir também por fatores psicológicos bem como alguns comportamentos da outra pessoa que desencadeiam o desinteresse.
    Amor e sexo são coisas distintas. O sexo pode ocorrer de modo intenso, você amando ou não a pessoa. Mas sem o desejo sexual, fica muito difícil manter a vida sexual saudável.
    Investigar qual a origem pode ajudá-lo a resolver essa questão. No entando, esse desinteresse, que é um sintoma, está mostrando que algumas coisas não estão bem com você e/ou a relação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Eu namoro a mais ou menos 1 ano, a algum tempo, meu namorado vem em cobrando, diz que eu não sinto desejo por ele, que eu não o procuro, mas nem tudo nisso é verdade. Eu sinto desejo em relação a ele, nem sempre chego ao orgasmo, mas sinto prazer quando temos uma relação. Mas não é todo dia e nem toda hora que eu estou disposta a fazer sexo, geralmente fatores como a correria do dia a dia diminuem o meu desejo, temos relações de 3 a 4 vezes por semana, mas ele quer todo dia, e me cobra por isso, eu acho que ele quer sexo demais e ele acha que eu quero de menos, o que devo fazer?

    Silvia, 25 Anos - Ver Resposta

    Olá Sílvia, parabéns por buscar esclarecimentos.
    Essa questão da freqüência sexual, normalmente perturba muitas pessoas. É importante dizer que não existe uma freqüência certa, na qual quem não o seguir significaria ter problemas.
    A boa freqüência é aquela que agrada os dois. Pelo que descreve, vocês têm relações de 3 a 4 vezes por semana, o que já é uma quantidade acima da média das pessoas.
    Pelo que você fala, ele quer sexo todos os dias, assim, parece que ele não dá tempo para você procurá-lo para sexo, desse modo, quem sabe, isso signifique ele que você não o deseja.
    Tem um outro lado que não ficou claro para mim: se às vezes que você tem relações está com vontade ou faz para agradá-lo. Se for o segundo caso e isso é freqüente, é importante rever essa questão.
    Quanto ao orgasmo que você diz que não atinge sempre, se te incomodar ou ao parceiro, quem sabe seria muito importante você procurar uma ajuda de um terapeuta sexual.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Claudecy! Eu e me marido estamos com alguns problemas. Ele não tem interesse sexual por mim como eu desejo. Eu tenho muita vontade, porém nunca tive orgasmo com a penetração. Tento demonstrar meu interesse, mas ele parece fugir. Tentei conversar com ele diversas vezes, mas ele sempre diz que pra ele tá tudo bom, e diz que estou cobrando dele. Me sinto péssima e isso acaba me bloqueando mais. Estou com muito medo que isso destrua nosso casamento. E além disso, eu vivo sofrendo por causa da desconfiança. Já achei várias vezes camisinha nas coisas dele, e não usamos. Ao mesmo tempo que tenho certeza que ele não está me traindo, pois ele nem teria como, me aparece uma desconfiança enorme. Chego a ter crises obssessivas. Estou até me tratando com psiquiatra. Não consigo entender. É muito estranho porque o interesse dele é igual sempre. Quando namorávamos era diferente. O que achei estranho é que o interesse dele é igual tanto durante as épocas de trabalho como nas épocas de férias, quando passamos o mês inteiro juntos. Fico pensando que se ele tivesse uma amante o interesse dele nas férias iria aumentar. Tá díficil de entender.... não sei porque ele tem que andar com camisinha.... Já tentei dialogar sobre isso, mas ele diz que estou invadindo a individualidade dele e fica muito bravo. Diz que sempre andou com camisinha. Já pensei até que ele está me testando ou querendo demonstrar sua masculinidade agindo assim. Sou mais nova que ele, tenho 24 e ele 37 anos. Percebo que isso o incomoda um pouco. Queria muito que fizéssemos um tratamento juntos, porém acho que ele vai relutar muito.

    Cristiane, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Cristiane.
    Viver numa relação dessa maneira é muito ruim mesmo. Além de não promover o crescimento do casal a vida pessoal também acaba sendo afetada.
    Você fala de situações na relação que mostram que não é só o aspecto sexual que não está bom, por isso é importante trabalhar essa relação como um todo.
    Quando você fala que seu marido não tem interesse sexual por você, é preciso investigar quais motivos levaram a esse desinteresse, se tem comportamentos em você que contribuíram para isso. E sabe Cristiane, essas são questões que não são fáceis de serem tratadas pelo casal, pois geram dor, sofrimento e muito descontentamento.
    Quanto à anorgasmia, esse é uma questão que precisa sim ser tratada, pois além de não ser bom para a mulher, é importante para o homem perceber que sua parceira compartilha com ele essa sensação maravilhosa.
    Percebo que existe uma preocupação sua que ele não queira participar de um tratamento. Porém, se você percebe que como está não está bem, já será de grande valia você começar a cuidar de você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr.! Como vai? Estou namorando um rapaz, no qual eu gosto muito, ele me respeita, me entende, faz de tudo para me agradar e temos um bom diálogo, porém, estou com um grande problema, não consigo sentir desejo por ele, eu gosto muito de estar com ele, mas, não consigo procurá-lo, somente ele a mim!!! Perdi minha virgindade com ele (e não foi muito boa). Achei que isso seria passageiro, mas não, temos relações contínuas, pelo fato de eu não ter “tesão” por ele, sinto dores nas relações e o pior não tenho lubrificação alguma!!! Meu namorado já tentou de tudo, sexo oral, usar os dedos, mudar as posições, e nada... Fora que eu sou muito inibida! Tem dia que chego a chorar, pensando se tenho algum problema, se algum dia eu vou sentir prazer e poder proporcionar isso ao meu namorado. Gostaria de uma orientação, o que eu devo ter? Será que tenho anorgasmia? Isso tem cura? Como devo proceder? E que tipo de profissional devo procurar? Gostaria muito de uma ajuda, isso realmente é horrível e desesperador. Desde já agradeço a atenção.

    Luana, 19 Anos - Ver Resposta

    Olá Luana. É muito desagradável essa situação.
    Pelo seu relato, percebo que isso lhe traz muito sofrimento.
    Porém vamos com calma. Primeiro, é importante você saber que não está sozinha nessa situação. Existem muitas mulheres que estão em situações semelhantes a sua, porém continuam sofrendo por não fazerem o que você está fazendo, ou seja, procurando ajuda.
    Você não precisará passar o resto da sua vida desse jeito. Existe tratamento para essas questões. E quando bem conduzido pelo profissional, se obtém ótimos resultados!
    Como você apresenta uma insatisfação no aspecto sexual, é importante que você procure dois profissionais: o ginecologista, para ver se existe algum fator orgânico na sua dificuldade de lubrificação, e um terapeuta sexual que cuidará de todo o restante.
    Você aponta alguns aspectos nessa relação, como baixo desejo pelo namorado, a dificuldade de lubrificação, a questão do orgasmo, que mostram que você precisa sim de ajuda especializada para cuidar de você. Além disso, esses sintomas mostram que outros aspectos na sua vida estão precisando de atenção.
    Penso que viver nessas condições é muito ruim, além de atrapalhar no seu desenvolvimento afetivo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Estou com falta de apetite sexual. Há mais ou menos uns quatro anos, tive relação sexual com uma garota, peguei uma infecção, após este fato não me senti mais o mesmo, meu apetite sexual mudou muito e pra pior, gostaria de saber se existe alguma maneira de resolver meu problema. Me sinto muito mal, pois hoje sou casado tenho relação com minha esposa, porém nem sempre me sinto confiante em ter relação, as vezes na hora que estou tendo relação, do mesmo jeito que está bom derrepente o apetite vai embora, e eu nem sei o que fazer. è muito difícil pra mim, pois antes de ter esta infecção minha relação sexual era muito ativa.

    Marcelo, 30 Anos - Ver Resposta

    Oi Marcelo.
    Posso imaginar quão desagradável é essa situação que você está passando.
    Será necessário investigar o que está acontecendo. Pois, levar uma relação nessas condições, não é saudável e, muito provavelmente chegará uma hora que a relação estará tão desgastada que não fará mais sentido viver juntos. O que de fato também não resolverá esse problema.
    Eu sugiro que você procure um psicoterapeuta sexual para ajudá-lo a compreender essa questão, e assim, você voltar a desfrutar se sua sexualidade de modo mais amplo e saudável.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Perdi a vontade de fazer sexo faço umas duas veses por semana so pra cumprir com.a vida de casado não tenho imaginação nenhuma não consigo nem me masturbar mais.

    Carlos, 47 Anos - Ver Resposta

    Olá Carlos.
    Penso que essa situação é no mínimo desagradável, não é? Afinal, não sentir vontade de desfrutar da sexualidade de modo gostoso e saudável além de ter que fazer só para cumprir seu papel no casamento, é muito ruim.
    É bom observar que possivelmente outros aspectos na sua vida também estão precisando de atenção, de modo que a sexualidade é que está denunciando que você, como um todo pode estar precisando de ajuda.
    É importante que você procure ajuda, e já é o que está fazendo me enviando essa mensagem. Porém sugiro que você procure um psicólogo, de preferência um psicoterapeuta sexual, para juntos encontrarem um modo de resolver essas questões.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Caro Dr. Claudecy. Sou casada há 7 anos e amo demais meu marido e vivemos bem. Tenho um filho de 9 anos e tive uma filha que esta com 1 ano e 6 meses, so que desde que ela nasceu eu nao tenho tido muito interece em ter relaçoes com meu marido. Estou desesperada pois ele é super paciente mas ja esta me cobrando e disse que nao gosto de ter relaçoes com ele. Mas nao é bem assim; tenho tido muito mal estar e sinto muito calor, de ficar transpirando muito, mesmo quando nao estar tao calor. Por favor me ajudem o que devo fazer tenho vergonha de procurar ajuda e ele esta sem falar comigo por causa disso. Estou fazendo tratamento com homeopatia pois tive uma pequena depressao na gravidez sera que tem algo haver; existe algum remedio que possa tomar para voltar o desejo? Espero resp. anciosa obrigada.

    RE, 28 Anos - Ver Resposta

    Olá Re, como vai?
    Entendo que essa situação é muito desagradável, e como você já percebe, está
    trazendo consequencias ruins. É importante investigar as causas emocionais
    que estão impedindo de você desfrutar de uma sexualidade de modo saudável, não só por causa do seu marido que cobra um desempenho seu, mas sim, por você.
    Pense na possibilidade de procurar um terapeuta sexual para ajudá-la.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Notei que meu namorado ñ gosta de coisas programadas, ou seja marcar pra ir no motel ou coisas assim, quando rola naturalmente ai precebo que ele se entrega, ou quando eu faço tipo joguinho duro vejo mais interesse nele, entao tenho que dificultar o sexo pra notar interesse...depois que ele começou a trabalhar diminuiu muito nossa vida sexual, entao eu tento ñ forçar pra que ele ñ sinta como se fosse obrigaçao...Acho que eu sinto mais desejos do que ele..eu o amo muito, será que meu geito de querer ir no motel fazer coisas diferentes o deixa um pouco manipulado e seja isso a dificuldade? namoramos a 1 ano e meio. me ajude..

    Camilla, 24 Anos - Ver Resposta

    Oi Camila. Como vai?
    Fazer sexo programado, como é o caso de ir ao motel, de fato não anima algumas pessoas, pois elas não estão com vontade ou excitadas naquele momento. Por isso é comum a algumas pessoas imaginarem que se deslocarem até o motel, por exemplo, é trabalhoso, e isso funcionaria como um desestímulo.
    Porém, isso é muito comum acontecer, tanto com homens como com mulheres, e o que pode estar atrás desse comportamento é uma falta de estímulo para tal. Essa falta de estímulo pode ter várias causas, como por exemplo, cansaço, a mente focada em outras coisas, preocupações, a idéia de ir a tal lugar ou fazer tal coisa pode não ser tão interessante/excitante, ou mesmo por causa do comportamento do outro em relação ao sexo ou qualquer outro comportamento que não seja bom, como é o caso de não gostar do modo como a outra pessoa faz sexo, se tem ou não orgasmos, se existe muitas proibições... tudo isso pode gerar uma não vontade de fazer sexo.
    Conversar no sentido de explorar o que está acontecendo, se existe algo que o outro não gosta, permitir que seja apontado comportamentos em você que possivelmente não o agrada, e você também dizer como está se sentindo na relação.
    Quantificar o desejo pode não ser uma tarefa fácil, pois medir pela freqüência nem sempre é uma boa maneira. Pode ser que o referencial dele sobre sexo seja diferente do seu, que os coisas que o excitam seja diferente das que excitam você.
    Quem sabe, perguntar a ele sobre o que o agrada sexualmente pode ser uma maneira de mudar algumas coisas na relação.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Doutor. Estou sentindo um alto grau de desanimo relativo ao meu serviço, pois nao me sinto produtivo e sinto tb que é um serviço que nem precisaria ser feito. A pressao dos chefes e demais companheiros de trabalho é grande. Sempre estou acumulando funcóes de funcionarios que saem e a empresa nao repoe essa "peça" . Esto estressado com tudo isso e quase pedindo demissao. Pois bem; de uns tempos pra ca notei um certo declinio no meu apetite sexual. Procurei um urologista e este me solicitou alguns exames, em que foi constatado Testosterona baixa e tb baixa fertilidade. Se minha vontade era "mais ou menos" depois do diagnostico de "baixa fertilidade" piorou mais ainda. Mas tb notei que quando tiro alguns dias de folga consigo ter erecoes normais. Será que esse problema no meu emprego esta variando as condices hormonais para cima e para baixo???

    Marcos, 34 Anos - Ver Resposta

    Oi Marcos.
    Voc~e não está respeitando seus limites. Seu corpo não está gostando do modo que você está levando sua vida. E é claro que isso que você está sentindo, tristesa, desânimo, problemas sexuais, não sintomas que estão se manifestando. É uma maneira de dizer que assim não vai dar para continuar.
    Procure um psicólogo, pois na terapia você entenderá o porque de estar se comportando assim e então se trabalhará nesse processo para você mudar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Tenho 23 anos e namoro á 6 anos. Meu desempenho sexual no começo do namoro foi ótimo, logo nos meus 15 anos. De algum tempo pra cá, tenho tido pouco interesse, em 99% das relações, eu tenho orgasmo, isso nunca foi problema, mas a procura do parceiro ultimamente tem me causado problemas. Não sei se ando mto cansada por causa do trabalho, mas tenho pouca disposição para iniciar a transa. O q tem me causado problemas serios no relacionamento. Ja percebi q o exercicio fisico aumenta meu apetite, mas será q dependerei disso para manter uma vida sexual estável? Amo demais meu namorado e ele eh mto atraente, tem um corpo definido, mas nao sei, as vezes acho q por iniciar no trabalho as 6 da manha eu sinto sono mto cedo tb, e ele é o contrario, ele dorme até tarde, mas tem bastante disposição a noite. Gostaria q me ajudasse, pois sei q sou mto nova pra ter esses problemas e me sinto mto infeliz por isso.

    Ana, 23 Anos - Ver Resposta

    Olá Ana.
    Por causa do cansaço, muitas pessoas têm dificuldades para ter relações sexuais, e isso acaba preocupando muito o casal. Sendo que na maioria das vezes, basta uma organização do tempo ou mesmo uma sincronia de horários do casal para isso se resolver.
    É muito comum essa queixa de "perda" do desejo sexual, em pessoas que se esgotam fisicamente no trabalho, e com isso não sobra energia nem ânimo para o sexo.
    Esse recurso é muito usado (às vezes a pessoa não tem noção que faz isso) por aqueles que querem evitar ter sexo com a parceira ou parceiro.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Namorei por algum tempo e eu e o meu namorado mantínhamos relações várias vezes ao dia,mas meu namorado atual só consegue ter uma relação por dia e só com uma ereção.Isso é normal?

    Carla, 23 Anos - Ver Resposta

    Oi Carla, como vai?
    Isso é normal sim. Muitos homens quando têm relações só gozam uma vez, o que não necessariamente significa que ele não a deseja. Pode ser que esse seja o ritmo dele, já no outro namoro que você teve seu ex tinha outro ritmo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa tarde Dr. Claudecy Meu nome é Mariana e tenho 30 anos. Ao navegar pela Internet encontrei seu site, que contém um tema que muito me interessa... Atualmente estou noiva (desde outubro passado). Estou com meu parceiro há 4 anos e meio. *Nosso* problema é que meu noivo não tem praticamente nenhum desejo sexual. Transamos apenas cerca de uma vez a cada 5 meses, já chegamos a ficar um ano sem relação. Sempre foi assim, desde o começo. Ele jura que o problema *não sou eu* (o que ainda não consigo acreditar e que me machuca todos os dias, apesar de eu nunca ter tido esse tipo de problema com nenhum outro homem, mas já que com a *ex* dele, era tudo normal), e apesar disso, eu sei que ele me ama. Meu noivo *culpa* essa falta de vontade aos problemas dele (vários, segundo ele próprio)... não entra em detalhes (é uma pessoa fechada) sobre isso, mas insiste, e repete que quando eles se ajeitarem, tudo ficará normal. É um homem de muito caráter, cuidadoso, culto. E, sinceramente, ele não tem nenhuma outra pessoa. É uma situação que me dói muito doutor, pois claro, além de me sentir rejeitada, feia, e dezenas de outras coisas, eu também tenho desejo e o vivo reprimindo. Apesar do jeito dele, até os quase 3 anos de namoro eu sempre o *procurava*. Algumas vezes dava certo, mas na maioria ele não queria. Atualmente eu fico sem coragem de procurá-lo, já que ele não o faz e quando eu *consigo*, me sinto mal pois sei que só aconteceu por EU tê-lo procurado. Apesar disso, também, meu noivo nunca *brochou* comigo. Depois que *começamos*, tudo acontece naturalmente. Quanto aos problemas que ele diz... sim, ele tem, como todas as pessoas. Já conversei com ele várias vezes, pedindo que procurasse ajuda, mas para ele, psicólogo não é uma ajuda. Me sinto perdida e não sei o que fazer, pois nos amamos e vamos nos casar em breve. E essa é uma situação que precisa ser resolvida. Já pensei em muitas coisas.... como algum trauma que possa ter ocorrido com a *ex* dele, algum sentimento dele consigo próprio de rejeição, falta de desejo por mim (li em algum lugar que amor e desejo não necessariamente *andam* juntos). Tantas coisas me passam pela cabeça. E apesar dele negar todas e sempre se justificar da mesma forma, enfim, isso precisa ser resovido. Obrigada.

    Mariana, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Mariana.
    Entendo que essa situação é bem delicada e desagradável. Porém a base para qualquer relacionamento que pretende ser saudável é o diálogo. Porém você deixa claro o quanto é difícil dialogar com ele. Assim não dá.
    Dizer que tem problemas, traumas, dificuldades, que é calado, fechado, não basta. É preciso compartilhar com você. Existem situações em que o assunto é muito íntimo e a pessoa não se sente à-vontade para contar a parceria. Mas nesse caso, ele precisa buscar ajuda de um profissional para ajudá-lo, já que isso está prejudicando a relação.
    Sinto que você está perdida nessa situação, e não é para menos. É importante que você também procure ajuda nessa fase conturbada.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Estou um pouco confusa em relação ao meu casamento. Sou casada a 10 meses, meu marido tem 20 anos, namoramos por 5 anos e o sexo era otimo Agora ele não me procura mais, não estou mudada não meu corpo continua o mesmo, não engordei nem nada, tento fazer coisas diferentes, leio livros sobre coisas e posiçoes diferentes para fazer, frequento sex shop, faço cursos nos sex shop a respeito, mais ele não quer nem saber eu o procuro e na maioria das vezes ele rejeita, estou muito triste, ele diz que tudo esta normal mais não está. Ele diz que o sexo é bom mais parece que esta so cumprindo uma obrigação, goza e pronto, me pega parecendo que esta fazendo com uma boneca, tampa minha boca e me segura não me deixa nem me mexer, acaba se levanta e vai ver tv. Ele foi o unico homem que tive, sinto um tesão enorme por ele. Desde ja agradeço.

    Luana, 31 Anos - Ver Resposta

    Oi Luana. Sim, é delicada essa situação.
    Porém é preciso entender o que não está bem para ele. Normalmente, nesses casos, as mulheres se preocupam muito com a aparência, pois acham que isso é o suficiente ou a única coisa que atrai o homem. Sim, isso é importante, mas não é a única coisa. A prova é o que está acontecendo com você, que apesar de estar com um corpo legal, frequentar sexshop e fazer os cursos, o desejo dele por você não está do modo satisfatório para você.
    É preciso entender o que está acontecendo com ele e com a relação. Vocês são muito jovens e já estão casados, mas parece que algo não está bem para ele. Provavelmente você tenham vontade de experienciar outras situações que contribuiriam par ao amadurecimento de vocês.
    Agora, a relação de vocês precisa de uma revisão, o que não é fácil, mas precisará ser feita.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Ola... tenhu 18 anos e meu esposo tem 30. Somos casados a 8 meses, e so agora depois que casamos que descobri que meu esposo tem tara por outras mulheres nuas na internet.Nao sei mais oque faço....ja conversei com ele....ele diz que nao ve....mais eu sei que ele continua vendo.... Por favor me ajude....eu nao aguento mais....isso vai acabar com meu casamento e pior eh que eu amu mto ele...e nao consigo nem brigar feio, oq faço me ajuda por favor.

    Regina, 18 Anos - Ver Resposta

    Regina, calma!
    Não há nada de errado seu parceiro ou mesmo você sentir desejo por outras pessoas. Isso é normal e saudável.
    Entre sentir desejo e sair com a pessoa tem uma diferença grande. O fato de ele desejar outra não significa que ele não a deseja. Querer e os olhos dele e os sentimentos (desejo) sejam só para você, não é bom, e mostra muita insegurança da sua parte. Isso atrapalha a relação, e desse modo ele vai fazer isso escondido e com medo ser flagrado por você. Isso torna a relação pesada.
    Por outro lado, é bom saber que pode sinalizar que relação não está boa e por isso há a necessidade de buscar fora.
    Há outro lado: todos os excessos não são saudáveis. Se isso é feito de modo a atrapalhar a sua relação, ou seja, ele dá mais atenção à outras que a você, então precisa ser revisado esse relacionamento.
    se não souber como fazer isso, procure um psicólogo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá Dr. Claudecy! Estou desesperada, neste momento meu noivo está deitado na cama, dormindo, e eu aki procurando uma resposta q justifique a minha dor. Estamos juntos a quase 4 anos, no primeiro ano, éramos muito mais fogosos, transavamos 3 vezes por semana, com o passar do tempo, foi diminuindo, ele trabalha muito, estuda, eu só estudo. eu entendo q ele fique cansado, mas não suporto mais essa situação: ele prefere se masturbar vendo filmes pornôs na net, ver mulher pelada, do que transar comigo. sei q até certo ponto, isso é natural em todos os homens, mas acontece, q ja passou dos limites. ele diz q é um processo, q m ama, mas q naum consegue xegar perto d mim, prq brigo c/ meus pais e isso o deixa muito triste. já melhorei isso. graças a ele. só q mesmo assim, ele naum m toca, acabamos d brigar por causa disso, eu não aguento mais sofrer, eu o amo mais do q tudo nessa vida, tenho amor próprio, todos os homens me desejam, querem ficar comigo, me acham linda, mas isso naum é suficiente, não quero q nosso relacionamento acabe, eu o amo muito, e sei e sinto, q ele me ama também, ele é uma pessoa maravilhosa,eu quero ajuda, preciso resolver essa situação. eu nem sei bem o que estou sentindo agora, por causa do nervosismo. ME AJUDE POR FAVOR! OBRIGADA.

    Caroline, 30 Anos - Ver Resposta

    Olá Caroline. Imagino que deve estar muito difícil essa relação.
    Alguns aspectos devem ser levados em consideração diante do que você escreveu. De fato, o cansasso físico em muito casos pode fazer a mulher ou o homem ter menos vontade sexual, o que não significa nesse caso, que a pessoa tenha uma disfunção sexual. Ela apenas precisa gerenciar melhor o tempo de modo que sobre tempo para descansar e se dedicar mais a relação.
    Por outro lado existe um aspecto muito comum nas relações com conflitos semelhantes ao seu que as pessoas têm dificuldade para ver. No seu e-mail você diz que "ele prefere se masturbar vendo filmes pornôs na net, ver mulher pelada, do que transar comigo". Aqui pode ter algo importante para ser investigado, pois, com esse contexto, pode ter algo na relação que não está bem para ele e com isso vem o desinteresse. Ele fala das suas brigas com seus pais, pode ser, mas é provável que existam outros comportamentos, como por exemplo, na sua sexualidade que ao invés de atraí-lo acaba afastando. Perceba que ele tem necessidade de sexo ao se masturbar usando outros estímulos, mas não expressa vontade de fazer com você.
    Quando você fala que outros homens querem ficar com você, que a desejam é claro que isso é muito gostoso sentir, mas não é isso que faz a relação ser duradoura. Essas características físicas a qual você se refere, servem muito para atrair o outro, porém, o que mais vai contribuir para a saúde da relação são os comportamentos de cada um.
    Seria muito bom se você refletisse sobre a possibilidade de verificar sobre seus comportamentos, não apenas para essa relação com seu noivo, mas de modo geral com ele, com sua família e no social.
    Penso que um processo terapêutico pode ser muito bom para seu crescimento psicólogo.
    Reveja o seu papel e o do seu noivo nessa relação, se esse processo da qual ele fala não a prejudicará além do seu limite, e quem sabe ele possa se beneficiar de uma terapia também.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Oi de uns tempos para cá, não tenho mais vontade de fazer sexo, o que pode ser isso sou casada a 18 anos e se for por mim passo até 2 meses sem sexo, sera que etou com problemas de hormónios, ou isso não existe é coisa de minha cabeça? me ajude me de uns conselhos .

    Alicia, 40 Anos - Ver Resposta

    Olá Alícia.
    Seria muito bom se as pessoas que tivessem algum problema procurassem ajuda, como você está fazendo.
    A dificuldade com o desejo pode ter duas origens: uma é orgânica, e nesse caso é importante investigar, por exemplo, as taxas hormonais, cansaço físico. A outra é de origem psicológica, e nesse caso é preciso saber se a dificuldade é só com seu parceiro ou por qualquer homem. Aqui envolve um leque muito grande de possibilidades, dentre elas, se você está satisfeito com o seu parceiro, se sente admiração por ele, se a transa com ele é satisfatória para você, se você dedica tempo durante o dia para pensar em coisas relacionadas ao sexo, se você está bem com você... ou seja, as possibilidades são muitas. Eu sugiro que você vá a um terapeuta sexual para ajudá-la a entender o que está acontecendo com você.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá, Dr. Claudecy, Estou casada há um ano, mas nosso namoro durou 10 anos. Ultimamente, meu marido só quer se masturbar. Eu pergunto se ele quer sexo e ele diz na cara que não e durante as masturbações dele, ele pede que eu fique o beijando na boca. To me sentindo um lixo!!!!

    Karol, 28 Anos - Ver Resposta

    Oi Karol.
    Entendo seu sofrimento, e não é para menos.
    É necessário compreender o que está acontecendo com ele. Mas ele precisará expressar o que sente para o entendermos.
    Esse comportamento pode ter duas origens: uma é com ele mesmo, questões que precisam ser resolvidas na vida dele. A outra possibilidade é com você. Ou seja, será que existe algo em você, como comportamentos, por exemplo, que estão contribuindo para que ele não queira transar com você?
    Seja lá qual for a origem, é preciso que ele fale, é preciso investigar.
    Pense na possibilidade de vocês procurarem um psicólogo para ajudar a entender o que está acontecendo.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • BOA NOITE.EU TENHO UM PROBLEMA Q ME INCOMODA MUITO.SEMPRE GOSTEI DE SEXO POREM AGORA Q ESTOU CASADA HA DOIS ANOS NAO SINTO VONTADE PASSO DIAS SEM VONTADE MAIS SE EU FIZER TENHO ORGASMO.O PROBLEMA E Q NUNCA ESTOU COM VONTADE ALEM DE TER PREGUIÇA DE FAZER SEXO.MEU MARIDO GOSTA TEM A FANTASIA DE ME VER FAZENDO SEXO COM OUTRO E EU TENHO NOJO SO DE PENSAR NISTO.QDO COMEÇAMOS A FICAR JUNTOS ELE ME CONTOU ESSA FANTASIA ATE AI TDBEM,SO Q ELE COMEÇOU A INSISTIR MT NISSO E SEMPRE FALAVA EU PEDI Q ELE PARASSE DE FALAR NISSO ELE ME DISSE Q ISSO DA TESAO EU DISSE O Q TE DA TESAO CORTA O MEU E AXO Q FOI AI Q COMECEI A TER FALTA DE TESAO POIS COMECEI A FICAR COM RECEIO DE Q ELE CONTINUASSE A INSISTIR NESSA HISTORIA Q EU TENHO NOJO POREM ATE HJ ISSO ME INCOMODA NAO SEI O Q FAÇO.POIS ELE SENTE TANTO TESAO POR MIM E EU NAO CORRESPONDO.ELE SEMPRE DIZ Q ANTES EU ERA MAIS SAFADA E Q AGORA NAO SOU MAIS E SEI Q PODERIA SER MELHOR SO NAO SEI COMO.

    Sil, 40 Anos - Ver Resposta

    Oi Sil.
    Eu entendo que é ruim ficar nessa situação. Mas para quem era "safada" e agora se vem assim, apagadinha, não é nada legal. Seria bom ver essa dificuldade como um sintoma, que está mostrando que algo não está bem.
    É preciso investigar, mas levanto uma suspeita de que a insistência do seu marido de querer ver você transando com outro homem, é uma situação que você não gosta, por isso, transar, pode ser um ato que você já associou como algo aversivo. Ou seja, ele vai falar as mesmas coisas que você odeia.
    Em muitos casos, essa configuração mostra que a relação não está boa, que por conta desses conflitos, pode levar o casal a separação.
    É preciso resolver essa situação. Você já pensou procurar ajuda de um psicólogo? Eu penso que será muito útil para ajudá-la a entender o que está acontecendo e assim encontrarem a solução.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa noite Dr. Claudecy Tenho um relacionamento de três anos, no início a frequência sexual era maravilhosa, tínhamos relação todos os dias. Após um período meu namorado (33 anos) ficou meio desanimado, eu o procuro a fim de ter relações e ele simplesmente se esquiva, isso já aconteceu em várias fases do relacionamento, já conversamos a respeito, eu adoro sexo, mas ele não corresponde as minhas expectativas, ele diz que ninguém faz sexo todos os dias, o problema é que com ele sexo é só uma vez no mês, sei que ele não está me traindo, mas essa situação é frustrante. Ele disse pra eu fazer alguma coisa que chame mais a atenção dele, isso eu também já tentei e mesmo assim ele não ficou a fim, resolvi então não procurá-lo mais e consequentemente meu desejo por ele diminuiu, parece que somos apenas amigos dividindo a cama. Eu tinha vergonha por gostar tanto de sexo e tive muita dificuldade em me abrir pra ele, eu sinceramente acho estranho uma mulher gostar mais de sexo do que o homem. Será a diferença de idade?

    Elisa Ramiro, 25 Anos - Ver Resposta

    Olá Elisa.
    Que bom que você está expressando o quanto gosta de sexo. Isso é muito mesmo, pois vivemos numa cultura onde, ainda não é bem visto por alguns uma mulher assim.
    Outro mito a ser quebrado é o de que o quer sexo o tempo todo, diariamente, que tem que comer qualquer mulher que aparecer. Isso é esperado do homem, pois na nossa cultura somos estimulados a isso. Mas o homem não é uma máquina que só quer saber de sexo. Também tem emoções e, assim como nas mulheres, o mundo que está ao nosso redor exerce influências no nosso comportamento.
    Cada caso precisa ser investigado individualmente. Por exemplo, pode ser que seu marido goste se sexo de uma maneira diferente da sua, com intensidade de frequência diferente, que precise de bem menos que você para se satisfizer. O que não necessariamente significa um problema.
    No caso de homens e mulheres, muitas vezes o sexo é usado como forma de amenizar a ansiedade ou mesmo como uma forma se receber carinho e atenção.
    Tanto no seu caso como no dele, vale a pena entender o que está atrás dessa maneira como cada um encara o sexo. É preciso alinhas as expectativas, pois somos diferentes, sentimos e pensamos com base na nossa história, e, numa relação essas diferenças podem ser significativas.
    Conversar é necessário, mas quando sozinhos não conseguimos, é hora de pedir ajuda. Cogite essa possibilidade.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Boa Tarde! Tenho 32 anos e estou casada a 12 anos,meu marido tem 34 anos! Gostaria de sua ajuda para entender melhor o que se passa no meu relacionamento! Desde quando namoravamos eu sempre tive mais interesse sexual do que ele, ele perdeu a virgindade comigo aos 19 anos,durante esses anos sempre procurei ele e muitas vezes fui rejeitada! Investia em dança do ventre, streep, lingeries,artigos de sex shop e ele não ligava, sinto que ele faz sexo comigo por obrigação e demora até 15 dias para me procurar! Quando o questiono ele me responde que deve ter abusado muito do sexo em outra encarnação já que nessa ele tem preguiça!Por algum tempo me sentia desvalorizada e diminuida, hoje sei que não sou feia e que sou atraente e não trai ele ainda por respeito, mas não sei até quando vou aguentar! Ele não me convida para fazer nem um programa a dois, td tem que partir de mim, será que ele é gay e esta comigo só para manter as aparências? Muitas vezes ele percebe alguém me paquerando e não demonstra nem um ciúme, finge até que não vê!Não sei se é importante isso mas ele perdeu a Mãe aos 13 anos e teve que conviver com o Pai que era muito duro!Me ajude por favor! Obrigada!

    Juliana, 32 Anos - Ver Resposta

    Oi Juliana. Eu sei que você está muito confusa e angustiada. Mas a relação só é saudável quando é boa para ambos. Nesse caso, percebo que o sexo é algo quase que obrigatório para ele, o que não é bom para ambos.
    Todos nós, temos uma forma de nos relacionar com o tema sexo. Não tem regra igual para todos seguirem. O que está claro que a de vocês dois é muito diferente.
    Nesse caso penso que seria importante vocês irem a um terapeuta sexual para analisar o porquê disso. Outra coisa que julgo importante é você entender que por mais que amamos a outra pessoa, que ela seja muito importante para nós, é necessário pesar e ver se vale à pena manter a relação com essa configuração, já que não está boa e que talvez ele não saiba ou não tenha vontade de mudar.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

  • Olá doutor, sou casada a 10 anos e vai fazer um ano que meu esposo perdeu o interesse sexual por mim, ele não me procura mais e quando eu o procuro ele age mecanicamente, ele nunca deu motivo para que eu desconfiasse dele mas agora acho que ele tem alguém pois quando lhe pressiono fazendo perguntas ele ou fica cal