Destaques

  • Dr. Claudecy, Sou casada ha 3 anos, tenho 1 filho do 1° casamento com 11 anos de idade e 1 menina deste casamento com 1 ano de idade. Meu marido não é afetivo com meu filho e costuma repreendê-lo com berros e agressividade ( nunca o bateu mas, já chutou a cadeira que uma vez estava sentado ). Com a nossa filha menor, ele é carinhoso e atencioso. A única maneira dele demonstrar afeto pelo meu filho é dando presentes caros e afirma que suprindo as necessidades materiais dele é o suficiente. Conversando com meu marido, ele mostra-se irredutível, afirma que não vai mudar e que não está nem aí, que não fez nada demais em ser agressivo, diz que o menino é desobediente, mal educado..etc...e nega-se a fazer terapia de casal. Como convencê-lo a mudar? A separação será a única alternativa?

    Patricia, 31 Anos - Ver Resposta

    Olá Patrícia.
    Parabéns por você procurar ajuda. Imagino que você esteja muito confusa, quem sabe até perdida quanto ao que fazer. Mas compreendo sua situação, afinal, você está dividida entre os sentimentos pelo marido de um lado e do outro pelo filho.
    Seu filho não tem culpa, ele apenas faz o que lhe ensinaram ou demonstra o que sente, por essas vias, o que pode ser encarado como desobediente. Ela não sabe saber de outra maneira. Porém, no contexto em que ele vive, onde não sente amor e carinho do homem da casa, (além do que não sei como ele se sente em relação a separação e a relação com o pai dele), na qual tenta "comprá-lo" ou se desculpar pela precariedade no acolhimento.
    Para uma criança, crescer num ambiente como esse não é nada saudável. Seu filho deve sofrer por isso, e você também. E do pondo de vista do desenvolvimento da criança, esse ambiente é muito ruim para ela.
    Por outro lado, penso que é preciso você rever essa relação. Alguém agressivo e inflexível a mudanças para melhor, como você descreve, dificilmente se comporta assim isoladamente. É comum observarmos esses comportamentos se repetindo em várias outras situações. Por isso penso que cabe a você analisar o quanto essa relação está bem para você e para os filhos, bem como para ele. Pois quando alguns comportamentos da nossa parceria nos impede de crescer, ou mesmo o desenvolvimento dos filhos, necessariamente, essa relação precisa ser revisto.
    É provável que talvez seu marido não consiga ver que o que ele faz não está bom, como ele disse: “não faço nada demais”. É triste quando estamos cegos dessa maneira. Porém, acho que cabe a você mostra de modo irredutível que assim a relação não está satisfatória para você. Aceitar essa condição imposta por ele é o mesmo que dizer pode continuar fazendo assim.
    É provável que você precise de ajuda nesse momento tão delicado.

    Um abraço
    Claudecy de Souza
    Psicólogo – 06/69861
    Terapeuta Sexual
    Psicólogo Comportamental Cognitivo
    www.claudecy.com.br | contato@claudecy.com.br

Contato

  • (11) 5092-3898
  • contato@claudecy.com.br
  • Av. Bem-te-vi, 333 - Conj. 61 - Moema - SP

Mídias Sociais

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades em seu e-mail